Top 5 – “Eu Fui!”: Musical

Algo que junte música, teatro e dança não tem como não me agradar. Assisto a todos os que tenho oportunidade e estes são os melhores de 2015:

 

1 – Kiss me, Kate – O beijo da megera

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Adaptação brasileira de um sucesso da Broadway (Kiss me, Kate), o musical – que também é inspirado no clássico “A megera domada”, de William Shakespeare – une coreografias ótimas, cantores idem, e um texto inteligente e engraçado.

Veja o post sobre o espetáculo

 

 

 

2 – “S’imbora, o musical – a história de Wilson Simonal”

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Excelentes números musicais – com destaque para Ícaro Silva como o protagonista -, o espetáculo conta a história de Wilson Simonal, do apogeu da fama ao ostracismo. Com pouco texto e muita música, agrada ao público. Faz quem viveu a época relembrar os sucessos, quanto as novas gerações conhecerem clássicos da MPB.

Veja o post sobre o espetáculo

 

 

3 – Elis, A Musical

A atuação impecável de Laila Garin no papel de Elis Regina é o principal trunfo de “Elis, A Musical”. A atriz

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

convence, e faz por vezes acreditarmos que é a própria Pimentinha quem está em nossa frente cantando.

Veja o post sobre o espetáculo

 

 

 

 

4 – Constellation

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

“Constellation” conta a história de Regina Lúcia, jovem sonhadora que quer porque quer participar do voo inaugural da aeronave que dá nome ao espetáculo. O veículo prometia reduzir de 72 para 20 horas o tempo de trajeto entre Rio de Janeiro e Nova York. O acontecimento foi nos anos 1950, e o musical tem o repertório de sucessos da década. Elenco mandando bem, com destaque para Jullie, a protagonista de voz doce e afinadíssima.

Veja o post sobre o espetáculo!

 

5 – Chacrinha, o musical

Uma enorme quantidade de canções foi utilizada para preencher o musical sobre a trajetória do Velho Guerreiro, para representar os longos anos que o apresentador esteve à frente de seus programas televisivos. Fruto de uma época em que a TV dava uma grande espaço para a música, a atração, assim como o espetáculo, tinha repertório muito eclético. Clara Nunes, Benito de Paula, Roberto Carlos… Muitos foram reproduzidos no palco, e fez o público cantar com sucessos eternos.

Veja o post sobre o espetáculo, e também a apresentação para a imprensa!

 

 

 

“Mágico de Oz” no Glauce Rocha

Devido ao grande sucesso, o musical volta aos palcos para temporada especial de final de ano, com valor promocional para toda a família no Teatro Glauce Rocha: R$10.

Crianças e adultos são levados até Oz e se divertem com os personagens clássicos da história e suas músicas. E são surpreendidos pelas novidades cênicas, como os óculos mágicos e o castelo de esmeraldas que surge ao olhar de todos no palco. O musical surpreende o espectador com as inovações cênicas, mexendo com o imaginário das crianças e adultos, fazendo a plateia rir e se emocionar com esse grande clássico.

O “Mágico de Oz” é um grande espetáculo, recheado de músicas que foram tiradas do clássico com novos arranjos e gravações. E a direção fica por conta de Cristiane Sanctos, que hoje é uma referência de Teatro Infantil no Rio de Janeiro.

Sinopse

A peça conta a história da menina Doroty que foi levada a Terra de Oz por um tornado. Para voltar para casa, a menina, com auxílio de um espantalho, homem de lata e um leão, precisa encontrar o poderoso Mágico de Oz, único capaz de mandá-la de volta para o lugar de origem. Porém precisa enfrentar a Bruxa Má do Oeste para conseguir este retorno.

Acessibilidade: projeto Em Cena Para Todos terá sessões com audiodescrição

Acessibilidade para todos – Dia 28 de novembro será o dia da acessibilidade no Teatro Glauce Rocha. Além da interpretação em Libras, que já acontece em todas as sessões do projeto Em cena Para Todos, o público também poderá contar com audiodescrição. A primeira peça com o serviço será o infantil “O Mágico de Oz”. E, à noite, “Cenas de Um Casamento”.

“Audiodescrição é o recurso que permite a inclusão de pessoas cegas como espectadoras de peças, filmes, novelas, óperas, ou seja, qualquer manifestação artística. Isso porque programas de ficção têm muitas informações nas imagens e a intenção é fazer com que as pessoas que não veem não as percam”, define a atriz e audiodescritora Graciela Pozzobon, que será a responsável pelas sessões com audiodescrição do projeto Em Cena Para Todos.

Sobre a ocupação “Em Cena Para Todos” 

Idealizado pela produtora carioca Ymbu Entretenimento, o projeto “Em cena para Todos” visa à ocupação e promoção do Teatro Glauce Rocha com espetáculos e artistas renomados, além de, novos talentos das artes cênicas no país. O projeto prevê ainda oficinas de Artes Cênicas, Teatro para Jovens, Expressão corporal e dramaturgia. O objetivo é dar oportunidade a artistas já formados, e ainda, novos candidatos a seguir a profissão de ator/atriz. Um diferencial é a oficina de Teatro para Jovens, com diretores especializados e com sucessos em cartaz dentre o público.

“Este projeto foi contemplado pela Fundação Nacional de Artes – FUNARTE no edital de Ocupação do Teatro Glauce Rocha 2015”

SERVIÇO: 

O Mágico de Oz

Autoria e direção: André Lamare e Cristiane Sanctos

Elenco: Alan Di Moura, Aly Moreira, Cristiane Sanctos, Luciana Albertin, Luciana Boeira, Matheus Marques, Pedro Natividade e Tiago Atzevedo.

Local: Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco, 179 – (21) 2220-0259.

Data: 28 e 29/11

Sessão com audiodescrição: 28/11

Horário: sábados e domingos às 16h.

Ingresso: R$ 10,00 (inteira)

Classificação: livre

Duração: 60 minutos

Gênero: Drama

Capacidade: 202 Lugares

Deixa Clarear, Musical Sobre Clara Nunes

Depois de rodar por vários palcos do Rio de Janeiro, “Deixa Clarear, musical sobre Clara Nunes” chega ao Espaço Furnas Cultural, onde faz seis apresentações, de 6 a 15 de novembro, de sexta a domingo, com entrada franca.  O espetáculo começou sem pretensão e sem patrocínio, com temporada discreta no Teatro Café Pequeno, no Leblon. Aos poucos foi conquistando o público e espaços, passando pelos mais importantes palcos cariocas, incluindo o tradicional Teatro João Caetano, onde fez duas temporadas de sucesso.

“Deixa Clarear, musical sobre Clara Nunes” conta com a direção de Isaac Bernat, texto de Marcia Zanelatto e direção musical de Alfredo Del Penho. Tem como intérprete a atriz Clara Santhana, idealizadora do projeto e apaixonada pela obra da cantora mineira. O espetáculo é o encontro das duas Claras: a atriz e a cantora.  Durante os 75 minutos de duração, o musical apresenta fases da carreira e da vida de Clara Nunes e tem como ponto alto a música, que atua como uma extensão da cena.  Estão lá clássicos da cantora, como “O canto das três raças” (Paulo Cesar Pinheiro/ Mauro Duarte) e “Na linha do mar”(Paulinho da Viola), “Morena de Angola” (Chico Buarque), “Um ser de luz” (João Nogueira/Paulo Cesar Pinheiro e Mauro Duarte) e “O mar serenou” (Candeia), entre outras.  O espetáculo mistura música e poesia para contar, de forma delicada, um pouco da trajetória de Clara Nunes, com o objetivo de incentivar a juventude a valorizar a música brasileira e suas raízes genuínas. “Nossa ideia é apresentar o legado de Clara Nunes para as novas gerações”, explica Clara Santhana. A atriz se apresenta acompanhada da banda formada por Michel Nascimento (percussão), Bidu Campeche (percussão/ cavaquinho), Felipe Rodrigues (violão) e João Gabriel (flauta/sax).

SERVIÇO:

Deixa Clarear, Musical Sobre Clara Nunes

Dias 6, 7 8, 13, 14 e 15 de novembro de 2015

Horário: sextas e sábados às 20h; e domingos, às 19h

Local: Espaço Furnas Cultural

Endereço: R. Real Grandeza, 219 – Botafogo

Telefone: (21) 2528-5166

Entrada franca / ingressos distribuídos nos dias do espetáculo, a partir das 14h

Capacidade:170 lugares

Já fomos, veja só! Também já demos uma palavrinha com Clara Santhana!

“O Barbeiro de Ervilha” na Gávea

A partir do dia 17 de outubro, o Centro de Referência Cultura Infância apresenta o espetáculo infantil “O Barbeiro de Ervilha”, uma comédia musical para crianças. Trata-se de uma adaptação da ópera Il Barbiere di Siviglia, de Gioacchino Rossini com libreto de Cesare Sterbini baseado na comédia homônima de Pierre Caron de Beaumarchais. A história apresenta uma trupe mambembe de comediantes que encena, na pequena vila fictícia nordestina de Ervilha do Norte, as artimanhas e astúcias de um tipo bem brasileiro, apesar de francês e italiano de origem e da naturalidade espanhola. Assim como na ópera cômica original, Fígaro, o barbeiro de Ervilha, é um faz tudo da cidade, fugindo aos padrões dos barbeiros do nosso século. Além de barbeiro é sanfoneiro, enfermeiro, jardineiro e nas horas vagas ainda é veterinário, farmacêutico, cirurgião, entrega bilhetes de casais enamorados com sigilo e discrição e o que mais for preciso, de maneira honesta, para ganhar o seu pão.

Andarilho, sempre à procura de um novo trabalho, acaba salvando a linda história de amor do conde Almaviva com Maria Flor. Um amor “proibido”, pois Maria Flor vai ser obrigada a casar com o seu tutor, Doutor Bartolo, médico e velho avarento cujo interesse, no fundo, é pela herança da moça. Servindo o conde com habilidade, o barbeiro acaba conseguindo acobertar e unir os enamorados, bem debaixo do nariz de Bartolo – que vive dizendo que não é tolo; fazendo triunfar a boa idéia de que “o amor é a mais valiosa das moedas”.

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia Original e Texto: Vanessa Dantas

Versões das Músicas e Letras: Leandro Castilho

Direção: Daniel Herz

Elenco:

Leandro Castilho (Fígaro)

Vanessa Dantas (Maria Flor)

Tiago Herz (Conde Almaviva)

Leonardo Miranda (Doutor Bartolo)

Pedro Maia (Comida de Onça)

Pedro Gracindo (Bocó, Soldado Quebra Queixo)

Carol Garcia (Di Mola, Soldado Rocambole)

Francisco Salgado (João do Bode)

Anna Bello (Santa do Mandacarú)

SERVIÇO

Data: 17 de outubro a 01 de novembro

Local: Teatro Municipal Maria Clara Machado (Planetário da Gávea)

Endereço: Av. Padre Leonel Franca, 240, Gávea. Tel.: (21) 2274 7722

Horário: sábado e domingo, às 16h

Valor: R$ 20,00

Duração: 60 minutos

Gênero: Infantil (recomendado a partir de 04 anos)

Classificação: Livre

Bilheteria: quarta a domingo, a partir das 14h

Capacidade: 138 lugares

Estacionamento pago no local

SamBra, o musical – 100 anos de samba

Com apresentações lotadas em todo o país, “SamBra, o musical – 100 anos de samba” volta à cidade maravilhosa para temporada popular no Teatro João Caetano, a partir do dia 15 de outubro (quinta-feira). O espetáculo visita a história do samba e de seus baluartes, contando a trajetória deste gênero musical em homenagem ao seu centenário. A superprodução já teve curta temporada no Rio de Janeiro e em São Paulo, com apresentações no Vivo Rio (RJ) e no Espaço das Américas (SP), e viajou por cinco cidades (Belo Horizonte, Salvador, Brasília, Porto Alegre e Curitiba).

Vencedor de oito prêmios por direção, texto e atuação em musicais e com mais de 60 indicações, Gustavo Gasparani, autor e diretor do espetáculo, retorna ao gênero como ator em “SamBra, o musical – 100 anos de samba”. Gustavo assume os papéis interpretados por Diogo Nogueira, que precisou se ausentar temporariamente, pois estará em turnê com o lançamento de seu novo álbum. “O Gustavo tem uma história muito antiga, profunda e verdadeira com o samba e também já estava completamente envolvido com o processo do musical. A escolha por ele aconteceu naturalmente.”, conta Aniela Jordan, sócia-diretora da Aventura Entretenimento, e que assina a direção artística e de produção do musical. Gustavo Gasparani aceitou o novo desafio com alegria “Eu não atuo em musical há dois anos e meio. Estou há um tempo na tragédia grega, no Shakespeare, então voltar para os musicais fazendo algo tão prazeroso é uma felicidade! Para falar do samba tem que ter verdade, se não for de coração fica falso. O samba não admite isso, a fé tem que ser verdadeira e eu acho que vou conseguir passar isso junto com essa equipe maravilhosa!”, comenta o ator e diretor. Para comemorar os 202 anos do Teatro João Caetano, o musical terá sessão especial no dia 27 de outubro.

“SamBra, o musical – 100 anos de samba” é uma co-produção da Aventura Entretenimento e da Musickeria, que apostaram na ideia de Washington Olivetto de criar um projeto que homenageasse o gênero musical mais característico do país. Apresentado pelo Ministério da Cultura e pelo Bradesco, “SamBra, o musical – 100 anos de samba” terá outras ações além do teatro: um projeto multiplataforma que prevê o lançamento de um livro, ambiente web, web rádio e um ciclo de encontros.

Sobre o espetáculo

Com duas horas e meia de duração dividida em dois atos, a produção é composta de prólogo, abertura e mais 14 quadros que envolvem cerca de 70 músicas cantadas e 25 outras que ligam as canções em formato de texto. A narrativa é feita de forma quase cronológica e conta desde o registro de “Pelo telefone”, canção conhecida por ser o primeiro samba registrado do país, até a chegada do samba na Avenida, com os desfiles de carnaval. Passando pelo berço do samba; a Praça XI; os morros, a boemia e a malandragem cariocas; o teatro de revista; o samba politizado e o subúrbio do Rio. Todos os grandes nomes do gênero são lembrados: Pixinguinha, Silas de Oliveira, Mano Décio da Viola, Donga, João da Baiana, Sinhô, Ismael, Tia Ciata, Francisco Alves, Carmen Miranda, Grande Otelo, Cartola, João Nogueira, Clara Nunes, Paulo Cesar Pinheiro, Noel Rosa, Chico Buarque, Billy Blanco, Martinho da Vila, o Cacique de Ramos, Jorge Aragão, Silas de Oliveira, Beth Carvalho, Paulinho da Viola e muitos outros.

Para escrever o espetáculo, Gustavo Gasparani mergulhou durante três meses em uma profunda pesquisa para a criação do texto. “É uma grande viagem, irreverente e lúdica, nada didática, onde o samba é a inspiração, o protagonista. Buscamos um olhar diferente, que fugisse do óbvio, uma forma nova de cantar o samba, sem perder a essência. Me fixei nos movimentos, na chegada do choro, na relação do teatro com o samba, na irreverência das revistas, na importância da Praça XI, na explosão do rádio. Mas não é calcado no racional, pelo contrário, é feito pra emocionar, pra mexer com o público e vimos, pelo retorno do público, que conseguimos esse objetivo ao viajar o país com essa produção”, conta Gasparani.

Equipe criativa

Além de Gustavo Gasparani, o espetáculo terá também a atriz, autora e produtora Ana Velloso, de “Clara Nunes – Brasil Mestiço”, “O Bem do Mar” e “A Aurora da Minha Vida”; Beatriz Rabello, estrela de “Divina Elizeth” e filha de Paulinho da Viola; Lilian Valeska, uma das protagonistas do seriado “Sexo e as Negas”; e mais Patricia Costa, Simone Debett, Bruno Quixotte, Edio Nunes, Wladimir Pinheiro, Alan Rocha, Cristiano Gualda, Catia Cabral, Patricia Ferrer, Pablo Dutra, Paulo Mazzoni, Shirlene Paixão e Charles Fernandes.

A coreografia é assinada por Renato Vieira, professor, coreógrafo e diretor artístico e de movimento. Renata já esteve à frente da comissão de frente da Grande Rio, em 2003, onde permaneceu por nove anos. Na equipe coreográfica também participa Isnard Manso e Marluce Medeiros. O figurino é de Marília Carneiro, uma das figurinistas mais consagradas do país, que assinou o vestuário de grandes novelas da Rede Globo, como “Páginas da Vida”, “Celebridade” e “O Clone”, com colaboração de Reinaldo Elias e assistência de Luiza Moura. Nando Duarte assina a direção musical; Juliana Medella e Pedro Rothe são assistentes de direção; a cenografia ficará a cargo de Hélio Eichbauer – cenógrafo renomado, que assinou peças como “O Rei da Vela” e, aos 30 anos, já havia sido premiado 28 vezes, além de ter realizado 130 trabalhos em teatro e 13 exposições – com assistência de Marieta Spada e Igor Perseke; Marcela Altberg é a produtora de elenco e Maurício Detoni o preparador vocal; o design de som ficará a cargo de Carlos Esteves, o design de luz de Paulo Cesar Medeiros e a videografia de Thiago Stauffer.

Projeto Multiplataforma

“SamBra, o musical – 100 anos de samba” não é apenas um musical, mas também um projeto multiplataforma. Além dos espetáculos presenciais, o projeto terá a criação de outras plataformas que acontecerão paralelamente às apresentações do espetáculo. A primeira ação lançada, antes mesmo da estreia de “SamBra, o musical – 100 anos de samba”, foi um portal integrado às redes sociais, com conteúdos relevantes sobre os 100 anos de samba, como entrevistas, imagens históricas e uma linha do tempo que apresenta, de forma gráfica e cronológica, a história do movimento. Também entrará no ar uma Web Rádio, que contará a história do samba em uma seleção de músicas disponível gratuitamente através das plataformas web e  mobile. O projeto prevê também o lançamento de um livro, que terá entrevistas, curiosidades e uma seleção de imagens que contarão a história dos 100 anos de samba, em versões física e e-book adaptado para tablets. Será realizado também um Ciclo de Encontros SamBra, com a presença de notáveis como jornalistas, pesquisadores e compositores que falarão sobre a história do samba e a importância do gênero como expressão cultural brasileira. Nos dias das estreias dos espetáculos, tanto no Rio quanto em São Paulo, acontecerão Rodas de Samba após as apresentações, para convidados.

Gustavo Gasparani

Iniciou sua carreira em 1982, fazendo teatro amador no Colégio Andrews, dirigido por Miguel Falabella. Com formação em dança, fez cursos de especialização em teatro, inclusive Casa das Artes de Laranjeiras (CAL) e Tablado, estudou canto, balé clássico,  técnicas vocais e mímica. Em 1989, fundou a Cia. dos Atores, dirigida por Enrique Díaz, onde encenou vários espetáculos como “Cobaias de Satã”, “O Rei da Vela”, “Meu Destino é Pecar” e “O Bem Amado”, entre outros. Com a companhia, participou de festivais na Argentina, Estados Unidos, Portugal, Espanha e recebeu prêmios como Shell, APCA, Molière e Mambembe. Paralelamente à trajetória da Cia. dos Atores, escreveu e/ou dirigiu os musicais “A Flor e o Samba”, “Clara Nunes – Brasil Mestiço”, “Rio…enredo do meu samba!”, “Comédias Cariocas “, “Mercedes de Meddelin”, “Otelo da Mangueira”, “Oui, Oui, A França é Aqui”, “Samba Futebol Clube” e “As Mimosas da Praça Tiradentes”. Participou da adaptação de “Ricardo III”, de Shakespeare, onde viveu 21 personagens. Passista da Mangueira por 20 anos, fez ainda vários trabalhos na TV (“Anos Rebeldes”, “Dalva e Herivelto”, “Você Decide”, “Lua Cheia de Amor”) e no cinema (“Orfeu”, “Uma Bela Noite Para Voar”, “Xangô de Backer Street”, “Orquestra dos Meninos” e “Buffo & Spallanzani”). Também é professor de teatro, no Colégio Andrews e na Casa Cultura Laura Alvim, onde dirige montagens anuais com seus alunos.

Sobre as produtoras:

 

Aventura Entretenimento

Produtora de grandes sucessos musicais no Brasil, a Aventura Entretenimento (www.aventuraentretenimento.com.br) foi criada em 2008. Desde então, vem investindo no crescimento e na modernização do mercado de musicais. Com o passar dos anos, os espetáculos criados no país ampliaram sua estrutura, ganharam espaço no mercado e poder de atração entre espectadores e investidores. A empresa dos sócios Aniela Jordan, Fernando Campos e Luiz Calainho já produziu grandes sucessos como Elis, A Musical,  Um Violinista no TelhadoHairJudy GarlandA Noviça RebeldeGypsySete – O Musical, O Mágico de OzRock in Rio – O Musical, entre outros, levando mais de 2 milhões de pessoas ao teatro.

Inspirada no grande sucesso de Uma Aventura Brasileira – trilogia criada em 2013, composta por Elis, A Musical, Se Eu Fosse Você, o musical e Chacrinha, o musical, que levou mais de 600 mil espectadores aos teatros, a Aventura Entretenimento lançou, em 2015, Uma Nova Aventura Brasileira. A nova série conta com quatro espetáculos que prometem, mais uma vez, revolucionar o conceito de musicais com os espetáculos: “SamBRA”, “O primeiro musical a gente nunca esquece”, que estreia dia 29 de outubro no Theatro NET, em São Paulo, “Garota de Ipanema, o musical” e “Vamp”.

MUSICKERIA

A Musickeria, dos sócios Luiz Calainho, Flavio Pinheiro e Afonso de Carvalho, desenvolve soluções criativas e inovadoras para promover a ativação e posicionamento de marcas através da plataforma de música. Direção artística, curadoria, planejamento e execução de alavancagem editorial de branded content são algumas das suas áreas de atuação.  A companhia já realizou grandes cases para marcas como Sky, Bradesco, VIVO, Ambev, P&G, Itaú, Bombril e Gol e agências como Africa, WMcCann, GREY e DPZ. Entre os cases recentes estão o Re-Colour da canção EX4GERADO, de Cazuza e a reedicão do Circo Voador na praia do Arpoador desenvolvidos para a VIVO e Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, o musical “SamBra – 100 anos de samba”, realizado em parceria com a Aventura Entretenimento, a direção artística e alavancagem editorial de “Prontas pra Divar” para a marca Gillette Vênus e o Rock in Rio 30 anos Box Brasil, um projeto de conteúdo multiplataforma em celebração aos 30 anos do maior festival de música do mundo, apresentado por SKY e apoiado pela Gol.

Elenco

Gustavo Gasparani, Ana Velloso, Beatriz Rabello, Lilian Valeska, Patricia Costa, Alan Rocha, Bruno Quixotte, Cristiano Gualda, Édio Nunes, Wladimir Pinheiro, Cátia Cabral, Patrícia Ferrer, Shirlene Paixão, Simone Debett, Charles Fernandes, Pablo Dutra e Paulo Mazzoni

Músicos

Nando Duarte (Regente/Violonista), Alexandre Caldi  (Sax/Flauta), André Vercelino (Percussão), Zé Luiz Maia (Baixo), Fabiano Segalote (Trombone), Gustavo Salgado (Piano), João Callado (Cavaco), José Arimatea (Trompete), Nailson Simões (Bateria e Percussão) e Rodrigo Jesus (Percussão).

Serviço:

SamBra, o musical – 100 anos de samba

Temporada: de 15 de outubro a 06 de dezembro

Teatro João Caetano – Praça Tiradentes, s/n – Centro, Rio de Janeiro/RJ

Quintas – 19h | Sextas e sábados – 20h | Domingos – 18h30

Funcionamento da bilheteria: Diariamente das 14h às 18h ou até a hora do espetáculo (em dias com apresentações)

Telefone da bilheteria: (21) 2332-9166

Pela internet: www.ingresso.com

 

Preços:

Quinta e sexta

Plateia – R$80,00 (inteira)| R$40,00 (meia)

Balcão nobre – R$70,00 (inteira) | R$35 (meia)

Balcão simples – R$40,00 (inteira) | R$20 (meia)

Sábado e domingo

Plateia – R$100,00 (inteira) | R$50,00 (meia)

Balcão nobre – R$80,00 (inteira) | R$40 (meia)

Balcão simples – R$50,00 (inteira) | R$25 (meia)

Capacidade: 1.139 lugares

Duração: 150 minutos (com intervalo)

Classificação etária: Livre

“Efeitos de Borboleta” no Maria Clara Machado

Com um formato inovador, o musical “Efeitos de Borboleta” faz temporada entre os dias 09 de outubro e 01º de novembro no Teatro Municipal Maria Clara Machado (Av. Padre Leonel Franca, 240 – Gávea). A peça é um monólogo musical, incomum para o gênero, que conta a história de amor de uma mulher através de canções da MPB e poemas brasileiros.

Após ser traída pelo seu grande amor ela vê seu sofrimento evoluir num verdadeiro efeito borboleta, ocasionando uma profunda depressão que a faz chegar à beira do suicídio. Mas, a partir dos versos do poema “Borboletas”, atribuído a Mario Quintana, adquire uma nova consciência sobre o amor e si mesma, vivenciando assim novos ciclos fundamentais em sua trajetória amorosa: a depressão e a superação, ambos como efeitos de borboleta.

Sob a direção cênica de Leonam Moraes e arranjos originais de Tony Lucchesi, a atriz Fernanda Gabriela entra em cena acompanhada por três músicos numa atmosfera poética e intimista. Um musical que irá fazer você revisitar grandes clássicos da cultura brasileira.

Efeitos de Borboleta, um monólogo musical Brasileiro

De 09 de outubro a 01º de novembro de 2015 (sextas, sábados e domingos – 20h)

Teatro Municipal Clara Machado (Av. Padre Leonel Franca, 240 – Gávea)

Classificação etária: 12 anos

Valor: R$ 40,00 (R$20,00 meia entrada)

Duração: 50 minutos

Lotação: 120 lugares

Elenco: Fernanda Gabriela

Direção: Leonam Moraes

Direção Musical: Tony Lucchesi

Banda: Marcelo Farias e Priscilla Azevedo (piano), Marcos Renagel (violoncelo), Georgia Camara e Flora Milito (percussão e metalofone)

Cenário: Laura Storino

Iluminação: Victor Tavares

Figurino: Marcela Cantaluppi

Projeto Gráfico: Caio Loki

Fotos: Mari Mendonça

A Galinha Pintadinha, em o Ovo de Novo

A partir de 03 de outubro a Galinha Pintadinha estará no palco do Teatro das Artes junto com seus companheiros inseparáveis Galo Carijó, Pintinho Amarelinho, Baratinha, os Naftalinas (Baratazul e Baratotal), Borboletinha, Sr. Gavião, Dr. Peru, Enfermeira Ururubu, Galinho Quiriquiqui, boneco Pimpom, e a divertida família de Carlos Henrique, um menino muito imaginativo que gosta de contar histórias e de usar palavras difíceis.

Aborrecido com a notícia do nascimento da irmã, Carlos Henrique faz uma retrospectiva de sua vida para tentar entender seus sentimentos. Com a ajuda da “mais sinistra… mais cascuda… mais antenada… a Barata”, que canta as 15 canções que compõem o repertório musical do espetáculo, a vida de Carlos Henrique e de sua família é revista em flashbacks. Como seus pais se conheceram, seu nascimento, a carinhosa relação com a sua avó. Numa brincadeira divertida, o público também assistirá, paralelamente à história da família de Carlos Henrique, a história da família da Galinha Pintadinha, Galo Carijó e do Pintinho Amarelinho que também está triste com os mimos para o OVO NOVO. Misturando recursos artísticos do circo, teatro, dança, música e animações, o musical, com patrocínio do Grupo

Bradesco Seguros e sabonete Baby Dove, criado para o público infantil da primeira infância (de 0 a 5 anos) com certeza agradará a todos da família.

Com roteiro de Marcos Luporini e Juliano Prado (os criadores da Galinha Pintadinha), dramaturgia e texto final de Keli Freitas, direção de Ernesto Piccolo, coreografias de Marcia Rubin, números circenses especialmente criados por Claudio Baltar, cenários, figurinos e bonecos de Clívia Cohen, preparação de canto de Adriana Piccolo e iluminação de Maneco Quinderé, o musical A GALINHA PINTADINHA, EM OVO DE NOVO reúne diversas linguagens artísticas, compondo um espetáculo, lúdico e divertido. Piccolo conta um pouco sobre as novidades desse novo musical: “Quando eu dirigi o primeiro musical da Galinha Pintadinha, eu tinha como maior desafio colocar em cena, ao vivo, aquela personagem carismática e adorada, num espetáculo que tivesse o mesmo encantamento que os desenhos animados tinham. Antes da estreia nos perguntávamos como seria a reação das crianças ao encontrar frente a frente com aqueles personagens retirados dos desenhos animados. A reação das crianças não poderia ter sido melhor. Acho que conseguimos apresentar um musical que carregava a magia e o divertimento dos clipes animados criados pela dupla Marcos Luporini e Julianos Prado. “A Galinha Pintadinha, o musical” foi um sucesso estrondoso. Quando Luporini e Juliano nos procuraram no ano passado propondo a realização de um novo musical, logo me perguntei o que poderíamos trazer de novo. Gosto de desafios, não queria repetir a mesma fórmula do outro musical que dirigi. “A Galinha Pintadinha, em o ovo de novo” vem com a novidade do circo. A montagem explora as possibilidades da mistura da pantomima, música, dança e circo nos números musicais, além de apresentar uma história que vai agradar as crianças um pouco maiores. O desafio desse novo trabalho é criar um espetáculo com muitas novidades na parte musical, agradando os pequeninos, e também conquistar crianças um pouco maiores, que temos certeza vão adorar a história do Carlos Henrique e vão voltar a curtir a Galinha Pintadinha e sua turma de animais animados.”.

Partindo para a terceira produção teatral, a estreia no palco foi com o musical “A Galinha Pintadinha, o musical” dirigido por Piccolo em 2012, em seguida veio “A Galinha Pintadinha em cadê Popó” dirigido por Alessandra Brantes em 2013/2014, Marcos Luporini e Juliano Prado são grandes incentivadores da presença da Galinha Pintadinha nos palcos brasileiros. “O teatro é uma arte humana milenar. Esta capacidade que temos de, através da imaginação, nos transportarmos a outras realidades é algo mágico. Para nós, é motivo de imenso orgulho saber que, para muitas crianças, este musical da Galinha Pintadinha será a primeira experiência no teatro. É incrível ver como mesmo os bebês pequenos conseguem se conectar e viajar com a peça.” Diz Luporini. E Juliano Prado completa: “O que é delicioso nos musicais da Galinha Pintadinha é a grande festa das crianças, pais, tios e avós curtindo o teatro. É um momento muito intenso para os pequenos que, muitas vezes, estão experimentando a sensação de um espetáculo pela primeira vez. Esta nova montagem, cheia de música como não poderia deixar de ser, conta a história de uma família que descobre a chegada de mais um bebê, no meio dos malabarismos do dia a dia. Malabarismos mesmo, executados por um elenco afiadíssimo, nessa montagem cheia de números circenses. É diversão garantida.”

Roteiro musical:

“Baratinha”; “Galinha Pintadinha 2”; “Pintinho Amarelinho”; “Samba Lelê”; “Lá na casa da Galinha Pintadinha”; “Se essa rua fosse minha”; “Pimpom”; “Os Pintinhos Dizem”; “Meu sininho”; “Galinha Pintadinha1”; “Mamama Papapa”; “Medley de canções infantis”; “Galinha Pintadinha 4”; “Borboletinha”; “Quem está feliz”.

Um pouco da história da Galinha Pintadinha

No dia 28 de dezembro de 2006, Juliano Prado e Marcos Luporini postaram no Youtube um vídeo infantil chamado “Galinha Pintadinha”. Esta foi a solução encontrada para apresentar o vídeo em uma reunião de produtores na qual eles não poderiam estar presentes. Seis meses depois, a surpresa: o vídeo havia virado um hit e já ultrapassava a marca de 500.000 visualizações, número expressivo para a época. Hoje os números cresceram consideravelmente. Já são mais de 2 bilhões de visualizações do canal no Youtube, mais de 3 milhões de seguidores na página do facebook, mais de 1,5 milhões de DVDs oficiais vendidos, 2 discos de diamante duplos, mais de 60 produtos licenciados.

O sucesso da Galinha Pintadinha

O projeto da série infantil Galinha Pintadinha, que resgata canções infantis populares e apresenta em pequenos clipes de animações em 2D vem agradando crianças entre 0 e cinco anos que repetem “de novo” assim que termina, assistindo incessantemente cada um dos desenhos animados. Além do sucesso com os pequeninos, as mamães e papais agradecem a existência da Galinha Pintadinha: “– Oba! O bebê está vendo a Galinha Pintadinha, vou aproveitar para comer alguma coisa, tomar um banho rápido, ler um livro! Ficar com as pernas para o ar!…”. A Galinha Pintadinha é a garantia de alguns momentos de paz e tranquilidade para mamães e papais exaustos.

A GALINHA PINTADINHA, EM OVO DE NOVO

Elenco: Cássia Raquel / Dudu Varello / Giovana Vitorino / Helena Heyzer / Laura Faleiros / Leonardo Freitas / Nando Moretzsohn / Natasha Jascalevich / Raíra Yuma / Samuel Rottas / Ton Carvalho / Wagner Cavalcante

Ficha Técnica

Roteiro: Marcos Luporini e Juliano Prado

Dramaturgia e texto final: Keli Freitas

Direção: Ernesto Piccolo

Coreografias: Marcia Rubin

Criações Circenses: Claudio Baltar

Cenários, Bonecos, Figurinos: Clívia Cohen

Iluminação: Maneco Quinderé

Preparação Vocal e Canto: Adriana Piccolo

Assistente de direção: João Maia

Assistente de coreografia: Maíra Maneschy

Designer gráfico: Eduarda de Aquino e Marina Kelson

Assessoria de imprensa: Daniella Cavalcanti

Equipe de produção: Renata Monteiro de Barros e Rose Gomes

Captação de Patrocínios: Renata Borges Pimenta / Leila Garcia e Jorge Abreu (ON TIME)

Direção de Produção: Dadá Maia

Patrocínio Bradesco Seguros e Baby Dove através da Lei Rouanet

Uma Coprodução de Bromélia Produções e Expressão Piccolo Produções

SERVIÇO

Estreia (convidados e públicos): dia 03 de outubro, às 17h

Local: Teatro das Artes (Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52/2º piso)

Temporada: de 03 de outubro a 20 de dezembro de 2015

Horário: sábados, às 17h, e domingos, às 15h e 17h

Sessão extra: Dias das Crianças, segunda-feira, dia 12 de outubro, às 17h

Gênero: musical infantil

Classificação indicativa: Livre para todas as idades

Ingressos: R$ 70,00 (inteira) e R$ 35,00 (meia)

Clientes Bradesco Seguros têm 30% de desconto Vendas online: http://www.ingresso.com

Informações: (21) 2540-6004

Bilheteria: de segunda a domingo das 15h às 20h

Lotação do teatro 421 lugares