Cia de Danças de Diadema – 24 anos!

Premiada e atuante no Brasil e no exterior, a Companhia de Danças de Diadema comemora 24 anos de história com apresentações no Teatro Clara Nunes, no Centro Cultural Diadema, nos dias 17, 18 e 19 de junho. Os ingressos são grátis e devem ser retirados com 1 hora de antecedência.

Nos dias 17 e 18/5 (sexta e sábado, às 15h), a Companhia mostra seu mais novo espetáculo Nas Águas do Imaginar, montagem inédita para o público infantil com coreografia de Ton Carbones. No dia 18/5 (sábado, às 20h), o grupo entra em cena com Força Fluída, cuja coregrafia foi criada pelo sul-coreano Jaeduk Kim. E fechando a comeoração, no dia 19/5 (domingo, às 19h), o grupo apresenta EU por detrás de MIM, criação de Ana Botosso, vencedora dos prêmios APCA 2017 (Melhor Criação Coreográfica) e Governador do Estado de São Paulo 2018 (Modalidade Dança / Coreografia).

Nas Águas do Imaginar

Com coreografia de Ton Carbones, Nas Águas do Imaginar é a terceira montagem da Companhia de Danças de Diadema criada para o público infantil, precedida por A Mão do Meio – Sinfonia Lúdica (2015) e Meio em Jogo (2010). Esta é apenas uma apresentação que antecede sua estreia oficial nos palcos, a qual será informada oportunamente.

O espetáculo fala de uma criança que, ao dormir, é surpreendida por seres fntásticos que surgem em seu quarto, instigando uma viagem ao mundo do imaginar. Buscar o que está do lado de fora ou desbravar seu interior? Qual caminho seguir? A partir destas perguntas, o espetáculo convida para uma viagem por esse universo repleto de surpresas e fantasias. Basta pegar a passagem que custa apenas instantes de imaginação.

Força Fluída

Com coreografia assinada pelo sul-coreano Jaeduk Kim e direção geral de Ana Bottosso, Força Fluída estreou em 2017. O espetáculo harmoniza força e delicadeza em movimentos inspirados na cultura ancestral oriental pelo viés contemporâneo de Jaeduk. Artista de múltiplas facetas, o coreógrafo criou a trilha sonora baseada em cânticos de sua tradição oriental, utilizando a sonoridade de instrumentos típicos de sua cultura e voz monocórdia. A coreografia transita pelo minimalismo dos movimentos que dialogam com a música, com os sons, ora expressando-se com a força de um guerreiro, ora com a delicadeza de uma folha caindo no outono. Esses e demais elementos da ancestral cultura oriental se encontram na obra, traduzidos pelo olhar contemporâneo e sensível do criador e dos intérpretes da Companhia, que atuam em Força Fluída.

Sinopse: O fluxo natural vem da natureza. O fluxo da respiração está de acordo com a natureza. Qual é a força que flui…? O que faz o forte fluir…? (por Jaeduk Kim)

EU por detrás de MIM

A montagem EU por detrás de MIM (2017), que tem concepção, direção e coreografia assinadas por Ana Bottosso, foi inspirada em obras do artista visual dinamarquês Olafur Eliasson e no conto O Espelho, de Guimarães Rosa. Encontrar-se, perder-se, acreditar na imagem que lhe é refletida ao se deparar com os espelhos pode ser um profundo engano, mas como saber? Mergulhar em um mundo de reflexos, complexos, com nexos ou desconexos pode ser uma viagem sem volta.

Transitando pelos meandros dos reflexos e das reflexões, Bottosso imaginou um universo por detrás dos espelhos, um mundo além  do que conhecemos, para conceber a coreografia, em conjunto com o elenco da Companhia. A trilha sonora, especialmente criada por Fábio Cardia, faz uma analogia dos reflexos sonoros. Desde o primeiro contato com Olafur Eliasson na exposição Seu Corpo da Obra, em 2012, Ana sentiu-se motivada a criar algo que tratasse dos espelhos e seus reflexos. “As situações espaciais provocadas pelos espelhos eram de profunda ambiguidade sobre o dentro e o fora. Isto veio para o corpo, traduzido pela dança”, comenta. O prorcesso recebeu também influências do conto O Espelho, de Guimarães Rosa, que apresenta uma inquieta personagem e a descoberta de sua essência. “Encontrar ou pelo menos ter ciência da existência de outro(s) eu(s) que possa(m) coexistir é o desafio do espetáculo”, argumenta Ana Bottosso.

Ficha técnica

Direção geral: Ana Bottosso. Coreografia (Nas Águas do Imaginar): Ton Carbones e elenco. Coreografia (Força Fluída): Jaeduk Kim (Coreia do Sul). Coreografia (EU por detrás de MIM): Ana Bottosso. Assistência de direção e produção administrativa: Ton Carbones. Assistência de coreografia: Carolini Piovani. Concepção musical (Nas Águas do Imaginar): Luciano Sallun. Concepção musical e figurino (Força Fluída): Jaeduk Kim. Concepção musical (EU por detrás de MIM): Fábio Cardia. Desenho e operação de luz: Silviane Ticher. Sonoplastia: Daniela Garcia / Jeh Salles. Concepção e confecção de figurinos (Nas Águas do Imaginar): Rhazuk Perez. Confecção de figurinos (Força Fluída): Célia Bonifácio. Confecção de figurinos (EU por detrás de MIM): Cleide Aniwa. Cenógrafia e adereços (Nas Águas do Imaginar): Ateliárea Daniel Sapiência e Paula Martins. Professores de dança clássica: Márcio Rongetti e Paulo Vinícius. Professor de dança moderna: Reinaldo Soares. Orientação de yoga: Daniele Santos. Professores de dança contemporânea: Ana Bottosso, Carolini Piovani, Elton de Souza e Ton Carbones. Condicionamento físico: Carolini Piovani. Assessoria de imprensa: Verbena Comunicação. Assistência de produção: Daniela Garcia / Jeh Salles.

Elenco: Carlos Veloso, Carolini Piovani, Daniele Santos, Danielle Rodrigues, Elton de Souza, Guilherme Nunes, Júlia Brandão, Leonardo Carvajal, Thaís Lima, Ton Carbones e Zezinho Alves.

www.ciadedancas.apbd.org.br/

Facebook @companhiadedancas | Instagram @ciadedancasdiadema

Serviço

 

Companhia de Danças de Diadema – 24 Anos

 

17 e 18 de maio (sexta e sábado, às 15h) – Nas Águas do Imaginar

18 de maio (sábado, às 20h) – Força Fluída

19 de maio (domingo, às 19h) – EU por detrás de MIM

Centro Cultural Diadema – Teatro Clara Nunes

Rua Graciosa, 300. Centro, Diadema. Tel: (11) 4056-3366

Entrada franca (chegar com 1h de antecedência) – Classificação: Livre. 370 lugares

Anúncios

“Saudade de Mim” no XP Investimentos

A Focus Cia. de Dança retorna ao Rio de Janeiro, por meio do patrocínio da Petrobras, com um dos espetáculos de maior repercussão da companhia, Saudade de Mim, em apenas oito apresentações no Teatro XP Investimentos, de 23 de maio a 02 de junho, de quinta a sábado, às 21h, e domingo, às 20h.

Saudade de Mim

 

O espetáculo, que une Candido Portinari e Chico Buarque, inicia com os acordes de “Construção” levando para cena a vida de Pedro, Maria, Bárbara, Juca, Nina, entre outros personagens, que vêm de músicas distintas de Chico, e aqui se relacionam. Todos também habitam telas e ambientes criados por Portinari. Entre o onírico e o real, a história traz dores, amores, triângulos amorosos, indo e voltando através de referências a Chico e Portinari.

Para Alex Neoral, Saudade de Mim é um divisor de águas na trajetória da Focus. “Senti a necessidade de mergulhar e trazer, mais concretamente, para a dança, a presença de outras linguagens artísticas que já se esboçavam em minhas criações anteriores. Os bailarinos, além de dança, tiveram o desafio de construir personagens, entrar em uma narrativa com cenas e situações delineadas”, destaca Alex Neoral.

“A ideia não é reproduzir artes já existentes, mas, a partir da fusão de artes distintas, resultar em um espetáculo de dança contemporânea afetado pelas obras destes dois artistas”. Que ninguém espere referências diretas entre músicas e telas. Ao longo da narrativa canções como “Olha Maria”, “Trocando em miúdos”, “Valsinha” surgem na voz de Chico Buarque. De muitas formas, pinturas históricas como “O espantalho”, “Casamento na roça” e “O mestiço” de Candido Portinari, se impõem na narrativa.

Para dar corpo a Saudade de Mim, o preparo da Focus Cia de Dança incluiu aulas de interpretação com o ator Reiner Tenente, além da preparação vocal com Felipe Habib, que também assina a direção musical e criação de arranjos e canções, todas inspiradas em Chico Buarque, que completam a obra.

Dirigida por Alex Neoral, a companhia reafirma sua importância no território da dança contemporânea brasileira lançando um feito inédito na criação de Saudade de Mim: um roteiro teatral que se integra ao instigante conjunto de gestos e movimentos que consagraram a companhia carioca ao longo de sua história. O espetáculo parte da pintura de Candido Portinari e da obra de Chico Buarque para transbordar poesia em cena.

Os riscos são bem-vindos na trajetória da companhia. O incandescente As canções que você dançou para mim, inspirado na obra de Roberto Carlos, que chega em breve a marca expressiva de 300 apresentações e foi assistido por aproximadamente 120 mil pessoas dentro e fora do Brasil, como Costa Rica, México, Bolívia, Canadá, Washington e Nova York, nos Estados Unidos e Porto, em Portugal. 

 

Sobre a Focus

 

Com 20 obras e 10 espetáculos em seu repertório, a Focus Cia de Dança se consagrou através da crítica especializada e sucesso de público. E, agora, comemora mais uma conquista, a inauguração da sua própria sede.

“Sempre almejei um espaço de criação e ensaios para Focus Cia de Dança. Nesse tempo que a cia só cresceu e produziu cada vez mais obras, cada vez em mais lugares, precisamos da ajuda de alguns parceiros para nos abrigar e nesses gestos pudemos ver que há generosidade em nossa classe. E esse espaço nasce com um intuito de fomentar arte, promover encontros de artistas, oficinas, performances, um espaço para pensar arte e desenvolvê-la. O Rio é uma cidade que efervesce cultura, instiga novas ideias e novos desafios. Em qualquer hora, o surgimento dessa sede seria arriscado, mas desde sempre necessária. Agora com a nossa segunda casa, eu e meus bailarinos alçaremos mais voos e abraçaremos mais dança pra nossa cidade, país e mundo”, afirma Neoral.

A companhia já se apresentou em mais de 90 cidades brasileiras e levou sua arte para países como Bolívia, México, Costa Rica, Canadá, Estados Unidos, Portugal, Itália, França, Alemanha e Panamá. Em 2018 participou do filme ‘Eduardo e Mônica’, com lançamento previsto para 2019. Em 2017 se apresentou na última edição do ‘Rock In Rio’, ao lado de Fernanda Abreu. Em 2016 recebeu a ‘Comenda da Ordem do Mérito Cultural’, do Ministério da Cultura, maior condecoração da cultura brasileira. Com “As canções que você dançou pra mim”, que se aproxima da marca de 300 apresentações, recebeu diversas indicações a melhor espetáculo do ano, por sua criatividade e originalidade. Em 2012 foi escolhida, através da seleção pública do Programa Petrobras Cultural, a receber o patrocínio durante três anos para desenvolvimento de suas atividades, dando início a uma parceria de manutenção que segue até hoje. Foram mais de 120 mil espectadores que ficaram encantados com a poesia e a capacidade técnica lapidadas nas coreografias inovadoras de Alex Neoral e nos movimentos precisos de seus bailarinos.

Atualmente integram o elenco da companhia os bailarinos Carolina de Sá, Cosme Gregory, José Villaça, Marcio Jahú, Marina Teixeira, Monise Marques, Rafael Luz e Roberta Bussoni.

Ficha Técnica

Direção, concepção e coreografia: Alex Neoral

Com: Carolina de Sá, Cosme Gregory, José Villaça, Marcio Jahú, Marina Teixeira, Monise Marques, Rafael Luz e Roberta Bussoni

Direção de produção: Tatiana Garcias

Consultoria de projeto: Aline Cardoso

Curadoria de Obras [Candido Portinari]: Maria Duarte

Iluminação: Binho Schaefer

Operação de Luz: Anderson Ratto

Figurinos e visagismo: André Vital

Confecção de figurinos: Jacira Garcias

Direção Musical e Trilha original: Felipe Habib

Músicas: Chico Buarque

Preparação Vocal: Felipe Habib

Arranjos, Piano e Acordeon: Felipe Habib e João Bittencourt 

Mixagem: Davi Mello

Preparação de interpretação cênica: Reiner Tenente

Ambientação cenográfica: Márcio Jahú

Técnico de Palo: Rodrigo Ferreira

Assessoria de Imprensa: Daniella Cavalcanti

Fotos de divulgação: Luiz Alves e Paula Kossatz

Comunicação Visual: Infinitamente Estudio de Criação

Serviço

‘SAUDADE DE MIM’

Temporada: 23 maio a 02 de junho

Local: Teatro XP Investimentos

Endereço: Endereço: Av. Bartolomeu Mitre, 1110 (Jockey Club Brasileiro) – Leblon

Horário: quinta a sábado, às 21h | domingo, às 20h

Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia). Além dos casos previstos em lei, colaboradores da Petrobras pagam meia.

Telefone da bilheteria: (21) 3807-1110

Funcionamento da Bilheteria:

Terça-feira das 13h às 17h | Quarta a sexta-feira das 17h às 21h
Sábados das 13h30 às 21h | Domingos das 13h30 até a hora do espetáculo

Venda online: http://www.eventim.com.br

Lotação: 366 lugares

Acesso para pessoas com deficiência

Duração: 85 min/ com intervalo

Classificação: 14 anos

Estacionamento pago no local

Desconto de 50% na compra de até dois ingressos para os colaboradores da Petrobras (mediante apresentação do crachá) e para clientes do Cartão Petrobras (mediante apresentação do cartão).

“Nunca Mais” faz parte do Festival EntreDança 2019

O trabalho inédito do diretor e dramaturgo Carlos Laerte, da Laso CIA. De Dança, intitulado NUNCA MAIS, é um espetáculo que mistura encenação, dança e cinema no palco, desafiando os intérpretes a construir um espetáculo sem volta, independentemente de onde esteja o seu começo.

As apresentações serão realizadas de 9 a 12 de maio, no Mezanino do Sesc Copacabana, de quinta a domingo, às 20h; no Sesc Ramos, dia 17 de maio, às 19h30; no Sesc Nova Iguaçu, dia 25 de maio, às 19h; e Sesc Nova Friburgo, dia 31 de maio, às 19h.

O espetáculo é uma investigação coreográfica sobre o desejo de escolhas humanas, chegando a consequências inimagináveis, sem retornos. É uma afirmação do efêmero, registrado apenas pela memória da plateia. Problematizando a busca de um tempo perdido, o trabalho questiona a qualidade das nossas escolhas em relação ao uso do nosso tempo a partir de uma narrativa inusitada.

SINOPSE:

“Nunca Mais” é baseado em relatos reais dos atores em cena e questiona a qualidade das nossas escolhas em relação ao uso do nosso tempo. Assuntos como racismo, homofobia, feminicídio, alzheimer e outros são expostos no palco através da sutileza da dança.

LASO CIA. DE DANÇA

Criada em 2002, a Laso Cia. de Dança tem por objetivo trazer à tona movimentos que traduzam uma nova identidade no panorama da dança carioca. Carlos Laerte, diretor e idealizador da Laso Cia. de Dança, trabalha em suas concepções artísticas com diversas técnicas como ballet clássico, dança contemporânea, cinema e teatro, traçando nessas interseções uma linguagem própria de movimentos que é a assinatura de suas obras.

A companhia participou de diversos eventos nacionais, dentro e fora do Rio de Janeiro, como o ‘15° Palco Giratório’ – Sesc Nacional, circulando em mais de 15 estados brasileiros (2012), além de outros como ‘Dança em trânsito’ (Rio de Janeiro – 2003/2004/2011), ‘Festival Internacional Viva Dança’ (Salvador – 2009), ‘XII Fenarte’ (João Pessoa – 2008). Também participou do evento Move Berlim, onde a companhia se apresentou na Alemanha (2011). Trabalhos recentes: Deslocamento Social (2017)| Nega do Cabelo Duro (2014)| Cabeção de Nego (2012) | O que nos move (2009).

FICHA TÉCNICA

Direção e concepção coreográfica: Carlos Laerte

Dramaturgia: Victor Torres e Carlos Laerte

Intérpretes criadores: Amanda de Souza; Douglas Lopes; Jeniffer Rodrigues; Lucas Oliveira; Nayanne Cavalcante; Raphael Rodrigues; Thatila Paganotti

Luz: Fernanda Mantovani

Cenário: Laso Cia. de Dança

Cenário audiovisual: Yasmin Thayná

Figurino: Laso e Roupa de Ensaio

Direção de arte de Vídeo: Alex Gomes

Trilha sonora / criação e execução: Ricardo Verocai

Concepção da trilha sonora: Kátia Drumond

Mixer: DJ Marcão

Produção: Sol Miranda, Renata Araújo e Aliny Ulbricht

Assistente de Produção: Mariana Bittencourt

Assessoria de imprensa: Duetto Comunicação

SERVIÇO:

NUNCA MAIS

Apresentações:

9 a 12 de maio – quinta a domingo – 20h

Sesc Copacabana – Mezanino

End.: Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana

Telefone: 2548-1088

Lotação: 70 lugares

Ingresso: R$30,00 (inteira) / R$15,00 (meia) / R$7,50 (associados Sesc com carteira válida)

17 de maio – sexta-feira – 19h30

Sesc Ramos

End.: Rua Teixeira Franco, 38 – Ramos

Telefone: 2290-4003

Ingresso: R$10,00 (inteira) / R$5,00 (meia) / R$2,50 (associados Sesc com carteira válida)

25 de maio – sábado – 19h

Sesc Nova Iguaçu

End.: Rua Dom Adriano Hipólito, 10, Moquetá – Nova Iguaçu

Telefone: 2797-3001

Lotação: 384 lugares

Ingresso: R$10,00 (inteira) / R$5,00 (meia) / R$2,50 (associados Sesc com carteira válida)

31 de maio – sexta-feira – 19h

Sesc Nova Friburgo

End.: Av. Presidente Costa e Silva, 231, Cento – Nova Friburgo

Telefone: (22) 2543-5000

Lotação: 159 lugares

Ingresso: R$10,00 (inteira) / R$5,00 (meia) / R$2,50 (associados Sesc com carteira válida)

Duração: 60 minutos

Classificação indicativa: 14 anos

Dança Contemporânea

O projeto Sesc EntreDança integra a ação Mesa Brasil Sesc. Levando um quilo de alimento não perecível, cada pessoa tem direito a 50% de desconto sobre a tarifa correspondente.

“Mínimo Coletivo” no Centro Cultural Santo Amaro

Nos dias 10 e 11 de maio (sexta-feira/ 20h  e sábado/ 19h), no Centro Cultural Santo Amaro, o Mínimo Coletivo apresenta YIN,  trabalho resultante da pesquisa desenvolvida no projeto mínimo – que propôs investigar algumas possibilidades do que seria o essencialmente expressivo na linguagem da dança, partindo de pesquisas sobre o minimalismo enquanto movimento artístico, social e filosófico.

Mergulhando nas possibilidades de um dueto, YIN é uma reflexão poético-coreográfica sobre essência – o “ser”, o uno, e a multiplicidade que o compõe, ou as partículas que compõem um todo; a origem ou o nascimento; o infinitesimal, o “mínimo”. Em sua construção questionamos também nossa sobrevivência no mundo e na arte: o que seria “o mínimo necessário” e o que é “essencial”?

YIN é a busca de ser um duo – em alguns momentos observado com uma lupa . Uma reflexão sobre o uno e a multiplicidade que o compõe: a origem, o mínimo. O calor, e o movimento contínuo desse organismo. Ao mesmo passo, que à uma luz mais fria e objetiva, somos partículas independentes e indispensavelmente conectadas.

Concebido pelas intérpretes-criadoras Ágata Cérgole e Letícia Mantovani, com a colaboração e provocação de Karina Almeida, o coletivo conta também com Ana Carla Assis na produção executiva, o fotógrafo Bruno Padilha e o design gráfico nas mãos de Fábio Lopes. A trilha sonora foi composta por Dro Cardoso, a concepção de luz é de Maria Basulto e Ângela Sauerbronn assina o figurino.

O projeto mínimo foi contemplado pelo Edital PROAC n° 6/2018 – Primeiras obras de espetáculo de dança.

 

O Mínimo Coletivo surgiu da iniciativa das bailarinas Ágata Cérgole e Letícia Mantovani em desenvolver seus trabalhos de dança – em ocupação das salas do CRD (Centro de Referência da Dança) desde 2017 – e hoje reúne em suas criações, mais outros 6 artistas.

 

Ficha Técnica:

 

Intérpretes-criadoras: Ágata Cérgole e Letícia Mantovani

Orientação: Karina Almeida

Produção: Ana Carla Assis Ribeiro e Júlia Del Bianco

Trilha Sonora: Dro Cardoso

Luz: Maria Basulto e Rafael Lemos

Arte Gráfica: Fábio Lopes

Figurino: Ângela Sauerbronn

Registro fotográfico: Bruno Padilha

Classificação: Livre

Duração: 45 min

SERVIÇO

Dias 10 e 11  de maio de 2019

Sexta-feira às 20:00 horas/  Sábado às 19:00 horas

Local: Centro Cultural Santo Amaro – Teatro Leopoldo Fróes

Endereço: Avenida João Dias, 822 (próx. ao metrô Adolfo Pinheiro- Linha Lilás)

Ingressos: Grátis

Informações: (11) 5541-7057

Classificação: LIVRE

Duração: 45 min.

Ator e bailarino moçambicano Pak Ndjamena estreia espetáculo no Brasil durante o Sesc EntreDança 2019

O ator, bailarino, coreógrafo e performer moçambicano Pak Ndjamena faz a estreia no Brasil do seu novo espetáculo, Influx, no Rio de Janeiro. Será durante o Sesc EntreDança 2019, um dos maiores eventos de dança do país que começa nesta quarta-feira (30/4) e se estende até o dia 2 de junho. O artista apresenta duas sessões. A primeira na sexta-feira (3/5), no Sesc Ramos, às 19h30, e a segunda no domingo (5/5), no Sesc Copacabana, às 19h.

Trata-se de uma instalação em movimento, onde o corpo se transforma num objeto humano que se move ao som de uma máquina de costura. A montagem inspira a reflexão sobre a migração, não de pessoas entre fronteiras geográficas e políticas, mas sim de ideias e objetos carregados por pessoas no espaço urbano. Com carreira iniciada em 1996, Pak Ndjamena tem formação em Dança Contemporânea. Participou de vários festivais, projetos nacionais e internacionais, destacando-se com os coreógrafos Maria H. Pinto, Augusto Cuvillas, Miguel Pereira, Horácio Macuacua e Panaibra Gabriel. Atualmente reside em Moçambique e dirigi os seus projetos dentro e fora do país, tendo ministrado aulas e oficinas de dança contemporânea a todos os níveis e técnicas para profissionais e amadores.

Em sua quarta edição, o evento – que rendeu ao Sesc RJ a indicação ao Prêmio Cesgranrio 2018 na categoria especial – traz como tema “O corpo negro”. Com curadoria do Sesc RJ e cocuradoria da artista, pesquisadora e docente Carmen Luz, o Sesc EntreDança 2019 mostra um conjunto multifacetado de obras de dança criadas e executadas por artistas, negros e negras, de diferentes gerações, percursos, estéticas, metodologias, classes, pontos-de-vista e pertencimentos. A programação busca o reconhecimento pleno dos fazeres e moveres destes artistas – no palco e fora dele, estimulando a construção de novas compreensões sobre os diversos lugares de fala e reivindicações dos mesmos.

Até o dia 2 de junho, o Sesc EntreDança vai movimentar unidades do Sesc RJ na capital, Região Metropolitana e Interior, além de espaços públicos e de parceiros. Serão 75 apresentações de 14 grupos do Rio de Janeiro, São Paulo, Togo e Moçambique. Dos 14 espetáculos, 11 são inéditos no Rio ou estão estreando nacionalmente no estado. Os ingressos populares custam entre R$ 2,50 e R$ 30. Estudantes de dança não pagam.

Espaços que integram a cartografia da dança negra na cidade também recebem atividades. São eles a Casa do Jongo, a Escola Carioca de Danças Negras, a Roda Cultural de Olaria, além do Terreiro Contemporâneo, berço da Segunda Black, projeto vencedor do Prêmio Shell 2018.

A programação completa está disponível em www.sescrio.org.br

SERVIÇO

Sesc EntreDança | O corpo negro

De 30 de abril a 2 de junho de 2019

Convidados

Carmen Luz | Cia Babalakina | Cia Kawin | Cia Rubens Barbot – Teatro de Dança | Companhia de Aruanda | Cristina Moura | Curso de Licenciatura em Dança da Universidade Cândido Mendes | Departamento de Artes Corporais da UFRJ | Faculdade Angel Vianna | Grupo Fragmento Urbano | GW Cia de Performance | Imperadores da Dança | Jongo de Pinheiral | Laso Cia de Dança | Luciane Ramos-Silva | Nave Gris Cia Cênica | Pak Ndjamena | Tiago Oliveira.

Noite de Abertura:

ENTREFALAS | O corpo negro: narrativas autorais | palestra e apresentação do grupo Jongo de Pinheiral

30 de abril | 19h | Sesc Copacabana

 

Espetáculos:

 

À MARGEM | Tiago Oliveira

9 a 19 de maio | 18h | Sesc Copacabana

 

Ägô – Conversas/trabalho em processo. Um Solo de Cristina Moura.

23 de maio a 2 de junho | 20h | Sesc Copacabana

 

A-VÓS | Nave Gris (SP)

4 e 5 de maio | 20h | Sesc Copacabana

 

BATALHA DOS RITMOS! Passinho vs Danças Urbanas | Imperadores da dança e GW Cia de Performance

5 de maio | 14h | Parque Madureira

9 de maio | 21h | Roda Cultural de Olaria

29 de maio | 18h | Sesc Nova Iguaçu

31 de maio | 15h | Praça Demerval Barbosa Moreira (Nova Friburgo)

 

CORREDEIRA | Nave Gris (SP)

2 e 3 de maio | 20h | Sesc Copacabana (*em programa duplo com o espetáculo Vozes de Nós)

9 de maio | 19h30 | Sesc Ramos

11 de maio | 19h | Sesc Nova Friburgo

 

DANÇA NANÁ E OUTRAS COREOGRAFIAS| Cia Rubens Barbot – Teatro de Dança

11 de maio | 19h | Sesc Nova Friburgo

16 a 19 de maio | 20h | Sesc Copacabana

24 de maio | 19h30 | Sesc Ramos

 

DESENHO | Cia Kawin

23 de maio a 2 de junho | 18h | Sesc Copacabana

 

ENCRUZILHADA | Grupo Fragmento Urbano (SP)

1º de maio | 15h | Sesc Nova Iguaçu

2 de maio | 21h | Roda Cultural de Olaria

3 de maio | 15h | Praça Demerval Barbosa Moreira (Nova Friburgo)

5 de maio | 15h | Parque Madureira

FUZUÊZINHO | Companhia de Aruanda

Apresentações fechadas para estudantes de escolas públicas

 

JONGO DE SURPRESA | Jongo de Pinheiral

30 de abril a 5 de maio |Nova Friburgo, Nova Iguaçu e Rio de Janeiro.

 

INFLUX | Pak Ndjamena

3 de maio | 19h30 | Sesc Ramos

5 de maio | 19h | Sesc Copacabana

 

NUNCA MAIS | LASO CIA. DE DANÇA

9 a 12 de maio | 20h | Sesc Copacabana

17 de maio | 19h30 | Sesc Ramos

25 de maio | 19h | Sesc Nova Iguaçu

31 de maio | 19h | Sesc Nova Friburgo

 

OLHOS NAS COSTAS E UM RISO IRÔNICO NO CANTO DA BOCA | Luciane Ramos-Silva (SP)

2 a 5 de maio | 18h | Sesc Copacabana

 

VOZES DE NÓS | Cia Babalakina

2 e 3 de maio | 20h | Sesc Copacabana (*em programa duplo com o Corredeira)

4 de maio | 19h30 | Sesc Nova Iguaçu

17 de maio | 19h | Sesc Nova Friburgo

 

Ações formativas:

 

ENTRECORPOS | oficinas

Oficinas de técnicas e processos de criação com os artistas participantes do projeto. As inscrições para as atividades realizadas nas unidades do Sesc RJ devem ser realizadas mediante envio de email para entredanca@sescrio.org.br informando nome, contato telefônico e oficina/unidade pretendida.

Oficina de Jongo | Jongo do Pinheiral

2 de maio | 10h às 12h | Faculdade Angel Vianna (*exclusiva para alunos da faculdade)

3 de maio | 17h às 19h | Sesc Nova Friburgo

Subsídios de Danças | Pak Ndjamena

30 de abril e 1º de maio | Sesc Ramos | 10h às 15h

A diáspora no corpo que dança: autonomia e poder nas travessias atlânticas | Luciane Ramos-Silva

3 e 4 de maio | Sesc Copacabana | 13h às 15h

Danças Negras na encruzilhada: as entoações são de muitos sotaques | Grupo Fragmento Urbano

2 de maio | Sesc Ramos | 10h às 13h

Oficina de passinho | Imperadores da dança

17 de maio | 18h às 20h | Escola Carioca de Danças Negras (*exclusiva para alunos da escola)

28 e 30 de maio | 10h às 13h | Sesc Ramos

Ofícios e manufaturas do movimento | Cia Nave Gris

6 de maio | 14h às 16h | UFRJ (*exclusiva para alunos da universidade)

10 de maio | 18h às 21h | Sesc Nova Friburgo

 

ENTRECORPOS | intercâmbios entre companhias

Encontros fechados de troca de procedimentos técnicos entre os artistas participantes do projeto.

1º de maio | 17h às 20h | Sesc Nova Iguaçu | Grupo Fragmento Urbano e GW Cia de Performance

2 de maio | 17h às 20h | Terreiro Contemporâneo | Cia Rubens Barbot e Pak Ndjamena

4 de maio | 17h às 20h | Casa do Jongo da Serrinha | Grupo Fragmento Urbano e Jongo de Pinheiral

7 e 8 de maio | 14h às 17h | Sesc Copacabana | Cia Babalakina e Cia Nave Gris

ENTREESTUDOS | trânsitos entre produções acadêmicas

2 e 3 de maio | Teatro de Arena | Sesc Copacabana

 

SERVIÇOS

Locais de apresentação

Sesc Copacabana

R. Domingos Ferreira, 160 – Copacabana, Rio de Janeiro – RJ | Telefone: (21) 2548-1088

Sesc Nova Iguaçu

Rua Dom Adriano Hipólito, 10 – Moquetá, Nova Iguaçu – RJ | Telefone: (21) 2797-3001

Sesc Nova Friburgo

Av. Pres. Costa e Silva, 231 – Centro, Nova Friburgo – RJ |Telefone: (22) 2543-5000

Sesc Ramos

R. Teixeira Franco, 38 – Ramos, Rio de Janeiro – RJ | Telefone: (21) 2290-4003

Escola Carioca de Danças Negras

R. Santo Estevão, 103 – Andaraí, Rio de Janeiro – RJ | Telefone: (21) 96513-3301

Casa do Jongo da Serrinha

R. Compositor Silas de Oliveira, 101 – Madureira, Rio de Janeiro – RJ | Telefone: (21) 34574176

 

Faculdade Angel Vianna

R. Jornalista Orlando Dantas, 2 – Botafogo, Rio de Janeiro – RJ

 

UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro | Departamento de Artes Corporais | Prédio da EEFD – Escola de Educação Física e Desportos

Av. Carlos Chagas Filho, 540. Cidade Universitária – RJ

Parque Madureira | R. Soares Caldeira, 115 – Madureira, Rio de Janeiro – RJ

 

TARIFAS

 

Ingressos | Espetáculos | Sesc Copacabana

Espetáculos: R$30,00 (inteira), R$15,00 (meia entrada para casos previstos por lei), R$7,50 (associados Sesc com carteira válida), gratuito (estudantes de Artes Cênicas com documentação válida).

 

Ingressos | Espetáculos | Sesc Ramos | Sesc Nova Iguaçu | Sesc Nova Friburgo

Espetáculos: R$10,00 (inteira), R$5,00 (meia entrada para casos previstos por lei), R$2,50 (associados Sesc com carteira válida), gratuito (estudantes de Artes Cênicas com documentação válida).

Ingressos | Atividades Formativas | todas as unidades

Gratuitas, mediante inscrição pelo email: entredanca@sescrio.org.br.

* O projeto Sesc EntreDança integra a ação Mesa Brasil Sesc. Levando um quilo de alimento não perecível cada pessoa tem direito a 50% de desconto sobre a tarifa correspondente.

Dança e LIBRAS em aulão gratuito para surdos

A dançarina flamenca Clara Kutner criou a OFICINA DANÇA COM LIBRAS e convidou o ator e professor surdo Bruno Ramos para a atividade voltada para surdos e ouvintes, jovens e adultos, que amam dançar. O evento acontecerá no dia 27 de abril (sábado). A oficina é inédita no Rio de Janeiro e faz parte do projeto “Som uma coreografia para surdos”, em desenvolvimento no Artsonica Residência Artística. O aulão será das 15h às 19h, no Centro de Movimento Deborah Colker, na Rua Benjamin Constant 30 – Glória. Com vagas limitadas, as inscrições devem ser feitas enviando nome completo para o e-mail somumacoreografia@gmail.com.

O objetivo da “Oficina de dança com LIBRAS” é estimular o público surdo e ouvinte a criar coreografias a partir do gestual das Língua Brasileira dos Sinais, um conjunto de formas gestuais utilizado por deficientes auditivos para a comunicação entre eles e outras pessoas, sejam elas, surdas ou ouvintes. A ideia de Clara para o evento do dia 27 de abril é encontrar mais bailarinos surdos interessados em participar da residência SOM, colaboradores fundamentais para pesquisa se realizar.

 

“Quero formar um grupo entre 8 e 15 pessoas para participarem da coreografia e da concepção da música que será criada dentro dos dois meses da pesquisa no Artsonica. Serão aproximadamente dez encontros com aulas de dança contemporânea e flamenca, além da troca entre os residentes. Este projeto de grupo de dança conta com uma parceria com o INES (Instituto Nacional de Educação de Surdos), o Centro de Movimento Deborah Colker e A Casa de Espanha”, explica Clara.

 

A proposta “Som uma coreografia para surdos” do Artsonica Residência Artística é criar estímulos sensoriais de dança em surdos (ou pessoas com algum outro tipo de deficiência auditiva) por meio de ondas sonoras transformadas em vibração que serão emitidas através de uma plataforma de madeira instalada em uma caixa acústica.

 

A tecnologia que será apresentada na exposição que acontecerá em setembro deste ano no Centro Cultural Oi Futuro Flamengo, no Flamengo, zona sul do Rio, está sendo pesquisada por Clara em parceria com o artista sonoro Floriano Romano, com o compositor, violinista e arranjador Luciano Câmaram juntamente com o cajonista e luthier Alejo. Já a música está sendo produzida por Luciano e Alejo, que trabalha nos arranjos de base da dança e construção da plataforma vibratória. O vídeo contara com o trombone de Ciça Salles e a alfaia de Chica Batella. A produção de Ylla Gomes e Mentoria do artista Sonora Floriano Romano. 

 

Apesar de avanços em termos de acessibilidade, surdos ainda enfrentam barreiras. Segundo o IBGE, 9,7 milhões de brasileiros são surdos ou têm deficiência auditiva. No DIA NACIONAL DAS LIBRAS, celebrado em dia 24 de abril, a importância de gerar meios para que essa população com necessidades especiais tenha condições de participar ativamente no mercado de trabalho, eventos, cultura e educação é um desafio a ser ultrapassado. Exemplo dessa preocupação com a acessibilidade é o projeto “Som uma coreografia para surdos – Artsonica Residência Artística”, que une dança, música e LIBRAS e é idealizado pela cineasta e bailarina em dança flamenca Clara Kutner.

 

A preocupação com a acessibilidade é realidade no Artsonica Residência Artística, que contratou intérpretes de LIBRAS para fazerem as traduções simultâneas das palestras realizadas pelo Paposonica, evento no qual os artistas residentes do projeto apresentam ao público o andamento de suas criações. 

 

“Não se trata apenas de cumprir a Lei, mas de garantir a inclusão de pessoas surdas nos processos criativos da cultura. Por isso contratamos os intérpretes. São mecanismos que facilitam aprendizado daqueles que necessitam de tratamento especial. Nossas palestras são gratuitas e também transmitidas ao vivo na internet”, diz Julio Zucca, diretor da Zucca Produções.

 

“Som uma coreografia para surdos” tem a coreografia sendo criada pelo ator surdo e professor de LIBRAS, Bruno Ramos. Os movimentos da dança contam com as participações especiais de Miguel Alonso, bailarino flamenco de Cuba radicado em São Paulo, e, Lucas Lima, que é bailarino surdo convidado para criar e sentir a coreografia. Lucas tem 21 anos e mora com a mãe na Taquara, bairro da zona oeste do Rio de Janeiro, e dança desde criança. Ele integrou o grupo de alunos do Centro de Artes da Maré e carrega o objetivo de se tornar o primeiro dançarino surdo do Brasil.

 

 


Acompanhe o Artsonica nas redes sociais

Site: http://artsonica.com.br/

Facebook – https://web.facebook.com/souartsonica/

Instagram – https://www.instagram.com/souartsonica/

Twitter – https://twitter.com/souartsonica

Google+ – https://plus.google.com/u/0/112064595914091750022

Youtube – https://www.youtube.com/channel/UCv3bvhuJF0lroTHSxzQOJ7Q

Companhia de danças de Diadema faz turnê pelo México no mês de abril

A Companhia de Danças de Diadema embarca para o México, onde vai apresentar o espetáculo Força Fluída na Red Noroeste de Festivales daquele país.

No dia 26 de abril, a apresentação ocorre na Mostra Internacional de Dança Cuerpos en Tránsito, no Centro Cultural Tijuana, em Tijuana. No dia 27, é a vez do Encontro Internacional de Dança Contemporânea Entre Fronteras, no Teatro Universitario de la Ciudad de Mexicali, em Mexicali. Já no dia 28, a Companhia dança no 11º Festival Internacional de Dança Contemporânea Espuma Cuántica 2019, que acontece no Foro Experimental de CEART, em Enseada e, no dia 30 de abril, o espetáculo encerra a turnê na Mostra Internacional Un Desierto para la Danza, no Teatro de la Ciudad de Casa de la Cultura de Sonora, em Hermosillo. Todas as sessões são às 20 horas.

A montagem Força Fluída tem coreografia assinada pelo sul-coreano Jaeduk Kim e direção geral de Ana Bottosso. O espetáculo, que estreou em 2017, harmoniza força e delicadeza em movimentos inspirados na cultura ancestral oriental pelo viés contemporâneo de Jaeduk. Artista de múltiplas facetas, o coreógrafo criou a trilha sonora baseada em cânticos de sua tradição oriental, utilizando a sonoridade de instrumentos típicos de sua cultura e voz monocórdia.

A coreografia transita pelo minimalismo dos movimentos que dialogam com a música, com os sons, ora expressando-se com a força de um guerreiro, ora com a delicadeza de uma folha caindo no outono. Esses e demais elementos da ancestral cultura oriental se encontram na obra, traduzidos pelo olhar contemporâneo e sensível do criador e dos intérpretes da Companhia, que atuam em Força Fluída.

Sinopse: O fluxo natural vem da natureza. O fluxo da respiração está de acordo com a natureza. Qual é a força que flui…? O que faz o forte fluir…? (Jaeduk Kim)

Ficha técnica

Direção geral: Ana Bottosso. Coreografia: Jaeduk Kim (Coreia do Sul). Assistência de direção e produção administrativa: Ton Carbones. Assistência de coreografia: Carolini Piovani. Concepção musical e figurino: Jaeduk Kim. Desenho e operação de luz: Silviane Ticher. Sonoplastia: Daniela Garcia / Jeh Salles. Confecção de figurinos: Célia Bonifácio. Professor de dança clássica: Márcio Rongetti e Paulo Vinícius. Professor de dança moderna: Reinaldo Soares. Orientação de yoga: Daniele Santos. Professores de dança contemporânea: Ana Bottosso, Carolini Piovani, Elton de Souza e Ton Carbones. Condicionamento físico: Carolini Piovani. Assistência de produção: Daniela Garcia / Jeh Salles. Elenco: Carlos Veloso, Carolini Piovani, Daniele Santos, Danielle Rodrigues, Elton de Souza, Guilherme Nunes, Júlia Brandão, Leonardo Carvajal, Thaís Lima, Ton Carbones e Zezinho Alves.

www.ciadedancas.apbd.org.br/

Facebook @companhiadedancas | Instagram @ciadedancasdiadema