Mulheres de Chico, no Teatro Rival

Há oito anos, o bloco feminino Mulheres de Chico reúne-se para homenagear o compositor Chico Buarque de Hollanda no aniversário dele. Este ano, a comemoração será no dia 26 de junho, quinta-feira, com a presença das Mulheres de Hollanda. O show faz parte das comemorações dos 80 anos do Teatro Rival Petrobras.
Pela terceira vez, acontece o encontro do Bloco Mulheres de Chico com o grupo Mulheres de Hollanda, com repertório totalmente buarquiano. Juntas, elas vão cantar “Geni e o zepelim”, “A banda” e “Vai passar” .
As Mulheres de Chico prometem fazer uma festa de aniversário repleta de animação, batucada, poesia e muita alegria. No repertório, sucessos do ídolo como “A Rita”, “A volta do malandro”, “Noite dos mascarados”; “Partido alto” e “Construção”.

Serviço: Bloco Mulheres de Chico
Dia 26 de junho, quinta-feira, às 19h30
Rua: Álvaro Alvim, 33/37 – Cinelândia – Tel: 2240-4469
Preço:
Setor A /  Setor B / Mezanino
R$ 50(Inteira)
R$ 35 (Promoção para os 200 primeiros pagantes)
R$ 22,50 (Meia entrada para estudantes, idosos e professores da rede municipal)
Classificação: 16 anos
Capacidade: 458 lugares

Anúncios

Orquestra AfroReggae, na Arena Dicró

Com um repertório que inclui os temas do Superman e Indiana Jones, Odeon, Prelúdio do Villalobos, Mozart e Aquarela do Brasil, a Orquestra AfroReggae se apresenta no dia 21/06, sábado, na Arena Dicró, na Penha. Os regentes são Jean Molinari e Giuseppe Laucas. A entrada é gratuita.
Atualmente formada por 21 músicos de várias idades, a Orquestra já se apresentou em diversas cidades e eventos. Entre eles, destacam-se as apresentações no Antídoto do Itaú Cultural e na Open Unesco, em Paris. No Brasil, a Orquestra AfroReggae tocou com a Orquestra Sinfônica Brasileira no Theatro Municipal e na abertura da Conferência Municipal de Assistência Social do Rio de Janeiro.
O AfroReggae aposta na inclusão social através da cultura e busca romper com as barreiras do preconceito contra as favelas do Rio de Janeiro. A distância da música clássica das comunidades é apenas uma questão de acessibilidade. Através de oficinas musicais em uma comunidade do Rio de Janeiro, o AfroReggae provocou o gosto dos jovens pelo gênero e hoje os leva pelo Brasil afora com a Orquestra AfroReggae.
Jean Philippe e Giuseppe Laucas dividem o papel de líderes da Orquestra AfroReggae. Os dois rapazes são estudantes de música da UFRJ e trabalham como Maestros sob a coordenação do primeiro regente do grupo, Guilherme Carvalho.
Giuseppe destaca a importância do trabalho de toda a equipe, coordenadores, professores das oficinas e assistentes artísticos. Para o maestro, o trabalho da Orquestra também é extremamente importante para a comunidade: “A Orquestra tem a oportunidade de apresentar à comunidade mais uma opção de cultura. É necessário que se disponibilize todas as formas culturais possíveis para que os moradores possam escolher. A música clássica, além de ser mais uma opção cultural, é também uma opção profissional para a comunidade”, explica Giuseppe.

Serviço:
Data: 21/06 (sábado)
Horário: 18h
Local: Arena Carioca Dicró – Carlos Roberto de Oliveira
Endereço: Parque Ari Barroso, Penha (entrada pela rua Flora Lobo)
Telefone: (21) 3486-7643
Entrada gratuita
Classificação etária: Livre

“Concerto Brasileiro”, no Municipal

Composições nacionais que mesclam influências da nossa cultura popular à música clássica estão reunidas no Concerto Brasileiro, com o Coro do TM e a Orquestra Sinfônica do TM. No repertório, peças de Heitor Villa-Lobos – Bachianas Nº 7 e Choros 10 –, de Francisco Mignone – Maracatu de Chico Rei –, Renato Goulart –Três Momentos Sinfônicos – e Ernani Aguiar – Frevo da Sinfonia Nº 2. A Fundação Teatro Municipal do Rio de Janeiro, vinculada à Secretaria de Estado de Cultura, apresenta este programa tipicamente verde-amarelo no próximo dia 21 de junho, às 20h. A regência será de Helder Trefzger, Maestro Titular da Orquestra Filarmônica do Estado do Espírito.
“Escolhemos um programa com autores de diferentes gerações da música de concerto no Brasil, para mostrar um variado panorama das nossas raízes culturais neste momento em que os olhos do mundo estão voltados para nós”, comenta Carla Camurati, Presidente da Fundação Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

SERVIÇO
CONCERTO BRASILEIRO
Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Regência: Helder Trefzger

Programa
Renato Goulart – Três Momentos Sinfônicos
Heitor Villa-Lobos – Bachianas Nº 7
Ernani Aguiar – Frevo da Sinfonia Nº 2
Heitor Villa-Lobos – Choros 10
Francisco Mignone – Maracatu de Chico Rei

Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Praça Floriano s/n° – Centro
Dia 21 de junho, às 20h
Preços
Frisas e camarotes – R$ 420,00
Plateia e balcão nobre – R$ 70,00
Balcão superior – R$ 50,00
Galeria – R$ 18,00
Capacidade: 2.244 lugares
Classificação etária: Livre
Informações: (21) 2332-9191

Jay Vaquer, no Teatro Rival Petrobras

O compositor e cantor carioca Jay Vaquer volta ao palco do Teatro Rival Petrobras no sábado, dia 21 de junho, às 21 horas.  No show “Toca Disco”, o artista apresenta dois de seus álbuns na íntegra e na ordem. O público pode votar em seus CDs favoritos por meio de um link em sua página no Facebook. Os dois mais votados serão conhecidos no final de maio. Além de apresentar o repertório, o compositor contará histórias curiosas sobre todo o processo de gravação e divulgação dos respectivos trabalhos.
Jay Vaquer traz na bagagem 13 anos de carreira e reconhecimento do público. Em 2009 lançou um DVD (também editado em CD) ao vivo, de show gravado no Vivo Rio para um público de 4 mil pessoas. Em 2011 lançou seu 6º CD – “Umbigobunker!?” – produzido pelo premiado Moogie Canázio, que teve a participação especial de Maria Gadú na canção “Do Nada, me Jogaram aos Leões”.  O trabalho foi indicado ao Grammy Latino 2012 como um dos discos mais bem produzidos do ano, em toda a América Latina.  Em 2013 lançou um novo álbum inaugurando a série “Transversões”, onde anualmente irá abordar o trabalho de outros compositores, registrando esse exercício em CDs. O primeiro volume, intitulado “Antes da Chuva Chegar”, traz canções de Guilherme Arantes.

Serviço:

Jay Vaquer  – No show “Toca Disco”
Teatro Rival Petrobras
Dia 21 de junho, sábado, às 21h
Abertura da casa: 20h00
Rua Álvaro Alvim 33/37 – Cinelândia – Tel: 2240-4469
Preço:
R$ 80 (inteira)
R$ 40 (estudante / melhor idade / professor da rede municipal)
R$ 60,00 (preço promocional para os 100 primeiros pagantes na bilheteria da casa)
Lotação: 458 lugares
Classificação: 16 anos

Tambor Carioca, no Teatro Rival

Em clima da Copa do Mundo, mostrando “o que é que o brasileiro tem”, o Tambor Carioca vai brindar os 80 anos do Rival com uma programação que é a cara do Rio: show e oficina de percussão. O evento acontece no dia 24 de junho, terça-feira, às 19h30, no palco do Teatro Rival Petrobras.
Todos os que adquirirem o ingresso do show poderão participar de uma aula de percussão, ministrada por Sérgio Conforti, com a participação dos integrantes do Tambor Carioca, antes do grupo subir ao palco. A oficina é aberta a todos, leigos ou não, que queiram entrar em contato com os instrumentos típicos das escolas de samba cariocas e a diversidade de ritmos do nosso país.
O grupo Tambor Carioca traz, em sua formação, a cantora Patricia Mauro e mais doze integrantes, que se dividem em instrumentos de harmonia (violão/guitarra/ baixo/cavaco) e uma bateria que inclui surdos, caixas, repiques, tamborins, agogôs, ganzás e pandeiro.
O repertório do show reúne sucessos de alguns dos grandes nomes da musica brasileira, como Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Alceu Valença, Paulinho da Viola, Jorge Benjor e Clara Nunes.

Serviço:

Tambor Carioca
Teatro Rival Petrobras
Dia 24 de junho, terça-feira,  às 19h30
Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Cinelândia – TeL: 2240-4468
Preço:
R$ 50 (inteira)
R$ 35(promoção para os 200 primeiros pagantes)
R$ 25 (estudante / idoso / professor da rede municipal)
Classificação: 16 anos
Capacidade: 458 lugares

Fundo de Quintal, no Teatro Rival

“O começo no Rival foi muito importante para o Fundo de Quintal. Tenho boas recordações da época em que saíamos dos shows e ficávamos aproveitando a noite da Cinelândia, no entorno do teatro, com amigos como Beth Carvalho, Zeca Pagodinho, Leci Brandão e a própria Ângela Leal.  Era um encontro de amigos.  Fazer show no Rival é ter o contato olho no olho com o público, sentir o calor e a resposta imediata do trabalho.   Quando não estou trabalhando, vou até o Rival para prestigiar os shows dos colegas.  Acho que todo artista em começo de carreira deve passar pelo palco Rival e digo mais: Acho que todo artista consagrado deve reservar uma data na agenda para o Teatro Rival. Ele merece, viva o Rival!”  empolga-se Ubirany.
É com essa demonstração de carinho pela casa que o grupo Fundo de Quintal vai aproveitar o momento de celebração para homenagear o público com a volta do cantor e compositor Mário Sérgio – que fez parte de 19 anos dos 35 de história do FDQ –  no palco do Rival, dia  20 de junho.
“Com o Mário, o grupo retoma uma formação que foi vitoriosa. O público está esperando nos ver juntos de novo, e nós estamos muito felizes.”, comemora Ronaldinho.
Para este show especial no Rival, o grupo Fundo de Quintal prestigia o público lançando duas músicas: “Catundê”,  de Carlos Caetano e Claudemir, e “Só felicidade”, de Sereno e André Renato. O público vai receber um CD promocional com as músicas, assim como nos velhos tempos.
E também no repertório não faltarão os clássicos do grupo como “Lucidez”, “Nosso grito”, Frasco pequeno”, “Fada”, “Chuá chuá”, “O show tem que continuar”, “Parabéns pra você”, “A amizade”, “Batucada dos nossos tantãs”, “E eu não fui convidado”, “Boca sem dente”, “Ô Irene”, “Do fundo do nosso quintal”, “Só pra contrariar”, ‘Miudinho, meu bem”, “Falso herói”. “Vai lá vai lá” e “Parabéns pra você”.
No palco, estarão três fundadores do grupo: Bira Presidente – que, além de exímio pandeirista, tem samba no pé e; Sereno – que, além de cantor e compositor, é o inventor do tantã – e Ubirany, o criador do repique de mão e, assim como o irmão Bira Presidente, não deixa ninguém parado quando risca o chão. Além do trio pioneiro, o Fundo também tem Ademir Batera – também conhecido como baterista sorriso, que é a pulsação do grupo -, e a dupla Mário Sérgio e Ronaldinho, a parceria de compositores mais duradoura do Fundo de Quintal, autora de sucessos como: “Chega pra sambar”, “Amor dos deuses” “Além dos sonhos da ilusão” e “Ilha da roça”.

Serviço: Fundo de Quintal –  “Samba de Verdade”
Local: Teatro Rival Petrobras
Data: 20 de junho – sexta-feira, às 19h30
Abertura da casa: 18h30
Endereço: Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Cinelândia – Tel: 2240-4469
Preço: Setor A / Setor B / Mezanino
R$ 80 (inteira), R$ 60 (os 100 primeiros pagantes) e R$ 40 (meia-entrada para estudantes, idosos e professores da rede municipal)
Lotação: 458 lugares
Classificação: 16 anos

Cacau Vargas canta Vinicius de Moraes

O show apresenta a história e obras do grande compositor e poeta Vinícius de Moraes. Usando uma linguagem didática adaptada à faixa etária das crianças, o show se desenvolve entre textos e canções e trabalha a música diretamente ligada à dramatização (arte-educação).

SERVIÇO:
Cacau Vargas canta Vinicius para Crianças
DATA: 22/06
LOCAL: IMPERATOR – CENTRO CULTURAL JOÃO NOGUEIRA
http://www.imperator.art.br
ENDEREÇO: Rua Dias da Cruz, 170 – Méier
HORÁRIO: 16h
INGRESSOS: Entrada franca. Distribuição de Senhas a partir das 15h. Limite de quatro senhas por pessoa.
CLASSIFICAÇÃO: Livre