Living Colour no Circo Voador

É raro, mas existe banda que lança logo de cara um álbum que denota maturidade e talento nato, daqueles que rapidamente recebem o rótulo de “clássico”. Este é o caso do quarteto norte-americano Living Colour e seu disco de estreia, Vivid, um colosso da música pesada funkeada que completou 30 anos em 2018 e, desde então, mantém a banda numa frenética e aclamada turnê mundial. De volta ao Rio de Janeiro, os nova-iorquinos têm compromisso no dia 13 de junho no Circo Voador. Seu Roque, banda sensação do rock carioca, faz as honras na abertura do espetáculo, que tem produção da Onstage Agência e KunFu Concerts.

O Living Colour, ao lado de Faith no More e Red Hot Chili Peppers, são bandas que pavimentaram uma sonoridade conhecida como funk metal, com riffs, levadas e melodias que reúnem elementos de gêneros pesados do rock e o balanço da funk music da década de 1970.

Sem barreiras estéticas e alçando temas até então polêmicos e com forte crítica a problemas sociais na América, a banda de Nova Iorque é dona de uma sólida e prestigiada carreira, que inclui Grammys, hits em posições de destaque nas paradas de sucesso e holofotes em grandes veículos de comunicação ao redor do globo.

Com a turnê especial de 30 anos de Vivid, o Living Colour, que nunca saiu da estrada, realizou shows lotados na Europa, Ásia, Oceania e muitos nos Estados Unidos.

Vivid é um daqueles álbuns recheados tanto de músicas antológicas, como “Cult of Personality”, “Funny Vibe” e “Glamour Boys”, como de histórias incríveis. O lançamento do disco de estreia do Living Colour é a materialização de uma antiga afinidade e paixão de ninguém menos que Mick Jagger, quem um dia, lá os idos da década de 1980, apareceu em uma apresentação da banda e ajudou a pavimentar uma carreira meteórica dos quatro talentosos músicos. Jagger inclusive ajudou a produzir o disco. Negros, enfrentaram e venceram barreiras de um cenário roqueiro norte-americano dominado por brancos, uma narrativa de quebra de paradigmas – musicais e sociais.

Além disso, Vivid consta no conceituado livro “1001 Discos Para Ouvir Antes de Morrer”, de Robert Dimery.

SEU ROQUE – O evento terá o Seu Roque como banda convidada. O power trio carioca desponta como revelação do rock blues nacional a partir de uma sonoridade vigorosa, influenciada por Deep Purple, Cream, Jimi Hendrix, Whitesnake e Led Zeppelin.

Serviço
Living Colour no Rio de Janeiro
Evento: https://www.facebook.com/events/375520913295894
Data: dia 13 de junho
Local: Circo Voador
Banda de abertura: Seu Roque
Endereço: rua dos Arcos, sem número – Lapa/RJ
Ingresso: https://checkout.tudus.com.br/circo-voador-living-colour/selecione-seus-ingressos (online) e bilheteria do Circo Voador (físico)
Último lote: R$ 170 (meia/promocional); R$ 340 (inteira)
*doe um kilo de alimento na entrada da casa no dia do evento e pague meia entrada

Anúncios

“A Arte é Mulher” no CCBB

Feminina desde o vocábulo, a arte fomentada e produzida por mulheres é a atividade central de “A ARTE É MULHER”, encontro multiartístico que o CCBB/RJ recebe desde março, terá no mês de junho duas apresentações: 05/06 – a convidada será Cátia de França (PB) e  26/06, será a Socorro Lira (PB). Idealizado e dirigido pela multi-instrumentista Lan Lanh, o projeto oferece apresentações mensais e gratuitas que mesclam música, performance e palavra. Conduzido e entremeado por relatos de artistas e pesquisadoras mulheres compartilhando suas vivências do universo feminino das artes, o roteiro gera, assim, uma explosão artística feminista onde a mulher é a origem, o meio e a finalidade. O projeto é patrocinado pelo Banco do Brasil, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

“Este evento nasceu do meu desejo de promover um encontro de artes criadas por mulheres de várias gerações, assim como as mulheres inventadas pela arte em suas diferentes manifestações do feminino. Para isso, propus uma convocação ritmada de música e palavras para gerar uma onda feminista e, assim, espalhar as alegrias, dividir as tristezas e compartilhar com a plateia a arte de ser mulher”, explica Lan Lanh que, para o evento, formou um trio musical fixo e inédito com as cantoras Numa Ciro e Jussara Silveira. Lan ainda é a responsável pela direção musical, percussão e arranjos da original Banda Arte, composta ainda por Maíra Freitas (teclados, programações e arranjos) e Irene Egler(violão e arranjos).

Com direção cênica de Cristina Moura e projeção do acervo fotográfico de Cláudia Ferreira, um dos principais do país sobre feminismo, cada encontro receberá convidadas diferentes, mulheres que, em seu histórico de atuações, sempre representaram no meio artístico as suas vivências enquanto mulheres da área –começando com a cantora Ana Cañas (SP) e a artista plástica Célia Peixoto (BA). “As músicas que compõem os shows exemplificarão os relatos, revezando com as falas das artistas. Criamos um espetáculo em torno das questões que envolvem a mulher: suas múltiplas versões do feminino e as diferentes manifestações políticas do feminismo”, analisa Numa, que assina com Lan Lanh o roteiro e a curadoria do evento.

Dinâmicas, as apresentações contam ainda com interferências visuais e trocas com a plateia, tendo no comando da palavra Heloísa Buarque de Hollandafocando no que seria esse novo campo cultural pautado pelo feminismo na música e nas artes. “Este é um encontro que dá voz à diversidade de mulheres que existem na mulher”, reflete a ensaísta, editora, crítica literária, pesquisadora brasileira e escritora, que lançou em 2018 o festejado livro “Explosão Feminista”.

CCBB 30 anos

Inaugurado em 12 de outubro de 1989, o Centro Cultural Banco do Brasil celebra 30 anos de atuação com mais de 50 milhões de visitas. Instalado em um edifício histórico, projetado pelo arquiteto do Império, Francisco Joaquim Bethencourt da Silva, o CCBB é um marco da revitalização do centro histórico da cidade e mantém uma programação plural, regular, acessível e de qualidade. Mais de três mil projetos já foram oferecidos ao público nas áreas de artes visuais, cinema, teatro, dança, música e pensamento.  Desde 2011, o CCBB incluiu o Brasil no ranking anual do jornal britânico The ArtNewspaper, projetando o Rio entre as cidades com as mostras de arte mais visitadas do mundo. Agente fomentador da arte e da cultura brasileira segue em compromisso permanente com a formação de plateias, incentivando o público a prestigiar o novo e promovendo, também, nomes da arte mundial.

APRESENTAÇÕES:

– JUNHO –

05/06 – Convidada: Cátia de França (PB)

26/06 – Convidada: Socorro Lira (PB)

SERVIÇO:

“A ARTE É MULHER”

CCBB RJ – Teatro II

Rua Primeiro de Março, 66 – Centro

Horário: 19h

Classificação indicativa: 14 anos

Entrada gratuita (senhas distribuídas na bilheteria 1h antes)

FICHA TÉCNICA

A ARTE É MULHER

Patrocínio  Banco do Brasil e Realização CCBB

Curadoria e Roteiro – Lan Lanh e Numa Ciro

Direção Artística e Musical – Lan Lanh

Direção de Produção – GisellaChinelli

Direção Cênica – Cristina Moura

Arranjos – Lan Lanh, Maíra Freitas, Irene Egler e Natasha Oliver

Gerenciamento administrativo e financeiro – Carolina Rocha

Produção – Luisa de Castro

Cenário – Célia Peixoto

Projeções – VJ Leticia Pantoja

Iluminação – Daniela Sanchez

Assistência de iluminação – Kátia Barreto

Sonorização – Daniela Pastore

Cenotécnica – Maria Marta

Fotografia – Renata Duarte | Duharte Fotografia

Audiovisual – Éthel Oliveira e Renata Duarte

Design e ilustrações – RaphaBaggas

Assessoria de Imprensa – Gisele Machado e Bruno Morais | Marrom Glacê Assessoria & Entretenimento

Assessoria Jurídica – Carolina Bassin

Elaboração do projeto e consultoria em Leis de Incentivo – GisellaChinelli e Carolina Rocha

Acervo fotográfico (história dos movimentos feministas) – Cláudia Ferreira

Vozes em Off – Eliana Souza Silva, Érica Peçanha e Renata Codagan

Banda Arte:

Percussão e voz – Lan Lanh

Vozes – Jussara Silveira e Numa Ciro

Teclados e voz – Maíra Freitas

Violão – Irene Egler

Pesquisadora e Escritora – Heloisa Buarque de Hollanda

Zé Guilherme canta Orlando Silva

No dia 27 de junho (quinta), o Bar do Nelson recebe show do cantor e compositor Zé Guilherme que apresenta, às 21 horas, o repertório de seu terceiro CD, Abre a Janela – Zé Guilherme Canta Orlando Silva, lançado em 2015.

 

O disco é uma homenagem a um dos mais significativos intérpretes da música popular brasileira, que completaria 100 anos na época do lançamento. O trabalho é norteado por uma releitura delicada e pessoal de 18 canções gravadas pelo Cantor das Multidões, selecionadas por Zé Guilherme em um longo processo de pesquisa sobre sua trajetória.

 

O repertório de Abre a Janela é formado por: “A Jardineira” (Benedito Lacerda e Humberto Porto), “Dama do Cabaré” (Noel Rosa), “A Primeira Vez” (Armando Marçal e Bide), “Abre a Janela” (Marques Júnior e Roberto Roberti), “Aos Pés da Cruz” (Marino Pinto e Zé da Zilda), “Faixa de Cetim” (Ary Barroso), “Lábios Que Beijei” (J. Cascata e Leonel Azevedo), “Lealdade” (Wilson Batista e Jorge de Castro), “Malmequer” (Newton Teixeira e Cristovão de Alencar), “O Homem Sem Mulher Não Vale Nada” (Arlindo Marques Jr. e Roberto Roberti), “Pela Primeira Vez” (Noel Rosa e Cristovão de Alencar), “Preconceito” (Marino Pinto e Wilson Batista) e “Alegria” (Assis Valente e Durval Maia), entre outras.

A Apresentação de Zé Guilherme no Bar do Nelson tem participação dos músicos Adriano Busko (percussão), Cezinha Oliveira (direção musical, violão e vocal), Maik Oliveira (cavaquinho) e Pratinha Saraiva (flautas).

 

O Bar do Nelson é uma das casas da empresária Lilian Gonçalves, fundada para homenagear seu pai, o cantor Nelson Gonçalves. O Bar do Boêmio, que fica no bairro da Santa Cecilia, é decorado por vinis e fotos sobre da trajetória de Nelson na música brasileira. Ponto de encontro dos fãs do cantor, a casa tem opções temáticas no cardápio como o Picadinho do Boêmio.

Abre a Janela – Zé Guilherme Canta Orlando Silva

A trajetória de Orlando Silva foi marcada por apurado critério na escolha das canções. Ele só cantava o que lhe tocava a alma. O colorido, o swing e a brasilidade da sua obra foi o mote principal das escolhas de Zé Guilherme. A seleção levou em consideração, além da afinidade artística, a época de seu apogeu – de 1935, quando gravou o primeiro disco, até 1942. O roteiro contempla um perfil mais leve e alegre do cantor como na maioria dos sambas que trazem sempre um toque de humor nas letras.

 

A produção musical é assinada por Cezinha Oliveira que utilizou elementos clássicos nos arranjos como piano, baixo acústico, acordeon, trombone e violão de sete cordas, entre outros, valorizando a sonoridade do disco sem cair no mero saudosismo. Abre a Janela – Zé Guilherme Canta Orlando Silva foi concebido com base na interpretação, nos arranjos e nas composições, mostrando que a chamada “música antiga” do Brasil pode se manter clássica em sua origem, popular em sua apresentação e sofisticada em sua concepção.

Sobre a concepção dos arranjos, Cezinha explica que, para todos os sambas, inspirou-se nos conjuntos regionais e nas orquestras que acompanhavam os artistas nas rádios. O instrumental era, geralmente, formado por acordeom, violão, percussão e instrumento solo de sopro. Apenas as marchinhas “A Jardineira” e “Malmequer” seguem outro caminho. A primeira tem introdução influenciada pela música barroca e a segunda ganhou um andamento mais jazzístico.

Serviço

Show: Zé Guilherme

Em: Abre a Janela – Zé Guilherme Canta Orlando Silva

Dia 27 de junho. Quinta, às 21h

Ingressos: R$ 30,00. Faz reservas. Aceita cartões.

Não recomendado para menores de 18. Duração: 1h30.

Bar do Nelson

R. Canuto do Val, 83 – Santa Cecilia, SP/SP.

Tel: (11) 3224-0586 / 3338-2525 / 3226-0584
Ar condicionado. Acessibilidade. Serviço de estacionamento. 300 lugares

redebiroska.com.br/ | @redebiroska

www.zeguilherme.com.br

Spotify | Deezer | Google Play

Facebook: @oficialzeguilherme | Twitter: @zeguilhermeofic | Instagram: @zeguilhermeoficial | Youtube: Zé Guilherme Oficial.

Free Jaz na Audio Rebel

O free jazz, o improviso e a música de vanguarda ocupam a Audio Rebel nos dias 05 e 06/06 com duas apresentações do norueguês Paal Nilssen-Love junto do americano Ken Vandermark. Os shows começam às 20h e os ingressos custam R$ 30. Essa é mais uma realização da Budweiser, sempre prometendo um encontro regado aos sons inovadores da música mundial. O evento tem início às 20h.

Ken Vandermark se destaca por ter desenvolvido um estilo singular de tocar diferentes instrumentos – como o saxofone, tenor, barítono, clarinete e clarone – e por suas composições calcadas em camadas múltiplas, que geralmente transitam num misto de orquestração intricada com improvisação livre. Vandermark já tocou e gravou com muitos músicos, dentre eles Hamid-Drake, Mats Gustafsson, Joe McPhee, Zu, Peter Brötzmann, Paul Lovens, The Ex, Kevin Drumm, além de ter liderado diversos grupos, como o DKV Trio, School Days, Vandermark 5, entre tantos outros.

Retornando à Rebel, Paal Nilssen-Love mostra o motivo de ser um dos instrumentistas mais importantes do mundo do free jazz. O baterista e percussionista é reconhecido pelas apresentações cheias de vida, seja ao lado de grandes improvisadores ou acompanhado pela banda Large Unit. Nascido na Noruega, o artista apresenta toda a potência da sua técnica e sonoridade. A ligação do músico com o Brasil é forte, tendo gravado dois discos no país, como “Scarcity” e “Botafogo”; e sido influenciado por Luiz Gonzaga, Milton Nascimento e Pedro Santos. Traz no currículo o trio The Thing, com quem lançou o disco “The Cherry Thing”, ao lado da cantora Neneh Cherry. Outros projetos incluem Brotzmann/Gustafsson/Nilssen-Love, Butecher/Nilssen-Love Duo, Peter Brotzmann Chicago Tentet e Vandermark/Nilssen-Love Duo.

No dia 6 de junho, Nilssen-Love e Vandermark se juntarão a dois músicos expoentes da cena de improviso local, Paulinho Bicolor (cuíca) e Cadu Tenório (noise e eletrônicos) para um set que promete mais uma vez impressionar o público presente.

O show integra a programação da Budweiser na Audio Rebel que já recebeu Passo Torto, Kiko Dinucci, Rodrigo Campos e Nina Becker, entre outros. O palco desse evento é a casa de todas as tribos em Botafogo, que abriga ainda estúdios de ensaio e gravação, uma loja de discos e oficina de luthieria. A Rebel fica na Rua Visconde de Silva, 55.

Os ingressos já estão à venda: https://www.eventbrite.com.br/e/budweiser-apresenta-paal-nilssen-love-ken-vandermark-na-audio-rebel-tickets-62064047236

Serviço

Paal Nilssen-Love e Ken Vandermark

Data: 05 e 06/06/2019 (quarta e quinta-feira)

Horário: 20h

Local: Audio Rebel

Endereço: Rua Visconde de Silva, 55 – Botafogo – Rio de Janeiro/RJ

Ingressos: R$ 30

Compra online: https://www.eventbrite.com.br/e/budweiser-apresenta-paal-nilssen-love-ken-vandermark-na-audio-rebel-tickets-62064047236

Classificação: 16 anos

Capacidade da casa: 90 pessoas (lotação máxima)

Forma de pagamento: para o ingresso, apenas dinheiro; no bar, todos os cartões de crédito

Casa equipada com ar condicionado e wi-fi gratuito

Horário de funcionamento da bilheteria: todos os dias, de 14h às 21h

 

Wander Wildner no Odisseia

Um dos principais nomes do rock gaúcho desde os anos 1980 (quando foi vocalista da banda Os Replicantes), Wander Wildner está lançando seu 12º álbum, “O mar vai muito mais além no meu olhar”. O artista, que criou o termo “punk-brega” para classificar seu trabalho solo a partir dos anos 1990, faz show inédito no Rio de Janeiro no dia 15 de junho (sábado), comemorando os 15 anos do Teatro Odisseia. Wildner apresenta um repertório que reúne as novas canções e clássicos de sua carreira acompanhado de Cristiano Carlos no baixo e Lalau na bateria. 

Verbete obrigatório da enciclopédia virtual do rock desde que era cantor dos Replicantes nos anos 80, Wander Wildner estreou sua carreira solo em 1996 com o célebre álbum Baladas Sangrentas produzido pelo lendário Tom Capone. Agora ele está saindo em turne pelo país lançando o álbum O MAR VAI MUITO MAIS ALÉM NO MEU OLHAR, que pode ser ouvido e comprado na forma virtual no link https://wanderwildner.bandcamp.com/album/o-mar-vai-muito-mais-ale-m-no-meu-olhar

Wander Wildner: 15 anos de Teatro Odisseia
Dia 15/06
Abertura da casa: 20h
Show: 21h
Ingressos: R$ 40 (inteira), R$ 20 (meia-entrada ou antecipado)
Classificação: 18 anos
Informações:
21 2224.6367
www.facebook.com/teatroodisseia
teatroodisseia.rio@gmail.com

Ícone e-mail Produção Teatro Odisseia 2019compartilhou este evento com você:
Wander Wildner lança novo álbum nos 15 anos do Teatro Odisseia

Organizado por: Produção Teatro Odisseia 2019

Data: Sábado, 15 de junho 2019, 19h – 23h

Local: Mem de Sá 66 Rio de Janeiro RJ

Nova Orquestra anuncia espetáculo Led in Concert

Comemorando os 50 anos dos primeiros álbuns da banda britânica Led Zeppelin, seus maiores sucessos serão recriados como música de concerto pela Nova Orquestra em uma turnê que passará por São Paulo (20/10), Porto Alegre (24/10) e Rio de Janeiro (19/11).

 

Em um formato de 32 músicos e regência do maestro Éder Paolozzi, as apresentações revisitarão clássicos como “Whole Lotta Love”, “Stairway To Heaven” e “Kashmir” de um jeito que os fãs da banda inglesa se surpreenderão e feito para emocionar gerações de roqueiros.

 

Em São Paulo, eles se apresentarão no Allianz Parque. Já em Porto Alegre, o concerto será realizado no Auditório Araújo Vianna e no Rio de Janeiro, no Vivo Rio.

 

Inovador projeto em busca de experiências únicas em música de concerto, a Nova Orquestra busca trazer apresentações populares, em lugares inusitados, com repertório criativo ou com convidados. O objetivo é sempre surpreender o público que não está acostumado com a experiência de uma orquestra ao vivo e tirar da zona de conforto quem já frequenta concertos, indo do clássico ao popular.

 

A estreia do projeto será na Game XP, evento celebração da cultura gamer, onde interpretarão trilhas de jogos consagrados durante todos os dias do evento. Além disso, eles se apresentarão no palco Sunset do Rock in Rio em uma celebração ao hip hop com Rael, Rincon Sapiência, Baco Exu do Blues e Agir. No fim do ano, abrindo o verão, eles apresentarão as “Quatro Estações” de Vivaldi ao lado do guitarrista Davi Moraes.

 

Mais informações sobre venda de ingressos e serviço das apresentações e possíveis novas datas serão reveladas em breve.