“Parasita” estreia em 07 de novembro

PARASITA, recebeu a Palma de Ouro no Festival de Cannes 2019 por decisão unanime do Júri, agora no Brasil, chega ao circuito comercial em 7 de novembro, com distribuição da Pandora Filmes em parceria com a Alpha Filmes. Dirigido por Bong Joon Ho (“O Hospedeiro” e “Okja”), que também é corroteirista, o longa foi selecionado pela Coreia do Sul para concorrer a uma indicação na categoria de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar® 2020.

Na trama, todos os membros de uma família estão desempregados e vivendo na miséria. Até que o filho mais velho arruma emprego como professor de uma garota rica e o contato dessas pessoas com a vida de luxo e glamour as leva a fazer o necessário para ascenderem socialmente.

Assim como nos longas anteriores do diretor, a crítica social está presente em PARASITA, desta vez ainda mais forte ao questionar o estado da sociedade atual e a impossibilidade de pessoas de diferentes classes viverem juntas em um relacionamento simbiótico. E é a partir dessa premissa que Joon Ho definiu o título do filme: “há pessoas que esperam viver com outras de uma forma coexistente, mas isso não funciona, então elas são empurradas para uma relação parasitária. É um título irônico”, diz.

As duas famílias nesta história têm algumas coisas em comum, sendo ambas compostas por quatro membros, com um filho e uma filha. Mas, em suas vidas cotidianas, ocupam dois extremos completamente diferentes. Joon Ho define esses dois núcleos: “os Kim são uma família de classe baixa que vive num apartamento no subsolo, com apenas a esperança de uma vida comum. O pai falhou nos negócios, a mãe sonhava ser atleta e nunca conseguiu e o filho e a filha tentaram entrar para a universidade diversas vezes sem sucesso. Em contraste, a família do Sr. Park, que trabalha como CEO de uma empresa de TI e é workaholic. Ele tem uma bela e jovem esposa, uma linda filha no Ensino Médio e o filho pequeno. Eles podem ser vistos como uma família ideal de quatro membros entre a elite urbana moderna”.

Com PARASITA, o diretor quis retratar a contínua polarização e desigualdade da sociedade. “Estamos vivendo uma época em que o capitalismo é a ordem reinante e não temos alternativa. Isso no mundo inteiro. Na sociedade capitalista de hoje, existem castas que são invisíveis aos olhos. Nós tratamos as hierarquias de classe como uma relíquia do passado, mas a realidade é que ainda existem e não podem ser ultrapassadas”, explica.

O filme é em partes engraçado, assustador e triste e mostra as inevitáveis rachaduras que aparecem quando duas classes se enfrentam na sociedade cada vez mais polarizada de hoje. PARASITA leva o público a pensar. Um dos longas mais aclamados do ano, exibido em dezenas de Festivais, e uma aposta certa na temporada de premiações em 2020.

SINOPSE 

Todos os quatro membros da família Kim estão desempregados, porém uma obra do acaso faz com que o filho adolescente comece a dar aulas privadas de inglês à rica família Park. Fascinados com o estilo de vida luxuoso, os quatro bolam um plano para se infiltrar nos afazeres da casa burguesa. É o início de uma série de acontecimentos incontroláveis dos quais ninguém sairá ileso.

FICHA TÉCNICA 

 

Direção: Bong Joon Ho
Roteiro: Bong Joon Ho, Han Jin Won
Elenco: Song Kang Ho, Lee Sun Kyun, Cho Yeo Jeong, Choi Woo Shik, Park So Dam, Lee Jung Eun, Chang Hyae Jin
Produzido por: CJ Entertainment
Produção: Barunson E&A
País: Coreia do Sul
Ano: 2019
Duração: 131 min.

SOBRE O DIRETOR 

Nascido em Daegu, Coreia, em 14 de setembro de 1969

Parasita é o sétimo longa do aclamado diretor Bong Joon Ho, depois de “Cão que Ladra não Morde” (2000), “Memórias de um Assassino” (2003), “O Hospedeiro” (2006), “Mother – A Busca pela Verdade” (2009), “Expresso do Amanhã” (2013) e “Okja” (2017).

O clássico moderno “Memórias de um Assassino” mergulha na investigação por trás de um conhecido caso de assassinato em série que nunca foi resolvido, representando o autoritarismo da época com sátira e perspicácia. “O Hospedeiro” tem como base o sequestro de uma jovem por uma estranha criatura que se arrasta para fora do rio Han, reinventando o gênero de filme de monstros e fazendo comentários sociais. “Mother”, a história de uma mulher tentando proteger seu filho de uma acusação de assassinato, é um retrato sombrio do amor maternal levando ao extremo, enquanto a ficção científica “Expresso do Amanhã” retrata os últimos remanescentes da humanidade num futuro congelado, devido ao excesso de esforço humano para deter o aquecimento global. E, finalmente, Okja é sobre a aventura de uma garota para resgatar um “super porco” geneticamente modificado, que foi criado por uma corporação visando aos fins lucrativos.

Conhecido por seu humor cortante, socialmente incisivo e distorção das convenções de gênero, Bong Joon Ho levanta questões sobre as instituições sociais e as desigualdades da sociedade com uma mistura única de humor, emoção e suspense. Nesse sentido, Parasita é um filme muito característico dentro do trabalho de Bong JoonHo, ao mesmo tempo que leva o diretor a evoluir para um novo nível.

SOBRE A PANDORA FILMES 

A Pandora é uma distribuidora de filmes independentes que há 30 anos busca ampliar os horizontes da distribuição de filmes no Brasil revelando nomes outrora desconhecidos no país, como Krzysztof Kieślowski, Theo Angelopoulos e Wong Kar-Wai, e relançando clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Federico Fellini, Ingmar Bergman e Billy Wilder. Sempre acompanhando as novas tendências do cinema mundial, os lançamentos recentes incluem “The Square – A Arte da Discórdia”, de Ruben Östlund, vencedor da Palma de Ouro em Cannes, e “O Apartamento”, de Asghar Farhadi, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora atua com o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos, como Gustavo Steinberg, Ruy Guerra, Edgard Navarro, Sérgio Bianchi, Roberto Moreira, Beto Brant, Fernando Meirelles, Helena Ignez, Tata Amaral, Anna Muylaert, Petra Costa e Gabriela Amaral Almeida. Entre os próximos lançamentos, destacam-se “Greta”, de Armando Praça; “O Traidor”, de Marco Bellocchio, coprodução nacional, que concorreu à Palma de Ouro em Cannes; e “O Caso Morel” de Suzana Amaral.

Em 2019, a distribuidora criou o projeto Caixa de Pandora que visa programar filmes premiados, escolhidos através de uma cuidadosa curadoria para serem exibidos em salas comerciais da rede Cinépolis, em 20 cidades do Brasil.

Anúncios

Festival de Cinema FICC

As novidades para a 7ª edição do FICC não param. O Festival estreará a marca “FICC MARKET” em formato de feira audiovisual. Serão mais de 50 temas em palestras, painéis, fórum, oficinas, apresentações artísticas, negócios etc., na Biblioteca Parque-Estadual, Centro do Rio.

 

O FICC MARKET agrega diversos segmentos artísticos, culturais, educativos, esportivos, acessibilidade, inclusão social, meio ambiente, economia criativa, comunicação social e inteligência emocional. O evento irá movimentar os setores econômicos de turismo, gastronomia, hotelaria, indústria, comércio, tecnologia, startups, ecossistema, produção cinematográfica e editorialSão quatro importantes objetivos: fomento da arte e cultura, networking empresarial, divulgação de marcas e geração de emprego e renda.

 

O FICC acontecerá de 5 a 8 de dezembro, no Rio de Janeiro. De 5 a 7 de dezembro acontecerá o FICC MARKET, na Biblioteca-Parque Estadual. No dia 8 será a cerimônia de premiação no estilo tapete vermelho, com apresentações artísticas, entrega de prêmios e homenagens, na belíssima Sala Cecília Meireles. Já estão confirmados para a cerimônia o Vice-Governador Claudio Castro, o Secretário de Cultura Ruan Lira, o ator André Ramiro (do filme Tropa de Elite), as cantoras Ana Nóbrega e Karen Keldani e o chefe da comunicação da SECEC Bruno Brasil. Todos terão participações especiais durante a cerimônia.

 

A entrada é 1kg de alimento não perecível, um filme ou um livro. Os filmes e livros serão doados para a Biblioteca-Parque Estadual e os alimentos serão destinados para instituições que trabalham com a causa da acessibilidade. Todos os participantes receberão certificados de participação e podem deixar seus lixos eletrônicos no FICC MARKET.

 

PALESTRAS FICC MARKET:

 

– MERCADO AUDIOVISUAL – PRODUÇÃO DE FILMES – ROTEIROS – FIGURINO – CARACTERIZAÇÃO – VR REALIDADE VIRTUAL – MÍDIAS DIGITAIS – PITCHING VENDA O SEU PROJETO – OFICINAS DE TEATRO – DANÇA – HIP HOP – RAP – MUSICA DIGITAL – JORNALISMO & DOCUMENTÁRIO – MULTIPLICAÇÃO DE IDEIAS – CAPTAÇÃO DE RECURSOS – LUCROS E RENTABILIDADE – INTELIGÊNCIA EMOCIONAL – NEUROCIÊNCIA – ACESSIBILIDADE – MOSTRA DE CINEMA FAVELA CRIATIVA – EXIBIÇÕES DE FILMES – NOITE DE EXPRESSÕES ARTÍSTICAS – AÇÕES HUMANITÁRIAS – STANDS – ESPAÇO GOURMET – BAZAR – SORTEIOS E MUITO MAIS

 

PALESTRANTES:

 

Fernanda Brum – Cantora, escritora e pastora. 25 anos de carreira (22 deles na MK Music) com dois prêmios Grammy Latino;

Dra Claudia Valéria Mello – Juíza Federal e presidente da Comissão de Acessibilidade e Inclusão do TRF da 2a Região;

Prof. Gedir da Costa – Neurocientista, diretor de estudos da Cidade do Cérebro, escritor nas áreas do cérebro e inteligência; consultor de empresas;

Reinaldo Santos – Diretor-executivo da SAT-7 no Brasil, rede de televisão que alcança 400 milhões de telespectadores;

Ariel Cohen – Dramaturgo, roteirista, ator, bailarino, diretor de caracterização makeup e Efx, diretor teatral e cinematográfico, ilustrador e animador. Makeup em LA – EUA. Principais clientes: Fox, Netflix, Visom, Record, Globo, Disney, Endemol, Universal Studios, Avon, Vogue;

Renato Troglo – Especialista em desenvolvimento mental. Treinador cerebral e emocional de atletas, especialista emocional clínico;

Erica Paes – Coordenadora Esportiva de Empoderamento Feminino; Faixa Preta de Jiu-Jitsu;

Nixxon Alves – Bacharel em cinema, pós-graduado em roteiro para cinema e TV. Roteirista do sitcom Mano a Mano;

Daniel Brunet – repórter, documentarista e roteirista. Entre muitos outros palestrantes.

 

E para não deixar saudades, no mês de janeiro terá o FICC na Praça, uma continuidade do evento, que acontecerá pelas cidades no interior do Rio de Janeiro em parceria com as prefeituras locais e a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do RJ. O FICC na Praça acontecerá uma vez ao mês nas noites de sexta-feira, e, durante o dia, serão ministradas palestras sobre audiovisual em escolas estaduais.

 

O Festival é chancelado com o Selo IEVA pelo Instituto Eventos Ambientais como evento sustentável. Os principais componentes do selo são: seriedade, ética, responsabilidade social e sustentabilidade.

O FICC é realizado pela Agenda Cultural Brasil e correalização da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro.

 

Para adquirir stands, entre em contato com a direção do evento.

 

As vagas são limitadas! Para participar, acesse agora o site e adquira os seus ingressos. Festivaldecinemaficc.com

Assista o vídeo de divulgação https://youtu.be/KSCScU-1EwE

 

SERVIÇO
 
VII Festival de Cinema FICC
Site: festivaldecinemaficc.com
Feira e Premiação: Dezembro/2019

Luta de Classes

Título Original: Battle Of Classes | La Lutte des Classes
Direção: Michel Leclerc
Roteiro: Michel Leclerc, Baya Kasmi
Elenco: Leïla Bekhti, Edouard Baer, Ramzy Bedia
Distribuição: A2 Filmes

Sinopse: Como todos sabem, as crianças não fazem diferença entre classes sociais, cor da pele ou religiões. Mas então por que Corentin, o filho de Paul e Sofia, tem apenas amigos que se assemelham a ele? E quando todos os seus amigos se mudam para uma escola particular parisiense, seus pais se assustam. Agora, Corentin é o único em sua classe… Mas o único que? DO MESMO DIRETOR DE “OS NOMES DO AMOR”;

‘O Homem Cordial’ estreia dia 23

O HOMEM CORDIAL, terá a sua primeira exibição na cidade de São Paulo, no próximo dia 23 de outubro, às 20h, no Espaço Itaú Frei Caneca. A sessão faz parte da programação da 43ª Mostra de Cinema de São Paulo e contará com a presença do diretor, elenco e equipe do filme.

Rodado na capital paulista, O HOMEM CORDIAL, dirigido por Iberê Carvalho que também assina o roteiro ao lado do uruguaio Pablo Stoll (Wisky, 2003), longa fez sua estreia nos cinemas brasileiros na última edição do Festival de Gramado, onde levou o prêmio de Melhor Ator para Paulo Miklos e Melhor Trilha Musical.

O longa é um thriller psicológico, no qual o afloramento de uma onda de ódio e intolerância é visto a partir do ponto de vista de Aurélio (Miklos), um homem de 60 anos, branco, rico e heterossexual, que de sua posição social privilegiada se vê perdido e impotente, sem saber como reagir a essa realidade que se apresenta.

A ideia inicial para o roteiro surgiu em 2015, quando o diretor começou a se incomodar com a crescente onda de polarização no país. A partir de pesquisas sobre o tema e se deparou com o vídeo de um garoto de dez anos sendo linchado numa manifestação e a reação de ódio das pessoas o chocou. “Foi daí que surgiu a premissa inicial do argumento de O HOMEM CORDIAL”, recorda Carvalho.  Apesar de terem se passado quatro anos, o tema do longa é mais atual do que nunca: “estamos vivendo um momento tão estranho e revelador de nossa sociedade que é impossível qualquer ficção ter a pretensão de acompanhar a realidade”, completa.

A cidade de São Paulo, onde O HOMEM CORDIAL foi rodado, também é uma personagem do filme. A opção do diretor pela capital foi devido ao cenário urbano de uma grande metrópole que simboliza o desenvolvimento. Incorporá-la ao longa pelo olhar ‘estrangeiro’ foi um desafio, “mas conseguimos trazer um olhar fresco da cidade”, finaliza.

O longa tem fotografia de Pablo Baião, vencedor do Kikito de Melhor Fotografia no último Festival de Gramado por Simonal, e Maíra Carvalho, ganhadora do Kikito de Melhor Direção de Arte em 2015 por O Último Cine Drive-in, assina a arte.

Com montagem de Nina Galanternick, som de Daniel Turini, Fernando Henna e Henrique Chiurciu, som direto de Marcos Manna, figurino de Eduardo Barón e Vinicius Couto e maquiagem por Vanessa Barone, O HOMEM CORDIAL é produzido por Maíra Carvalho, Rodrigo Sarti Werthein, Rune Tavares e Iberê Carvalho, numa coprodução Quartinho Direções Artísticas, Acere, Momento Filmes e Pavirada Filmes. A distribuição nacional é da O2 Play e a representação internacional da Media Luna Films.

SINOPSE 
Aurélio é vocalista de uma famosa banda de rock que fez muito sucesso até o final dos anos 90. Na noite de retorno de sua banda aos palcos, viraliza na internet um vídeo que o envolve na morte de um policial militar.  Ninguém sabe o que de fato aconteceu, mas o astro passa a ser alvo de grupos radicais. Aurélio, então, se vê inserido em uma tensa e violenta jornada pelas ruas de São Paulo. Durante uma única noite, encontrará figuras importantes de sua carreira e Helena, uma jovem jornalista determinada a descobrir o que realmente aconteceu.

FICHA TÉCNICA 
Direção: Iberê Carvalho
Roteiro: Pablo Stoll e Iberê Carvalho
Produção: Quartinho Direções Artísticas, Pavirada Filmes, Acere e Momento Filmes
Produtores: Maíra Carvalho, Rodrigo Sarti Werthein, Rune Tavares e Iberê Carvalho
Produção Executiva: Rune Tavares, Camila Ciolim e Rodrigo Sarti Werthein
Fotografia: Pablo Baião
Direção de Arte: Maíra Carvalho
Som: Daniel Turini, Fernando Henna e Henrique Chiurciu
Montagem: Nina Galanternick
Som direto: Marcos Manna
Figurino: Eduardo Barón e Vinicius Couto
Maquiagem: Vanessa Barone
Elenco: Paulo Miklos, Thaíde, Dandara de Morais, Thalles Cabral, Theo Werneck, Fernanda Rocha, Bruno Torres, Murilo Grossi, Mauro Shames, Felipe Kenji, Tamirys O’Hanna e André Deca
País: Brasil
Ano: 2019
Duração: 83 min.

SOBRE O DIRETOR 

“O Homem Cordial” é o segundo longa-metragem do premiado diretor Iberê Carvalho. “O Último Cine Drive-in” (2015) foi eleito melhor filme brasileiro do ano pela Folha de São Paulo. Entre outros, recebeu os prêmios de Melhor Filme no 18º Punta del Este International Film Festival, Prêmio da Crítica de Melhor Filme no 43º Festival Internacional de Gramado, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Direção de Arte. Melhor Filme pelo Público do Festival Cine Las Americas, no Texas. Também participou dos festivais de Chicago, Beijing e Marselle. Como curta-metragista recebeu o prêmio de Melhor Curta no 31º Festival del Nuevo Cine Latinoamericano de Havana e o prêmio Cartoon Network de melhor Curta Infantil no Prix Jeunesse Latino-Americano.

A PRODUÇÃO  
O filme é uma coprodução entre a Quartinho Direções Artísticas, Acere, Pavirada Filmes e Momento Filmes. É fruto de uma parceria de 15 anos entre estas produtoras que juntas somam dezenas de filmes de ficção e documentários. Suas obras foram exibidas nos festivais de Toulouse, Paris, Tóquio, Amsterdam, Hawaii, Atenas, Bruxelas, Los Angeles, Seattle, Houston, Montevideo, Havana, Mazatlan, Caracas, Barcelona, Valência, San Sebastian, Londres, Bilbao, Lisboa, entre outros.
Entre suas recentes produções destacam-se “Entre Idas e Vindas”, de José Eduardo Belmonte; “A Sombra do Pai”, de Gabriela Amaral Almeida, coproduzido pela RTFeatures; o documentário “Mobília em Casa-Móveis Coloniais de Acaju e a Cidade”, de José Eduardo Belmonte; “O Fim e os Meios”, de Murilo Salles; e“ O Último CineDrive-In”, de Iberê Carvalho. Entre seus futuros projetos destacam-se “Quase Deserto”, de José Eduardo Belmonte, e “A Fúria”, de Ruy Guerra.

 

SOBRE O DISTRIBUIDORA
A O2 Play é dirigida por Igor Kupstas sob a tutela de Paulo Morelli, sócio da O2 Filmes, e faz parte do grupo O2, que tem como sócios também o cineasta Fernando Meirelles e a produtora Andrea Barata Ribeiro. Em atividade desde 2013, a O2 Play se diferencia das demais distribuidoras por trabalhar além do cinema, TV e vendas internacionais, o VOD (Video on Demand), como uma distribuidora digital. Possui contratos com plataformas como o iTunes, Google Play, Netflix, NOW, Claro Vídeos, Vimeo, ofertando além de conteúdos longa-metragem e seriados também serviços de delivery (Encoding).

A O2 Play lançou em cinema filmes como CIDADE CINZA (2013), com os grafiteiros OsGêmeos, LATITUDES (2014), romance com Alice Braga e Daniel de Oliveira que foi parte de um inovador projeto transmídia, JUNHO – O MÊS QUE ABALOU O BRASIL (2014), documentário da Folha de S. Paulo, primeiro filme a chegar aos cinemas e em VOD na mesma data, A LEI DA ÁGUA (2015), documentário de André D’Elia com produção de Fernando Meirelles, A BRUTA FLOR DO QUERER (2016), vencedor de 2 prêmios em Gramado, UMA NOITE EM SAMPA (2016), de Ugo Giorgetti, PARATODOS, doc sobre atletas paraolímpicos que após carreira elogiada pela críticas nos cinemas foi vendido para o mundo todo na NETFLIX, DO PÓ DA TERRA (2016), doc de Maurício Nahas, PESCADORES DE PÉROLAS (2015), ópera com direção de Fernando Meirelles transmitida ao vivo via satélite do Theatro da Paz para 10 salas de cinema, e ENTRE NÓS (2014), A NOITE DA VIRADA (2014) e ZOOM (2016), estes de produção da O2 Filmes em co-distribuição com a Paris Filmes.

Entre os lançamentos da O2 Play nos cinemas estão o longa-metragem TRAVESSIA, filme com Chico Diaz e Caio Castro, o documentário SEPULTURA ENDURANCE, sobre a banda brasileira de metal, COMEBACK, filme vencedor do prêmio de melhor ator para Nelson Xavier no Festival do Rio 2016 e MALASARTES E O DUELO COM A MORTE, grande produção da O2 Filmes dirigida por Paulo Morelli. Também entram na lista o documentário EXODUS- DE ONDE VIM NÃO EXISTE MAIS, produzido pela O2 e dirigido por Hank Levine e o longa A REPARTIÇÃO DO TEMPO, dirigido por Santiago Dellape. Também distribuiu no segundo semestre de 2018 o longa-metragem CORAÇÃO DE COWBOY dirigido por Gui Pereira em mais de 200 salas de cinema e o premiado documentário SER TÃO VELHO CERRADO dirigido por André D’Elia. Em 2019 no primeiro semestre promoveu o lançamento em formato day and date do filme 45 DIAS SEM VOCÊ do diretor Rafael Gomes. No segundo semestre inicia o programa O2 PLAY DOCS com a exibição de documentários nas principais cidades de todas as regiões brasileiras com sessões em horário nobre.

A O2 Play é pioneira em curadoria mundial no iTunes com a seção FERNANDO MEIRELLES RECOMENDA. Esta a primeira vez que a loja da Apple convidou um agente externo para sugerir filmes (confira em itunes.com/fmeirelles).

A O2 PLAY realiza a distribuição digital e encoding para dezenas de títulos e séries, além de vendas para TV e mercado internacional. Tivemos oito longas escolhidos pela Apple dentre “Os Melhores Filmes do Ano” entre 2014 e 2016.

Cineesporte – Festival de Cinema de Esportes

O CINEESPORTE-FESTIVAL DE CINEMA DE ESPORTES dá a largada para a maratona cinematográfica de filmes esportivos de 24 a 28 de outubro, no CCBB-Centro Cultural Banco do Brasil e CCJF-Centro Cultural Justiça Federal, apresentando uma programação composta por 15 filmes, com entrada franca.

São nove filmes brasileiros e seis internacionais oriundos da França, Rússia, Alemanha, Uruguai e Itália.

A seleção de filmes do CINEESPORTE expressa as principais abordagens, tendências e narrativas da produção mundial do cinema esportivo. Ao todo, seis modalidades esportivas serão abordadas em toda a programação: Atletismo, Natação, Futebol, Boxe, Karatê e Ciclismo. E também outras expressões do esporte através de filmes com temática paralímpica e jogos indígenas.

O CINEESPORTE renova a parceria estratégica com a FICTS- Federation Internationale Cinema Television Sportifs. Esta tradicional federação italiana, sediada em Milão, reúne os 16 mais prestigiosos festivais de cinema esportivo do mundo, sendo o CINEESPORTE um dos eventos integrantes deste seleto circuito internacional.

O festival premiará o melhor filme de cada uma das suas duas mostras competitivas (de curta-metragem e de longa/média-metragem) exclusivamente através do voto popular.

O CINEESPORTE cumpre o desafio de manter a regularidade da periodicidade do festival iniciado nos Jogos Olímpicos Rio 2016, na perspectiva da realização da sua edição especial em 2020 por ocasião dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

TODOS OS FILMES SELECIONADOS:

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGA/MÉDIA-METRAGEM

1) TOKIO MAO-O ÚLTIMO KAMIKAZE, Brasil (Dir. Marina Pessanha)

2) ESPÍRITO EM MOVIMENTO, Rússia (Dir. Sofia Geveyler, Julia Bivsheva, Sofia Kucher)

3) GAVIÕES DA FLORESTA, França (Dir. Alexandre Bouchet)

4) SANGUE DE CAMPEÕES, Uruguai/Brasil (Dir. Sebastián Bednarik e Guzmán García)

5) ESPÍRITO DA BOLA, Alemanha (Dir. Murad Abu Eisheh)

6) SANTOS DE TODOS OS GOLS, Brasil (Dir. Lina Chamie)

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTA-METRAGEM

1) MERCÚRIO, Itália (Dir. Michele Bernardi)

2) O FIM DA PISTA, França (Dir. Sophie Thouvenin)

3) BALADÁGUA, Brasil (Dir. Eduardo Oliveira)

4) AZUL ESCURO, Brasil (Dir. Gustavo Nolasco)

5) VOZES: MILTON LEITE-OURO OLÍMPICO (Dir. Gustavo Machado e Rafael Timoteo)

6) O BAGRE DE BOLA, Brasil (Dir. Luiz Botosso e Thiago Veiga)

SESSÃO ESPECIAL DE ABERTURA

O 4˚CINEESPORTE programou para a sessão de abertura, 24/10, às 19h, o espetacular documentário “A LUTA DO SÉCULO”, de Sérgio Machado, um profundo retrato sobre a maior rivalidade do boxe brasileiro e o histórico de lutas (com três vitórias para cada um) que inscreveu o nome dos lutadores Luciano Todo Duro e Reginaldo Holyfield na história do esporte no Brasil. É também uma análise minuciosa sobre a luta que os dois boxeadores tiveram que travar contra as dificuldades da vida. A rivalidade entre eles colocou em pé de guerra Bahia e Pernambuco nos anos 90 e os transformaram nos maiores ídolos do esporte nordestino.

SESSÃO ESPECIAL DE ENCERRAMENTO E PREMIAÇÃO

Para a sessão de encerramento e premiação, o 4˚CINEESPORTE reservou uma rodada dupla:

– JOGOS INDÍGENAS (Dir. Thiago Frade e Alexandre Magno)

– PROCURA-SE IRENICE (Dir. Marco Escrivão, Thiago B. Mendonça)

Nesta ocasião serão entregues os prêmios de melhor curta-metragem e de longa/média-metragem do 4˚CINEESPORTE, definidos exclusivamente através do voto popular.

Programação completa: www.cineesporte.com

Serviço: 4º CINEESPORTE

Centro Cultural Banco do Brasil: Rua Primeiro de Março, 66. RJ. Sala 1.

De 24 a 28/10, de quinta a segunda-feira.

Dias 24 e 28, às 19h. Dias 25, 26 e 27: sessões às 17h e às 19h.

Entrada franca. Senhas distribuídas 1 hora antes na bilheteria (Sujeita à lotação da sala).

Classificação: 12 anos.

Centro Cultural Justiça Federal: Avenida Rio Branco, 241. Centro. 

De 25 a 27, de sexta a domingo.

Dia 25 (sexta), às 19h; dia 26 (sábado), às 19h30; e dia 27 (domingo) às 17h e às 19h.

Entrada Franca. Senhas distribuídas 1 hora antes na bilheteria (Sujeita à lotação da sala).

Classificação: 12 anos. 

“Macabro” estreia na 43ª Mostra Internacional de Cinema

Novo filme do diretor Marcos Prado, MACABRO é inspirado na história real de Ibraihim e Henrique de Oliveira, os “Irmãos Necrófilos”, que nos anos 90 foram acusados de brutais assassinatos de oito mulheres, um homem e uma criança, na Serra dos Órgãos, em Nova Friburgo, região serrana do Rio de Janeiro. O filme terá sua estreia nacional durante a 42a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, e estreia internacionalmente na competição oficial do Festival de Austin no Texas.

Os crimes foram amplamente noticiados na mídia nos anos 90, quando assassinatos em série cometidos por dois jovens irmãos negros, seguido de estupro, estavam acontecendo na região serrana, envoltos em lendas e histórias sobrenaturais, contadas pelos próprios moradores – uma comunidade de imigrantes suíços, extremamente religiosa e conservadora.

A captura dos “Irmãos Necrófilos” foi uma das missões mais longas e difíceis da história do BOPE. O filme adota esse ponto de vista, ao acompanhar o sargento Teo (Renato Goés), um jovem policial que nasceu na região e passa por uma crise profissional e ética, quando é resignado para voltar à sua cidade natal na busca pelos suspeitos escondidos na Mata Atlântica.

A ideia de fazer MACABRO surgiu em 2009, quando o diretor teve acesso a  detalhes sobre o caso. Nessa época Prado foi procurado pelo advogado de Henrique, um dos irmãos que se encontrava preso, alegando que ele havia sido condenado injustamente – que não haviam provas contra Henrique, e que ele não havia participado dos crimes com o irmão Ibrahim.

Como ter certeza de que Henrique havia ou não participado dos crimes? Como construir uma narrativa em que deixasse essa suspeita sem solução? Quais seriam as motivações para esses crimes tão bárbaros? Porque a maioria dos crimes foram feminicídeos? “O que mais me chamou atenção nessa história, além das barbaridades dos crimes em série cometidos pelos ”irmãos necrófilos” e as lendas criadas pelos locais, é que talvez Henrique tenha sido condenado injustamente a 49 anos de prisão. Eram muitas perguntas sem respostas e uma porção de camadas a serem exploradas”, comenta Prado, diretor de “Paraísos Artificiais”, “Estamira” e “Curumim” e produtor dos filmes “Tropa de Elite 1 e 2”.

O roteiro de MACABRO, escrito por Lucas Paraizo e Rita Gloria Curvo, é fruto de uma extensa pesquisa por parte dos roteiristas e do próprio diretor, em fóruns, processos, autos de julgamentos, entrevistas com moradores da região e com o próprio acusado, Henrique de Oliveira.

MACABRO foi rodado numa região próxima onde os crimes aconteceram e que até hoje está na memória e no imaginário de quem vive naquela localidade. Mas, também fala sobre o racismo cotidiano de dois garotos, que viveram em um ambiente de constante violência doméstica, cresceram violentados, autossuficientes e que tiveram que aprender a viver na floresta, para fugir da bruta realidade a qual eram expostos dentro da própria família e da comunidade onde nasceram.

SINOPSE 

Macabro é um longa-metragem de ficção baseado na história real dos “Irmãos Necrófilos”, dois jovens irmãos que nos anos 90 foram acusados de brutais assassinatos na Serra dos Órgãos. O thriller de suspense segue o sargento Teo em sua busca pelos suspeitos escondidos na Mata Atlântica. Enquanto a população, a imprensa e a polícia local condenam os irmãos, Teo percebe que um deles pode ser inocente e que a sociedade local revela um padrão histórico de abuso racial, tendo o racismo como uma realidade tão violenta quanto os crimes em série.

FICHA TÉCNICA 

Diretor – Marcos Prado
Produtores – Marcos Prado, João Queiroz Filho e Justine Otondo
Produtores Associados – José Alvarenga Jr. e Rodrigo Pimentel
Produtoras Executivas – Justine Otondo e Mariana Bentes
Elenco – Renato Góes, Amanda Grimaldi, Guilherme Ferraz, Diego Francisco, Eduardo Tomaz, Juliana Schalch, Flávio Bauraqui, Paulo Reis, João Pydd, Claudia Assunção, Osvaldo Mil, Thelmo Fernandes
Roteiristas – Lucas Paraizo e Rita Gloria Curvo
Diretor de Fotografia – Azul Serra
Montadores – Lucas Gonzaga e Quito Ribeiro
Diretora de Arte – Ula Schliemann
Figurinista – Ana Avelar
Trilha Sonora Original – Plínio Profeta
Editor de Som – Tomás Alem e Bernardo Uzeda

SOBRE O DIRETOR 

Marcos Prado é sócio fundador da ZAZEN PRODUÇÕES e diretor de MACABRO (2019), O MECANISMO (2018) – ORIGINAL NETFLIX SERIES, PARAÍSOS ARTIFICIAIS (2010) e dos documentários CURUMIM (2016) e ESTAMIRA (2004), ganhador de diversos prêmios nos principais festivais de cinema do mundo. Como produtor, Marcos produziu TROPA DE ELITE 2 – O INIMIGO AGORA É OUTRO (2010), filme que levou mais de 11 milhões de pessoas ao cinema e TROPA DE ELITE, ganhador do Urso de Ouro no Festival de Berlin in 2008. Marcos também produziu vários outros premiados documentários como ÔNIBUS 174, GARAPA e SEGREDOS DA TRIBO. Atualmente está trabalhando na biografia do rapper Sabotage.

SOBRE A ZAZEN 

Uma das mais premiadas produtoras de cinema do Brasil e responsável por MACABRO, PARAÍSOS ARTIFICIAIS, TROPA DE ELITE 2, filme brasileiro de maior público na história do cinema nacional, TROPA DE ELITE, vencedor do Urso de Ouro em 2008. Criada em 1997, a Zazen também produziu os documentários CURUMIM, SEGREDOS DA TRIBO, GARAPA, ESTAMIRA, documentário de maior público nos cinemas em 2006, ÔNIBUS 174, vencedor do Emmy Awards e OS CARVOEIROS.

Reconhecida mundialmente pela alta qualidade de suas produções, a Zazen tem seus filmes distribuídos em cinema e TV para diversos países por empresas como Netflix, Globo, IM Global, Universal Pictures, Paramount Pictures, HBO, National Geographic, Arte France, BBC, NHK, ThinkFilm, Rio Filme, SIC Portugal, GNT, Canal Brasil, entre outras.

Além de ter recebido diversos prêmios nos principais festivais nacionais, seus filmes representaram o Brasil em festivais internacionais como Festival Internacional de Berlim, Emmy Award (EUA), Sundance Film Festival (EUA), Karlovy Vary (Rep. Tcheca), Havana (Cuba), Festival Internacional de Documentário de Marseille (França), Direitos Humanos de Nuremberg (Alemanha), Festival Internacional de Rotterdam (Holanda), Festival Internacional de Documentários de Chicago (EUA), entre outros.

SOBRE A PANDORA FILMES 

A Pandora é uma distribuidora de filmes independentes que há 30 anos busca ampliar os horizontes da distribuição de filmes no Brasil revelando nomes outrora desconhecidos no país, como Krzysztof Kieślowski, Theo Angelopoulos e Wong Kar-Wai, e relançando clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Federico Fellini, Ingmar Bergman e Billy Wilder. Sempre acompanhando as novas tendências do cinema mundial, os lançamentos recentes incluem “The Square – A Arte da Discórdia”, de Ruben Östlund, vencedor da Palma de Ouro em Cannes, e “O Apartamento”, de Asghar Farhadi, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora atua com o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos, como Gustavo Steinberg, Ruy Guerra, Edgard Navarro, Sérgio Bianchi, Roberto Moreira, Beto Brant, Fernando Meirelles, Helena Ignez, Tata Amaral, Anna Muylaert, Petra Costa e Gabriela Amaral Almeida. Entre os próximos lançamentos, destacam-se “Greta”, de Armando Praça; “O Traidor”, de Marco Bellocchio, coprodução nacional, que concorreu à Palma de Ouro em Cannes; e “O Caso Morel” de Suzana Amaral.

Em 2019, a distribuidora criou o projeto Caixa de Pandora que visa programar filmes premiados, escolhidos através de uma cuidadosa curadoria para serem exibidos em salas comerciais da rede Cinépolis, em 20 cidades do Brasil

Festival Internacional de Cinema Infantil

Desde a primeira edição, em 2003 – quando apresentou cinco filmes brasileiros e dez de outros nove países –, até o ano passado, o Festival Internacional de Cinema Infantil, dirigido por Carla Camurati Carla Esmeralda, já exibiu mais de mil títulos, de 36 países, para um público superior a 1,7 milhão de espectadores (dos quais 900 mil alunos e professores da rede pública de ensino, muitos em seu primeiro contato com o cinema). Em seu 17º ano, o FICI reverencia o mestre dos quadrinhos brasileiro Mauricio de Sousa e traz mais de 70 produções nacionais e internacionais, exibidas com exclusividade em salas da Rede Cinemark no Rio de Janeiro Niterói (18 a 22/10), Natal (18 a 27/10) e Aracaju (23 a 27/10), num total de 308 sessões, com ingressos populares ou gratuitos.

O longa-metragem Luccas Neto em: Acampamento de Férias é um dos destaques desta edição, na mostra Panorama Brasil. Lançado em julho deste ano para exibição em VOD (video on demand), o terceiro filme do youtuber Luccas Neto – fenômeno na internet, com 26,6 milhões de inscritos em seu canal – será exibido pela primeira vez no cinema.

Prêmio Brasil de Cinema Infantil – programa competitivo do FICI que chega à sua 12ª edição – bateu mais um recorde de inscrições, com 192 filmes. A seleção final reúne 19 curtas de 12 estados brasileiros e será exibida nas sessões Histórias Animadas (+ 6 anos), Histórias Curtas (+ 8 anos) e Mostra Teen (+ 10 anos). O vencedor é escolhido pelas crianças, na tradicional votação realizada em sessão do festival, e, pela primeira vez, também pelo voto online, no site fici.com.br.

“Desde a criação do Prêmio, o número de inscrições aumenta significativamente a cada ano, comprovando o crescimento do setor no país, que ainda tem um imenso potencial de mercado a ser explorado, já que menos de 1/3 das crianças brasileiras vai o cinema”, explica Carla Camurati. “E com o Prêmio, temos a chance de envolver as crianças a participar e assumir o protagonismo, ao escolherem os vencedores. Assim como nas sessões seguidas de debates ou com dublagem ao vivo, que tentam instigar o olhar dos pequenos espectadores a ir além da história”, completa Carla Esmeralda.

Apresentado pelo Ministério da Cidadania Secretaria Especial da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, o 17º Festival Internacional de Cinema Infantil tem patrocínio da CinemarkBRDEFundo Setorial do AudiovisualANCINE – Agência Nacional do Cinema, apoio da Globo Filmes Telecine e conta com a coprodução da Esmeralda Produções, realização da Copacabana Filmes e ProduçõesSecretaria Especial da CulturaMinistério da Cidadania Governo Federal e exibição exclusiva na Rede Cinemark.

A abertura para convidados no Rio de Janeiro, no dia 19, terá a Pré-estreia Internacional de Dora e a Cidade Perdida, dirigida por James Bobin, coprodução EUA / Austrália, que só chega ao circuito brasileiro em novembro. Na Pré-estreia Brasil, o FICI apresenta em primeira mão a animação Osmar, a primeira fatia do pão de forma – O filme, de Ale McHaddo (pseudônimo do animador Alexandre Machado). Também inédito em grande circuito, Miúda e o Guarda-chuvade Amadeu AlbanPaula Lice Victor Cayresconta a história de uma menina que vive uma jornada mágica de descobertas e aprendizados.

Referência maior dos quadrinhos no Brasil, Mauricio de Sousa, 83 anos, é o grande homenageado desta 17ª edição. Da vasta produção audiovisual com os famosos personagens, serão exibidos no programa Mestres da Infância live-action Turma da Mônica Laços, dirigido por Daniel Rezende, e a animação A Princesa e o Robô, de 1984, com direção do cartunista. A homenagem inclui ainda a exibição, no início de todas as sessões do festival, de episódios da animação 2D Mônica Toy, versão ‘toy art’ dos personagens da Turma da Mônica que faz sucesso em canais de TV por assinatura e na internet.

No Programa Internacional, o grande destaque é a produção belga-holandesa Bintilive-action (filme com atores), inédito no Brasil, da diretora Frederike Migom. O filme aborda a questão dos refugiados na Europa, através da história da menina Binti e sua família. O longa também integra a sessão O Pequeno Jornalista, um dos sucessos da programação. Ao final da projeção, um jornalista convidado conversa com as crianças para analisar os principais elementos que envolvem a narrativa para entender o processo de produção de uma matéria ou crítica. Klara Superstar (KuToppen), longa norueguês da diretora Lise I. Osvoll, completa o Programa Internacional. A animação promete divertir a criançada com a história da vaquinha Klara, que mora na cidade e sonha em ser uma popstar.

O intercâmbio com o festival Anima Mundi, traz este ano a animação Capitão Morten e a Rainha Aranha, produção da Estônia / Bélgica / Irlanda / Reino Unido. O longa será exibido, nas cidades de Aracaju Natal, com a Dublagem ao Vivo, uma das mais concorridas sessões do festival, que encantam crianças ano após ano. Os pequenos espectadores têm a rara oportunidade de assistir ao vivo o trabalho de dubladores profissionais, que fazem as vozes dos personagens do filme em tempo real, de dentro da sala de cinema. No Rio, a Dublagem ao vivo será com o longa alemão Encrenca em Dose Dupla, a divertida história de um menino que cria seu próprio duplo e, com ele, se envolve em muitas confusões.

A sessão Se você ainda não viu dá uma nova chance para quem perdeu ou quer rever na telona grandes sucessos recentes do cinema, como Toy Story 4 Aladdin, ambos em 3D, além de Angry Birds 2 – O FilmeHomem-Aranha no AranhaversoAsterix e o Segredo da Poção MágicaPets – A vida secreta dos bichos 2 Corgi: Top Dog. Já a Sessão Telecine de Cinema exibe Detetives do Prédio Azul 2: O Mistério Italiano, segundo longa da famosa série da TV, que conta a viagem do trio Pippo, Bento e Sol à Itália para investigar o sumiço da feiticeira Berenice.

FICI apresenta anualmente a Sessão Acessibilidade, oportunidade para crianças com deficiências visuais e/ou auditivas acompanharem o filme através da linguagem de LIBRAS, legenda descritiva e audiodescrição. Este ano, o filme escolhido é o longa de animação brasileiro Tito e os Pássaros, de Gustavo SteinbergAndre Catoto Gabriel Bitar, com a tocante história do menino Tito em sua jornada para salvar o mundo de uma estranha epidemia, que envolve a busca de pai ausente. A entrada é gratuita, mediante retirada de senha a partir de 30min antes do horário da sessão.

Em 8 X Animação – Especial Séries Brasileiras, o público pode conferir na tela grande, em uma mesma sessão, episódios de séries nacionais que fazem sucesso da telinha, como O show da LunaBubu e as CorujinhasBóris e Rufus Os Cupins.

Na Mostra Novos Jovens, os títulos são direcionados ao público pré-adolescente e adolescente com temáticas atuais. Na programação da mostra deste ano estão dois documentários e uma ficção, todos brasileiros. Eleições, de Alice Riff, acompanha as votações para o grêmio estudantil de uma escola pública em São Paulo e seu impacto na relação entre os alunos, traçando um paralelo com a atmosfera do país diante das eleições presidenciais. Já Espero tua (re)volta, de Eliza Capai, acompanhou as manifestações estudantis desde 2013 e é vencedor de dois prêmios no Festival de Berlim, dentro da Mostra Generation 14plusPeace Film Anistia Internacional, e dos prêmios de Melhor Filme, Montagem Roteiro na 23ª edição do Cine-PE, além do prêmio Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema. A ficção Para’i, de Vinícius Toro, aborda as reflexões de uma menina guarani diante do choque cultural entre sua tribo e o mundo da cidade.

No projeto A Tela na Sala de Aula, professores da rede pública de ensino têm a oportunidade de usar o cinema como ferramenta pedagógica. São filmes de diversas nacionalidades, apresentados gratuitamente aos alunos e professores, que enriquecem o trabalho do professor e dão suporte à educação. Cada filme apresentado possui um caderno pedagógico, com sugestões de atividades, criado a partir dos parâmetros curriculares do Ministério da Educação e dividido por segmento escolar (da educação infantil ao ensino médio), disponibilizado gratuitamente no site do FICI. Cerca de 900 mil crianças já participaram deste projeto.

Rede Cinemark no Brasil 

Líder mundial em venda de ingressos, a Rede Cinemark representa cerca de 30% do mercado brasileiro de cinema e é maior que seus três principais concorrentes juntos, com 634 salas de cinema em 86 complexos distribuídos por 48 cidades em 17 estados e o Distrito Federal: Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

É da Rede Cinemark a primeira sala de cinema em 3D da América do Sul, instalada no Shopping Eldorado, em São Paulo, que segue o padrão exigido pelos grandes estúdios americanos. Atualmente, a Rede conta com mais de 332 salas com a tecnologia de projeção em 3D no país. Em 2014, a Cinemark trouxe uma nova tecnologia, o D-BOX. As primeiras salas foram inauguradas no Shopping Villa Lobos, em São Paulo, e contam com um recurso que oferece comandos para as poltronas, que se movimentam para simular vibrações, quedas e trepidações. As poltronas D-BOX ainda têm um ajuste individual de velocidade, que permite que o público controle a intensidade dos movimentos. As poltronas D-BOX já estão presentes em 38 salas de 20 complexos.

A Cinemark também trouxe ao Brasil a tecnologia Extreme Digital Cinema – XD, com telas maiores que as convencionais e uma sonorização ainda mais potente, reunindo o que há de mais moderno em tecnologia 2D e 3D. A tecnologia XD já está presente em 40 salas. A Rede também apresentou a primeira sala vip do país, com cardápio exclusivo e atendimento diferenciado desde a bilheteria até o serviço de snack bar. As salas vips Bradesco Prime oferecem também mais conforto, com poltronas que seguem o conceito da classe executiva dos voos internacionais.

Outro diferencial da Rede é o Combo Express, que oferece a compra de produtos da bombonière nos totens de autoatendimento, site ou bilheteria. De sexta a domingo e em feriados, os itens adquiridos por meio do serviço podem ser retirados em um caixa exclusivo dedicado ao atendimento rápido. Para usufruir das salas Cinemark em qualquer complexo da Rede, os espectadores podem comprar o ingresso e os combos pela Internet ou Aplicativo que também permite checar a programação, descobrir o cinema mais próximo por geolocalização, conferir promoções, entre outros. O aplicativo está disponível para Windows Phone, Android e iPhone.

FICHA TÉCNICA:

17º FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA INFANTIL – FICI

Apresentação: Ministério da Cidadania Secretaria Especial da Cultura através da Lei de Incentivo à Cultura

Patrocínio: CinemarkBRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo SulFSA –Fundo Setorial do AudiovisualANCINE – Agência Nacional do Cinema

Apoio: TelecineGlobo FilmesETC FilmesDOT CineMistika PostNaymar Cia Rio

Coprodução: Esmeralda Produções

Realização: Copacabana Filmes e ProduçõesSecretaria Especial da CulturaMinistério da Cidadania Governo Federal

Exibição exclusiva: Rede Cinemark

Direção: Carla Camurati e Carla Esmeralda

SERVIÇO:

PRÉ-ESTREIA 17º FICi – RIO DE JANEIRO – 12/10 (sábado)

Horário: 12h às 18h (oficina de animação das 15h às 17h)

Local: Casa Firjan

Endereço: Rua Guilhermina Guinle, 211 – Botafogo

Ingresso: entrada franca

Programação: exibição de curtas do FICI e oficina de animação

 

17º FICI – FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA INFANTIL 

RIO DE JANEIRO E NITERÓI (18 a 22 /10)

Ingressos em todos os cinemas e sessões: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

Cinemark Downtown

Av das Américas, 500 – Bloco 17 – Barra da Tijuca

Cinemark Botafogo

Praia de Botafogo, 400 – Botafogo

Cinemark Plaza Shopping Niterói

R. XV de Novembro, 8 – Centro – Niterói

Programação completa:

fici.com.br