“Fome” estreia no Festival de Brasília

Fome, dirigido por Cristiano Burlan, fará sua estreia no 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, no dia 17 de setembro, às 20h30.

Fome encerra a “Tetralogia em preto e branco” do diretor Cristiano Burlan, que se iniciou com Sinfonia de um homem só (2012), Amador (2013) e Hamlet (2014). Os quatro filmes tem a cidade de São Paulo como força motriz, os personagens perambulam por uma metrópole exposta em sua concretude e em perpétuo processo de construção e desconstrução.

Nas veredas da metrópole paulista, um velho homem (Jean-Claude Bernardet) abandona o passado e perambula na invisibilidade. Carrega consigo apenas um carrinho, alguns trapos e o tempo. Depois que se viu a morte é possível morrer de amor por alguém?

Perguntado sobre o que é o Fome, o diretor diz “Morar na rua é um ato de resistência. O perambular é, para mim, não uma busca por chegar em algum lugar, mas a garantia do movimento. Eu já passei fome quando morei ilegalmente na Europa. A única coisa que passava na minha cabeça era a possibilidade do suicídio e a necessidade em andar. Mas o filme não é sobre mim. Acredito que os filmes só falam sobre duas coisas, o amor e a ausência dele e o Fome é sobre isso”.

O elenco conta também com a atriz potiguar Ana Carolina Marinho, com Henrique Zanoni (que protagonizou os filmes Sinfonia de um homem só, Amador e Hamlet), com os atores Adriana Guerra, Rodrigo Sanches, Juão Nin, Gustavo Canovas e com o crítico Francis Vogner.

Cristiano Burlan desenvolveu Fome logo depois de Hamlet, que teve sua estreia nacional nos cinemas em 2015. Antes de realizar a “Tetralogia em preto e branco”, Burlan lançou o documentário Mataram meu irmão, que ganhou os prêmios do júri e da crítica no 18o Festival É Tudo Verdade, o Prêmio do Governo do Estado de São Paulo 2014 e o 40o SESC Melhores Filmes como melhor documentário.

Fome foi realizado de forma independente e com recursos próprios e de parceiros que entraram como produtores associados, assim como toda a Tetralogia.

Sinopse
Nas veredas da metrópole paulista, um velho homem (Jean-Claude Bernardet) abandona o passado e deambula na invisibilidade. Carrega consigo apenas um carrinho, alguns trapos e o tempo. Depois que se viu a morte é possível morrer de amor por alguém?

Cristiano Burlan
Cristiano Burlan nasceu em Porto Alegre em 1975. É diretor de cinema e teatro. Na década de noventa morou em Barcelona, onde dirigiu o grupo de cinema experimental super-8. Em São Paulo, esteve à frente do grupo de teatro a Fúria. Tendo em sua filmografia mais de 15 filmes, entre ficções e documentários. É professor na Academia Internacional de Cinema – AIC, na Escola Superior de Artes Célia Helena e na Universidade do Estado do Amazonas. A maior parte de sua filmografia participou de importantes festivais. Seu documentário mais recente Mataram meu irmão foi o grande vencedor do É Tudo Verdade 2013, do 40o Festival SESC de Melhores Filmes e do Prêmio do Governador do Estado de São Paulo. Em 2015 lançou o filme Hamlet nos cinemas. Atualmente, lança seu novo filme, Fome e realiza a pré-produção de seu novo documentário, Elegia de um Crime, o qual encerra a sua trilogia do luto.

Ficha técnica
Direção: Cristiano Burlan
Roteiro: Cristiano Burlan e Henrique Zanoni
Produção: Cristiano Burlan e Henrique Zanoni
Produção executiva: Simone Paz Hernandez
Fotografia e câmera: Helder Filipe Martins
Montagem: Cristiano Burlan e Renato Maia
Elenco: Jean-Claude Bernardet, Ana Carolina Marinho, Henrique Zanoni, Juão Nin, Gustavo Canovas, Adriana Guerra, Rodrigo Sanches, Francis Vogner
Trilha Sonora: Androide Sem Par
Distribuição: Bela Filmes
Gênero: Drama
Cor: Preto e branco
Duração: 90 minutos

Serviço
Brasília
48o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
Dia 17 de setembro.

Festival Internacional Pequeno Cineasta”

A 5ª edição do “Festival Internacional Pequeno Cineasta” (FIPC) vem aí! De 2 a 6 de setembro, o festival irá exibir cerca de 60 curtas, selecionados entre 250 inscritos, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), no Rio de Janeiro, com entrada franca. O objetivo é promover o debate sobre o universo infantil, discutindo os conceitos educacionais atuais e os valores dentro da diversidade cultural, através de um panorama da produção audiovisual realizada por crianças e jovens do Brasil e do exterior, entre 8 e 17 anos. Criado em 2010, pela atriz e produtora Daniela Gracindo, além de mostra competitiva o FIPC vai contar com workshop de cinema gratuito, exposição de fotos e exibição de filmes na Arena Dicró, na Penha; mesa redonda com a participação de pequenos cineastas do Rio e da Suécia; além de três mostras não competitivas: “Sustente sua Historia”, com curtas voltados para o meio ambiente; “Pequeno Cineasta”, com filmes criados pelos alunos da oficina homônima; e outra internacional com filmes escandinavos. Toda a programação é gratuita.

 

Em suas quatro edições o festival exibiu em torno de 300 filmes, de aproximadamente 30 países, atingindo um público direto de três mil pessoas. Nessa quinta edição, serão exibidos no total de 60 curtas, sendo 25 deles internacionais de 14 países: Alemanha, Argentina, Austrália, Bélgica, Chile, China, Espanha, Grécia, Inglaterra, Iran, Itália, Suécia, Ucrânia e Venezuela. Já os brasileiros vieram de 12 diferentes estados: Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Natal, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. A abertura oficial acontece dia 2, no CCBB do Rio, sob o comando dos mestres de cerimônia, o ator, Caio Blat, e a Pequena Cineasta, Nicole Derin.

 

A mostra competitiva acontece de 3 a 6 de setembro, quando serão exibidos 37 filmes. Ao final de cada sessão o público (apenas crianças de 8 a 17 anos) pode votar em seu preferido nas competitivas nacional e internacional, em duas categorias: de 8 a 12 anos e de 13 a 17 anos. Os filmes também são analisados por um júri formado por dez crianças e jovens cineastas, com perfis representativos de diferentes regiões do estado do Rio, em conjunto com a coordenadora pedagógica do Festival e um representante do mercado audiovisual. Os vencedores levam pra casa o troféu “Pequeno Cineasta”, além de câmeras digitais da marca Nikon, de diversos modelos (Melhor filme pelo Júri Oficial – Câmera Digital Nikon D3200; Melhor filme pelo Júri Popular – Câmera Digital Nikon COOLPIX P530).

 

A programação conta ainda com uma mostra de filmes escandinava com curadoria do sueco Kristoffer Hagelber, coordenador internacional do festival, que vem ao Brasil a convite da diretora, Daniela Gracindo. A mostra será promovida em sessão única, dia 5 de setembro no CCBB. Outro convidado internacional é a atriz e pedagoga espanhola Ana Hernandés Sanchiz, da escola “Lá Bici de E.T”, que vem promover um workshop gratuito, no Instituto Cervantes de Botafogo, para educadores, líderes comunitários e interessados no assunto sobre como utilizar a linguagem cinematográfica dentro das escolas. Ainda fora da competição, o festival irá exibir uma seleção de curtas realizados pelos alunos da oficina “Pequeno Cineasta”, criada em 2009 por Daniela para crianças e jovens. Desde que foi criada, a escola de cinema já formou 24 turmas e realizou 40 filmes. Outra iniciativa do festival é a mostra “Sustente sua História”, que traz 8 curtas que tratam da temática ambiental, promovida também no dia 5, no Museu do Meio Ambiente, do Jardim Botânico.

 

Outro palco do festival será a Arena Dicró, na Penha, onde a mostra competitiva acontece paralelamente ao CCBB, de 4 a 6 de setembro, e também contará com a votação do público mirim da comunidade. Paralelamente a mostra, será aberta na Galeria L, na praça de conveniência da arena, uma exposição de fotos de alunos do projeto “Do Chão da Maré às Nuvens”, realizado pelo Observatório de Favelas em parceria com o projeto Criança Esperança. A exposição homônima traz fotografias realizadas pelas crianças e adolescentes sob a coordenação do fotógrafo AF Rodrigues, durante o ano de 2014, apresentando um recorte da produção desses novos olhares sobre o cotidiano de trocas, de sociabilidades, de criação e de inovação presente no território.

Pela primeira vez, escolas do ensino público do município receberão a programação do festival dentro de seus estabelecimentos de ensino, ampliando o acesso à cultura para essas crianças e jovens do Rio de Janeiro. Os alunos também terão a chance de votar em seus filmes favoritos. E para completar, a tradicional “Mesa Redondinha”, dessa vez, contará com a participação de alunos da escola Sá Pereira e do projeto Imagens e Movimento em videoconferência com as jovens cineastas suecas, Marta e Greta Akeberg. As irmãs autoditadas já arrecadaram alguns prêmios com suas produções (Região Skane bet Sacania Lifts, em 2014, e Pixel Junior, em 2015) O encontro, mediado por Ana Dylon no Instituto Cervantes, é aberto ao público e tem como objetivo proporcionar a troca de experiências sobre o processo de realização de um filme.

O encerramento do festival, dia 6, no CCBB, contará com uma homenagem ao projeto SOM+EU, desenvolvido pela Associação Cultural Amigos da Providência, com direção geral e artística de Moana Viterbo Martins. Além do prêmio, os filmes vencedores ganham vaga na programação do “Programa Pequeno Cineasta” exibido pelo Canal Brasil. O programa, apresentado por Daniela Gracindo, traz os filmes nacionais e internacionais que se destacaram no FIPC com uma “mesa redondinha” formada por pequenos cineastas que analisam os filmes exibidos e debatem sobre a sétima arte, a partir de suas próprias produções.

SOBRE DANIELA GRACINDO: é atriz e produtora. Com curso superior em cinema pela UNESA, se especializou como produtora executiva em 2002 fazendo MBA pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) – RJ. Viveu na Austrália, onde concluiu o curso de “Film Making From Start to Finish”, na Worker’s Educational Association de Sidney. Entre vários trabalhos que realizou, destacam-se o documentário de longa-metragem que homenagem ao ator Paulo Gracindo, seu avô paterno, intitulado “Paulo Gracindo – O Bem Amado” e a versão do musical “Léo e Bia” de Oswaldo Montenegro para as telas de cinema.

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO FESTIVAL:

 

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL  – CCBB – RJ – Cinema 1

MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL E INTERNACIONAL

De 2 a 5 de setembro

Dias 3 e 4 de 10h às 17h; dia 5 de 14h às 17h; Dia 6 de 14h às 16h.

Rua Primeiro de Março, 66 – Centro – RJ – Tel. 21 3808-2000
Capacidade: 100 lugares (Cinema 1)
Classificação: Livre

Entrada Franca

 

ABERTURA– 2 setembro/2015 – (quarta-feira)

19:30 às 22:00 – Abertura oficial para convidados do festival com a apresentação da programação desta edição pelos Mestres de Cerimônia Caio Blat e a Pequena Cineasta Nicole Derin.

 

Dia 3 setembro/2015 – (quinta-feira)

10:10 – Mostra Oficina Pequeno Cineasta

11:00 – Mostra Nacional – Categoria Crianças

12:00 – Mostra Internacional – Categoria Crianças

14:00 – Mostra Oficina Pequeno Cineasta

15:00 – Mostra Nacional – Categoria Jovens

16:00 – Mostra Internacional – Categoria Jovens

17:00 – Mostra Oficina Pequeno Cineasta

 

Dia 4 setembro/2015 – (sexta-feira)

10:10 – Mostra Oficina Pequeno Cineasta

11:00 – Mostra Nacional – Categoria Crianças

12:00 – Mostra Internacional – Categoria Crianças

14:00 – Mostra Oficina Pequeno Cineasta

15:00 – Mostra Nacional – Categoria Jovens

16:00 – Mostra Internacional – Categoria Jovens

17:00– Mostra Oficina Pequeno Cineasta

 

Dia 5 setembro/2015 – (sábado)

14:00 – Mostra Oficina Pequeno Cineasta

15:00 – Mostra Especial de Filmes Escandinavos

16:00 – Mostra Sustente Sua História

17:00 – Mostra Oficina Pequeno Cineasta

 

Dia 6 setembro/2015 – (domingo)

14:00 – Mostra Oficina Pequeno Cineasta

15:00 – Mostra Sustente Sua História

16:00 – ENCERRAMENTO com exibição dos filmes vencedores e premiação.

 

ARENA CARIOCA DICRÓ

De 4 a 6 de setembro

De 13h às 16h

Endereço: Rua Flora Lobo – Penha Circular – RJ . Telefone: 21 3486-7643

Capacidade: 338 pessoas

Classificação: Livre

Entrada Franca

 

EXPOSIÇÃO DE FOTOS “DO CHÃO DA MARÉ ÀS NUVENS”.

Abertura: dia 4 de setembro, 14h.

Galeria L , na Praça de Convivência da Arena Dicró. 

Visitação: de terças a sextas, de 13h às 21h e sábados e domingos de 10h às 21h. GRÁTIS.

 

MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL E INTERNACIONAL

Dia 4 setembro/2015  (sexta)

13:00 – Mostra Nacional – Categoria Crianças

14:00 – Mostra Internacional – Categoria Crianças

15:00 – Mostra Nacional – Categoria Jovens

16:00 – Mostra Interacional – Categoria Jovens

 

Dia 5 setembro/2015 – (sabado)

10:10 – Mostra (não competitiva) Oficina Pequeno Cineasta

11:00 – Mostra Nacional – Categoria Crianças

12:00 – Mostra Internacional – Categoria Crianças

14:00 – Mostra (não Competitiva) Oficina Pequeno Cineasta

15:00 – Mostra Nacional – Categoria Jovens

16:00 – Mostra Internacional – Categoria Jovens

 17:00 – Mostra (não Competitiva) Oficina Pequeno Cineasta

 

Dia 6 setembro/2015 – (domingo)

10:00 – Mostra (não competitiva) Oficina Pequeno Cineasta

11:00 – Mostra (não competitiva) Sustente Sua História

 

 

MUSEU DO MEIO AMBIENTE DO JARDIM BOTÂNICO

MOSTRA SUSTENTE SUA HISTÓRIA (8 curtas sobre meio ambiente)

Dia 5 setembro/2015 – (sábado)

De 11h às 12h
Endereço: Rua Jardim Botânico 1008 – Jardim Botânico – RJ  Telefone: 21 3874-1808)
Capacidade: 50 lugares
Classificação:

Entrada Franca

 

INTITUTO CERVANTES

De 3 a 5 de setembro

Rua Visconde de Ouro Preto 62 – Botafogo   Telefone: 21 3554-5913

Capacidade: 84 pessoas

Classificação:

Entrada Franca

 

Dia 3 setembro/2015 – (quinta-feira)

14:00 às 16:00 00 – Mesa Redondinha “O processo de Realização” –  debate por vídeo-conferência com a Suécia. Participação: alunos da escola Sá Pereira e do projeto Imagens e Movimento em ideoconferência com as jovens cineastas suecas, Marta e Greta Akeberg.

 

Dia 4 setembro/2015 – (sexta-feira)

18:00 às 22:00 – Workshop  “El Cine como Lenguaje” – O cinema como linguagem –  ministrado atriz e pedagoga espanhola Ana Hernandés Sanchiz

 

Dia 5 setembro/2015 – (sábado)

15:00 às 16:00 – Cerimônia de encerramento da 24Oficina Pequeno Cineasta

18:00 às 22:00 – Workshop  “El Cine como Lenguaje” – O cinema como linguagem  -atriz e pedagoga espanhola Ana Hernandés Sanchiz


Site oficial: www.pequenocineasta.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/pages/Festival-Internacional-Pequeno-Cineasta/124148720995407?ref=hl

Canal Youtube: http://www.youtube.com/user/ThePequenocineasta

Pré-estreia gratuita de “Que horas ela volta?”

O filme Que horas ela volta? terá uma pré-estreia gratuita, especialmente para empregadas domésticas no Rio de Janeiro! Será no dia 23 de agosto, domingo, às 11h no cinema Estação NET Botafogo (Rua Voluntários da Pátria, 88, Botafogo).

A sessão contará com a presença das atrizes Karine Teles e Camila Márdila, que interpretam respectivamente as personagens Bárbara e Jéssica.

Para assistir a sessão, qualquer doméstica registrada pode entrar gratuitamente apresentando sua carteira de trabalho na bilheteria do cinema, isso também é válido pra quem não estiver empregada no momento, mas já tenha sido e tenha registro na carteira para comprovar. Para pré-reservar e garantir seu ingresso, pedimos às interessadas que confirmem presença, e de até 01 acompanhante, mandando um email com nome completo para quehoraselavolta.filme@gmail.com, ou mandando mensagem na página do filme no Facebook.

A bilheteria do cinema abrirá a partir das 10h para retirada de ingressos, que estão sujeitos à lotação da sala.

Assista ao trailer: bit.ly/quehorastrailer.

Festival de Cinema “Visões Periféricas”

Começa na próxima quarta-feira, dia 19/08, a 9ª edição do Visões Periféricas, festival de cinema que atualmente é o único a reunir filmes produzidos por pontos de cultura, coletivos, projetos de formação e realizadores independentes localizados nas diversas periferias do Brasil. Este ano o homenageado será o Funk e ninguém mais indicado para falar do assunto que o Mc Marcinho. Considerado o precursor do ritmo e com 20 anos de carreira recém-completados, Marcinho será um dos participantes do primeiro debate do evento e vai bater um papo com o público sobre o tema “Funk, patrimônio cultural da cidade”, às 16h, no Oi Futuro Ipanema.

O festival acontece até o dia 23 de agosto, é gratuito e a programação conta com 96 filmes e realizadores vindos de 13 estados brasileiros e das cidades de Medellín e Bogotá, na Colômbia. Os filmes serão exibidos em salas de cinema, cineclubes e internet. Ao longo do programa também serão ministradas duas oficinas para o público, uma de “Som para Imagem” e outra de “Animação”.

O objetivo do festival, idealizado pela associação cultural Imaginário Digital,  é democratizar o acesso à cultura e integração da cidade, exibindo os filmes da programação em 14 cineclubes de oito bairros, além dos municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaguaí, Belford Roxo, Nova Friburgo e Rio das Ostras. A entrada acontece através de distribuição de senhas nos locais de exibição.

Já as inscrições para as oficinas e mesas de debate serão através do site www.imaginariodigital.org.br, onde também se encontra a programação completa do festival. O Oi Futuro fica na Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema – Rio de Janeiro.

Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência

Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência” chega a sua 7ª edição em 2015 no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro (de 5 a 17 de agosto), de São Paulo (23 de setembro a 5 de outubro) e de Brasília (de 2 a 14 de março de 2016), trazendo 33 filmes de 20 países e quatro debates sobre os temas autonomia, imagem e estigma, ser artista e autismo. Patrocinado pelo Banco do Brasil, o evento tem entrada franca.

Do Brasil participam sete produções. As outras vêm da Austrália, Espanha, Alemanha, México, França, Chile, Polônia, Itália, República Tcheca, Bielorrússia, Rússia, Reino Unido, Cazaquistão, Eslováquia, Bélgica, Irã, Suíça, Ucrânia e Israel.

Inéditos no país, os filmes – documentário, animação e ficção – foram produzidos entre 2012 e 2015 e têm como protagonistas, em sua maioria, pessoas com deficiência: com autismo, síndrome de Down, deficiência intelectual, visual, auditiva e deficiência física. Entre os temas, histórias como a do grupo internacional de dança que ensaia uma coreografia com um grupo formado por pessoas com e sem deficiência; dos atores de uma companhia de teatro em que todos têm síndrome de Down e do jovem de 16 anos, que tem apenas um braço, é o nadador mais veloz do mundo em sua categoria e está confirmado para os Jogos Paralímpicos do Rio.

– O amor e as lutas políticas das pessoas com deficiência já foram temas do festival. Este ano, recebemos uma grande quantidade de filmes sobre pessoas com autismo, com síndrome de Down e deficiência intelectual. Mas o grande tema deste ano, que norteia a maior parte dos filmes, é a autonomia, a possibilidade de uma vida com independência. Este assunto surge como o grande objetivo; o grande desejo; o grande sonho. Os filmes, em seu conjunto, nos trazem um belo repertório de experiências, dificuldades e conquistas neste sentido – avalia a curadora Lara Pozzobon.

Realizado a cada dois anos, o festival se mantém como o principal evento que celebra a inclusão cultural no Brasil. Em 2013 o evento aconteceu no Rio e em São Paulo, com a participação de 26 obras de 17 países. Ao primeiro, realizado em 2003, seguiram edições inéditas em 2005, 2007, 2009 e 2011. Em 2010 e 2012 foram feitas itinerâncias em outras cidades, como Belo Horizonte, Porto Alegre, Pelotas e Santa Cruz do Sul, ampliando seu alcance e possibilitando que mais pessoas conhecessem o projeto e, através dos filmes, histórias de vida inspiradoras e altamente transformadoras. Comprometido com a promoção de acessibilidade para todos os públicos, o festival oferece audiodescrição em todas as sessões e catálogos em Braille para pessoas com deficiência visual; e legendas closed caption nos filmes e interpretação em LIBRAS nos debates para as pessoas com deficiência auditiva. Os portadores de deficiência física também contam com garantia de acessibilidade, uma vez que o Centro Cultural Banco do Brasil tem sua arquitetura concebida para o acesso de pessoas com mobilidade reduzida e cadeirantes.

A lista dos filmes participantes segue abaixo e a programação completa está disponível no site: www.assimvivemos.com.br

SERVIÇOS

7º edição do festival “Assim Vivemos”

CCBB – Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília

Rio de Janeiro: 5 de agosto a 17 de setembro – CCBB – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro

São Paulo: 23 de setembro a 5 de outubro – CCBB – Rua Álvares Penteado, 112 – Centro

Brasília: de 2 a 14 de março de 2016 – CCBB – SCES, Trecho 2

Entrada gratuita

Outras informações: www.assimvivemos.com.br

 

LISTA DE FILMES DO FESTIVAL

 

PROGRAMA 1 –

Carmina – viva a diferença – Duração: 80′

Diretor: Sebastian Heinzel – Alemanha / 2014

CARMINA mostra um projeto internacional de dança absolutamente único. Mais de 300 pessoas, com e sem deficiência, tanto dançarinos profissionais quanto amadores, dançam a mundialmente famosa Carmina Burana, de Carl Orff.

 

PROGRAMA 2 –

Record Mundial – Duração: 80′

Diretor: Eduardo Lucatero – México / 2014

O jovem Gustavo Sanchez Martinez é um adolescente de 16 anos como outro qualquer, que gosta de carros, videogames e de sair com os amigos. Ele também é um dos nadadores mais velozes do mundo, apesar de ter apenas um braço e de não ter as duas pernas.

 

PROGRAMA 3 –

Amor profundo – Duração: 84′

Diretor: Jan P. Matuszynski – Polônia / 2013

O filme retrata Janusz, um homem autoconfiante de 50 anos de idade, um mergulhador experimentado, vencedor de vários recordes, que sofre um AVC e fica paralisado. As terapias e a assistência da sua companheira, Asia, o ajudam a recuperar a mobilidade e parte das funções. Mas ele continua lutando para conseguir falar e a única pessoa que o entende é Asia, que traduz o que ele quer dizer para todo mundo. O que o faz seguir em frente e o motiva é o seu grande sonho – ele gostaria de voltar a mergulhar, apesar do grande risco que isso pode significar para sua saúde e para sua vida. Seu objetivo é viajar para o belo e perigoso Buraco Azul, no Egito, o que é um desafio até mesmo para mergulhadores em plena forma. Este é um filme sobre um amor que não conhece limites, sobre uma paixão maior que o medo e sobre a determinação de recomeçar a viver.

 

PROGRAMA 4 –

Como nos filmes – Duração: 5′

Diretor: Francesco Faralli – Itália / 2013

Seguindo sua paixão pelo Cinema, Daniele Bonarini (da Associação Il Cenacolo Francescano) faz filmes paródicos e amadorísticos, com a ajuda entusiasmada de amigos voluntários, escalando pessoas com deficiência como protagonistas.

 

PROGRAMA 4 –

Prima Madenn – Duração: 73′

Diretor: Gregoire Thoby – França / 2015

Madenn, uma jovem com deficiência intelectual, visita seu primo em Paris após o rompimento com o namorado. Esse filme permite que ela fale por si mesma, livremente, sem reservas, e explora sua personalidade dinâmica, cheia de tendências obscuras e momentos de exuberância. Realista, sensível, divertida, incontrolável, e muito apaixonada, Madenn não se conforma com os nossos estereótipos sobre as pessoas com deficiência intelectual.

 

PROGRAMA 5 –

Enriqueta – Duração: 10′

Diretor: Marcos Salazar Suazo – Chile / 2012

Enriqueta é uma senhora de cem anos de idade, de origem Aymara, com deficiência, que vive em Ayllu de Solcor, um pequeno povoado no meio do deserto do Atacama, no norte do Chile. Este documentário de observação nos mostrará parte do seu entorno e como vive o final de sua existência em profunda solidão, acompanhada somente por suas plantas e animais.

 

PROGRAMA 5 –

Gabor – Duração: 69′

Diretor: Sebastián Alfie – Espanha / 2013

Sebas propõe a Gabor que seja seu diretor de fotografia, mas se Gabor não enxerga, como fará para filmar? Acompanhe essa aventura que faz reviver um grande diretor de fotografia 10 anos após perder a visão.

 

PROGRAMA 6 –

A viagem de Maria – Duração: 6′

Diretor: Miguel Gallardo – Espanha / 2010

Quando Maria está conosco, faz do mundo um lugar melhor. “A Viagem de Maria” é uma pequena excursão ao mundo interior de uma adolescente com autismo, uma viagem cheia de cor, amor, criatividade e originalidade, que nasce do percurso de pais que observam como sua filha se comporta de uma maneira especial até a confirmação do diagnóstico: autismo.

 

PROGRAMA 6 –

Alcançando as nuvens! – Duração: 66′

Diretor: Tereza Vlčková – República Tcheca / 2013

Alcançando as Nuvens é um documentário que retrata Lucie, uma adolescente com autismo. Enquanto Lucie está completamente imersa em seu próprio mundo de criação e canto, sua família tenta, frequentemente com grande envolvimento, encontrar um lugar na nossa sociedade para alguém cujas necessidades e hábitos estão muito além do usual, e que, por outro lado, são mais naturais e normais do que as pessoas comuns podem imaginar. O filme Alcançando as Nuvens nos traz, através da história de Lucie, um olhar sobre as questões vividas pelas pessoas com autismo e nos revela que os serviços sociais e educacionais comumente oferecidos para essas pessoas não são suficientes.

 

PROGRAMA 7 –

A Criança e o Golfinho – Duração: 18′

Diretor: Katsiaryna Makhava – República da Bielorrússia / 2014

Maxim é uma criança com autismo que tem um irmão gêmeo, Yaroslav, que não tem deficiência. Maxim tem 5 anos. Ele não fala e vive em seu mundo particular. Tem dificuldade de expressar seus desejos, sentimentos e pensamentos. Sua mãe o leva para fazer terapia com golfinhos. O filme acompanha a evolução do menino no processo terapêutico.

 

PROGRAMA 7 –

Soluções promissoras – Duração: 52′

Diretor: Romain Carciofo – França / 2012

Soluções Promissoras” remonta a investigação de Romain Carciofo sobre o autismo. O diretor atravessa a Fraça para responder uma questão: Como as pessoas com autismo e suas famílias são assistidas na França? Esse tocante documentário ilumina a situação alarmante das pessoas que sofrem de autismo e mostra como seus parentes estão lidando com esse transtorno.

 

PROGRAMA 8 –

Teatro do coração aberto – Duração: 15′

Diretor: Andranik Saatchyan – Rússia / 2015

O que é o Teatro para pessoas cujas vidas são uma superação diária? Todos os atores do Teatro de Coração Aberto tem Síndrome de Down e seus corações estão abertos para novas experiências, descobertas, e para uma nova maneira de viver. São felizes porque amam o que fazem.

 

 

 

PROGRAMA 8 –

Complexo de canguru – Duração: 58′

Diretor: Sarah Moon Howe – Bélgica / 2014

O filme levanta questões importantes para os pais de crianças diferentes: como saber quando é a hora de incentivar a independência só filho com deficiência intelectual? O filme mostra a experiência de algumas mães e seus filhos com deficiência intelectual, especialmente autismo. Como os cangurus, todas as crianças em algum momento saem da bolsa marsupsial de sua mãe. Mas as crianças diferentes podem demorar um tempo bem maior. E alguns ensaios são necessários, em um processo complexo de tentativa de sair de perto e voltar para a família, que talvez continue por toda a vida.

 

PROGRAMA 9 –

O coração partido e a beleza – Duração: 14′

Diretor: Genevieve Clay-Smith – Austrália / 2015

Coração Partido e Beleza é um filme experimental que explora a noção de que todos somos conectados pelas nossas experiências de amor e perda através de metáforas visuais, dança e poesia, tudo isso pela perspectiva de 12 pessoas com deficiência intelectual.

 

PROGRAMA 9 –

O mar me faz lembrar – Duração: 11′

Diretor: Ray Jacobus – Reino Unido / 2012

O filme, concebido e protagonizado por Marcos, homem com síndrome de Down, fala da perda de seu pai e de sua incomformidade com a falta que sente. Em uma praia que traz recordações de infância, ele viaja através da paisagem, da imaginação e da memória. O filme nos transporta para um lugar onde os mundos real e imaginário vivem juntos e nos lembra que às vezes temos que viajar por dentro de nós mesmos para superar a crise trazida por uma perda.

 

PROGRAMA 9 –

E agora José, Maria e João? – Duração: 52′

Diretor: Marcio Takata – Brasil / 2014

O documentário “E Agora José, Maria, João…” reflete sobre as perspectivas de futuro independente de adultos com deficiência intelectual, sob a ótica do tema Moradia Assistida.A partir da positiva experiência das residências já consolidada na Holanda, traça-se um paralelo entre temores, sonhos e desejos daqueles que, no Brasil, sonham com a mesma oportunidade. O documentário será importante ferramenta para o debate, em busca do avanço sustentável na criação de espaços, em caráter público e privado, que ofereça no Brasil, vida adulta autônoma, segura e digna a essas pessoas.

 

PROGRAMA 10 –

Você cairá de novo – Duração: 6′

Diretor: Alex Pachón – Espanha / 2015

Esta ficção experimental traz a performance de um dançarino em um cenário aterrorizante, um quarto cujo teto está prestes a desabar. Alegoria onírica da força e da determinação humana para superar obstáculos, mesmo quando eles parecem intransponíveis.

PROGRAMA 10 –

Conjuntos – Duração: 10′

Diretor: Rodrigo Cavalheiro e Monica Farias – Brasil / 2014

Em uma tarde de ensaio, o coreógrafo Marcos Abranches trabalha para levar aos palcos sua concepção da dança inclusiva junto da bailarina Alessandra Bono Vox.

 

PROGRAMA 10 –

Ser ou não ser – Duração: 61′

Diretor: Aziz Zairov, Mukhamed Mamyrbekov – Cazaquistão / 2015

Shakespeare emerge inesperadamente em um retrato documental da rotina diária de Takhir Umarov, um jovem com paralisia cerebral. O filme mostra sua coragem para enfrentar as limitações motoras e garantir sua autonomia. Imagens do protagonista na neve com figurino de Hamlet intercaladas com o retrato documental, além de sutis surpresas narrativas, são ousadias que dão ao filme um caráter ímpar.

 

PROGRAMA 11-

Tatuagem e Terremoto – Duração: 6′

Diretor: Sávio Tarso e Nilmar Lage – Brasil / 2015

Tatuagem e Terremoto poderia ser um documentário sobre milhões de pessoas com deficiência. Trata-se de um relato íntimo e pessoal sobre um personagem vítima da poliomielite, que estabelece uma relação bastante peculiar com as sequelas que a doença deixou em seu corpo. Como uma tatuagem que impregnou-se em sua pele e em seu espírito, a deficiência se transformou no seu traço de diferenciação, mas não o impediu de estar e viver plenamente no mundo dos ditos “normais”.

 

PROGRAMA 11 –

Mente Pura – Duração: 28′

Diretor: Kristina Lapsanska – Eslováquia / 2013

Mente Pura traça o perfil do para-atleta Jaroslav Svestka, que se diferencia no universo das pessoas com deficiência devida a sua atitude diante da vida, dos seus valores e da sua difícil situação. O filme acompanha por quatro anos seus esforços por chegar ao sonho Paralímpico. Sua tragédia pessoal mostra o poder da mente humana para forçar os limites das capacidades humanas e superar até os mais intransponíveis obstáculos.

 

PROGRAMA 11 –

Beleza desconhecida – Duração: 47′

Diretor: Mahboubeh Honarian – Irã / 2014

Beleza Desconhecida é um tocante documentário que retrata a vida de três mulheres no Irã que tentam levar uma vida independente e sair do isolamento. Apesar de suas lutas diárias em um país que lhes oferece serviços precários, essas mulheres iranianas aceitam suas deficiências e trabalham duro para desenvolver seus talentos artísticos.

 

PROGRAMA 12 –

Marcelo – Duração: 13′

Diretor: Jéssica Lopes – Brasil / 2013

Por meio da mistura de sons e o silêncio, você conhecerá o universo sonoro de Marcelo – uma criança em fase de adaptação ao implante coclear.

 

PROGRAMA 12 –

Entrando no mundo do som – Duração: 24′

Diretor: Daniela Prusse – Suíça / 2015

Como uma pessoa se sente quando seu filho tão esperado nasce surdo? E quando, dois anos depois, seu segundo filho também nasce surdo? Os pais dessas duas crianças falam abertamente sobre sua experiência e sobre sua decisão de fazer o implante coclear. Falam sobre momentos difíceis e alegres de suas vidas, transmitindo conforto e coragem para aqueles que enfrentam dificuldades semelhantes.

 

PROGRAMA 12 –

A onda traz, o vento leva – Duração: 25′

Diretor: Gabriel Mascaro – Brasil / 2012

Rodrigo é surdo e trabalha numa equipadora instalando som em carros. O filme é uma jornada sensorial sobre um cotidiano marcado por ruídos, vibrações, incomunicabilidade, ambigüidade e dúvidas.

 

PROGRAMA 13 –

Mãos dadas – Duração: 7′

Diretor: Ignacio Tatay – Espanha / 2014

Quando uma garota se deixa levar pelo desejo de beijar um completo estranho no ônibus, não poderia supor de quão completamente estranho ele é. Após uma reviravolta inesperada, ela terá que tomar uma atitude para corrigir a situação em que colocou os pés pelas mãos. Tudo isso sob os olhares atentos dos demais passageiros. Um filme leve e denso ao mesmo tempo, que fala de amor, tocando em questões como estigma, imagem, preconceito e aceitação.

 

PROGRAMA 13 –

Pássaro sem asas – Duração: 20′

Diretor: Sergei Andrienko – Ucrânia / 2014

Quando Natasha nasceu com deficiência física, seus pais a abandonaram no hospital. Hoje, essa jovem vive em uma instituição de acolhimento. A solidão nem sempre acaba quando se acha alguém para compartilhar – às vezes, ela começa neste exato momento. Você pode mudar esse sentimento criando um novo significado para a sua vida ou para a da outra pessoa. Natasha encontrou esse significado nas cores, na pintura, nos pincéis. Ela crê na importância de conquistar e não apenas receber, mas também de dar. Isso é transmitido em seu trabalho. É importante buscar reconhecimento pelo seu trabalho? Talvez a verdadeira arte não necessite ser classificada. Talvez as obras de arte devam ser criadas sem a necessidade de agradar ou ficar para a história.

 

PROGRAMA 13 –

Lições de italiano – Duração: 27′

Diretor: Tofik Shakhverdiev – Rússia / 2013

Uma menina surda que usa cadeira de rodas. Ela não fala nem sua língua materna, o russo, nem a língua de sinais. Mas isso não a impede de se divertir e conversar com os empregados e hóspedes do hotel em que está hospedada com seu grupo durante um feriado na Itália. O filme é sobre ela e seu amigo, um menino que acredita saber por que algumas crianças nascem saudáveis e outras nascem com alguma deficiência.

 

PROGRAMA 13 –

Independente – Duração: 33′

Diretor: Ariela Alush – Israel / 2015

Eldar Yusopov nasceu no Usbequistão há 27 anos, mas durante seu parto houve complicações e o medico perguntou a seu pai quem deveria viver – Eldar ou sua mãe. Rafael, o pai, decidiu que sua mulher, Mira, deveria viver, e Eldar nasceu morto. Mas, contra todas as previsões médicas ele reviveu, com paralisia cerebral, e, desde então, faz de tudo para se posicionar e fazer-se ouvir. Ele não consegue falar nem segurar uma caneca, mas escreve roteiros de filmes com apenas um dedo e interpreta o personagem principal como se fosse o Brad Pitt. Mas seus pais não permitem que viva sozinho e na sua busca por independência ele tem que provar – para si mesmo e para sua família, que ele pode ser um cara normal como todos a sua volta. Essa é uma história sobre perseverança e autoestima, e sobre um grande desejo de falar de amor, mesmo não conseguindo se mover ou mesmo falar.

 

PROGRAMA 14 –

O entrevistador – Duração: 12′

Diretor: Genevieve Clay-Smith – Austrália / 2012

Thomas Howell consegue muito mais do que foi buscar em uma entrevista de emprego em um importante escritório de advocacia: um insulto sobre sua gravata, uma rendição de Harry Potter, e a chance de mudar as vidas de um pai e seu filho.

 

PROGRAMA 14 –

Alenka – Duração: 17′

Diretor: Jan Pavur – Eslováquia / 2014

O operário Milan encontra a charmosa Sasa. Eles se envolvem cada vez mais, e Milan não pode continuar escondendo sua vida por muito tempo. Sua necessidade de amor e compreensão lhe dão coragem para convidar Sasa para sua casa numa noite. Ela conhece a filha dele, uma adolescente com síndrome de Down, que enche sua vida emocional com sentimentos contraditórios. Milan carrega o peso do mundo em seus ombros ao ter que tomar decisões difíceis.

PROGRAMA 14 –

Marina não vai à praia – Duração: 17′

Diretor: Cássio Pereira dos Santos – Brasil / 2014

Um grupo de adolescentes do interior de Minas Gerais prepara uma excursão para o litoral. Marina, uma garota com síndrome de Down, deseja conhecer o mar. Impedida de viajar com sua irmã, ela busca outros caminhos para realizar seu sonho.

 

PROGRAMA 14 –

Outro olhar – Duração: 28′

Diretor: Renata Sette – Brasil / 2014

Na cidade de Santa Maria, Rio Grande do Sul, a adolescente Renata Basso leva uma vida normal. Renata, assim como milhares de jovens brasileiros em idade escolar, é portadora de Síndrome de Down. O filme mostra como a atitude das pessoas à sua volta, incluindo a postura institucional da sua escola, influenciou a relação dela com o seu meio e a sua comunidade.

 

Sobre o Festival Assim Vivemos

Além de exibir filmes nacionais e internacionais inéditos, o festival tem o objetivo de promover uma discussão estética cinematográfica, que acrescenta muito na formação cultural de um público diversificado. Esse debate se articula com os temas dos filmes e traz à tona questões fundamentais e urgentes relativas às pessoas com deficiência. O festival exibe documentários, filmes de ficção e animações que formam um mosaico surpreendente e esclarecedor. Filmes que trazem a pessoa com deficiência para a cena principal e, através da arte, quebram os preconceitos, conferindo à questão outra dimensão. O festival teve sua primeira edição em 2003 no Rio de Janeiro e em Brasília. Desde a primeira edição, o festival oferece uma acessibilidade para pessoas com deficiência visual. A audiodescrição é feita por dois atores em todas as sessões e transmitida para fones de ouvidos disponibilizados para o público. Em todos os filmes são inseridas legendas Closed Caption, sistema que inclui informações extra-diálogos para o público de pessoas com deficiência auditiva. São distribuídos catálogos em Braille com informações e sinopses dos filmes para as pessoas com deficiência visual. E nos debates, há intérpretes de LIBRAS, para que as pessoas surdas também possam participar.

Para mais informações entre em contato
No Rio: Alice Pereira :: alice.pereira@agenciafebre.com.br 21 2555-8926

Katia Carneiro :: katia.carneiro@agenciafebre.com.br 21 2555-8918

Siga-nos no Twitter @agfebre e no facebook.com/agfebre

Cineclube de Nova Iguaçu

A terceira sessão do Cineclube de Nova Iguaçu vai exibir o filme “Os 12 trabalhos” de Ricardo Elias. O filme retrata o cotidiano de Heracles, um jovem negro que ao sair da FEBEM começa trabalhar como motoboy e se depara com dificuldades referentes à inexperiência do novo trabalho e ao preconceito sofrido nas ruas. A sessão será no dia 26/06, às 18h, na sede da Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu.

Seguindo a temática de apresentar filmes que dialoguem com questões relacionadas à juventude e cultura urbana, após o filme, acontecerá um bate papo com o rapper DMT, produtor do evento “Musicação na Pista”, que acontece semanalmente na pista de skate da Via Light. DMT vai falar um pouco sobre sua trajetória no rap, no skate e sobre sua experiência como motoboy.

Sobre a Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu

A Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu, fundada em julho de 2006, é a primeira escola de audiovisual da Baixada Fluminense. Localizada no bairro de Miguel Couto em Nova Iguaçu, sob a gestão da OSCIP Avenida Brasil Instituto de Criatividade Social, o projeto é dirigido pelo cineasta e diretor teatral Marcus Vinícius Faustini.

Em 2012, com a mudança para Austin, a ELC iniciou um novo ciclo e agora conta com uma gestão colaborativa na qual o Cineclube Buraco do Getúlio, a ONG Laboratório Cultural, o Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense e o Cineclube Mate com Angu contribuem com mobilização e produção.

Serviço:
Cineclube ELC
Filme: “Os 12 trabalhos”
Dia: 26/06 (sexta-feira), às 18h
Local: Sede da Escola Livre de Cinema – Rua Cândido Lima 13, Austin – Nova Iguaçu (próximo à Estação de trem).

Seminário Internacional Escola de Séries

Estão abertas as inscrições para o Seminário Internacional Escola de Séries. Voltado para empreendedores e criadores de conteúdo do Estado do Rio de Janeiro, o evento vai reunir, entre os dias 29 de junho e 2 de julho , no Hotel JW Marriot, em Copacabana, nomes de destaque na cena audiovisual do Brasil e exterior. As inscrições custam R$80 por dia e podem ser feitas até o dia 26 de junho – ou até terminarem as vagas – no site www.escoladeseries.com.br . O programa conta com a curadoria dos Alquimistas e da Esmeralda Produções , além do patrocínio da Rio Filme e apoio de O Boticário .

A programação do seminário está baseada em três pilares: Canal, cujas discussões vão apresentar o ponto de vista de quem compra; Criador/Produtor , que vai receber realizadores com sucessos no mercado; e Venda Internacional, que vai apresentar os interesses do mercado e como fazer uma série além do seu país de origem. A ideia é promover um espaço de encontro e troca entre realizadores do Rio de Janeiro e do mercado internacional sobre o processo criativo, técnicas e gestão para o desenvolvimento de conteúdo de séries de TV no Brasil.

Na abertura do seminário serão lançadas as inscrições para o Laboratório de Imersão, que acontecerá na primeira semana de dezembro. Trata-se de um laboratório que propiciará a formação e reciclagem de roteiristas e produtores de conteúdo audiovisual para TV, por meio de consultorias especializadas de profissionais internacionais e nacionais. Além dos dez projetos selecionados, a Escola de Séries apresentará outros vinte, selecionados posteriormente, durante o RioContentMarket 2016, a canais nacionais e internacionais. Só poderão se habilitar ao processo de seleção quem participou os dos cursos na ESPM ou no Seminário Internacional e for MEI, micro, pequena ou média empresa do Estado do Rio de Janeiro.

Desde fevereiro deste ano – e até março de 2016 – a Escola de Séries vem oferecendo aos empreendedores e criadores de conteúdo do Estado do Rio de Janeiro a oportunidade de aperfeiçoamento em narrativas e gestão do negócio de séries para TV, por meio de uma plataforma integrada que lhes permite dominar etapas e técnicas para transformar suas ideias em séries e formatos de TV. No seminário de lançamento da Escola de Séries, que aconteceu em fevereiro, durante o warmup do RioContentMarket 2015, estiveram presentes o agente de talentos Eric Rovner, executivo da série americana “East Los High”, além da roteirista de “How to get away with murder” Erika Green. Desde então, ocorreram 18 capacitações (cursos e oficinas) na ESPM.

PROGRAMAÇÃO:

29 de junho
Cerimônia de abertura
17h às 18h30 – Boas vindas por Sebrae / ESPM / Riofilme / O Boticário
18h30 às 20h – Uma conversa sobre a terceira era de ouro da TV dos EUA, com David Levine (HBO), Gary Marenzi (Rapido Entertainment) e Kathleen Bedoya (Wise Entertainment)
20h às 20h30 – Lançamento do regulamento e abertura das inscrições para o Laboratório de Imersão

30 de junho
8h – Credenciamento
8h30 às 10h – Identificação de Conteúdo Original para Séries da HBO nos EUA por David Levine, VP de Programação Original Drama, HBO
10h15 às 12h – Conteúdo e Dramaturgia em Filhos do Carnaval por Elena Soárez, roteirista
12h15 às 13h15 – 60 minutos com Produtor Criativo Adriano Civita, Prodigo Films
14h45 às 16h15 – Case Study Narrativas: Magnífica 70 por Cláudio Torres, Conspiração Filmes
16h30 às 18h – Encomenda Fox por Zico Góes, Diretor de Conteúdo, FOX International Channels do Brasil

1 de julho
8h – Credenciamento
8h30 às 10h – Venda internacional de séries: Formatos que cruzam fronteiras e geram lucros por Gary Marenzi, Cofundador Rapido Entertainment
10h15 às 12h – Diálogos: Roteiro, Direção e Edição por Daniel Rezende, diretor e editor
12h15 às 13h15 – 60 minutos com Produtor Criativo Luiz Noronha, Zola Produções
14h45 às 16h15 – Case Study Narrativas: Irmão do Jorelpor Juliano Enrico, TV Quase/Copa Studio
16h30 às 18h – Encomenda GNT por Daniela Mignani, Diretora, canal GNT/+Globosat

2 de julho
8h – Credenciamento
8h30 às 10h – Bem-vindos ao Mercado Latino nos EUA por Kathleen Bedoya, Produtora Executiva Wise Entertainment
10h15 às 12h – Estrutura Narrativa: ficção e documentário por Luiz Bolognesi, roteirista e diretor
12h15 às 13h15 – 60 minutos com Produtor Criativo Roberto d’Avila, Moonshot Pictures
14h45 às 16h15 – Case Study Narrativas: JunglePilotspor Belisário Franca, Giros
16h30 às 18h – Encomenda Discovery por Mônica Pimentel, VP de Conteúdo, Discovery Networks Brasil

SERVIÇO:
Seminário Internacional Escola de Séries
Data: 29 e 30 de junho e 1 e 2 de julho
Local: Hotel JW Marriot
Endereço: Avenida Atlântica, 2.600 – Copacabana, RJ
Inscrições e informações: http://www.escoladeseries.com.br
Valor: R$80,00 por dia de seminário