I Mostra de Teatro Infantil para toda a Família

Com a mesma equipe dos espetáculos consagrados por público e crítica, “O Gato de Botas – O Musical de Walter Daguerre”, “O Boi da Cara Preta de Bárbara Duvivier”, “As Aventuras de Pinóquio” e “O Duende Rumpelstiltskin” de Daniel Porto com mais de 150 mil espectadores e em circulação pelo Brasil, a Cineteatro entende que os contos tradicionais são formas de aproximação das crianças com a família. Por essa razão o Ator e Produtor Alexandre Lino reúne 3 desses trabalhos e convida  O Grupo de contadores de Histórias – O QUE CONTA O SABIÁ para estrear seu mais novo espetáculo trabalho, o infantil “O PULGO E O ELEFANTE” texto de Alexandra Velásquez,  livremente inspirado na obra do poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade, na I MOSTRA DE TEATRO INFANTIL PARA TODA A FAMÍLIA Janeiro de férias no TEATRO GLAUCIO GILL. Um encontro de 4 peças com  qualidade e esmero para a diversão de pais e filhos. A temporada acontece de 09 a 31 de janeiro sempre aos sábados e domingos as 17h no TEATRO GLAÚCIO GIL em Copacabana.

A Mostra (que será anual) pretende estimular a formação de plateia e democratização do acesso à cultura praticando preços populares. A denominação TEATRO PARA FAMÍLIA é uma expressão utilizada na Espanha para o que chamamos no Brasil de Teatro Infantil.  Acreditando que a família desempenha um papel primordial na formação do hábito cultural das crianças, a expressão é perfeitamente adequada para espetáculos que têm a preocupação de falar aos filhos sem esquecer os pais.

A arte precisa estar dentro das horas livres da família. A criança precisa reconhecer o contato com o Teatro como hábito e uma necessidade básica a partir do comportamento dos adultos. Esse cenário exige mudanças nos perfis das produções de arte para a infância, rompendo limites, paradigmas e, especialmente, preconceitos.

A I MOSTRA DE TEATRO INFANTIL PARA TODA A FAMÍLIA   oferece ao público espetáculos com temas pertinentes à família contemporânea, a partir de clássicos da literatura brasileira e universal, de forma responsável, criativa e divertida, utilizando estéticas rústicas, artesanais e dramaturgias com o cuidado e respeito que a criança/família merece. O principal intuito é integrar e divertir toda a família por meio do teatro.

Nos quatros espetáculos da Mostra, que conta com a curadoria do ator e produtor Alexandre Lino, buscamos fazer uma reflexão divertida dos fatos comuns ao universo infantil, começando com a adaptação de “Pinóquio”, a partir dos originais de Carlo Collodi; seguido da versão para o teatro de Bárbara Duvivier, para a clássica canção “O Boi da Cara Preta”; seguimos inspirados pelo poeta Carlos Drummond de Andrade, com ”O Pulgo e o Elefante”, de Alexandra Velásquez; e concluímos, mergulhando no maravilhoso universo dos Irmãos Grimm com o soturno O Duende Rumpelstiltskin. Ambas as peças, são para todas as idades e para toda família como acreditamos que deve ser a Arte.

PROGRAMAÇÃO, SINOPSE e FICHA TÉCNICA DAS PEÇAS:

DIAS 09 e 10 de JANEIRO – SÁBADO E DOMINGO às 17h

AS AVENTURAS DE PINÓQUIO – A peça conta a história e as incríveis aventuras do boneco de madeira que ganha vida e sonha em ser um menino de verdade. Conto que está no imaginário popular desde a sua criação no final do século XIX na Itália e é no Brasil uma das lendas mais contadas para as crianças. O grilo, a fada, a raposa, o peixe cão, e vários outros personagens são lembrados nessa fantasia tão delicada quanto divertida.  Para se manter fiel ao original o autor Daniel Porto (de O Pastor, Acabou o Pó e O Duende Rumpelstiltskin) e o Produtor Alexandre Lino foram à Florença na Itália fazer toda a pesquisa e trazer material para essa montagem. A direção é da ítalo brasileira Carina Casuscelli.

Eleito pelos leitores do Rio Show – O Globo como melhor infantil do primeiro trimestre de 2015.

     Indicação como MELHOR ATOR para Antonio Carlos Feio (Geppeto) no Prêmio Botequim Cultural.

Ficha Técnica: Autor: Daniel Porto, Direção: Carina Causcelli, Com: Antonio Carlos Feio, Luciana Victor, Gabriel Jacques e João Fraga.

DIAS 16 e 17 de JANEIRO – SÁBADO E DOMINGO às 17h

O BOI DA CARA PRETA A peça conta a história de uma menina (Rosa) que ao ouvir a cantiga do Boi da Cara Preta cantarolada por seu pai, fica muito intrigada e curiosa para conhecer este boi. Filha de Francisco, a menina é órfã de mãe. Tecnológica e com vocabulário moderninho, ela e seu pai vão passar uns dias na fazenda,  o que para  a menina é um programa meio esquisito já que vive num mundo virtual paralelo. Na fazenda conhece Antonio, um garoto de 12 anos que diferente de Rosa adora o campo, o verde, os bichos e adorar brincar de pés descalços.  Durante as férias na fazenda, ela conhece o tal O Boi da Cara Preta com fama de malvado. Este encontro divertido se transforma em grandes surpresas e muita festa.

Veja Rio recomenda entre os melhores infantis.

Indicado ao Prêmio CBTIJ – Melhor Texto e Prêmio Botequim Cultural por Texto e Atriz – Mariana Martins.

Ficha Técnica: Autor: Barbara Duvivier, Direção: Daniel Dias da Silva, Com: Mariana Martins, João Fraga, Leo Campos, Amanda Borghetti e Paulo Roque.

DIAS 23 e 24 de JANEIRO – SÁBADO E DOMINGO às 17h

O PULGO e O ELEFANTE – livremente inspirado no livro “História de Dois Amores”, escrito em 1985 pelo poeta Carlos Drummond de Andrade, a montagem do  grupo O QUE CONTA O SABIÁ, leva à cena uma linda história de amizade entre um ELEFANTE e um PULGO, que atravessam desertos, enfrentam inimigos e, por fim, encontram a felicidade no elixir do amor: O Elefante vence sua timidez e se apaixona pela mais bela elefanta africana e o Pulgo  não faz por menos, encontrar sua parceira ideal, a pulga azul. Além desse enredo recheado de poesia do magistral poeta mineiro, o grupo  O QUE CONTA O SABIÁ, criou músicas inéditas que ilustram as ações dos personagens ao longo da encenação. ESTREIA NACIONAL.

Ficha Técnica: Autor: Alexandra Velásquez, Direção: Tom Pires, Com: Alexandra Velásquez, Carolina Laura e Tom Pires. Stand in: Danny Stenzel e Leandro Mariz.

DIAS 30 e 31 de JANEIRO – SÁBADO E DOMINGO às 17h

O DUENDE RUMPESLTILTISKIN A história do Duende que não pode ter seu nome revelado e se aproveita das fragilidades de uma jovem camponesa, aprisionada pelo Rei numa torre para transformar palha em ouro. A peça tem alguns truques de mágica e trilha sonora original tocada no acordeon pelo músico e diretor musical da peça Tibor Fittel.

INDICADO pela Guia Folha de São Paulo como um dos melhores infantis de 2014

Ficha técnica: Autor: Daniel Porto, Direção: Daniel Dias da Silva, Com: Alexandre Lino e Natália Régia.

SERVIÇOS DOS ESPETÁCULOS:

Local: Teatro Glaucio Gil, Praça Cardeal Arcoverde, s.nº (Copacabana)

Temporada de 09 a 31 de JANEIRO (sábados e domingos às 17h)

Valor: R$ 30,00 (inteira) R$ 15,00 meia.

Gênero: Infantil

Classificação: LIVRE, indicado para crianças a partir dos 2 anos.

Informações: (21) 2332-7904 ou 7970.

Duração: 50 minutos

Capacidade: 100 lugares

Horário da Bilheteria: Segunda a domingo das 16h às 20h.

Mais informações: www.cineteatroproducoes.com.br

http://www.ingresso.com/rio-de-janeiro/home/local/teatro/teatro-glaucio-gil

A Galinha Pintadinha, em O Ovo de Novo

A Galinha Pintadinha, devido a temporada de sucesso em 2015, voltará ao Teatro das Artes, a partir do dia 09 de janeiro de 2016, aos sábados, às 17h, e domingos, às 15h e às 17h, junto com seus companheiros inseparáveis Galo Carijó, Pintinho Amarelinho, Baratinha, os Naftalinas (Baratazul e Baratotal), Borboletinha, Sr. Gavião, Dr. Peru, Enfermeira Ururubu, Galinho Quiriquiqui, boneco Pimpom, e a divertida família de Carlos Henrique, um menino muito imaginativo que gosta de contar histórias e de usar palavras difíceis.

Aborrecido com a notícia do nascimento da irmã, Carlos Henrique (Dudu Varello) faz uma retrospectiva de sua vida para tentar entender seus sentimentos. Com a ajuda da mais sinistra… mais cascuda… mais antenada… a Barata (Cássia Raquel), que canta as 15 canções que compõem o repertório musical do espetáculo, a vida de Carlos Henrique e de sua família é revista em flashbacks. Como seus pais (Nando Moretzsohn e Natasha Jascalevich) se conheceram, seu nascimento, a carinhosa relação com a sua avó. Numa brincadeira

divertida, o público também assistirá, paralelamente à história da família de Carlos Henrique, a história da família da Galinha Pintadinha (Wagner Cavalcante), Galo Carijó e do Pintinho Amarelinho que também está triste com os mimos para o OVO NOVO. Misturando recursos artísticos do circo, teatro, dança, música e animações, o musical, com patrocínio do Grupo Bradesco Seguros e sabonete Baby Dove, criado para o público infantil da primeira infância (de 0 a 5 anos) com certeza agradará a todos da família.

Com roteiro de Marcos Luporini e Juliano Prado (os criadores da Galinha Pintadinha), dramaturgia e texto final de Keli Freitas, direção de Ernesto Piccolo, coreografias de Marcia Rubin, números circenses especialmente criados por Claudio Baltar, cenários, figurinos e bonecos de Clívia Cohen, preparação de canto de Adriana Piccolo e iluminação de Maneco Quinderé, o musical GALINHA PINTADINHA EM OVO DE NOVO reúne diversas linguagens artísticas, compondo um espetáculo, lúdico e divertido. Piccolo conta um pouco sobre as novidades desse novo musical: “Quando eu dirigi o primeiro musical da Galinha Pintadinha, eu tinha como maior desafio colocar em cena, ao vivo, aquela personagem carismática e adorada, num espetáculo que tivesse o mesmo encantamento que os desenhos animados tinham. Antes da estreia nos perguntávamos como seria a reação das crianças ao encontrar frente a frente com aqueles personagens retirados dos desenhos animados. A reação das crianças não poderia ter sido melhor. Acho que conseguimos apresentar um musical que carregava a magia e o divertimento dos clipes animados criados pela dupla Marcos Luporini e Julianos Prado. “A Galinha Pintadinha, o musical” foi um sucesso estrondoso. Quando Luporini e Juliano nos procuraram no ano passado propondo a realização de um novo musical, logo me perguntei o que poderíamos trazer de novo. Gosto de desafios, não queria repetir a mesma fórmula do outro musical que dirigi. “A Galinha Pintadinha, em o ovo de novo” vem com a novidade do circo. A montagem explora as possibilidades da mistura da pantomima, música, dança e circo nos números musicais, além de apresentar uma história que vai agradar as crianças um pouco maiores. O desafio desse novo trabalho é criar um espetáculo com muitas novidades na parte musical, agradando os pequeninos, e também conquistar crianças um pouco maiores, que temos certeza vão adorar a história do Carlos Henrique e vão voltar a curtir a Galinha Pintadinha e sua turma de animais animados.”.

Partindo para a terceira produção teatral – a estreia no palco foi com o musical “A Galinha

Pintadinha, o musical”, dirigido por Piccolo, em 2012, seguido de “A Galinha Pintadinha em cadê Popó”, dirigido por Alessandra Brantes, em 2013/2014 – Marcos Luporini e Juliano Prado são grandes incentivadores da presença da Galinha Pintadinha nos palcos brasileiros. “O teatro é uma arte humana milenar. Esta capacidade que temos de, através da imaginação, nos transportarmos a outras realidades é algo mágico. Para nós, é motivo de imenso orgulho saber que, para muitas crianças, este musical da Galinha Pintadinha será a primeira experiência no teatro. É incrível ver como mesmo os bebês pequenos conseguem se conectar e viajar com a peça.” Diz Luporini. E Juliano Prado completa: “O que é delicioso nos musicais da Galinha Pintadinha é a grande festa das crianças, pais, tios e avós curtindo o teatro. É um momento muito intenso para os pequenos que, muitas vezes, estão experimentando a sensação de um espetáculo pela primeira vez. Esta nova montagem, cheia

de música como não poderia deixar de ser, conta a história de uma família que descobre a chegada de mais um bebê, no meio dos malabarismos do dia a dia. Malabarismos mesmo, executados por um elenco de 12 atores afiadíssimo, nessa montagem cheia de números circenses. É diversão garantida.”

Roteiro musical:

“Baratinha”; “Galinha Pintadinha 2”; “Pintinho Amarelinho”; “Samba Lelê”; “Lá na casa da Galinha Pintadinha”; “Se essa rua fosse minha”; “Pimpom”; “Meu sininho”; “Galinha Pintadinha 1”; “Medley de canções infantis”; “Borboletinha”; “Quem está feliz”; e as novas, do DVD 4, “Os Pintinhos Dizem Sim”; “Mamama Papapa” e “Galinha Pintadinha 4”.

Um pouco da história da Galinha Pintadinha

No dia 28 de dezembro de 2006, Juliano Prado e Marcos Luporini postaram no Youtube um vídeo infantil chamado “Galinha Pintadinha”. Esta foi a solução encontrada para apresentar o vídeo em uma reunião de produtores na qual eles não poderiam estar presentes. Seis meses depois, a surpresa: o vídeo havia virado um hit e já ultrapassava a marca de 500.000 visualizações, número expressivo para a época. Hoje os números cresceram consideravelmente. Já são mais de 2 bilhões de visualizações do canal no Youtube, mais de 3 milhões de seguidores na página do facebook, mais de 1,5 milhões de DVDs oficiais vendidos, 2 discos de diamante duplos, mais de 60 produtos licenciados. Estreou recentemente na Netflix norte-americana para ganhar a audiência infantil internacional. O serviço de streaming passou a disponibilizar 28 clipes animados nos Estados Unidos e no Canadá (13 do DVD Volume 1 e 15 do segundo) nas versões em inglês (Lottie Dottie Chiken) e espanhol – que foi criada a partir de uma experiência dos produtores e hoje configura o canal La Gallina Pintadita no YouTube, registrando quase um bilhão de visualizações. O conteúdo hispânico também já é exibido pela Netflix latino-americana com enorme sucesso. E agora estão entrando com produção teatral no México, Chile e Peru, com propostas também para Argentina e Uruguai, todas em coprodução com produtoras locais.

O sucesso da Galinha Pintadinha

O projeto da série infantil Galinha Pintadinha, que resgata canções infantis populares e apresenta em pequenos clipes de animações em 2D vem agradando crianças entre 0 e cinco anos que repetem “de novo” assim que termina, assistindo incessantemente cada um dos desenhos animados. Além do sucesso com os pequeninos, as mamães e papais agradecem a existência da Galinha Pintadinha: “– Oba! O bebê está vendo a Galinha Pintadinha, vou aproveitar para comer alguma coisa, tomar um banho rápido, ler um livro! Ficar com as pernas para o ar!…”. A Galinha Pintadinha é a garantia de alguns momentos de paz e tranquilidade para mamães e papais exaustos.

Ficha Técnica

Roteiro: Marcos Luporini e Juliano Prado

Dramaturgia e texto final: Keli Freitas

Direção: Ernesto Piccolo

Elenco: Cássia Raquel (Barata) / Dudu Varello (Carlos Henrique) / Nando Moretzsohn (pai) / Natasha Jascalevich (mãe) / Wagner Cavalcante (Galinha Pintadinha)/ Leonardo Freitas (Galo Carijó) / Giovana Vitorino (Pintinho Amarelinho e Boneco Marionete) / Helena Heizer (Naftalina, Diva Rosa e Avó) / Laura Faleiros (Borboletinha, Diva Verde e Boneco Mola) / Raíra Yuma (Borboletinha, Gavião, Enfermeira Urubu, Boneca Ninja) / Samuel Rottas (Galinho Quiriquiqui, Pintinho Novo, Boneco Robô) / Ton Carvalho (Naftalina, Diva Vermelha, Dr. Peru)

Coreografias: Marcia Rubin

Criações Circenses: Claudio Baltar

Cenários, Bonecos, Figurinos: Clívia Cohen

Iluminação: Maneco Quinderé

Preparação Vocal e Canto: Adriana Piccolo

Assistente de direção: João Maia

Assistente de coreografia: Maíra Maneschy

Designer gráfico: Eduarda de Aquino e Marina Kelson

Assessoria de imprensa: Daniella Cavalcanti

Equipe de produção: Renata Monteiro de Barros e Rose Gomes

Captação de Patrocínios: Renata Borges Pimenta / Leila Garcia e Jorge Abreu (ON TIME)

Direção de Produção: Dadá Maia

Patrocínio Bradesco Seguros e Baby Dove através da Lei Rouanet

Uma Coprodução de Bromélia Produções e Expressão Piccolo Produções

Serviço

Temporada: 09 de janeiro a 20 de março de 2016

Local: Teatro das Artes (Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52/2º piso)

Horário: sábados, às 17h, e domingos, às 15h e 17h (Não haverá apresentação nos dias 06 e 07 de fevereiro)

Gênero: musical infantil

Classificação indicativa: Livre para todas as idades

Ingressos: R$ 70,00 (inteira) e R$ 35,00 (meia)

Duração: 50 minutos

Clientes Bradesco Seguros têm 30% de desconto Vendas online: http://www.ingresso.com

Informações: (21) 2540-6004

Bilheteria: de segunda a sábado. das 15h às 20h, e domingo, das 14h às 20h

Lotação do teatro 421 lugares

Show {RIANTE!} no SESC Madureira

Circo da Silva, criado e dirigido pela gaúcha Paula Preiss e o chileno Arturo Cussen, apresenta o show {RIANTE!} no SESC Madureira. A apresentação faz parte da turnê do cd homônimo, autoral e bilíngue, inspirado no mundo circense.

Em todas as músicas do espetáculo a criança se surpreende com a mistura de ritmos e com a aparição de elementos extramusicais, como brinquedos e efeitos especiais. Em cena a banda interage com o público através de personagens engraçados entre eles a Cabelereira Estrangeira, o Homem-Girafa e Homem-Bunda, além de vários números circenses e coreografias.

{RIANTE!} proporciona às crianças um contato divertido com o idioma espanhol, criando um diálogo entre as línguas irmãs como por exemplo na faixa “Moviendo Mexendo”. Com uma coreografia animada os artistas estimulam todo o público a fazer exercícios com o corpo ao mesmo tempo que ensinam à criançada partes do corpo humano em espanhol.

A banda do Circo da Silva é formada pela palhaça-cantora UltraVioleta (Paula Preiss), pelo guitarrista-super-herói HomemBunda (Arturo Cussen), pelo baterista-molusco SiriLanka (Reubem Neto), a equilibrista Azulita (Júlia Guerra) e o malabarista Girafo (Antonio Marrache).

{RIANTE!} foi gravado em 2011 e conta com a participação de grandes nomes da cena musical latino-americana, como o legendário pianista uruguaio Hugo Fattoruso e os cantores Juan Ayala (Chile), Alexis Graterol (Venezuela), Rita Beneditta (Ribeiro) e Mariana Baltar (Brasil). O álbum conta ainda com vozes infantis na faixa “Meu sonho é voar”. “Queria um coro com vozes reais de crianças porque essa música foi feita durante uma oficina com elas. Gravamos numa sala de aula da Sá Pereira, colégio em Botafogo, no Rio de Janeiro, e ficou ótimo”, conta Arturo Cussen, músico chileno radicado no Rio há oito anos.

Entre as faixas do {RIANTE!} se destacam: “Ovo (=) Huevo” super divertida e brinca com algumas das maneiras de se comer um ovo: cozido, mexido e frito, que aqui viram forró, samba e heavy metal. Já a faixa-título “{RIANTE!}” é a musicalização de um poema criado com palavras inexistentes que descrevem fatos e situações verídicas na história da banda. Em tempos tão voltados ao bem estar, as canções “(En)Salada Blues” e “Explo%ˆ&*!” convidam a refletir sobre as vantagens de ter uma boa alimentação.

 

{RIANTE!} é um espetáculo-show que não subestima a criança, oferecendo a ela entretenimento de qualidade.

 

Link: http://youtu.be/r3gNAEkwotI

 

Autoria e direção do show: Paula Preiss

Músicos: cantora UltraVioleta (Paula Preiss), guitarrista HomemBunda (Arturo Cussen), baterista SiriPolvo (Reubem Neto)

Acrobatas: equilibrista Azulita (Júlia Guerra) e o malabarista Girafo (Antonio Marrache)

Diretora de Produção: Valéria Martins

Produtora executiva: Cida de Souza

Contra-regra e operador de som: William Sousa

 

SERVIÇO

Data: 13 de Dezembro

Horário: 16h

Local: SESC Madureira – Quadra

Endereço: R. Ewbank da Câmara, 90 – Madureira
Ingressos: R$ 5 (assoc. Sesc) R$ 10 (estudante, idoso) R$ 20 (usuário)

Capacidade: 800

Duração: 50 minutos

Classificação: livre

Gênero: Circo e música

Natal do Shopping Metropolitano Barra

Em dezembro, o Mundinho Kids do Shopping Metropolitano Barra entra no clima de fim de ano! A criançada poderá interagir e se divertir com as apresentações.
A programação conta com: “Uma história de Natal”, “3 x Natal” e “Mágico Richard Goulart”. O evento é gratuito e ocorre nos próximos domingos do mês, às 18h.
Programação Mundinho Kids:
13/12 – Uma história de Natal (Teatro de Bonecos)
Na história de bonecos, um gnomo travesso, ajudante de Papai Noel, toma escondido o seu trenó na véspera de Natal e acaba deixando cair um presente na terra. Uma criança o encontra e, depois de muitas aventuras, acaba descobrindo que o presente era dela própria. A honestidade, a Curiosidade, a inveja e a Amizade são temas abordados pelos bonecos que constroem a narrativa.

20/12 – 3 x Natal (Contação de história)
No espetáculo, serão apresentadas três histórias sobre o Natal: “Humi quer mais”, “As três árvores” e “Às vésperas do natal”. As histórias são repletas de magia e acontecimentos fantásticos que só a noite de Natal pode proporcionar.

27/12 – Mágico Richard Goulart (Show de Mágica)

Mágico filiado ao CBI (Circulo Brasileiro de Ilusionismo), Richard Goulart é ator/humorista desde 1993, o que facilita a comicidade do espetáculo. O show mistura truques de mágica com animação e técnicas teatrais para o público.

SERVIÇO:
Dias: 13, 20 e 27 às 18h
Local – Segundo piso (próximo ao cinema)
Duração – aproximadamente 50 minutos
Endereço – Av. Embaixador Abelardo Bueno, 1.300 – Centro Metropolitano – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro.

Grupo Roda Gigante faz apresentações gratuitas no Espaço Sesc

A partir das intervenções realizadas regularmente em hospitais públicos da cidade, os palhaços do Grupo Roda Gigante criaram um repertório de cenas e números musicais que divertem as plateias de todas as idades. Em comemoração aos seis anos de atuação, o grupo apresentará cenas de seu repertório, acompanhada de uma oficina de palhaçaria. O evento acontecerá no dia 12 de dezembro, no Espaço Sesc, com apresentações às 11h e 16h. A entrada é franca.

Em cena, Cristiana Brasil (Batuca), Diogo Cardoso (Simplício), Éber Inácio (Inácio), Florência Santángelo (Cucaracha), Guilherme Miranda (Adamastor), Julia Schaeffer (Shei-lá), Kadu Garcia (Provisório) e Marcos Camelo (Totó) fazem o público se divertir com histórias e situações criadas a partir do trabalho que o grupo desenvolve em quatro hospitais da cidade. Os palhaços brincam, improvisam e priorizam a relação com a criançada da plateia. Os números musicais também fazem parte do espetáculo. Um violão, um acordeão, um cavaquinho e alguns instrumentos inusitados são tocados ao vivo, com arranjos e coreografias que ressaltam o humor do grupo.

Criado em 2009, o grupo Roda Gigante vem desenvolvendo uma pesquisa continuada sobre a atuação do palhaço e suas possibilidades de intervir na sociedade, promovendo encontros que produzam saúde e lançando um novo olhar sobre as relações no ambiente hospitalar. Os números do projeto que prevê a manutenção do trabalho do grupo, traduzem o espaço que vem conquistando na cidade. Cerca de 1.500 intervenções artísticas em hospitais públicos, 80 espetáculos e 40 oficinas em espaços culturais, atingindo aproximadamente 100.000 pessoas.

Atuando sempre em duplas nas enfermarias pediátricas, os palhaços do grupo Roda Gigante disponibilizam suas habilidades como recurso para criar com a criança um espaço lúdico, no qual o vínculo e a cumplicidade estabelecem o jogo cênico. Entre médicos, enfermeiros, contadores de história, auxiliares, equipe da limpeza, crianças e recreadores, o palhaço busca ampliar percepções, alterar atitudes e promover um novo olhar sobre as relações de cuidado com a saúde.

O Roda Gigante está presente no Hospital Federal de Bonsucesso, Hospital Federal dos Servidores do Estado, Hospital Universitário Pedro Ernesto – UERJ, e IPPMG – UFRJ. Para mais informações acesse: http://www.rodagigante.org

A programação integra o “Projeto Roda Gigante – 6 Anos”, patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Governo Federal, Ministério da Cultura, Aecom, Estácio e Transpetro por meio das Leis Federal e Municipal de Incentivo à Cultura. Parceira SESC.

OFICINA

A oficina será ministrada por integrantes do grupo e destinada a artistas e interessados nos princípios que regem a arte do palhaço. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas através do e-mail: boccanera.contato2@gmail.com

SOBRE A DIREÇÃO

Flávia Reis formou-se em Artes Cênicas na Universidade do Rio de Janeiro – Uni-Rio, freqüentou o curso regular da Escola Nacional de Circo – RJ e tem em sua formação a participação em oficinas com Enrico Bonavera/Itália, Leo Bassi /EUA, Leris Colombaioni/Itália, Sue Morrison/Canadá, André Riot- Sarcey/França e Michael Cristensen/EUA. De 1998 a 2008, fez parte do programa Doutores da Alegria, do qual foi coordenadora artística e palhaça. Atua na “Companhia Teatro Portátil”, com a qual participou de festivais de teatro no Brasil e no exterior com os espetáculos “2 Números”, “As Coisas” e “Valsa nº 6”, com direção de Alexandre Boccanera. É coordenadora artística do grupo Roda Gigante, que realiza intervenções em hospitais do Rio de Janeiro desde 2009. Atuou em “Hiperativo”, ao lado de Paulo Gustavo, está permanentemente em cartaz com seu solo cômico “Neurótica!”, sob direção de Marcio Trigo. Na TV integrou o elenco do programa “220 volts”, “Não Tá Fácil pra Ninguém” e “Vai que Cola”, todos no Canal Multishow; na TV Globo atuou novela “Amor Eterno Amor”, com direção de Rogério Gomes e faz parte do elenco fixo do humorístico “Zorra”.

FICHA TÉCNICA

Direção: Flávia Reis

Direção da Mostra: Marcos Camelo

Direção Musical: Guilherme Miranda

Elenco: Cristiana Brasil, Diogo Cardoso, Éber Inácio, Flávia Reis, Florência Santángelo, Guilherme Miranda, Julia Schaeffer, Kadu Garcia e Marcos Camelo

Figurino: Florencia Santángelo

Cenário: Eber Inácio

Iluminação: PH

Produção Executiva: Clarissa Quintieri

Realização: Roda Gigante

Produção: Tutu Projetos Artísticos e Boccanera Produções Artísticas

SERVIÇO

Grupo Roda Gigante

Dia 12 de dezembro (sábado), às 11h e 16h.

Local: Espaço Sesc – Teatro de Arena (Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana)

Capacidade: a confirmar

Entrada franca – distribuição de senha uma hora antes.

Classificação: livre.

Duração: 50 minutos.

Oficina: Oficina Roda gigante – 6 anos

Dia 12 de dezembro (sábado), das 13h30 às 15h30

Local: Espaço Sesc (Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana)

Informações: 2547-0156

Espetáculos infantis no Teatro Ipanema

Durante três semanas o Teatro Ipanema – Rua Prudente de Morais, 824 – recebe uma dobradinha da Cerejeira Produções. A produtora coloca em cartaz o musical infantil Minha Adorável Verde Vida e a comédia Três Entas entre os dias 04 e 20 de dezembro com ingressos a R$ 30,00 (R$15,00 a meia entrada).

Com estreia no dia 04 de dezembro (sexta a domingo – 21h) a comédia Três Entas aborda os conflitos e crises que as mulheres costumam enfrentar depois dos 40 anos. Inspirado no livro “Entas – Parece que foi ontem”, de Jô Salgado, a comédia narra a história de três amigas e vizinhas que compartilham seus medos e anseios. Usando linguagem corriqueira e muito humor, a peça fala de sexo, amor, filhos, vida profissional e sonhos.

No dia seguinte entra em cartaz o musical Minha Adorável Verde Vida (sábado e domingo – 17h). Com texto e músicas originais a peça infantil ensina de forma lúdica como lidar com as diferenças. As personagens que vivem em um orfanato foram livremente inspiradas na história de O Mágico de Oz. De forma animada, com muita música, dança e efeitos especiais, o musical passeia pelo universo infantil.

Duas produções para todas as idades em curtíssima temporada.

 

Três Entas

Elenco: Alessandra Rodrigues, Carmen Costa e Jô Salgado

De 04 a 20 de dezembro

Sextas, Sábados e Domingos – 21h

Teatro Ipanema – Rua Prudente de Morais, 824

Entrada: R$ 30,00 (R$ 15,00 meia entrada)

Classificação: 12 anos

 

Minha Adorável Verde Vida

Elenco: André Sigom, Clarissa Marinho, Carmen Costa, Erick de Lucca, Isabella Igreja, Julia Morganti, Joana Mendes, Isabela Quadros, Thais Rocha e Felipe Madjer.

Texto e Direção: Mauricio Alves

Supervisão: Reiner Tenente

Coreografias: Clara da Costa

Composição e arranjos musicais: Altair Araújo

Arranjos vocais: André Sigom

De 05 a 20 de dezembro

Sábados e Domingos – 17h

Teatro Ipanema – Rua Prudente de Morais, 824

Entrada: R$ 30,00 (R$ 15,00 meia entrada)

Juvenal, Pita e o Velocípede – Eu fui!

Assim como a maioria de nós, Juvenal guarda lembranças fortes e boas de sua infância. Brincadeiras, amigos…

Foto: apetecer. com

Foto: apetecer. com

Histórias que ficaram na memória e, hoje homem, quis compartilhar com todos que o visitaram no Teatro Maria Clara Machado, na Planetário da Gávea. Seu brinquedo favorito, o velocípede, e sua melhor amiga, Pita, estão presentes em todo o seu discurso, inclusive no título do espetáculo.

Seu meio de transporte/brinquedo preferido foi construído por seu tio, e com ele viveu as maiores aventuras com Pita. O ator Eduardo Almeida comanda o monólogo, que tem texto de Cleiton Echeveste e direção de Cadu Cinelli. Nele, conta os causos de sua infância. Isso interagindo com a plateia, predominantemente infantil. Mesmo que o artista não quisesse, seria sempre interrompido pelos gritinhos de “Quem é Pita?”.

Foto: apetecer.com

Foto: apetecer.com

Juvenal deixa esta questão no ar. Afinal, nós deveríamos saber pois, segundo o próprio, também tínhamos marcado com ela no mesmo local e horário que ele, e estávamos lá para isto. Matando ou não a curiosidade infantil (e adulta, por que não?), o espetáculo cumpre o papel de mexer com o imaginário infantil. O universo lúdico é muito bem explorado, com o personagem narrando suas aventuras ao lado da velha amiga, com quem perdeu o contato.

A tarefa de explicar quem era Pita provavelmente ficou com os pais, e não consigo imaginar como conseguiram esclarecer para os pequenos rs Mas é um tipo de programa que vale a pena investir para a criançada, pois desenvolve a imaginação. Consequentemente, criatividade e inteligência. E, assim, vão construindo suas histórias para, daqui a alguns anos, terem o que contar para as gerações seguintes.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

P.S.: Agradeço à Paula Catunda pelos convites

 

“Mágico de Oz” no Glauce Rocha

Devido ao grande sucesso, o musical volta aos palcos para temporada especial de final de ano, com valor promocional para toda a família no Teatro Glauce Rocha: R$10.

Crianças e adultos são levados até Oz e se divertem com os personagens clássicos da história e suas músicas. E são surpreendidos pelas novidades cênicas, como os óculos mágicos e o castelo de esmeraldas que surge ao olhar de todos no palco. O musical surpreende o espectador com as inovações cênicas, mexendo com o imaginário das crianças e adultos, fazendo a plateia rir e se emocionar com esse grande clássico.

O “Mágico de Oz” é um grande espetáculo, recheado de músicas que foram tiradas do clássico com novos arranjos e gravações. E a direção fica por conta de Cristiane Sanctos, que hoje é uma referência de Teatro Infantil no Rio de Janeiro.

Sinopse

A peça conta a história da menina Doroty que foi levada a Terra de Oz por um tornado. Para voltar para casa, a menina, com auxílio de um espantalho, homem de lata e um leão, precisa encontrar o poderoso Mágico de Oz, único capaz de mandá-la de volta para o lugar de origem. Porém precisa enfrentar a Bruxa Má do Oeste para conseguir este retorno.

Acessibilidade: projeto Em Cena Para Todos terá sessões com audiodescrição

Acessibilidade para todos – Dia 28 de novembro será o dia da acessibilidade no Teatro Glauce Rocha. Além da interpretação em Libras, que já acontece em todas as sessões do projeto Em cena Para Todos, o público também poderá contar com audiodescrição. A primeira peça com o serviço será o infantil “O Mágico de Oz”. E, à noite, “Cenas de Um Casamento”.

“Audiodescrição é o recurso que permite a inclusão de pessoas cegas como espectadoras de peças, filmes, novelas, óperas, ou seja, qualquer manifestação artística. Isso porque programas de ficção têm muitas informações nas imagens e a intenção é fazer com que as pessoas que não veem não as percam”, define a atriz e audiodescritora Graciela Pozzobon, que será a responsável pelas sessões com audiodescrição do projeto Em Cena Para Todos.

Sobre a ocupação “Em Cena Para Todos” 

Idealizado pela produtora carioca Ymbu Entretenimento, o projeto “Em cena para Todos” visa à ocupação e promoção do Teatro Glauce Rocha com espetáculos e artistas renomados, além de, novos talentos das artes cênicas no país. O projeto prevê ainda oficinas de Artes Cênicas, Teatro para Jovens, Expressão corporal e dramaturgia. O objetivo é dar oportunidade a artistas já formados, e ainda, novos candidatos a seguir a profissão de ator/atriz. Um diferencial é a oficina de Teatro para Jovens, com diretores especializados e com sucessos em cartaz dentre o público.

“Este projeto foi contemplado pela Fundação Nacional de Artes – FUNARTE no edital de Ocupação do Teatro Glauce Rocha 2015”

SERVIÇO: 

O Mágico de Oz

Autoria e direção: André Lamare e Cristiane Sanctos

Elenco: Alan Di Moura, Aly Moreira, Cristiane Sanctos, Luciana Albertin, Luciana Boeira, Matheus Marques, Pedro Natividade e Tiago Atzevedo.

Local: Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco, 179 – (21) 2220-0259.

Data: 28 e 29/11

Sessão com audiodescrição: 28/11

Horário: sábados e domingos às 16h.

Ingresso: R$ 10,00 (inteira)

Classificação: livre

Duração: 60 minutos

Gênero: Drama

Capacidade: 202 Lugares

“Meu Natal Favorito” no Shopping Metropolitano Barra

Em novembro, o Shopping Metropolitano Barra entra no clima do Natal com o evento infantil Mundinho Kids. A criançada poderá interagir e se divertir com as apresentações. No dia 29, os personagens mais famosos do momento, os Minions, animarão os pequenos na peça “Meu Natal Favorito”. O evento é gratuito e ocorre em todos os domingos do mês, às 18h.
Programação Mundinho Kids:
29/11 – Meu Malvado Favorito, especial de Natal (Espetáculo)

Com muita comédia e aventura, os Minions e os personagens do filme Meu Malvado Favorito animarão a criançada com a peça “Meu Natal Favorito”. Quando o maior vilão história, Gru, recebe a visita de três crianças: Margo, Edith e Agnes, ele começa a se tornar uma pessoa melhor. Com a ajuda dos famosos minions, Gru estava preparando sua Primeira ceia de Natal para esperar a chegada do Papai Noel e, de repente, sua filha adotiva mais velha, Margô, é sequestrada. Eis que surge o “amigo” Vetor e a única chance de Gru, recuperar Margõ, é se aliando a Vetor e voltar a ser malvado. Como será que Gru sairá dessa?

SERVIÇO:
Dias: 29 de novembro às 18h
Local – Segundo piso (próximo ao cinema)
Duração – aproximadamente 50 minutos
Endereço – Av. Embaixador Abelardo Bueno, 1.300 – Centro Metropolitano – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro.

“Poropopó” faz sua última semana no Teatro Eva Herz

Última chamada para o expresso da magia do circo. O espetáculo “Poropopó” (R$ 20,00 inteira) faz sua última apresentação da temporada neste sábado, 28, às 16h. André Garcia levou para os palcos a esposa Ludmilla Silva, e os filhos, Alice, de três anos e Pedro, de 10, que atuam ao seu lado, formando a trupe “Será o Benidito?”. Os jovens palhaços comprovam que na família Garcia Alvez ninguém nasce. Vir ao mundo é apenas a estreia de uma trajetória, que começa em cima do tablado. O infantil, destinado para toda família, se apresenta no palco do Teatro Eva Herz, na Rua Senador Dantas, 45 (subsolo da Livraria da Cultura).

Um dos grandes desafios dos pais do mundo contemporâneo é equilibrar a atenção ao lar com a vida profissional. André Garcia driblou esse dilema, sem prejudicar nenhum dos lados. Para conciliar a realização pessoal com a profissional, há 20 anos, ele abandonou a rotina de bancário e, resolveu mudar de vida. Trocou as agências pelos aplausos da plateia. Virou palhaço de apresentações ao ar livre.

Os filhos de André e Ludmilla herdaram dos pais a paixão pela arte. O ator garante que não existe cobrança com os pequenos. “Não tratamos como uma responsabilidade, tratamos como algo sem compromisso. Se ele ou ela não estiverem com vontade de entrar em cena, não tem problema. O nosso fazer é o prazer e a diversão de estarmos de juntos. Não queremos que se sintam forçados ou obrigados”, diz André, que no espetáculo se transforma no Palhaço Migué.

Largar o emprego fixo para se dedicar a arte, pode até ter sido tarefa difícil. Mas hoje, para quem tinha uma rotina estressante do dia a dia de uma agência bancária, André não se arrepende da troca de profissão e garante que o prazer de trabalhar com a família é o que o move.  “O que sinto é a satisfação de ter essa oportunidade de estar juntos com a minha família mais tempo e ainda ser divertido. O que eu quero é aproveitar essa maravilhosa oportunidade que, sem pretensão, aconteceu e nos deixa unidos e felizes, além de estarmos em família e provar que o maior presente é estar com quem você ama”, afirma o ator.

Quem vê a palhaço Tony Pastel, logo percebe a desenvoltura do menino de 10 anos, que dá seus primeiros passos nos palcos. O garoto assimila os esquetes, entende a dinâmica da peça, e participa bastante do desenrolar da história. Segundo o pai, os atores mirins adquiriram a paixão pela arte de forma natural, e revela um desejo de Pedro, comum a quase todo menino brasileiro. “Ele já falou algumas vezes de fazer a faculdade de artes cênicas ou de música. Mas ainda é apaixonado pelo futebol e sempre diz que vai ser jogador”, comenta André.

Poropopó apresenta números de palhaço e mantém vivo o jogo cômico, revivendo as cenas do circo tradicional. Com piadas, reprises de palhaços e números circenses, os personagens entram sempre querendo revelar um humor ingênuo. Uma grande brincadeira e diversão para crianças e adultos com espírito infantil.

Sobre a Companhia ‘Será o Benidito!?’

A companhia ‘Será o Benidito!?’ está desde 2002 buscando, com trabalhos de pesquisa, estudos e análise de textos e autores, o verdadeiro teatro popular brasileiro. O idealizador do grupo, André Garcia, tem como base o teatro de rua, circo, performances, cultura oral e criações coletivas, levando uma linguagem direta e clara, de identificação imediata com os espectadores de qualquer idade ou classe.

Serviço:

Local: Teatro Eva Herz – R. Senador. Dantas, 45 – Centro – Rio de Janeiro/RJ (Subsolo da Livraria Cultura).

Temporada: Sábado, dia 28, às 16h.

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia entrada).

Horário de funcionamento da bilheteria: Terça a Sábado, das 14h às 21h – Tel.: (21) 3916-2600

Duração: 50 minutos.

Classificação: Livre.

Personagens infantis celebram o Natal no Shopping Metropolitano Barra

O Papai Noel será recebido com muita música no Shopping Metropolitano Barra, no dia 14 de novembro. Personagens do Jardim do Noel, como a borboleta, a joaninha e a abelha animam a festa e circulam pelo shopping, com a banda de jardineiros, dando boas vindas à temporada de Natal.

A decoração principal é formada por um grande jardim e esculturas decorativas, de grama sintética, com formas diversas, bule, casa, xícara e balão, além de outros temas natalinos que enfeitam os corredores, como Papai Noel, presente, rena e urso. Uma fonte de água e bichos animatrônicos também fazem parte do cenário, onde o público poderá tirar fotos. No centro, e rodeada por banquinhos de madeira, a tradicional árvore de Natal dá o toque final. A fachada do shopping será iluminada com estrobos e cascatas de luzes.

E como manda a tradição, o Papai Noel estará à disposição do público, sentado em seu trono, para receber cartinhas e tirar fotos no piso L2 até o dia 24 de dezembro, de domingo a sexta, das 14h às 21h, aos sábados, de 10h às 22h. E para fechar, no dia 24 de dezembro, das 10h às 18h. A foto profissional no tamanho 20 x 15 cm custa R$25 e será entregue em porta-retrato imantado personalizado do shopping.

A criançada poderá se divertir em grandes xícaras e em um trenzinho (R$10 por oito voltas). A turma do Mundinho Kids também se preparou para a festa e montou uma programação especial em novembro.

SERVIÇO:

Jardim do Noel no Shopping Metropolitano Barra
Inauguração do Natal: 14 de novembro
Horário: 17h às 18h30 – horário do evento de inauguração do Natal e chegada do Papai Noel.
Ponto de encontro (evento itinerante): piso L2, próximo à loja Kopenhagen, às 17h
Horário de funcionamento do shopping em novembro: De segunda a sábado das 10h às 22h, aos domingos as lojas funcionam, das 13h às 21h, e alimentação e lazer, das 11h às 22h.

Preços:
Foto com Papai Noel: a foto no tamanho 20 x 15 cm cm custa R$ 25,00 e será entregue em porta-retrato imantado e personalizado do shopping
Trenzinho: o brinquedo custa R$10 por oito voltas. Limite de peso: 60Kg. De segunda a quinta, das 10h às 22h. De sexta a sábado, das 10h às 23h. Domingo das 11h às 22h

MUNDINHO KIDS

A partir de 15 de novembro o Mundinho Kids ganha atrações temáticas para o Natal, às 18h.
15/11 – 3 x Natal (Contação de história)
22/11 – Contos Natalinos (Contação de História)
29/11 – Meu Malvado Favorito, especial de Natal (Espetáculo)

Endereço – Av. Embaixador Abelardo Bueno, 1.300 – Centro Metropolitano – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro.

2 Números – Eu fui!

“2 Números” é um espetáculo de animação, contendo 2 números, como já entrega o título. Mas a obviedade se restringe a este fato. A peça é surpreendente, e muito melhor do que eu imaginava. Não sei o motivo da surpresa, pois li maravilhas da crítica. Não que o tenha subestimado, mas a destreza dos atores impressiona, assim como o espírito lúdico.

Os números apresentados são “Cama de gato” e “De dentro”. O primeiro conta com a participação de 3 atrizes formando figuras com um objeto que parece ser uma espécie de linha, mas não sei precisar. A criatividade dos desenhos mostrados é incrível, assim como o desempenho das artistas. Com os rostos cobertos por máscaras, não podemos ver suas feições, mas nem há necessidade. As moças falam com o corpo, e com as formas que apresentam e o gestual, dão conta do recado sem precisarem de caras e bocas, ou texto.

Tão agradada que estava com o primeiro número, apenas por alguns minutos este foi o meu favorito. Mas o boneco de “De dentro” é irresistível. Até dá para esquecer que há 3 atores no controle dele. Não consigo crer que, sem eles, ele não tem vida própria. A manipulação é impecável. Na verdade, interação entre o objeto e os humanos em cena.

“2 Números” é espetáculo para todas as idades e todos os gostos. Animação costuma atrair público infantil, mas este era minoria no teatro. Havia uma que interagia durante os 40 minutos. Provavelmente pensava que o boneco era um ser real. Bem, se eu por alguns momentos também acreditei, imagine alguém tomado pelo espírito de fantasia que o espetáculo expressa…

P.S.: Agradeço à Rachel Almeida pelo convite

Espetáculos infantis no Shopping Metropolitano Barra

No mês das crianças, o Shopping Metropolitano Barra preparou espetáculos que vão animar os pequenos no Mundinho Kids. Eles poderão interagir e se divertir com as apresentações.

A programação conta com as histórias infantis: “Madagascar”, “O guarda-chuva mágico do palhaço”, “Histórias Brasileiras” e “Popeye”. O evento é gratuito e ocorre em todos os domingos do mês, às 18h.

Programação Mundinho Kids outubro:

25/10 – Popeye (Teatro)

Popeye, Olívia e Brutos embarcam em uma emocionante viagem em busca da história do Vovô Godofredo. Popeye cresceu ouvindo as histórias do velho Godofredo, sobre um importante tesouro que deixou em uma ilha onde viveu antes de se alistar na marinha. Assim, Popeye e seus amigos decidem encontrar este tesouro.

SERVIÇO:
Dias: 25 às 18h
Local – Segundo piso (Em frente ao cinema)
Duração – aproximadamente 50 minutos

O menino que brincava de ser

Dudu é uma criança que adora brincar de faz de conta com seus amigos. A possibilidade de ser um novo personagem encanta o menino. No entanto, aos olhos da família e da escola nem sempre suas fantasias são bem vistas. De maneira lúdica e bem-humorada, “O menino que brincava de ser” apresenta questões atuais presentes no universo familiar e escolar das crianças: o respeito à diversidade, o direito à liberdade de expressão, o bullying e o questionamento de limites e padrões socialmente impostos. Criação da Pandorga Companhia de Teatro com direção de Cleiton Echeveste, a peça está em circulação desde a sua estreia, em 2007, sendo que a última temporada na cidade foi há três anos. O espetáculo está de volta ao Rio a partir do dia 03 de outubro, aos sábados e domingos, às 17h, no Teatro Cândido Mendes.

Inspirado no livro homônimo de Georgina Martins, a montagem conta a história de três crianças durante o ensaio de um espetáculo de teatro que apresentarão no auditório da escola. O texto escolhido é “O menino que brincava de ser”. Dudu é uma criança saudável que gosta de brincar de ser vários personagens – magos, bruxas, heróis ou heroínas – e sofre com piadas na escola. O pai e a avó paterna consideram o comportamento do filho anormal e buscam ajuda de um médico. A orientação? Respeitar a fase da vida.

Com o olhar compreensivo e afetuoso da avó materna, o menino encontre uma solução para o conflito. Ao assistir pela primeira vez uma peça de teatro, descobre na arte a saída para seu desejo viver diferentes personagens e histórias. Qual é o papel da escola e da família nas descobertas da infância? A imposição de padrões sociais é o melhor caminho? Meninos só brincam de bola e meninas só brincam de bonecas? Estas questões e seus desdobramentos levam o público, especialmente os pais, à reflexão sobre educação e liberdade de expressão.

“Aprendemos na prática que esta peça é para crianças e adultos”, destaca Cleiton Echeveste, diretor da montagem. “Se a princípio parecia uma ousadia falar sobre liberdade e respeito à diversidade para os pequenos, em tempos de afronta a direitos civis básicos não é menos angustiante pensar que esses temas precisam, mais do que nunca, estar em pauta no teatro, na literatura e nas artes em geral”, conclui.

SOBRE A TRAJETÓRIA DE “O MENINO QUE BRINCAVA DE SER”

A peça estreou em junho de 2007 no Teatro Maria Clara Machado e permanece em circulação desde então, tendo feito temporadas de sucesso em teatros do Rio de Janeiro e Niterói. Foi apresentada em mais de dez cidades do estado do Rio dentro da 8ª Mostra SESC CBTIJ de Teatro para Crianças e do projeto-piloto Circuito SESI CBTIJ de Teatro para Crianças. Participou da 2ª Mostra Brasil Telecom de Teatro para Crianças, em Brasília e do Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana – Fórum das Artes 2009.

Por sua qualidade artística e pela relevância dos temas que aborda, a peça recebeu a chancela de Espetáculo Recomendado pelo Centro de Pesquisa e Estudo do Teatro Infantil – CEPETIN (www.cepetin.com.br). Em suas temporadas no Centro Cultural Justiça Federal (2009) e no Galpão Gamboa (2012), o espetáculo foi apontado pela revista Veja Rio como um dos cinco melhores espetáculos infantis em cartaz no Rio.

Em março de 2010, o espetáculo atingiu a marca de cem apresentações durante o Circuito SESI CBTIJ de Teatro para Crianças. Em novembro de 2013, foi o único espetáculo infantojuvenil a integrar a programação teatral do 21º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, em São Paulo.

SOBRE A PANDORGA COMPANHIA DE TEATRO

Fundada em 2006, a Pandorga Companhia de Teatro é formada por André Roman (ator e produtor), Cleiton Echeveste (dramaturgo e diretor), Eduardo Almeida (ator e produtor) e Jan Macedo (ator). A primeira montagem do grupo foi em 2007: “O menino que brincava de ser”. A peça teve várias temporadas no Rio de Janeiro e participou de festivais e mostras em Minas Gerais, Brasília e São Paulo.

Em 2012, foi a vez de “Cabeça de vento”. A peça participou de diversos festivais de teatro na cidade e em outros estados (Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná e Santa Catarina). O espetáculo recebeu um total de treze prêmios nos Festivais Nacionais de Teatro de Guaçuí/ES, Duque de Caxias/RJ e Ponta Grossa/PR, além de três indicações ao 7º Prêmio Zilka Salaberry, nas categorias ator (Jan Macedo), figurino (Daniele Geammal) e produção. Foi o único grupo brasileiro selecionado para o 8º FESTECA, em Luanda, Angola. Em 2013, a peça foi lançada em livro pela Giostri Editora (SP).

O terceiro espetáculo infantojuvenil estreou em 2013: “Conto d’água”. Atualmente, além da estreia de “Juvenal, Pita e o velocípede”, a companhia trabalha na montagem de seu primeiro espetáculo adulto, “Refugo”, ainda sem previsão de estreia. O site oficial da companhia é: pandorgaciadeteatro.wordpress.com

FICHA TÉCNICA

Espetáculo inspirado no livro homônimo de Georgina Martins

Dramaturgia e Direção Cleiton Echeveste

Elenco: Giuseppe Marin, Leo Campos e Tatiana Henrique

Stand in: Jan Macedo

Figurino Daniele Geammal

Cenário Pandorga Companhia de Teatro

Trilha Sonora Original Gustavo Finkler

Preparação Corporal: Jan Macedo

Iluminação Tiago Mantovani

Montagem de luz: Ricardo Lyra Jr.

Operação de Luz Ricardo Lyra Jr. e Hebert Said

Projeto Gráfico Fernando Nicolau

Assessoria de imprensa Bianca Senna e Paula Catunda

Assistência de produção: Lucimar Ferreira

Produção André Roman e Eduardo Almeida

Realização Pandorga Companhia de Teatro, Pita Produções e AR Produções

“O MENINO QUE BRINCAVA DE SER”

Teatro Cândido Mendes

Endereço: Rua Joana Angélica, 63 – Ipanema

Temporada: 03 de outubro a 1º de novembro

Dias e horários: Sábados e domingos, às 17h

Informações: (21) 2523-3663

Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)

Duração: 55 minutos

Classificação etária: Livre

Recomendação etária: crianças a partir dos 6 anos

Lotação: 102 lugares

Sugestão para o tijolinho: Dudu é uma criança que adora brincar de faz de conta com seus amigos, mas aos olhos da família e da escola nem sempre suas fantasias são bem vistas.

“O Barbeiro de Ervilha” na Gávea

A partir do dia 17 de outubro, o Centro de Referência Cultura Infância apresenta o espetáculo infantil “O Barbeiro de Ervilha”, uma comédia musical para crianças. Trata-se de uma adaptação da ópera Il Barbiere di Siviglia, de Gioacchino Rossini com libreto de Cesare Sterbini baseado na comédia homônima de Pierre Caron de Beaumarchais. A história apresenta uma trupe mambembe de comediantes que encena, na pequena vila fictícia nordestina de Ervilha do Norte, as artimanhas e astúcias de um tipo bem brasileiro, apesar de francês e italiano de origem e da naturalidade espanhola. Assim como na ópera cômica original, Fígaro, o barbeiro de Ervilha, é um faz tudo da cidade, fugindo aos padrões dos barbeiros do nosso século. Além de barbeiro é sanfoneiro, enfermeiro, jardineiro e nas horas vagas ainda é veterinário, farmacêutico, cirurgião, entrega bilhetes de casais enamorados com sigilo e discrição e o que mais for preciso, de maneira honesta, para ganhar o seu pão.

Andarilho, sempre à procura de um novo trabalho, acaba salvando a linda história de amor do conde Almaviva com Maria Flor. Um amor “proibido”, pois Maria Flor vai ser obrigada a casar com o seu tutor, Doutor Bartolo, médico e velho avarento cujo interesse, no fundo, é pela herança da moça. Servindo o conde com habilidade, o barbeiro acaba conseguindo acobertar e unir os enamorados, bem debaixo do nariz de Bartolo – que vive dizendo que não é tolo; fazendo triunfar a boa idéia de que “o amor é a mais valiosa das moedas”.

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia Original e Texto: Vanessa Dantas

Versões das Músicas e Letras: Leandro Castilho

Direção: Daniel Herz

Elenco:

Leandro Castilho (Fígaro)

Vanessa Dantas (Maria Flor)

Tiago Herz (Conde Almaviva)

Leonardo Miranda (Doutor Bartolo)

Pedro Maia (Comida de Onça)

Pedro Gracindo (Bocó, Soldado Quebra Queixo)

Carol Garcia (Di Mola, Soldado Rocambole)

Francisco Salgado (João do Bode)

Anna Bello (Santa do Mandacarú)

SERVIÇO

Data: 17 de outubro a 01 de novembro

Local: Teatro Municipal Maria Clara Machado (Planetário da Gávea)

Endereço: Av. Padre Leonel Franca, 240, Gávea. Tel.: (21) 2274 7722

Horário: sábado e domingo, às 16h

Valor: R$ 20,00

Duração: 60 minutos

Gênero: Infantil (recomendado a partir de 04 anos)

Classificação: Livre

Bilheteria: quarta a domingo, a partir das 14h

Capacidade: 138 lugares

Estacionamento pago no local

“Eureka!!! – Show circense da Irmãos Brothers Band” em apresentação única

Com direção de Claudio Mendes, o show tem a marca registrada da Irmãos Brothers Band: muita cor, efeitos visuais, acrobacias, malabarismo, trapézio, contorcionismo e principalmente humor, tudo isso com os artistas se revezando entre os instrumentos musicais, os vocais e os números circenses.

As apresentações dão sequência à temporada de lançamento do primeiro CD autoral da banda-trupe intitulado ‘Eureka!!!’, composto por 12 faixas. O disco apresenta uma miscelânea de estilos, passando pelo rock, reggae, ska, pop, baião, marchinha de carnaval e música brega.

“É para todas as idades! As composições abordam temas como a velhice, direitos autorais, rebeldia da adolescência e até o descaso social. Tudo de forma crítica, porém, bem humorada e divertida”, destaca Alberto Magalhães, que teve como fontes de inspiração as bandas Blitz, Língua de Trapo, Rumo, Lume, Premeditando o Breque, Ultraje a Rigor, Vexame e os inesquecíveis Mamonas Assassinas.

A banda-trupe

A Irmãos Brothers Band é uma trupe de atores, cômicos, acrobatas e músicos que desde 1993 desenvolve uma pesquisa de linguagem que busca a integração entre o circo, a música, o teatro e a dança. Nos últimos anos, os artistas passaram a investir para valer na música, transformando a companhia em uma banda-trupe, cujo repertório de espetáculos e shows é embalado por música ao vivo tocado pelos próprios integrantes. 

Serviço

Eureka!!! – Show circense da Irmãos Brothers Band

Local: Praça Mauá

Endereço: Av. Rodrigues Alves, 135 – Centro

Dia: 12/10/2015 (segunda-feira), às 16h
Ingresso: grátis

Classificação etária: livre
Capacidade: ar livre
Duração: 60minutos

Oficina de Cupcake no Shopping Metropolitano Barra

O Shopping Metropolitano Barra preparou um evento especial para a semana do Dia das Crianças. De 8 a 12 de outubro, os pequenos vão aprender a fazer deliciosos bolinhos no evento “Oficina de Cupacake”.
As crianças poderão se divertir decorando os Cupcakes com confeitos coloridos. Ao final, elas levam para casa o resultado da brincadeira.
O espaço tem capacidade para até 16 crianças por sessão. O evento é gratuito e ocorre diariamente, das 14h às 20h, no piso L2 próximo à Renner. Para participar basta retirar uma senha no local, a partir das 13h45.
Shopping Metropolitano Barra
Data: de 8 a 12 de outubro
Horário: Diariamente, das 14h às 20h
Idade: De 3 a 12 anos
Local: Piso L2 – próximo à Renner
Endereço – Av. Embaixador Abelardo Bueno 1.300 Centro Metropolitano, Barra da Tijuca – Shopping Metropolitano Barra

A Galinha Pintadinha, em o Ovo de Novo

A partir de 03 de outubro a Galinha Pintadinha estará no palco do Teatro das Artes junto com seus companheiros inseparáveis Galo Carijó, Pintinho Amarelinho, Baratinha, os Naftalinas (Baratazul e Baratotal), Borboletinha, Sr. Gavião, Dr. Peru, Enfermeira Ururubu, Galinho Quiriquiqui, boneco Pimpom, e a divertida família de Carlos Henrique, um menino muito imaginativo que gosta de contar histórias e de usar palavras difíceis.

Aborrecido com a notícia do nascimento da irmã, Carlos Henrique faz uma retrospectiva de sua vida para tentar entender seus sentimentos. Com a ajuda da “mais sinistra… mais cascuda… mais antenada… a Barata”, que canta as 15 canções que compõem o repertório musical do espetáculo, a vida de Carlos Henrique e de sua família é revista em flashbacks. Como seus pais se conheceram, seu nascimento, a carinhosa relação com a sua avó. Numa brincadeira divertida, o público também assistirá, paralelamente à história da família de Carlos Henrique, a história da família da Galinha Pintadinha, Galo Carijó e do Pintinho Amarelinho que também está triste com os mimos para o OVO NOVO. Misturando recursos artísticos do circo, teatro, dança, música e animações, o musical, com patrocínio do Grupo

Bradesco Seguros e sabonete Baby Dove, criado para o público infantil da primeira infância (de 0 a 5 anos) com certeza agradará a todos da família.

Com roteiro de Marcos Luporini e Juliano Prado (os criadores da Galinha Pintadinha), dramaturgia e texto final de Keli Freitas, direção de Ernesto Piccolo, coreografias de Marcia Rubin, números circenses especialmente criados por Claudio Baltar, cenários, figurinos e bonecos de Clívia Cohen, preparação de canto de Adriana Piccolo e iluminação de Maneco Quinderé, o musical A GALINHA PINTADINHA, EM OVO DE NOVO reúne diversas linguagens artísticas, compondo um espetáculo, lúdico e divertido. Piccolo conta um pouco sobre as novidades desse novo musical: “Quando eu dirigi o primeiro musical da Galinha Pintadinha, eu tinha como maior desafio colocar em cena, ao vivo, aquela personagem carismática e adorada, num espetáculo que tivesse o mesmo encantamento que os desenhos animados tinham. Antes da estreia nos perguntávamos como seria a reação das crianças ao encontrar frente a frente com aqueles personagens retirados dos desenhos animados. A reação das crianças não poderia ter sido melhor. Acho que conseguimos apresentar um musical que carregava a magia e o divertimento dos clipes animados criados pela dupla Marcos Luporini e Julianos Prado. “A Galinha Pintadinha, o musical” foi um sucesso estrondoso. Quando Luporini e Juliano nos procuraram no ano passado propondo a realização de um novo musical, logo me perguntei o que poderíamos trazer de novo. Gosto de desafios, não queria repetir a mesma fórmula do outro musical que dirigi. “A Galinha Pintadinha, em o ovo de novo” vem com a novidade do circo. A montagem explora as possibilidades da mistura da pantomima, música, dança e circo nos números musicais, além de apresentar uma história que vai agradar as crianças um pouco maiores. O desafio desse novo trabalho é criar um espetáculo com muitas novidades na parte musical, agradando os pequeninos, e também conquistar crianças um pouco maiores, que temos certeza vão adorar a história do Carlos Henrique e vão voltar a curtir a Galinha Pintadinha e sua turma de animais animados.”.

Partindo para a terceira produção teatral, a estreia no palco foi com o musical “A Galinha Pintadinha, o musical” dirigido por Piccolo em 2012, em seguida veio “A Galinha Pintadinha em cadê Popó” dirigido por Alessandra Brantes em 2013/2014, Marcos Luporini e Juliano Prado são grandes incentivadores da presença da Galinha Pintadinha nos palcos brasileiros. “O teatro é uma arte humana milenar. Esta capacidade que temos de, através da imaginação, nos transportarmos a outras realidades é algo mágico. Para nós, é motivo de imenso orgulho saber que, para muitas crianças, este musical da Galinha Pintadinha será a primeira experiência no teatro. É incrível ver como mesmo os bebês pequenos conseguem se conectar e viajar com a peça.” Diz Luporini. E Juliano Prado completa: “O que é delicioso nos musicais da Galinha Pintadinha é a grande festa das crianças, pais, tios e avós curtindo o teatro. É um momento muito intenso para os pequenos que, muitas vezes, estão experimentando a sensação de um espetáculo pela primeira vez. Esta nova montagem, cheia de música como não poderia deixar de ser, conta a história de uma família que descobre a chegada de mais um bebê, no meio dos malabarismos do dia a dia. Malabarismos mesmo, executados por um elenco afiadíssimo, nessa montagem cheia de números circenses. É diversão garantida.”

Roteiro musical:

“Baratinha”; “Galinha Pintadinha 2”; “Pintinho Amarelinho”; “Samba Lelê”; “Lá na casa da Galinha Pintadinha”; “Se essa rua fosse minha”; “Pimpom”; “Os Pintinhos Dizem”; “Meu sininho”; “Galinha Pintadinha1”; “Mamama Papapa”; “Medley de canções infantis”; “Galinha Pintadinha 4”; “Borboletinha”; “Quem está feliz”.

Um pouco da história da Galinha Pintadinha

No dia 28 de dezembro de 2006, Juliano Prado e Marcos Luporini postaram no Youtube um vídeo infantil chamado “Galinha Pintadinha”. Esta foi a solução encontrada para apresentar o vídeo em uma reunião de produtores na qual eles não poderiam estar presentes. Seis meses depois, a surpresa: o vídeo havia virado um hit e já ultrapassava a marca de 500.000 visualizações, número expressivo para a época. Hoje os números cresceram consideravelmente. Já são mais de 2 bilhões de visualizações do canal no Youtube, mais de 3 milhões de seguidores na página do facebook, mais de 1,5 milhões de DVDs oficiais vendidos, 2 discos de diamante duplos, mais de 60 produtos licenciados.

O sucesso da Galinha Pintadinha

O projeto da série infantil Galinha Pintadinha, que resgata canções infantis populares e apresenta em pequenos clipes de animações em 2D vem agradando crianças entre 0 e cinco anos que repetem “de novo” assim que termina, assistindo incessantemente cada um dos desenhos animados. Além do sucesso com os pequeninos, as mamães e papais agradecem a existência da Galinha Pintadinha: “– Oba! O bebê está vendo a Galinha Pintadinha, vou aproveitar para comer alguma coisa, tomar um banho rápido, ler um livro! Ficar com as pernas para o ar!…”. A Galinha Pintadinha é a garantia de alguns momentos de paz e tranquilidade para mamães e papais exaustos.

A GALINHA PINTADINHA, EM OVO DE NOVO

Elenco: Cássia Raquel / Dudu Varello / Giovana Vitorino / Helena Heyzer / Laura Faleiros / Leonardo Freitas / Nando Moretzsohn / Natasha Jascalevich / Raíra Yuma / Samuel Rottas / Ton Carvalho / Wagner Cavalcante

Ficha Técnica

Roteiro: Marcos Luporini e Juliano Prado

Dramaturgia e texto final: Keli Freitas

Direção: Ernesto Piccolo

Coreografias: Marcia Rubin

Criações Circenses: Claudio Baltar

Cenários, Bonecos, Figurinos: Clívia Cohen

Iluminação: Maneco Quinderé

Preparação Vocal e Canto: Adriana Piccolo

Assistente de direção: João Maia

Assistente de coreografia: Maíra Maneschy

Designer gráfico: Eduarda de Aquino e Marina Kelson

Assessoria de imprensa: Daniella Cavalcanti

Equipe de produção: Renata Monteiro de Barros e Rose Gomes

Captação de Patrocínios: Renata Borges Pimenta / Leila Garcia e Jorge Abreu (ON TIME)

Direção de Produção: Dadá Maia

Patrocínio Bradesco Seguros e Baby Dove através da Lei Rouanet

Uma Coprodução de Bromélia Produções e Expressão Piccolo Produções

SERVIÇO

Estreia (convidados e públicos): dia 03 de outubro, às 17h

Local: Teatro das Artes (Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52/2º piso)

Temporada: de 03 de outubro a 20 de dezembro de 2015

Horário: sábados, às 17h, e domingos, às 15h e 17h

Sessão extra: Dias das Crianças, segunda-feira, dia 12 de outubro, às 17h

Gênero: musical infantil

Classificação indicativa: Livre para todas as idades

Ingressos: R$ 70,00 (inteira) e R$ 35,00 (meia)

Clientes Bradesco Seguros têm 30% de desconto Vendas online: http://www.ingresso.com

Informações: (21) 2540-6004

Bilheteria: de segunda a domingo das 15h às 20h

Lotação do teatro 421 lugares

“Cinderela” no Henriqueta Brieba

A chegada de um telegrama, informando que o príncipe espanhol Dom Tinhorão de Garcia Macedo Y Peres chegaria em busca de uma noiva, causa um reboliço nas moças solteiras da cidade. As candidatas à princesa, Rosinha e Margaridinha, conhecidas como moças do pezão, são treinadas por sua mãe para fisgar o príncipe. Enquanto isso, a criada, Cinderela, sonha em ir ao baile para poder conhecer o príncipe, mas a coitadinha é vítima da madrasta que conspira para que este encontro nunca aconteça. É aí que a magia acontece e Cinderela talvez consiga realizar seu sonho.

Ficha Técnica

Direção: Claudio Juarez Elenco: Camilla Malaquias como Cinderela Ruan Calheiros como Madrasta Aline Daltro como Rosinha Julianna Firme como Margaridinha Mauro Soares como Simão Leitão Vinícius Sayão como João Jaca Yuri Tupper como Príncipe Murillo Bazilio como Primeiro Ministro Silvinha Moiella como Fada Isabella Santos como Ratinha 1 Ana Carolina Bittencourt como Ratinha 2 Clara Gavazza como Ratinha 3 Juan Vasconcellos como Arauto

Classificação Livre

Duração: 60 minutos

Gênero: Comédia Infantil

Produção: Ruan Calheiros

Cenário e Figurinos: Junto e Misturado Associados Teatrais e EAT – Escola de Artes Técnicas

Iluminação: Diana Cruz

Serviços

Datas: Sábados e Domingos às 15h De 03 à 18 de outubro

Ingressos: R$ 40,00 – Inteira R$ 20,00 – Meia e Filipeta

Local: Teatro Henriqueta Brieba – Tijuca Tênis Clube R. Conde de Bonfim, 451 – Tijuca – Rio de Janeiro – RJ – CEP: 20520-051 Tel: (21) 3294-9300

“Discovery Kids em ação!” no Shopping Metropolitano Barra

A partir 10 de setembro, o Shopping Metropolitano Barra recebe o Discovery Kids em ação! – evento temático do canal Discovery Kids que estreia no Rio de Janeiro e permanece na cidade até 25 de setembro.

Inspirado no mundo dos esportes, o evento estimula a criançada a participar de exercícios e a entender a importância da atividade física para uma vida saudável.

O circuito lembra um ginásio olímpico composto por quatro áreas com atividades que exigirão concentração, fôlego, agilidade e disposição dos participantes.

As atividades, inspiradas em Doki e sua turma, incluirão: chute ao gol, corrida com obstáculos, cama de gato com elásticos e escalada. O circuito termina no tobogã e piscina de bolinhas.

Ação, movimento e diversão não faltam e, no fim, todos saem vencedores!

Na saída do evento, durante as quartas, sextas e sábados também será possível tirar fotos com o personagem Doki. O ingresso para sessão de fotos é limitado e atenderá 30 crianças por aparição, mediante retirada de senha 30 minutos antes de cada sessão.

O evento é gratuito e todas as atividades são supervisionadas por monitores. A iniciativa possui limite de capacidade e está sujeita à lotação.

Discovery Kids em Ação! foi desenvolvido pela equipe Discovery Kids em parceria com a agência BySide. O evento é patrocinado por Tim Kids Criar e Plan International.

SERVIÇO:

Discovery Kids em Ação!
Indicado para crianças de 0 a 11 anos, sempre acompanhadas de um adulto responsável.

Shopping Metropolitano Barra
Local: Praça de Eventos – Piso L1. Shopping Metropolitano Barra (Av. Embaixador Abelardo Bueno, 1300 – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro / RJ)
Data: 10 a 25 de setembro
Horários: Domingo a sexta, das 14h às 20h e sábados, das 10h às 20h

Capacidade: 6 crianças a cada 5 minutos.
Duração: aproximadamente 30 minutos

Evento Gratuito

A retirada de ingressos é feita na bilheteria localizada ao lado do evento, diariamente a partir das 13h até o término dos ingressos do dia.

Importante: Os ingressos são limitados e válidos somente para o mesmo dia.

“De férias no sítio” se apresenta na Arena Jovelina Pérola Negra

Utilizando a narração simultaneamente à mímica, chamada de “Pantomima Literária”, o espetáculo “De férias no sítio”, inspirado na obra clássica de Monteiro Lobato, faz referência as férias do personagem Pedrinho no Sítio do Pica-Pau Amarelo. A peça fará duas sessões gratuitas na Arena Jovelina Pérola Negra, no dia 20/08 (quinta-feira), às 10h, e, às 14h. A classificação é livre.

A peça é apresentada através da técnica corporal e da mímica, marca registrada do grupo. Na história, Pedrinho sai em férias e no caminho do sítio da sua avó se envolve em hilariantes confusões e diversos personagens.

A companhia carioca Etc e Tal, Formada por Alvaro Assad, Marcio Moura e Melissa, Teles-Lôbo, foi fundada em 1993 e desenvolve sua pesquisa artística na tríade Teatro-Mímica-Humor. Anualmente cerca de 25.000 espectadores assistem suas montagens, entre elas “Fulano & Sicrano”, “Victor , James”, “O macaco e a boneca de piche”, “No buraco” , “¿Branca de Neve?”, “Draguinho” e “O maior menor , espetáculo da Terra”.

Ficha técnica:
Criação e Produção: Centro Teatral e Etc e Tal
Atuação: Marcio Moura e Melissa Teles-Lôbo (ou Alvaro Assad)
Atuação no Festclow: Marcio Moura e Alvaro Assad
Direção e Preparação Mímica: Alvaro Assad

Serviço:
“De férias no sítio”
Dia: 20/08 (quinta-feira), às 10h, e, às 14h
Local: Arena Jovelina Pérola Negra
Endereço: Praça Ênio, s/n, Pavuna.
Tel: (21) 2886-3889
Entrada gratuita
Classificação livre
A Arena possui acesso para deficientes físicos e estacionamento gratuito.

“Pop Up em O Lagarto” no Oi Futuro

Em cartaz até 30 de agosto no Oi Futuro Ipanema, o espetáculo infantil “Pop Up em O Lagarto”, do artista plástico islandês Egill Sæbjörnsson, é uma obra inédita e tem como ponto de partida a construção de uma instalação em formato de um livro pop up, em que figuras se desdobram quando as páginas são abertas, com 4 metros  de largura e 2 metros de altura, e projeções de videoarte que dão vida a figuras de papel que falam e cantam.  Com duas apresentações aos sábados e domingos, às 16h e às 16h50, a performance é direcionada para crianças de todas as idades, indo do cômico ao filosófico, do abstrato ao narrativo, utilizando uma linguagem inovadora, com o encontro de novas e antigas tecnologias. O personagem principal é o Lagarto, inspirado na Pantera Cor-de-Rosa, personagem do desenho animado surgido na abertura dos filmes estrelados por Peter Sellers e dirigidos por Blake Edwards, e a história se passa no Rio de Janeiro.

Os cenários cariocas que se desdobram não resultam em uma visita às paisagens do Rio: os monumentos naturais, ícones arquetípicos da cidade, como as montanhas, o mar e a paisagem urbana de Copacabana, servem para explorar a arquitetura emocional interior do ser humano.  A encenação aponta como a mente humana determina o nosso estado emocional, independente de onde estivermos no planeta.

O espetáculo combina teatro, música e arte visual para refletir como apreendemos a realidade a partir dos nossos estados de ânimo. Desta forma, a paisagem, o clima e o mundo moderno eletrônico em que vivemos se tornam parte de quem somos.  “A obra fala sobre como a percepção que a gente tem de algum lugar ou de alguém são importantes e modificadoras. Nós projetamos para o mundo aquilo que sentimos dentro de nós”, diz Egill.

O Lagarto surge inesperadamente na trajetória da performance, interagindo com elementos e sons. A ideia do autor com esta dramatização é levar o público à experiência de escapar um pouco da realidade e ver o mundo através do olhar do personagem. “Meu trabalho não tem um propósito moral, político ou religioso. A obra fala sobre a diferença do que está acontecendo no mundo e o que está acontecendo dentro de nós mesmos. Mas não se trata apenas de algo que quero mostrar. Metade da experiência será o que acontece dentro de cada uma das pessoas na plateia. Não é uma obra conceitual, mas experimental”, completa o autor.

O espetáculo tem criação autoral de Egill, idealização e conceito da diretora de teatro e atriz brasileira, Marcia Moraes, em parceria de produção e realização com a diretora Sonia Moraes, da Santa Teresinha Filmes. “Pop Up em O Lagarto” conta com patrocínio da Oi, apoio cultural do Oi Futuro e apoio do Instituto Goethe.

Esta não é a primeira obra colaborativa de Egill e Marcia, que são casados. Nos últimos anos, eles se apresentaram em instituições como o Centro Cultural de Mikhail Baryshnikov, em Nova Iorque, onde realizaram a direção, dramaturgia e concepção da Opera “On The Beach”, uma nova criação para “Einstein On The Beach” de Bob Wilson e Phillip Glass. Outras obras em conjunto foram The Clock Tower Gallery e The Watermill Center, no Jerome Robbins Theater, também em Nova Iorque; The Hamburger Bahnhof, no Museum für Gegenwart , em Berlim e Frankfurter Kunstverein, no Museum of Contemporary Art Odense, em Frankfurt, entre outros.

Mais sobre o artista:

Formado pela Faculdade islandesa de Artes e Ofícios (agora a Academia islandesa das Artes), em 1997, e a Universidade de Paris, St.Denis, Egill Sæbjörnsson possui obras em importantes coleções privadas e museus ao redor do mundo e inúmeras premiações, incluindo obras públicas para as cidades de Berlim e Allen, na Alemanha.

Nascido em 1973 em Reykjavik, na Islândia, atualmente mora em Berlim, Alemanha, com  sua mulher, a diretora brasileira Marcia Moraes. Egill visita regularmente o Rio de Janeiro, desde 2007. Algumas de suas obras inspiradas na cidade estão em coleções e museus de diversos países mas eram, até então, inéditas no país.

A obra de Sæbjörnsson é marcada pela inter-relação entre componentes de música, vídeo e artes plásticas, portanto não podem ser descritos apenas como instalações. Elas são de uma só vez conjuntos de desempenho, acumulações de escultura e desenhos tridimensionais. Ele usa todos esses métodos para criar uma linguagem visual distinta, muitas vezes misturada a peças em percepção.

Pop Up em O Lagarto:

Oi Futuro Ipanema

Em cartaz até 30 de agosto

Sábados e domingos, às 16h e as 16h50

Endereço: Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema

Informações: (21) 3131- 9333

Bilheteria: de terça a sexta, das 15h às 21h, e aos sábados e domingos, das 14h às 21h.

Entrada: R$ 15

Francis Ford Coppola: o Cronista da América

A mostra Francis Ford Coppola: o Cronista da América celebra um dos maiores diretores da história do cinema, um artista consagrado que continua a se reinventar em pleno século XXI. Serão exibidos 25 filmes dirigidos por Coppola para o cinema, desde suas primeiras produções – os “skin flicks” Tonight for Sure e The Bellboy and the Playgirls -, passando pelo terror B dirigido para o produtor Roger Corman, Demência 13, pelos sucessos de público e de crítica dos anos 1970 – O Poderoso Chefão, O Poderoso Chefão – Parte II e Apocalypse Now Redux – até sua fase mais recente de experimentações com o digital (Tetro) e com o 3D (Virgínia).

Inédita no Brasil, a mostra apresenta também dois documentários Francis Ford Coppola: O Apocalipse de Um Cineasta, de Fax Bahr, George Hickenlooper e Eleanor Coppola, sobre a tumultuada realização da obra-prima Apocalypse Now; e A Década que Mudou o Cinema, de Ted Demme e Richard LaGravenese, sobre a década de 70, quando houve uma grande mudança no cinema americano, no qual Coppola é um dos personagens. Será realizado um debate, no dia 11 de juho (quinta), com o crítico de cinema Gilberto Silva Jr. e o professor Rafael de Luna, e editado um luxuoso catálogo com mais de 300 páginas sobre a obra do diretor e produtor.

Sobre Coppola

Francis Ford Coppola foi o primeiro diretor egresso de uma universidade (UCLA), o patrono do “Renascimento do Autor” nos Estados Unidos, o principal expoente da “Nova Hollywood” e o responsável por lançar nomes como George Lucas, John Milius, Al Pacino, Robert Duvall e James Caan no cinema.

Em 1961, com Tonight for Sure, iniciava-se a carreira que renderia ao cineasta 5 Oscars e 2 Palmas de Ouro em Cannes (por A Conversação e Apocalypse Now), que o levaria a fundar seu próprio estúdio – o Zoetrope Studios – e que, para fechar o ciclo, retornaria à produção independente e autoral em seus últimos filmes.

Coppola, junto com William Friedkin, Peter Bogdanovich, Brian De Palma, Martin Scorsese, Terrence Malick, George Lucas, Steven Spielberg e Michael Cimino, integra a geração de diretores norte-americanos que, nos anos 70, influenciados pela Nouvelle Vague e pela explosão de Cinemas Novos ao redor do mundo, tomou de assalto Hollywood, que estava em crise desde a falência do “Studio System” (a linha de montagem que os grandes estúdios possuíam, controlando todas as etapas para a realização dos filmes). Peter Biskind os chama de “Easy Rider, Raging Bull”: nunca os diretores contaram com tamanha liberdade artística e criativa dentro da maior indústria cinematográfica do planeta.

O Poderoso Chefão (1972) foi o marco divisor de águas para o “renascimento do autor” no cinema norte-americano. Com 134 milhões de dólares de bilheteria (apenas nos EUA), recorde na época, a saga da família Corleone foi o primeiro “round” na batalha entre os novos executivos dos grandes estúdios, egressos dos departamentos de marketing, e os jovens diretores que ansiavam deter o controle artístico sobre os próprios filmes.

Ainda em 1969, Coppola fundou, com os amigos George Lucas e Walter Murch, a produtora American Zoetrope, estabelecendo-a em São Francisco. Pegou 600 mil dólares de empréstimo com a Warner Brothers para desenvolvimento de projetos, mas o estúdio exigiu o financiamento de volta quando não aprovou os roteiros apresentados.

A fim de pagar a dívida com a Warner, Coppola aceitou, por sugestão de George Lucas, dirigir O Poderoso Chefão. Seu desejo era realizar filmes pequenos, baseados em seus próprios roteiros, como seria A Conversação, mas o sucesso de O Poderoso Chefão e O Poderoso Chefão – Parte II o levaram a apostar em Apocalypse Now.

Como no acordo inicial da American Zoetrope com a Warner, Coppola outra vez arriscou: o diretor colocou o próprio dinheiro e, com os direitos sobre a produção, faturou alto quando Apocalypse Now se provou mais um blockbuster em sua carreira.

Em 1980, Coppola abriu o Zoetrope Studios. Ao mesmo tempo, avançou com a idéia do “cinema eletrônico”, em que integrava pré-produção, produção e pós-produção, ao invés de separá-las, e fazia uso extensivo do vídeo como ferramenta de auxílio durante a filmagem, a edição e a mixagem. Ao custo de 27 milhões de dólares, Do Fundo do Coração foi um fracasso de público e de crítica, selando o destino do Zoetrope Studios, que foi vendido em 1982.

Durante as décadas de 1980 e 1990, ele trabalhou como diretor contratado pelos estúdios, em projetos com a intenção de pagar os débitos acumulados com o Zoetrope Studios. Os maiores sucessos comerciais de Coppola no período foram Vidas Sem Rumo,Peggy Sue – Seu Passado à Espera e o inesperado Drácula de Bram Stoker. Em 1990, o diretor retornou a O Poderoso Chefão, realizando a parte final da trilogia

Francis Ford Coppola, então, se retirou para sua vinícola no Vale do Napa, na Califórnia. Porém, no despertar do século XXI, ele se reinventou. Primeiro, através da filha, Sofia Coppola, para quem produziu As Virgens Suicidas, Encontros e Desencontros, Maria Antonieta, Um Lugar Qualquer e Bling Ring – A Gangue de Hollywood. Depois, novamente, como diretor de filmes independentes, voltando ao projeto original de sua carreira: Velha Juventude, Tetro e Virgínia.

Programação Rio de Janeiro – CCBB (3 a 29 de junho) e Odeon (18 a 24 de junho):

Dia 3 de junho, quarta, CCBB:

– 14h – Jack, de Francis Ford Coppola. EUA, 1996. 113 min. Livre

– 16h30 – Tetro, de Francis Ford Coppola. EUA, 2009. 127 min. 14 anos.

Dia 4 de junho, quinta, CCBB:

– 16h – Agora Você é um Homem (You’re a Big Boy Now), de Francis Ford Coppola.

EUA, 1966. 96 min. Livre.

– 18h – O Poderoso Chefão (The Godfather), de Francis Ford Coppola. EUA, 1972. 175 min. 14 anos.

Dia 5 de junho, sexta, CCBB: – 15h30 –

Tucker, Um Homem e Se u Sonho

(Tucker, The Man and His Dream), de

Francis Ford Coppola. EUA, 1988. 110 min. Livre.

– 18h – O Poderoso Chefão, Parte II (The Godfather, Part II), de Francis Ford Coppola. EUA, 1974. 200 min. 14 anos.

Dia 6 de junho, sábado, CCBB:

– 16h30 – Caminhos Mal Traçados (The Rain People), de Francis Ford Coppola. EUA, 1969. 101 min. 14 anos.

– 19h – A Conversação (The Conversation, 1974), de Francis Ford Coppola. EUA, 1974. 113 min. 14 anos.

Dia 7 de junho, domingo, CCBB:

– 14h – A Década que Mudou o Cinema (A Decade Under Influence, 2003), de Ted Demme e Richard LaGravenese. EUA, 2003. 138 min. Livre.

– 17h – Vidas Sem Rumo (The Outsiders), de Francis Ford Coppola. EUA, 1983. 91 min. Livre.

– 19h – O Selvagem da Motocicleta (Rumble Fish), de Francis Ford Coppola. EUA, 1983. 94 min. 14 anos.

Dia 8 de junho, segunda, CCBB:

– 16h30 – Jardins de Pedra (Gardens of Stone), de Francis Ford Coppola. EUA, 1987.

111 min. 14 anos.

– 19h – Tetro, de Francis Ford Coppola. EUA, 2009. 127 min. 14 anos.

Dia 10 de junho, quarta, CCBB:

– 16h30 – A Conversação (The Conversation) de Francis Ford Coppola. EUA, 1974. 113 min. 14 anos.

– 19h – O Caminho do Arco-Íris (Finian’s Rainbow), de Francis Ford Coppola. EUA, 1968. 141 min. Livre.

Dia 11 de junho, quinta, CCBB:

– 16h30 – Do Fundo do Coração (One from the Heart), de Francis Ford Coppola. EUA, 1982. 107 min. 14 anos.

– 19h – Debate sobre a obra do diretor e produtor Francis Ford Coppola com o crítico de cinema Gilberto Silva Jr. e o professor Rafael de Luna, mediação do curador Paulo Ricardo Gonçalves de Almeida.

Dia 12 de junho, sexta, CCBB:

– 16h30 – Virgínia (Twixt) de Francis Ford Coppola. EUA, 2011. 88 min. 14 anos.

– 19h – Drácula de Bram Stoker (Bram Stoker’s Dracula), de Francis Ford Coppola.

EUA, 1992. 128 min. 14 anos.

Dia 13 de junho, sábado, CCBB:

– 16h30 – Tonight for Sure, de Francis Ford Coppola. EUA, 1961. 69 min. 14 anos.

– 19h Vidas Sem Rumo (The Outsiders), de Francis Ford Coppola. EUA, 1983. 91 min. Livre.

Dia 14 de junho, domingo, CCBB:

– 14h – A Década que Mudou o Cinema (A Decade Under Influence, 2003), de Ted Demme e Richard LaGravenese. EUA, 2003. 138 min. Livre.

– 16h30 – The Bellboy and the Playgirls, de Francis Ford Coppola e Fritz Umgelter.

EUA, 1962 . 94 min. 14 anos.

– 19h – O Caminho do Arco-Íris (Finian’s Rainbow), de Francis Ford Coppola. EUA, 1968. 141 min. Livre.

Dia 15 de junho, segunda, CCBB:

– 16h30 – Caminhos Mal Traçados (The Rain People), de Francis Ford Coppola. EUA, 1969. 101 min. 14 anos.

– 19h – O Selvagem da Motocicleta (Rumble Fish), de Francis Ford Coppola. EUA, 1983. 94 min. 14 anos.

Dia 17 de junho, quarta, CCBB:

– 16h30 – Cotton Club (The Cotton Club), de Francis Ford Coppola. EUA, 1984. 127 min. 14 anos.

– 19h – Do Fundo do Coração (One from the Heart), de Francis Ford Coppola. EUA, 1982. 107 min. 14 anos.

Dia 18 de junho, quinta: CCBB

– 16h – The Bellboy and the Playgirls, de Francis Ford Coppola e Fritz Umgelter.

EUA, 1962 . 94 min. 14 anos.

– 18h – Jack, de Francis Ford Coppola. EUA, 1996. 113 min. Livre

Odeon

– 21h – Apocalypse Now Redux (Apocalypse Now Redux), de Francis Ford Coppola.

EUA, 2001. 202 min. 14 anos.

Dia 19 de junho, sexta, CCBB:

– 16h30 – Tonight for Sure, de Francis Ford Coppola. EUA, 1961. 69 min. 14 anos.

– 19h – Agora Você é um Homem (You’re a Big Boy Now), de Francis Ford Coppola.

EUA, 1966. 96 min. Livre.

Dia 20 de junho, sábado:

CCBB

– 18h30 – Demência 13 (Dementia 13, 1963), de Francis Ford Coppola. EUA, 1963. 75 min. 14 anos. Odeon

– 21h – Drácula de Bram Stoker (Bram Stoker’s Dracula), de Francis Ford Coppola.

EUA, 1992. 128 min. 14 anos.

Dia 21 de junho, domingo:

CCBB

– 15h30 – Contos de Nova York (New York Stories), de Francis Ford Coppola, Martin

Scorsese, Woody Allen. EUA, 1989. 124 min. Livre

– 18h – Cotton Club (The Cotton Club), de Francis Ford Coppola. EUA, 1984. 127 min. 14 anos. Odeon

– 21h – Virgínia (Twixt) de Francis Ford Coppola. EUA, 2011. 88 min. 14 anos.

Dia 22 de junho, segunda:

CCBB

– 16h – Francis Ford Coppola: O Apocalipse de Um Cineasta (Hearts of Darkness: A

Filmmaker’s Apocalypse), de Fax Bahr, George Hickenlooper e Eleanor Coppola. EUA, 1991. 96 min. Livre

– 18h – Jardins de Pedra (Gardens of Stone), de Francis Ford Coppola. EUA, 1987. 96 min. 14 anos.

Odeon

– 21h – Peggy Sue, Seu Passado a Espera (Peggy Sue Got Married), de Francis Ford Coppola. EUA, 1986. 103 min. Livre.

Dia 23 de junho, terça, Odeon:

21h – O Poderoso Chefão (The Godfather), de Francis Ford Coppola. EUA, 1972. 175 min. 14 anos.

DIa 24 de junho, quarta:

CCBB

– 16h – Demência 13 (Dementia 13, 1963), de Francis Ford Coppola. EUA, 1963. 75 min. 14 anos

– 18h – O Homem que Fazia Chover (The Rainmaker), de Francis Ford Coppola. EUA, 1997. 135 min. Livre.

Odeon

– 21h – O Poderoso Chefão, Parte II (The Godfather, Part II), de Francis Ford Coppola. EUA, 1974. 200 min. 14 anos

Dia 25 de junho, quinta, CCBB:

– 15h30 – Contos de Nova York (New York Stories), de Francis Ford Coppola, Martin

Scorsese, Woody Allen. EUA, 1989. 124 min. Livre

– 18h – O Poderoso Chefão, Parte III (The Godfather, Part III), de Francis Ford Coppola. EUA, 1990. 162 min. 14 anos.

Dia 26 de junho, sexta, CCBB:

– 16h30 – Velha Juventude (Youth without Youth), de Francis Ford Coppola. EUA,

2007. 124 min. 14 anos.

– 19h –

Tucker, Um Homem e Seu Sonho

(Tucker, The Man and His Dream), de

Francis Ford Coppola. EUA, 1988. 110 min. Livre.

Dia 27 de junho, sábado, CCBB:

– 15h – Francis Ford Coppola: O Apocalipse de Um Cineasta (Hearts of Darkness: A

Filmmaker’s Apocalypse), de Fax Bahr, George Hickenlooper e Eleanor Coppola. EUA,

1991. 96 min. Livre

– 17h30 – Apocalypse Now Redux (Apocalypse Now Redux), de Francis Ford Coppola.

EUA, 2001. 202 min. 14 anos.

Dia 28 de junho, domingo, CCBB:

– 16h – O Poderoso Chefão, Parte III (The Godfather, Part III), de Francis Ford Coppola. EUA, 1990. 162 min. 14 anos.

– 19h – O Homem que Fazia Chover (The Rainmaker), de Francis Ford Coppola. EUA, 1997. 135 min. Livre.

Dia 29 de junho, segunda, CCBB:

– 16h30 – Peggy Sue, Seu Passado a Espera (Peggy Sue Got Married), de Francis Ford Coppola. EUA, 1986. 103 min. Livre.

– 19h – Velha Juventude (Youth without Youth), de Francis Ford Coppola. EUA, 2007. 124 min. 14 anos.

FRANCIS FORD COPPOLA: O CRONISTA DA AMÉRICA

Patrocínio: Banco do Brasil

Realização: Centro Cultural Banco do Brasil

Curadoria: Paulo Ricardo Gonçalves de Almeida Produção: Voa! Comunicação e Cultura http://www.bb.com.br/cultura

Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro

3 a 29 de junho de 2015 (quarta a segunda-feira)

Rua Primeiro de Março 66, Centro, tel (21) 3808-2020 Salas de Cinema 1 (98 lugares) – Ingressos: R$ 4 e R$ 2 (meia). http://www.twitter.com/ccbb_rjhttp://www.facebook.com.br/ccbb.rj

Centro Cultural Severiano Ribeiro – ODEON

18 a 24 de junho de 2015

Praça Floriano, 7 – Cinelândia – tel. (21) 2240-1093

Ingressos: R$ 24 (segunda a sexta), R$ 18 (sábado, domingo, feriado)

“A Cigarra e a Formiga”, no Miguel Falabella

A montagem, adaptada do conto de La Fontaine e dirigida por Allan Ragazzy, narra o conflito entre uma formiga, que passa os dias recolhendo folhas e alimentos e se preparando para o inverno, e uma cigarra, que não se importa com o amanhã e só pensa em cantar com sua viola nos dias de verão.

Mas, com a chegada do rigoroso inverno, a cigarra, faminta e quase congelando, pede ajuda à formiga, mas é esnobada por ter sido preguiçosa enquanto todos trabalhavam. Mais tarde, a formiga decide aceitar a cigarra em sua casa com a seguinte condição: que ela cante e anime os demais hóspedes e os aqueça também com a sua música.

A luz, assinada por Allan Ragazzy, cria toda a atmosfera de uma floresta, com efeitos especiais para retratar a passagem do dia para a noite e também a mudança de estação. ‘A chegada do inverno em cena será marcada com o cair da neve sobre o palco. É o ponto alto da peça’, enfatiza Allan.

Os arranjos e direção musical de Denis Goursand trazem a influência das canções africanas, criando o clima perfeito para o ambiente da peça. Há também jazz, R&B e funk para os números de sapateados, acompanhados de grandiosos arranjos vocais.

Serviço:

Temporada: até 21/06/15

Dias da semana: sábados e domingos

Local: Teatro Miguel Falabella

Endereço: Norte Shopping – Av. Dom Hélder Câmara, 5332 – Pilares, Rio de Janeiro –

Horários: 16h

Lotação: 455 lugares

Valor: R$ 50 (Inteira) R$ 25 (Meia entrada para estudantes e idosos)

Vendas antecipadas nos sites: www.ingressomirim.com ou www.clubinhodeofertas.com.br

Informações: (21) 2289-3330 / 3449-9908 – via WhatsApp: (21) 99142-4423

Bilheteria: terça a domingo das 15h às 21h – ((21) 2597-4452)

Duração: 60 minutos

Classificação: livre

Ficha Técnica

Elenco:

Twigg – Formigana

Sabrina Coelho – Cigarra

Aléxia Pires – Formigalha

Hugo Faro – Formiguel

Paulo Eduardo Campos – Zangão

Cosme Motta Jr. – Grilúcio

Stand in:

Wendel Mendes

Diana Cataldo

Texto, Direção e Canções Originais – Allan Ragazzy

Assistente de Direção – Leandro Bispo
Direção e Produção Musical – Denis Goursand
Coreografia – Pablo Ventura
Cenário – Mario Pereira

Adereços – Márcio Menta
Figurino – Paulo Kandura
Iluminação – Allan Ragazzy

Caracterização – Susana Cardoso

Arranjos Instrumentais – Denis Goursand e Nélio Jr.
Fotografia – Helmut Hossmann

Produtor Associado – Allan Ragazzy
Direção de Produção – Deise Reis e Leandro Bispo

“Aladin – O musical”, na Arena Jovelina Pérola Negra

Em homenagem ao clássico da literatura infantil “Aladdin”, o espetáculo “Aladin – O musical”, uma adaptação de Tamar Rodrigues e direção de Daniel Assumpção, relembra as aventuras da princesa Jasmine, do vilão Jafar, do inesquecível Gênio da Lâmpada, do jovem Aladdin e seu macaquinho Abu. A peça convida a criançada aembarcar nessa aventura no dia 17/05 (domingo), às 17h, na Arena Jovelina Pérola Negra. Os ingressos variam entre R$ 10 (meia-entrada) e R$ 20 (inteira).

A história, baseada no filme da Disney lançado em 1922, narra o romance de Jasmine, filha do sultão, com o plebeu Aladdin. Os dois se conhecem e descobrem muitas afinidades, mas Jafar, como todo vilão, faz o possível para atrapalhar esse romance. Porém, ao descobrir a existência de lâmpada mágica que realiza qualquer desejo, Aladdine Jafarf azem de tudo para conseguir capturá-la. A partir daí o divertido Gênio entra em cena e embarca nasinúmeras aventuras pela cidade de Agrabah.

Ficha técnica
Direção: Daniel Assumpção
Adaptação:Tamar Rodrigues e Daniel Assumpção
Produção: Carlos Aguiar
Assistente de Produção: Maria Eduarda
Cenário: Isaías Nascimento
Figurino: Tamar Rodrigues
Coreografia: Ariel Rodrigues
Operador de Som:Jaque Marques
Operador de Luz: Jéssica Cavalcante
Vídeo: Yago Mariano
Fotos: Agatha Medeiros
Design: Gilberto Félix
Parceria: Assumpção Produções
Realização: Sociedade dos Poetas

Serviço:
“Aladdin- O musical”
Dia: 17/05 (domingo), às 17h
Local: Arena Jovelina Pérola Negra
Endereço: Praça Ênio, s/n, Pavun.
Tel.: (21) 2886-3889
Ingressos: R$ 10 (meia-entrada) e R$ 20 (inteira)
Classificação livre
A Arena possui acesso para deficientes físicos e estacionamento gratuito.

Rock´n Lixo – Uma história para reciclar o Brasil

O musical ecológico ‘Rock´n Lixo – Uma história para reciclar o Brasil’ faz apresentações gratuitas, do dia 30 de abril a 24 de junho, nas Arenas e Lonas Culturais da Prefeitura do Rio de Janeiro, passando pelos bairros da Penha, Vista Alegre, Pavuna, Pedra de Guaratiba e Maré. Em todas as sessões haverá intérprete de Libras

A montagem pretende, de forma lúdica e divertida, despertar nas crianças o interesse para as questões ambientais, sobretudo a importância da separação do lixo e a reciclagem. Com uma encenação atrativa, os atores se utilizam de múltiplas linguagens, misturando teatro de animação – através de manipulação de bonecos – e música ao vivo, com uma banda de rock.

Em cena, a história da menina Gaia, que adora construir obras de arte com materiais descartados no lixão. Entre uma busca e outra, ela faz amizade com Plastrícia (o plástico), Metaulo Autran (o metal), Vidrícius de Moraes (o vidro) e Papenélope (o papel), além dos orgânicos Macaxeira, que veio diretamente do interior pernambucano, e a caribenha Salsa. Sucatas que, na imaginação de Gaia, se transformam em carismáticos personagens, que moram no lixo e com quem ela vive várias aventuras.

A menina se vê em apuros quando é perseguida pelo dono da área, César, um rato filosófico que gosta de viver na sujeira e não pensa em mudar.  Ele e sua gangue de micróbios e bactérias querem pôr um fim nas campanhas de reciclagem.

Reciclados em cena

Para ser fiel à mensagem da peça, o cenário, figurino, instrumentos de percussão e bonecos manipulados pelo elenco são confeccionados, quase que em sua totalidade, com materiais  reutilizados. As sucatas vêm da separação do lixo doméstico, de garimpos em lixos de escritório, ferros-velhos, refugos de confecções de roupas e mutirões de coleta na praia. Os atores auxiliam a banda tocando instrumentos feitos de garrafão de água e lata, mangueira de borracha, baldes de tinta, garrafa PET e outras invencionices ecologicamente responsáveis.

Programação:
Mês de abril
Arena Carioca Dicró – Carlos Roberto de oliveira:
Endereço: Parque Ari Barroso, s/nº. Penha –
Datas: 30 de abril (quinta–feira)
Horário: sessão às 14h
Telefone: (21) 3486-7643
Capacidade: 338 lugares
Classificação: Livre
Entrada franca
Duração: 60 minutos

Mês de Maio
LONA CULTURAL MUNICIPAL JOÃO BOSCO – VISTA ALEGRE
Endereço: Av. São Félix, 601 – Parque Orlando Bernardes
Datas: 06 de maio (quarta-feira)
Horário: sessão às 14.
Telefone: 2482-4316
Capacidade: 320 lugares
Classificação: Livre
Entrada: Franca
Duração: 60 minutos

Arena Carioca Jovelina Pérola Negra:
Endereço: Praça Ênio, s/nº. Pavuna
Datas: 29 de maio (sexta-feira)
Horário: sessões às 10h e às 14h
Telefone: 2886-3889
Capacidade: 330 lugares
Classificação: Livre
Entrada: Franca
Duração: 60 minutos

Mês de junho
Arena Carioca Abelardo Barbosa – Chacrinha
Endereço: Rua Soldado Eliseu Hipólito, s/nº. Pedra de Guaratiba.
Data: 10 de junho (quarta-feira)
Horário: sessões às 10h e às 14h.
Telefone: (21) 3404-7980
Capacidade: 330 lugares
Classificação: Livre
Entrada: Franca
Duração: 60 minutos

LONA CULTURAL MUNICIPAL HEBERT VIANNA
Endereço: Rua Ivanildo Alves s/nº  – Maré
Data: 24 de junho
Horário: sessões às 09h e às 14h
Telefone: 3105-6815
Capacidade: 320 lugares
Classificação: livre
Entrada: Franca
Duração: 60 minutos

*****

Ficha Técnica
Texto e Canções : Adriana Maia, Ana Luisa Leite e Leonardo Lois
Direção: Adriana Maia
Bonequeira: Fátima Café
Direção : Adriana Maia
Direção Musical & Arranjos : Leonardo Lois
Direção de Arte : Maria Estephania e Adriano de Ferreira
Iluminação : Anderson Ratto
Engenharia de som: Pedro Quintaes
Coreografia : Roberta Nogueira e Carol Botelho
Elenco & Músicos:
Ana Luisa Leite – Plastrícia, Anameba, La Salsa
Eduardo da Matta
Fábio Florentino – Catão
Fernanda Biancamano  – Gaia
Gustavo Maranhão – Metaulo Autran, Barbaractéria, Macaxeira
Janaina Rita – Papenélope, Mãe
Paulo Emmery
Pedro Wilson – Vidrícius, César (o rato)
Rafael Balla
Vicente Barroso
Consultor de conteúdo : Leonardo Kaplan
Programação visual : Giovana Casaccia, Marina Rozenthal e Gabriela Noval
Assessoria de imprensa: Lyvia Rodrigues (Aquela que divulga )
Produção: Pagu Produções Culturais
Realização: Nova Arte Produções

Apresentações gratuitas de “Pedro Malazarte e a Arara Gigante”

Com o apoio do Fomento Carioca, o infantil “Pedro Malazarte e a Arara Gigante” que já recebeu 12 indicações a prêmios no Rio de Janeiro, chega à Lona Cultural Chacrinha, para  apresentações gratuitas no dia 30 de abril, às 11 e 14h.

Personagem folclórico e consagrado pelas brincadeiras malandras, o infantil escrito pelo gaúcho Jorge Furtado tem direção de Debora Lamm e elenco formado por George Sauma, João Pedro Zappa, Luisa Arraes, Cadí Oliveira e André Sigaud.

O texto acompanha o encontro entre dois personagens Pedro (George Sauma) e Janota (João Pedro Zappa), um homem que sofre um acidente de carro. Amiga de Pedro, Berenice (Luisa Arraes) chega ao encontro dos dois e se envolve nas confusões de Malazarte. Ao pedir ajuda a Malazarte, que assiste à cena encostado tranquilamente na cerca à beira da estrada, o rapaz se envolve numa série de trapalhadas e é incapaz de compreender a lógica do novo amigo.

O texto original nasceu das doces lembranças das histórias que o autor ouvia na infância – sensação que acompanha agora toda a equipe envolvida na montagem. “Pedro Malazarte é um personagem que tem uma brasilidade bem forte e está na nossa memória afetiva. Uma espécie de João Grilo, de Suassuna, ou de um Arlequim, da commedia dell’Arte”, compara Debora, que dirige seu segundo espetáculo e o primeiro infantil.

A força do personagem e o texto inteligente de Jorge Furtado motivaram a atriz Luisa Arraes, filha de Guel Arraes, a idealizar o projeto ao lado da produtora Tatianna Trinxet, e chamar os amigos para embarcar nas travessuras de Malazarte.

“Encontrei o texto lá em casa e resolvi ler para o meu irmão de seis anos. Ele não parava de rir um segundo. E eu também! Foi aí que percebi a força que a história teria no palco”, lembra a atriz, acrescentando que não são só as crianças que vão se divertir com o espetáculo. “É aquele tipo de projeto que agrada a qualquer idade”.

FICHA TÉCNICA
Idealização: Luisa Arraes
Texto e letras: Jorge Furtado
Direção: Debora Lamm
Direção musical: Ricco Viana
Elenco: George Sauma(Pedro Malazarte), João Pedro Zappa(Janota), Luisa Arraes(Berenice) e Cadi Oliveira(Vaca)
Músico em cena: André Sigaud
Supervisão de movimento e coreografias: Ana Paula Bouzas
Luz: Renato Machado
Cenografia: Rebecca Belsoff e Antônio Guedes
Figurino: Antônio Guedes
Visagismo: Josef Chasilew
Direção de produção: Tatianna Trinxet
Realização: Constelar – Arte, Diversão e Cultura

SERVIÇO:
Pedro Malazarte e a Arara Gigante
LOCAL: Lona Cultural Chacrinha – (Pedra de Guaratiba)
Data: 30 de abril
Endereço: Rua Soldado Elizeu Hipólito, 138 – Guaratiba – Telefone (21) 3404 – 7980
Horários: 11 e 14h
Ingressos: GRATUITOS
Classificação: Livre
Duração: 60 min.
Gênero: Infantil
Capacidade: 330 Lugares

Conheça o curso “A Cobra na Bacia”, da Intrépida Trupe

Imagine iniciativas de experiências coletivas reunindo o espírito lúdico, o imaginário do circo e práticas acrobáticas em um processo de aprendizagem que amplia a eficácia e as habilidades motoras das crianças e adolescentes. Esta realidade é notória a partir da experiência da Intrépida Trupe com o seu curso A Cobra na Bacia, criado em 1996 com a intenção de compartilhar com crianças a experiência de linguagem da Intrépida Trupe, pioneira na união de circo, dança, música e teatro e referência de circo contemporâneo no Brasil.

Este curso é um campo de observação, investigação, de experimentações e de formação, tanto para os alunos como para os professores, que trabalham a educação de forma ampla, com atenção voltada para a aproximação, acolhimento, inclusão e afetividade. No ganho de consciência através da disciplina, do esforço físico e da brincadeira, estas crianças e adolescentes superam facilmente seus limites, de maneira prazerosa, sentindo no corpo o bem estar proporcionado pelas práticas lúdicas, corporais e criativas que facilitam a auto realização e a socialização dos participantes.

Nos horários já existentes do curso A Cobra Na Bacia, estão abertas 30 vagas gratuitas para o período de abril a julho de 2015, para crianças e adolescentes matriculados em escolas públicas dos arredores da Lapa, sendo 10 vagas na turma da manhã, de 8h30 às 10h30, e 20 vagas na turma da tarde, de 17h às 19h, sempre às terças e quintas, com um total de quatro meses de duração. E ainda estão abertas as inscrições para demais interessados para o curso pago.

As oficinas livres, uma série de sete encontros de formação a serem realizados nas manhãs de sábado, entre abril e junho de 2015, reunirão a cada encontro 70 crianças e adolescentes, também de 05 a 16 anos de idade, no Espaço de Criação Intrépida Trupe, na Fundição Progresso, sendo 50 vagas gratuitas para alunos matriculados em escolas públicas e 20 vagas para demais interessados, a R$20,00 por aula, que podem aumentar em função da não adesão dos alunos da rede pública.

A Intrépida Trupe, com o projeto A Cobra na Bacia, dá continuidade ao processo de formação estética e de iniciação de crianças e adolescentes nas artes do circo. Serão contempladas ao todo 430 (quatrocentas e trinta) crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, que residem nos bairros e comunidades da região central do Rio de Janeiro, em torno do Espaço de Criação Intrépida Trupe, ou seja, áreas da Lapa, Centro, Glória, Catete, Santa Teresa, Gamboa, Santo Cristo. Tais crianças e adolescentes deverão estar regularmente matriculados em creches ou escolas públicas.

As oficinas livres aos sábados (11/04, 18/04, 9/05, 16/05, 23/05, 30/05 e 13/06) terão duração de 2 horas e meia cada. Começaram com uma dramatização de 30 minutos, como estimulo ao aquecimento e preparação do corpo, a seguir um circuito acrobático de solo e aéreo passando por várias atividades acrobáticas e de habilidades motoras, como malabares e equilíbrio sobre uma bola, etc., e, finalizando cada encontro, uma apresentação aos familiares e amigos presentes do material trabalhado naquela manhã. A 7ª oficina finaliza a série, com a apresentação de momentos marcantes dos encontros anteriores e de expressões cênicas e coletivas dos alunos formados durante o projeto. Neste dia, as 430 (quatrocentas e trinta) crianças participantes, acompanhadas dos familiares e professores, farão uma grande ocupação artística na Fundição Progresso.
SERVIÇOS ‘A COBRA NA BACIA’
CURSOS REGULARES
TERÇAS E QUINTAS
8h30 às 10h30 – 10 vagas (alunos de 05 a 16 anos matriculados na rede pública de ensino)
17h às 19h – 20 vagas (alunos de 05 a 16 anos matriculados na rede pública de ensino)
Necessária inscrição prévia
Demais alunos: R$230,00 mensais (2x por semana), 130,00 mensais (1 x por semana)
E R$40,00 (aula avulsa ou experimental). Matrícula: R$40,00 Mais informações: aulas@intrepidatrupe.com.br

OFICINAS LIVRES
SÁBADOS – 11/04, 18/04, 9/05, 16/05, 23/05, 30/05 e 13/06
Horário: 10h às 12h30
Serão distribuídas 50 senhas a cada sábado para alunos da rede pública de ensino
Distribuição de senhas no dia e local das oficinas a partir das 9h30.
Demais alunos: R$20,00 por aula (vagas limitadas)

ESPAÇO DE CRIAÇÃO DA INTRÉPIDA TRUPE
Fundição Progresso (Rua dos Arcos, 24 – Lapa) Informações: aulas@intrepidatrupe.com.br
Classificação Etária: de 05 a 16 anos
Patrocínio: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro – Secretaria Municipal de Cultura
Parceria: Fundição Progresso
Realização: Intrépida Trupe, Funarte, Ministério da Cultura e Governo Federal – Brasil – País Rico é País sem Pobreza
“Este projeto foi contemplado com o PRÊMIO FUNARTE CAIXA CAREQUINHA DE ESTÍMULO AO CIRCO.”

Mas por quê??! – A história de Elvis

Conseguir lidar com a perda não é fácil em nenhuma idade. Será que existe alguma fórmula mágica que nos permite aceitar a morte, com leveza e tranquilidade, sem tanto sofrimento? Para onde vão as coisas que perdemos? É possível viajar para dentro da própria cabeça em busca de respostas? Idealizada por Felipe Lima e Pablo Sanábio, a peça “Mas por quê??! – A história de Elvis” é baseada no livro infantil homônimo do escritor e ilustrador alemão Peter Schössow. Com direção de Renato Linhares e texto de Rafael Gomes e Vinicius Calderoni, a adaptação da obra é inédita no Brasil e tem sua estreia marcada para o dia 4 de abril, no Theatro Net Rio. O livro foi lançado no país pela Editora Cosac Naify, em 2008.

O espetáculo “Mas por quê??! – A história de Elvis” conta a história de Cecília (Letícia Colin), uma menina que está inconformada com a morte de Elvis, o seu canário belga. Na tentativa de achar respostas para suas perguntas, a heroína aprenderá a superar a dor da perda em uma viagem fantástica pelo próprio inconsciente. Nessa trajetória, Cecília irá atravessar os recantos mais divertidos e delirantes de suas lembranças.

Na adaptação teatral, a trilha sonora é composta somente por músicas do astro americano Elvis Presley e será executada pelos próprios atores em cena. Na peça, Cecília ganha um canário do avô e decide chamá-lo de Elvis em homenagem ao Rei do Rock: “o nome dele vai ser Elvis. Porque ele vai cantar tão bonito quanto o Elvis Presley, vovô”. Com direção musical de Felipe Habib, as canções permeiam o espetáculo e dialogam com as cenas. “Achamos que as músicas não precisavam de tradução. Elas traduzem a sensação e a emoção da cena”, explica Pablo Sanábio, idealizador do projeto.

Letícia Colin, Júlia Gorman, Marcel Octavio, Pedro Lima e Simone Mazzer formam o elenco que toca e canta oito clássicos de Elvis Presley: Tutti frutti, A little less conversation, Hound dog, Blue suede shoes, Can’t help falling in Love, Always on my mind, Bridge over troubled water e Love me tender. No palco, instrumentos variados (piano, acordeom, saxofone, violão, guitarra, baixo, ukulele, bateria e castanholas) são compartilhados entre os atores. “Eu ouvia muito Elvis Presley quando era pequeno. Poder inventar uma viagem pelas memórias perdidas de uma criança, embalado pelas canções do Rei do Rock, tem sido uma experiência incrível”, diz o diretor Renato Linhares.

A cenografia de Bia Junqueira é toda feita de papelão, papéis e plásticos. É um espaço abstrato que tanto pode ser um parque quanto a cabeça da protagonista. O figurino é assinado por Luciana Buarque e a iluminação fica a cargo de Luiz Paulo Nenen. Em cena, Cecília (Letícia Colin) aparece arrastando uma mala gigante e pesada que tem o dobro do seu tamanho. Ela está revoltada com a morte do seu passarinho, o Elvis, e sem conseguir entender a tristeza causado pela perda, ela grita repetidamente: “mas por quê?!!”. É nesse lugar etéreo que a menina redescobre quatro amigos que estavam perdidos em suas memórias, escondidos dentro de sua cabeça.

Entre os personagens estão: Gilda (Júlia Gorman), avó da menina, uma figura saída de um porta-retrato antigo e que não tem memória. Sebastião (Marcel Octavio), um vilão de filme de pirata que sonha em ser engraçado. Max (Pedro Lima), um urso de pelúcia gigante que foi esquecido no caminhão de mudança. Lili (Simone Mazzer), amiga imaginária que está sempre presente, mas um dia ficou invisível até mesmo para a própria Cecília. Esses quatros amigos tão diferentes entre si vão ajudar a menina a lidar com a perda e a saudade.

SERVIÇO:

“Mas por quê??! – A história de Elvis”
Estreia: 04 de abril
Temporada: 04 de abril a 10 de maio de 2015
Local: Theatro NET Rio
Endereço: Rua Siqueira Campos, 143, Copacabana – Rio de Janeiro
Site: http://www.theatronetrio.com.br
Informações: (21) 2547-8060
Horários: Sábado, às 15h30. Domingo, às 16h
Capacidade: 644 lugares
Valor: R$ 80 / R$ 40 (plateia e frisas) e R$ 60/ R$ 30 (balcão)
Funcionamento Bilheteria: De segunda a domingo, das 10h às 22h
Classificação: Livre
Duração:
Vendas pelo site: http://www.theatronetrio.com.br e http://www.ingressorapido.com.br

FICHA TÉCNICA
Baseado no livro ilustrado de Peter Schossow
Texto: Rafael Gomes e Vinicius Calderoni
Direção Renato Linhares
Elenco: Letícia Colin, Júlia Gorman, Marcel Octavio, Pedro Lima e Simone Mazzer
Idealização: Felipe Lima e Pablo Sanábio
Produção: Felipe Lima e Mariana Serrão
Direção Musical / Preparação Vocal: Felipe Habib
Iluminação: Luiz Paulo Nenen
Cenografia: Bia Junqueira
Figurino: Luciana Buarque
Realização: Sevenx Produções Artísticas

Chapeuzinho Vermelho Como Você Nunca Viu – O Musical

A clássica história da Chapeuzinho Vermelho ganha uma nova versão musical para toda a família. A partir do dia 11 de abril no Teatro Fashion Mall apresenta “Chapeuzinho Vermelho Como Você Nunca Viu – O Musical”, uma adaptação feita por Cleiton Morais e Vinicius Olivo que ficará em cartaz aos sábados e domingos às 17h30.

Com figurinos ricos em detalhes criados pela dupla Herbert Correa e Giovanni Targa, e coreografias de Rodrigo Soares a peça conta com canções originais compostas por Bruno Camurati e Tony Lucchesi, que também assina a direção musical.

Mantendo toda a originalidade do texto que há tempos sobrevive no imaginário de adultos e crianças “Chapeuzinho Vermelho Como Você Nunca Viu” é uma divertida adaptação que conduz o espectador à um novo universo sobre a história. Cenários se misturam aos diversos personagens e criam efeitos lúdicos que encantam a todos.

Na nossa história o lobo é lobo mesmo, como diz uma das canções. Temos a presença de um vilão real que de uma maneira divertida resgata o medo e a emoção entre o duelo “mocinho X vilão”. Mocinho aqui representado pelo caçador, que nessa versão ganha destaque fundamental para o desenrolar dessa aventura – conta Cleiton Morais, responsável pelo texto, direção e produção.
Ficha Técnica:
Texto e Direção: Cleiton Morais e Vinicius Olivo
Elenco: Laura Lobo, Cleiton Morais, Udylê Procópio, Isadora Taam, Marina Motta, Alanna Bergamo, Verônica Medeiros, Moira Osório, Rodrigo Fernando, Drayson Menezzes, Julia Mattos.
Composições: Bruno Camurati e Tony Lucchesi
Direção Musical: Tony Lucchesi
Coreografias: Rodrigo Soares
Sapateado: Helena Sant’Anna
Figurinos: Herbert Correa e Giovanni Targa
Cenografia: Charles Rocha
Design de Luz: Aurélio De Simoni/Axel Mello
Design e Programação Visual: Alonso Martinez
Produção Executiva: Rodrigo Medeiros ( R+Marketing)
Direção de Produção: Cleiton Morais e Vinicius Olivo ( Allegra Produções)

SERVIÇO:
CHAPEUZINHO VERMELHO COMO VOCÊ NUNCA VIU – O MUSICAL
TEATRO FASHION MALL
Estrada da Gávea, 899, sala 213 – São Conrado – Rio de Janeiro – RJ
Ingresso: R$ 60,00 (inteira) R$ 30,00 (meia)
Estreia: 11 de Abril
Temporada: de 18 de abril a 28 de junho.
Horário: Sábado e Domingo 17h30.
Classificação: Livre
Duração: 55 Minutos.
Capacidade do Teatro: 352 lugares.
Telefone do teatro: (21) 2422-9800

“O circo de uma nota Sol”, dia 01/04

No espetáculo “O circo de uma nota Sol”, do grupo Off- Sina, o casal de palhaços Café Pequeno e Currupita se utilizam de instrumentos inusitados como sinos, canecas, panelas, moedas e buzinas para tocar e embalar o público durante a apresentação. A apresentação será no dia 01/04, na Arena Jovelina Pérola Negra, na Pavuna, às 14h, e a entrada é gratuita.

A montagem tem o formato de circo antigo e resgata músicas e paródias clássicas, reforçando a linguagem do palhaço excêntrico e musical do século XVIII. Quando a Comédie Française proibiu artistas de utilizarem instrumentos musicais, os palhaços usaram a criatividade e começaram a utilizar objetos pouco convencionais para produzir música. A partir desse episódio, os palhaços mantiveram a tradição.

Sobre o Grupo Off- Sina

Com 23 anos de existência, o grupo OFF-SINA é uma companhia de circo-teatro que desenvolve um trabalho de pesquisa continuada sobre o teatro popular e a arte do riso, pautados na dramaturgia do palhaço e na sua comicidade, através do resgate da tradição oral circense.

A companhia é formada pelo casal de artistas Richard Riguetti e Lilian Moraes e seus filhos Pedro e Renato Riguetti. Sediadono Rio de Janeiro, o grupo já circulou cerca de 21 Estados e mais de 700 cidades no país com seus espetáculos.

Ficha técnica:

Encenação e dramaturgia: Teófanes Silveira (Biribinha)
Elenco: Lilian Moraes e Richard Riguetti
Direção Musical, arranjos e composições: Daniel Gonzaga
Preparação corporal: Michel Robim
Preparação vocal: Paula Leal
Preparação musical: Bruno Araújo(acordeon), Gabriel Leite(percussão) e Pedro Paes(sax)
Criação, técnica e confecção dos instrumentos: Richard Riguetti
Realização: Grupo Off- Sina

Serviço:
Dia: 01/04 (quarta-feira), às 14h.
Local: Arena Jovelina Pérola Negra.
Endereço: Praça Ênio, s/n, Pavuna.
Tel.: (21) 2886-3889
Entrada gratuita
Classificação livre
A Arena possui acesso para deficientes físicos e estacionamento gratuito.

“O Pequeno Príncipe”, no Vanucci

Baseado no Clássico do escritor Frances Antoine de Saint- Exupéry. O Pequeno Príncipe devolve a cada um o mistério da infância. De repente retornamos aos sonhos. Voltam ao coração escondidas recordações. O reencontro, o homem-menino pelas mãos do pequeno príncipe, nos faz recuperar a meninice abrindo assim uma brecha no tempo.“De olhinhos brilhantes, um menino vindo de um planeta distante, junto de alguns amigos: uma raposa e sua rosa, compartilham experiências que divertem, encantam e tocam o coração de todos”.Quebram-se assim, as barreiras de se cativar um animal, cuidar de uma rosa a qual considera única, voltar a sentir o perfume de uma estrela, a ouvir a voz de uma flor e escutar os guizos das folhas batidas pelo vento. O universo, ou melhor, a vida é um lugar encantador, ainda mais quando o conhecemos através dos encantos de um pequeno Príncipe.

Ficha Técnica:

Texto: Will Gama.
Direção: Will Gama.
Elenco: Ayrton Miguel , Juh Galdino, Marina Cota, Renata Britto.
Figurino: Will Gama.
Sonoplastia: Paulo Marques.
Produção: Pepeto Teatro Infantil.
Produção Executiva: Paulo Cardoso e Will Gama.
Assessoria de Imprensa: Edu Leah
Promoção: Rádio SulAmérica Paradiso

Teatro Vanucci – Shopping da Gávea
Rua Marquês de São Vicente, 52 – 3º piso – Gávea
Telefone do Teatro: 2274-7246
Telefone da Produção: 3890-4245 / 9.9268-5091

Dias: 21 MARÇO À 26 ABRIL 2015
Horário: SÁBADOS E DOMINGOS ÀS 18:30h.
Ingresso: R$ 60,00 (inteira)
Censura: LIVRE

Estreia de “A Cigarra e a Formiga”

A fábula ‘A Cigarra e a Formiga’, adaptação do conto de La Fontaine, ganha uma nova versão teatral dirigida e adaptada por Allan Ragazzy, em cartaz no Teatro Miguel Falabella/Norte Shopping, aos sábados e domingos, às 16h. Respeitando a história original, a montagem narra o conflito entre uma formiga, que passa os dias recolhendo folhas e alimentos e se preparando para o inverno, e uma cigarra, que não se importa com o amanhã e só pensa em cantar com sua viola nos dias de verão.

Mas, com a chegada do rigoroso inverno, a cigarra, faminta e quase congelando, pede ajuda à formiga, mas é esnobada por ter sido preguiçosa enquanto todos trabalhavam. Mais tarde, a formiga decide aceitar a cigarra em sua casa com a seguinte condição: que ela cante e anime os demais hóspedes e os aqueça também com a sua música.

Os figurinos de Paulo Kandura levam para o palco insetos semelhantes aos reais, mas em maior proporção, bem detalhados, como se estivessem em uma lente de aumento.  A luz, assinada por Allan Ragazzy, cria toda a atmosfera de uma floresta, com efeitos especiais para retratar a passagem do dia para a noite e também a mudança de estação. ‘A chegada do inverno em cena será marcada com o cair da neve sobre o palco. É o ponto alto da peça’, enfatiza Allan.

Os arranjos e direção musical de Denis Goursand trazem a influência das canções africanas, criando o clima perfeito para o ambiente da peça. Há também jazz, R&B e funk para os números de sapateados, acompanhados de grandiosos arranjos vocais.

Serviço:
Temporada: 14/03/15 a 03/05/15
Dias da semana: sábados e domingos
Local: Teatro Miguel Falabella
Endereço: Norte Shopping – Av. Dom Hélder Câmara, 5332 – Pilares, Rio de Janeiro –
Horários: 16h
Lotação: 455 lugares
Valor: R$ 50 (Inteira) R$ 25 (Meia entrada para estudantes e idosos)
Vendas antecipadas nos sites: http://www.ingressomirim.com ou http://www.clubinhodeofertas.com.br
Informações: (21) 2289-3330 / 3449-9908 – via WhatsApp: (21) 99142-4423
Bilheteria: terça a domingo das 15h às 21h – ((21) 2597-4452)
Duração: 70 minutos
Classificação: livre

Ficha Técnica
Elenco:
Twigg – Formigana
Sabrina Coelho – Cigarra
Aléxia Pires – Formigalha
Hugo Faro – Formiguel
Paulo Eduardo Campos – Zangão
Cosme Motta Jr. – Grilúcio
Stand in:
Wendel Mendes
Diana Cataldo
Texto, Direção e Canções Originais – Allan Ragazzy

Minha Adorável Verde Vida

O musical “Minha Adorável Verde Vida” estreia sua temporada (entre 14/03 e 26/04) no teatro Clara Nunes – Rua Marques de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea). O espetáculo infantil, com texto e músicas originais, é livremente inspirado na Bruxa Má do Oeste, de O Mágico de Oz, e ensina de forma lúdica como lidar com as diferenças, sem preconceitos e lidando com o bullying. As apresentações acontecem aos sábados e domingos, às 15h, com ingressos a R$ 60,00 (R$ 30,00 a meia entrada).

Na história, a Bruxa Má do Oeste – aqui chamada de Esperança – vive em um orfanato com sua irmã e outros personagens que se assemelham com da famosa história infantil. Na expectativa de ser adotada, Esperança descobre aos poucos os seus poderes mágicos e convive com a rotina de uma criança de orfanato, construindo amizades, até mesmo com um leão medroso, e lidando com colegas que formam um grupo distinto. De forma animada, com muita música, dança e efeitos especiais, o musical passeia pelo universo infantil e apresenta uma nova versão para a origem dos tradicionais personagens.

Minha Adorável Verde Vida
Teatro Clara Nunes – Rua Marques de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea)
Telefone: (21) 2274 9696
De 14 de março até 26 de abril
Sábados e Domingos – 15h
Ingresso: R$ 60,00 (meia R$ 30,00)
Lotação: 435 lugares
Classificação Livre
Elenco: Clarissa Marinho, Joana Mendes, Julia Morganti, Erick de Lucca , André Sigmon, Cristiane Maquiné, Isabela Igreja, João Canedo, Wanessa Sandall, Helena Bastos, Roberta Galluzzo e Madjer Geanini
Texto e Direção: Mauricio Alves
Coreografias: Clara da Costa
Composição e arranjos musicais: Altair Araújo
Arranjos vocais: André Sigom
Realização: CIA. OBJETORES

“A Bela e a Fera” – Eu fui!

Neste post de aniversário, estamos fazendo uma 2ª edição do “Eu fui!”. Brincadeira, trata-se apenas de uma coincidência. Na data em que comemoramos um aninho de vida, fomos ver uma nova montagem do musical “A Bela e a Fera”, que já foi tema da nossa coluna em julho do ano passado.

O clássico infantil é livremente inspirado no conto francês “La Belle et la Bêt”, de Jeanne Marie Leprince. A montagem narra a história de um príncipe egoísta amaldiçoado por uma feiticeira que o transforma em uma fera horrível. O encanto só poderá ser desfeito se ele encontrar o amor verdadeiro. Eis que, em um dia, Maurice, morador de um vilarejo distante que estava fugindo de lobos famintos, decide abrigar-se no castelo ao encontrar a porta aberta. Recebido com grande entusiasmo por objetos encantados que andam e falam, ele se sente acolhido e protegido. No entanto, é surpreendido pela pavorosa Fera, que o faz prisioneiro por ter invadido seu castelo.

Menos pomposa que a primeira a que assistimos – que esteve em cartaz no Teatro Bradesco -, esta montagem do diretor Alan Ragazzy também se mostra bastante fiel ao que me lembro do desenho. A doce e inteligente Bela, moradora de um pequeno vilarejo, não se identifica com seus vizinhos. Tanto por sua bondade, quanto por sua forma mais profunda de enxergar a vida e as pessoas. Quando encontra Fera, ambos se apaixonam, e a protagonista demonstra que o mais importante é o que as pessoas têm em seus corações, e a aparência é o que temos de menos relevante. Diferentemente de Gastón, o marrento e bonitão habitante de seu vilarejo, que quer a todo custo se casar com Bela. Não por sua admiração pela moça, mas simplesmente por ser a mais bonita garota local. E não admite um “não” como resposta.

Apenas achei a montagem mais corrida no início. As cenas eram menos detalhadas, e os fatos sucederam mais rapidamente. O espetáculo passa a segurar mais após a chegada de Bela na mansão de Fera. Também a participação de Gastón (Areias Herbert, com forte veia cômica), pelo que me lembro, é mais presente. Apesar de ser um vilão, o personagem tem grandes carisma e aceitação do público infantil. Apesar da estrutura desta versão de “A Bela e a Fera” lançar mão de menos artifícios que a outra a que assisti, resultado não é de forma alguma comprometido. O espetáculo é interessante e a mensagem principal do espetáculo é passada com sucesso.

Este slideshow necessita de JavaScript.

P.S.: Agradeço a Lyvia Rodrigues pelos convites.

Era uma vez: Contos e cantigas

A partir de 7 de março, no Teatro Glauce Rocha, centro Rio, estreia o espetáculo infantil Era uma vez: Contos e cantigas. Numa curta temporada, os atores Anselmo Fernandes, Fabrizia Ferreira, Flávia Pêpe e Renato Badeco contam a história de três velhinhos muito divertidos e atrapalhados.

Vevé, que pouco enxerga, Vovô que pouco escuta e Vivi que é mal humorada e rabugenta. Juntos, gostam muito de conversar, apesar de suas trapalhices, nestas longas conversas, que os fazem cochilar, e sempre voltarem ao passado revivendo histórias de suas infâncias.

O elenco dá vida aos personagens, cantando e dançando cantigas de roda. Estes personagens vão se transformando na frente do público, ganhando vida, de forma lúdica! As cantigas são cantadas ao vivo acompanhadas de violão. Nesta montagem há um resgate da infância, de jogos, brincadeiras e músicas que talvez se tornaram desconhecidos das crianças atualmente.

Os adereços usados em cena são as molas mestras para despertar a ludicidade e criatividade em todo o público.

Com direção de Anselmo Fernandes a temporada dura até o dia 29 de março, aos sábados e domingos, 16h.

SERVIÇO:
ERA UMA VEZ: CONTOS E CANTIGAS
Estreia: 7 de março de 2015
Local:  Teatro Glauce Rocha – Rua Rio Branco 179 – Centro – Tel.: (21) 2220-0259
Temporada: 7 a 29 de Março
Horário: Sabados e domingos –  16 h
Ingresso: 20,00 (inteira)
Classificação: livre – Para crianças a partir de 2 anos
Duração: 55 min.
Gênero: infantil
Capacidade: 278 lugares

FICHA TÉCNICA
Texto: Fabrizia Ferreira
Direção: Anselmo Fernandes
Elenco: Anselmo Fernandes, Fabrizia Ferreira, Flávia Pêpe e Renato Badeco

Palavra Cantada sem Pé nem Cabeça – O Musical

Palavra Cantada sem Pé nem Cabeça – O Musical, é um espetáculo teatral baseado nas músicas da dupla Palavra Cantada, formada por Sandra Peres e Paulo Tatit. A produção conta no elenco com um grupo de 14 atores/cantores/bailarinos e narra a aventura de Pauleco e Sandreca, (bonecos de manipulação de 1m40), ao decidirem seguir a jornada do Rato em busca de uma noiva ideal. A montagem estreou em maio do ano passado em São Paulo (visto por cerca de 20 mil espectadores) e já viajou por várias cidades do país

(Florianópolis, São Caetano do Sul, Santos, Jundiaí, Paulinia, São José dos Campos, Recife, Maceió, Salvador, Natal, Fortaleza e BH).

Enquanto o Ratinho segue em busca de seu sonho, propondo casamento para a Lua, a Nuvem, a Brisa e a Parede, nossos heróis desbravam esse universo lúdico e se divertem com os Pés, o Zangão, o Seu Minhoco e a Dona Minhoca, os Cozinheiros da Sopa do Neném, a Bruxa Feia, a Rata, entre outros personagens inusitados.

Com coreografias de Fernanda Chamma, o elenco canta ao vivo 17 músicas de sucesso da dupla Palavra Cantada. Como parte da comemoração dos 20 anos de carreira, a dupla está com uma grande expectativa dessa nova maneira de explorar o seu repertório e personagens.“É uma grande honra receber um presente como esse, especialmente porque estamos completando 20 anos de Palavra Cantada e eu vou poder realizar um grande sonho: participar do show em outra perspectiva, como ouvinte. Sempre desejei esse momento e sei que será muito emocionante, vibrar junto com a plateia!”, comenta Sandra Peres.

Como a dupla não estará em cena, Paulo Tatit fala sobre sua expectativa com o resultado de sua obra em um musical: “Eu estou, em primeiro lugar, muito curioso em assistir esse musical. Essa curiosidade vem do fato de que, até hoje, sempre tocamos nossas músicas por nós mesmos, mas agora vamos assistir a uma interpretação totalmente diferente daquilo que estamos acostumados. Vamos ter aquela sensação de não ter domínio da nossa obra, pois ela está aí, no mundo, pronta para ser curtida, transformada e expandida por outras mãos.”

Formada em 1994, a dupla musical infantil Palavra Cantada tem como principal característica suas canções infantis de linhas marcantes, que prezam pela elaboração das letras, arranjos e gravações, com uma poética sensível e respeito à inteligência das crianças.
Palavra Cantada Sem Pé Nem Cabeça – O Musical
Teatro Oi Casa Grande (926 lugares)
Rua Afrânio de Mello Franco, 290 – Leblon
Informações: 2511-0800
Bilheteria: de terça a sexta, a partir das 15h, domingo, a partir das 14h
Horário: Sábado – 15h e 17h/ Domingo – 16h
Ingressos: R$80,00 (plateia) e R$60,00 (balcão)
Duração: 60 minutos
Classificação Livre (indicado para criança a partir de 02 anos)
Temporada: de 28 de fevereiro a 05 de abril

Ficha Técnica:
Concepção, Direção Geral e Texto – Marilia Toledo
Coreografias e Co-Direção – Fernanda Chamma
Elenco – Alessandra Lyra, Anderson D´Kássio, Andressa Andreatto, Daniel Almeida, Diego Biaginni, Elber Marques, Gerald Gonçalves, Gilson Ajala, Maria Clara Manesco, Ruy Brissac, Simony Lino, Thais Piza, Thalyta Medeiros, Willian Sancar
Abertura da casa: 20h
Setor Um Tom Acima: R$ 200
Setor Notável: R$ 180
Pista: R$ 80

“A Bela e a Fera”, no Grandes Atores

O musical ‘A Bela e a Fera,’ livremente inspirado no conto francês La Belle et la Bêt (1750) e com direção de Allan Ragazzy, está em cartaz no Teatro dos Grandes Atores na Barra da Tijuca, com sessões sempre aos sábados e domingos, às 17h. Até 26 de abril.

A montagem narra a história de um príncipe egoísta amaldiçoado por uma feiticeira que o transforma em uma fera horrível. O encanto só poderá ser desfeito se ele encontrar o amor verdadeiro. Eis que, em um dia, Maurice, morador de um vilarejo distante que estava fugindo de lobos famintos, decide abrigar-se no castelo ao encontrar a porta aberta. Recebido com grande entusiasmo por objetos encantados que andam e falam, ele se sente acolhido e protegido. No entanto, é surpreendido pela pavorosa Fera, que o faz prisioneiro por ter invadido seu castelo.

Bela fica sabendo do corrido e vai até o castelo se oferecer para ficar presa para sempre no lugar de seu pai. A Fera aceita prontamente a troca e liberta Maurice, que retorna desamparado para casa, pensando que perdeu a filha.  Mas, para surpresa de Bela, a Fera não a torna prisioneira e a trata como uma princesa, oferecendo um quarto e um convite para jantar. O que antes parecia ser o fim de uma jovem camponesa se revela uma amizade comovente, apaixonante e transformadora, a ponto de quebrar o feitiço e trazer de volta um príncipe generoso e amável.

SERVIÇO:
Temporada: 17/01/15 a 26/04/15
Dias da semana: sábados e domingos
Local: Teatro dos Grandes Atores
Endereço: Barra Square Shopping Center – Av. das Américas, número 3555, Barra da Tijuca.
Telefone da bilheteria: (21) 3325-1645 – Terça a Domingo das 15h às 20h
Horários: 17h
Lotação: 336 lugares
Valor: R$ 50,00 (Inteira) R$ 25,00 (Meia entrada para estudantes e idosos).
Classificação etária: Livre
Vendas antecipadas pelos sites: http://www.ingressomirim.com ou http://www.clubinhodeofertas.com.br
Mais informações: (21) 2289-3330 / 3449-9908 ou Whatsapp: (21) 99142-4423

Elenco:

Bela – Luísa Viotti

Fera – Renato Calvet

Samovar – Beta Brito

Lumierè – Raí Valadão

 Horloge / Lefou – Adriano Fragalá

 Gaston – Areias  Herbert

Maurice/ Pai –  Roy D’ Peres

 Camponesa 1 / Stand-in Bela – Carol Groetaers

 Camponesa 2 / Stand-in – Luiza Cesar

Camponesa 3 – Luna Lima

Camponesa 4 – Kelly Maurelli


Eu já fui ver outra montagem de “A Bela e a Fera”. Espia só:

https://palcoteatrocinema.com.br/2014/07/27/a-bela-e-a-fera-eu-fui/

“A Casa Bem Assombrada”

Depois do premiado espetáculo infantil Leonardo – O Pequeno Gênio Da Vinci, que está em cartaz há quatro anos, tendo completado 100 apresentações por todas as regiões do Brasil, o autor e diretor Ivan Fernandes estreia dia 24 de janeiro ‘A Casa Bem Assombrada’ no OI Futuro em Ipanema. A peça, com o patrocínio da OI, do Governo do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura e da Lei de incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, leva ao palco uma história de terror para crianças, inspirada no clima de filmes como os do diretor Tim Burton (‘Os Fantasmas se Divertem’, ‘Frankenweenie’ e ‘Estranho mundo de Jack’).

A montagem conta a história de Juju (Maíra Kestenberg), uma menina fanática por filmes de terror, que após a separação dos pais, se muda para uma velha casa, habitada por uma família de monstros – um pai vampiro, Karloff (Vini Messias), com seu filho Zorg (Adriano Pelegrini) e um lobisomem de estimação, Ozzy (Marcelo Dias). A menina é hostilizada pelos novos colegas de escola por ser considerada esquisita. Por acidente, ela acaba surpreendendo Zorg, o menino monstro, dentro de um dos cômodos. Mas ao contrário das expectativas, ao invés de se assustar, os dois se tornam amigos, iniciando a discussão central da peça: aceitar as diferenças. Assim como a menina admira os monstros, Zorg admira os humanos e não gosta de assustar as pessoas. A relação desperta a ira dos moradores da cidade, que se unem para perseguir e separar a dupla.

‘Escolhi esse universo porque me agrada levar o teatro infantil para outros caminhos, que fujam daquele universo sempre “feliz” e “cor de rosa”. A infância também é um período de medo e ansiedade, e o terror funciona um pouco como os contos de fada, só que repletos de monstros e ameaças, aliviando a criança desses estados de espírito’- destaca Ivan, acrescentando que o texto aborda temas como bullying, preconceito, solidão e separação familiar, mas sem perder o humor e a leveza.  A mãe da menina (Isabel Guéron) representa a maioria dos pais modernos, com mais dúvidas do que respostas: uma mulher sozinha, que tem que se dividir entre o trabalho, as tarefas domésticas e a criação da filha pré-adolescente.

​​

O cenário da casa assombrada, construído por Paulo Denizot, é uma das grandes atrações do espetáculo, com paredes que se movem e em certa altura da peça transformam-se no telhado, deixando ver uma noite enluarada.

Há um clima constante de suspense e terror, mas na dose certa para não assustar as crianças. O espectador poderá ‘sentir’ a presença dos demais monstros vendo apenas seus olhos iluminados por trás de quadros e a silhueta dos seus corpos, que somem e desaparecem dos cômodos no decorrer da trama.

O figurino de Palloma Morimoto propõe um visual colorido e poético para os monstros, que usam máscaras inspiradas na Commedia Dell’Arte, desenvolvidas e confeccionadas por Flávia Lopes e Marise Nogueira. A trilha sonora, criada originalmente para a peça pelo músico Pedro Cintra, funciona como um alívio cômico para as aventuras e o suspense da história.

Sinopse

‘A Casa Bem Assombrada’, do autor e diretor Ivan Fernandes, é uma história de terror para crianças, inspirada no clima de filmes como os do diretor Tim Burton (‘Os Fantasmas se Divertem’, ‘Frankenweenie’ e ‘Estranho mundo de Jack’). A montagem conta a história de Juju, uma menina fanática por filmes de terror, que após a separação dos pais, se muda para uma velha casa, habitada por uma família de monstros. Um dia ela acaba surpreendendo Zorg, o menino monstro, dentro de um dos cômodos. Mas ao contrário das expectativas, ao invés de se assustar, os dois se tornam amigos inseparáveis. A relação desperta a ira dos moradores da cidade, que se unem para perseguir e separar a dupla. A peça trata de temas como bullying, preconceito, solidão e separação familiar.

      SERVIÇO:
Data: 24/01/15 a 29/03/15 (sábados e domingos)
Horário: 16h
Local: Oi Futuro Ipanema
Endereço: Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema
Ingressos: R$15,00 (inteira) / R$7,50 (meia)
Telefone: (21) 3131-9333
Faixa etária: 05 anos
Bilheteria:de terça a sexta, das 15h às 21h, e aos sábados e domingos, das 14h às 21h.
Capacidade: 130 pessoas
Duração: 60 minutos

  FICHA TÉCNICA
Texto e Direção: Ivan Fernandes
Direção de movimento: Flávia Lopes
Elenco: Adriano Pellegrini, Isabel Guéron, Marcelo Dias, Maíra Kestenberg, Vinícius Messias

Chapeuzinho Vermelho Como Você Nunca Viu

A clássica história da Chapeuzinho Vermelho ganha uma nova versão musical para toda a família. A partir do dia 10 de janeiro o Theatro Net Rio apresenta “Chapeuzinho Vermelho Como Você Nunca Viu”, uma adaptação feita por Cleiton Morais e Vinicius Olivo que ficará em cartaz até o dia 8 de fevereiro aos sábados às 17h. e domingos às 16h. Com figurinos ricos em detalhes criados pela dupla Herbert Correa e Giovanni Targa, e coreografias de Rodrigo Soares a peça conta com canções originais compostas por Bruno Camurati e Tony Lucchesi, que também assina a direção musical. Mantendo toda a originalidade do texto que há tempos sobrevive no imaginário de adultos e crianças “Chapeuzinho Vermelho Como Você Nunca Viu” é uma divertida adaptação que conduz o espectador à um novo universo sobre a história. Cenários se misturam aos diversos personagens e criam efeitos lúdicos que encantam a todos. – Na nossa história o lobo é lobo mesmo, como diz uma das canções. Temos a presença de um vilão real que de uma maneira divertida resgata o medo e a emoção entre o duelo “mocinho X vilão”. Mocinho aqui representado pelo caçador, que nessa versão ganha destaque fundamental para o desenrolar dessa aventura – conta Cleiton Morais, responsável pelo texto, direção e produção.

 

Ficha Técnica:

Texto, Produção e Direção: Cleiton Morais e Vinicius Olivo Composições: Bruno Camurati e Tony Lucchesi Direção Musical: Tony Lucchesi Coreografias: Rodrigo Soares Sapateado: Helena Sant’Anna Figurinos: Herbert Correa e Giovanni Targa Cenografia: Charles Rocha Design de Luz: Aurélio De Simoni/Axel Mello Design e Programação Visual: Alonso Martinez Elenco: Laura Lobo, Cleiton Morais, Udylê Procópio, Isadora Taam, Marina Motta, Alanna Bergamo, Verônica Medeiros, Moira Osório, Rodrigo Fernando, Drayson Menezzes, Julia Mattos. Curriculo: Cleiton Morais (autoria e direção) Iniciou sua carreira como ator aos 17 anos de idade. Cursou o Profissionalizante GLOBE-SP em São Paulo. Expressão corporal com Ana Kfuri; Interpretação com Andréa Cavalcante; Voz com Leia Mendes; e aos 19 anos após várias peças teatrais, fez seu primeiro trabalho na televisão, “Malhação”. Participando de outros trabalhos na televisão, sendo esses: “Insensato Coração”, “Avenida Brasil”, ”Caras e Bocas”, “Força Tarefa” e também como apresentador do “Tv Globinho”. Entre outros trabalhos, deu continuidade à sua carreira teatral, interpretando as seguintes peças: “Dzi Croquetes”, “A Bela e a Fera”, “O Fetiche”, “O Que Você Vai Ser Quando Crescer” e “Entre 4 Cabeças”. Na linguagem cinematográfica, protagonizou o curta “Convergências. Reminiscências”. Dirigiu Rita O Musical e Atualmente está em cartaz com o Musical Constellation. Vinicius Olivo (autoria e direção) iniciou sua carreira como ator aos 16 anos de idade. Profissionalizou-se nas escolas “Globe-SP” e “Escola de Atores Wolf Maya”. Participou de diversos workshops com profissionais do ramo, valendo destaque para: Expressão corporal com Inês Aranha; preparação para musicais com Thiago Gimenes, Henrique Carvalho e Felipe Galganni; voz com Ana Paula Montanaro; teatro com André Garolli e Jair Assumpção; e formação circense no Espaço Lumini Art. Na televisão, participou de duas edições do programa “Criança Esperança” e do seriado “Lara com Z”. No teatro, possui grande experiência com teatro infantil, valendo destacar os espetáculos “O Rei Leão”, “O Rei Leão 2, O Ciclo da Vida Continua”, “A Fábrica de Chocolate”, e “Planeta Sonho”. No cinema, protagonizou o curta “César”, vencedor de prêmio de melhor ator, além de outros curtas e vídeo-clipes, destacando-se o clipe “Quase de Manhã” da banda Scracho.

SERVIÇO: CHAPEUZINHO VERMELHO COMO VOCÊ NUNCA VIU

Theatro Net Rio – Sala Tereza Rachel. Rua Siqueira Campos, 143 – Sobreloja – Copacabana. (Shopping Cidade Copacabana). Ingresso: R$ 80,00 Direito à meia entrada: Menor ou igual à 21 anos, idosos com 60 anos ou mais, professor da rede pública, estudante, cliente Net (4 ingressos), cliente O Globo (2 ingressos), classe artística com DRT (1 ingresso), cliente Mais Pão de Açúcar, revista Básica (2 ingressos), carteira da Amave (2 ingressos), funcionários da Petrobras (2 ingressos) – Estreia: 10 de Janeiro Temporada até 8 de fevereiro Horário: Sábado às 15h30 / Domingo às 16h. Classificação: Livre Duração: 55 Minutos. Capacidade do Teatro: 622 lugares. Telefone do teatro: 21 2147 8060 / 2148 8060 Site: http://www.theatronetrio.com.br Vendas: http://www.ingressorapido.com.br / consulte os pontos de vendas no site. Horário de funcionamento da bilheteria: 10h. às 22h. Formas de pagamento: Todos CC / CB Acessibilidade Estacionamento no Shopping, entrada pela Rua Figueiredo Magalhães, 598.

“Amigos à parte”, no Shopping da Gávea

A comédia, destinada ao público jovem, conta a história de quatro amigos que dividem um apartamento e confidências.  Mas a amizade é colocada à prova quando, de forma inesperada, um deles, Plínio (Matheus Monteiro) anuncia que vai se mudar na manhã seguinte para o Japão, seduzido por uma proposta de emprego.

Um misto de aflição, descontentamento e decepção toma conta dos outros: Caco (Magno Navarro), Jota (Marcos Gonçalves) e Dude (Nicola Peluso). Porém, ao longo daquela noite, nostálgica conversando sobre o passado e o futuro, esse clima é desfeito, dando lugar a um sentimento que, a partir de então, impulsionará a todos: o de seguir em frente. De buscar seus sonhos. A montagem ficará em cartaz sempre às quartas-feiras dos meses de janeiro e fevereiro, às 21h.

SERVIÇO
“Amigos à Parte”
Temporada: 07/01/2015 até 25/02/2015
Dias da semana: Quartas
Hora: 21h
Local: Teatro das Artes
Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 52 – 2º piso – Shopping da Gávea
Preço: R$ 60,00 (Inteira) R$ 30,00 (meia)
Bilheteria: Das 15h às 20h- de segunda-feira a domingo.
Venda antecipada: Ingresso.com
Classificação: 14 anos
Capacidade: 421 lugares
​Telefone: 2540-6004
Duração: 60 minutos​

Elenco:
Matheus Monteiro, Magno Navarro, Marcos Gonçalves, Nicola Peluso
Stand-in: Alex Felippe e Felipe Côrtes.

Texto e Direção: Matheus Brito

Musical “Minha Adorável Verde Vida”

Entre os dias 10 de janeiro e 01º de fevereiro, o Solar de Botafogo – Rua General Polidoro, 180 – recebe o musical “Minha Adorável Verde Vida”. O musical infantil, com texto e músicas originais, é livremente inspirado na Bruxa Má do Oeste, de O Mágico de Oz, e ensina de forma lúdica como lidar com as diferenças, sem preconceitos e lidando com o bullying. As apresentações acontecem aos sábados e domingos, às 16h, com ingressos a R$ 60,00 (R$ 30,00 a meia entrada).

Na história, a Bruxa Má do Oeste – aqui chamada de Esperança – vive em um orfanato com sua irmã e outros personagens que se assemelham com os tradicionais personagens da famosa história infantil. Na expectativa de ser adotada, Esperança descobre aos poucos os seus poderes mágicos e convive com a rotina de uma criança de orfanato, construindo amizades, até mesmo com um leão medroso, e lidando com colegas que formam um grupo distinto. De forma animada, com muita música, dança e efeitos especiais, o musical passeia pelo universo infantil e apresenta uma nova versão para a origem dos famosos personagens.

Minha Adorável Verde Vida
Solar de Botafogo – Rua General Polidoro, 180 (180 pessoas)
Telefone: (21) 2543 5411
De 10 de janeiro até 01º de fevereiro
Sábados e Domingos – 16h
Ingresso: R$ 60,00 (meia R$ 30,00)
Classificação Livre
Elenco: André Sigom, Clarissa Marinho, Carmen Costa, Cristiane Maquiné, Erick de Lucca, Isabella Igreja, Julia Morganti, Joana Mendes e Thais Rocha.
Texto e Direção: Mauricio Alves

“Porquinhos – O Musical”, até fevereiro

Porquinhos – O Musical, com adaptação de Dharck Tavares e direção de Patrick Dadalto e Leandro Bispo, é uma versão ousada e cheia de glamour do clássico infantil Os três porquinhos (1849). Através do Narrador (André Lemos) é contada a história de duas porquinhas e um porquinho, Kika (Jessica Sodré), Rosa (Diana Cataldo) e Pietro (Rodrigo Fernando), que deixam de morar com os pais e decidem construir suas próprias casas na floresta.

Com personalidades diferentes, cada um faz a moradia do seu jeito: Kika leva pouco tempo na construção da casa feita de palha e passa o resto de seu dia brincando e relaxando; Rosa faz a opção por uma casa de madeira, que demora um pouco mais, no entanto sobra um tempo para o descanso; e Pietro escolhe construir uma casa de tijolos, o que requer dedicação e esforço, sem espaço para diversão.

Depois de prontas, as casas passarão pelo teste do Lobo Mau (Raí Valadão), vilão da narrativa, que tenta devorar os porquinhos. Apenas uma construção irá resistir. A trama conta ainda com a inusitada participação de Chapeuzinho Vermelho (Rayssa Bentes), personagem de outro conto infantil, que nesta história é uma atriz com sonho de se tornar uma porquinha.

Com inspiração na Broadway, o repertório musical do espetáculo passeia com maestria pelo jazz, blues, pop e rock, executado ao vivo pelos atores, que além de cantar, dançam e sapateiam, dando mais personalidade à montagem.

Serviço:
Temporada: 08/01/15 a 13/02/15
Dias da semana: quintas e sextas-feiras
Local: Teatro Miguel Falabella
​Endereço:
Av. Dom Hélder Câmara, 5332, Del Castilho​
Telefone da bilheteria: ​
2597-4452
Horários: 16h
Lotação: 455 lugares
Valor: R$ 50,00 (Inteira) R$ 25,00 (Meia entrada para estudantes e idosos)
Vendas antecipadas nos sites: http://www.ingressomirim.com ou http://www.clubinhodeofertas.com.br
Informações: (21) 2289-3330 / 3449-9908 – via Whatsapp: (21) 99142-4423
Bilheteria: Terça a domingo das 15h às 21h
Classificação: livre

Ficha Técnica
Elenco – ​​Diana Cataldo, Rayssa Bentes, Jessica Sodré, André Lemos, Raí Valadão e Rodrigo Fernando
Direção – Patrick Dadalto e Leandro Bispo
Texto – Dharck Tavares
Direção Musical – Thiago Garcia

Um heroi Fanfarrão e sua mãe bem Valente

No Centro Cultural da Justiça Federal, CCJF, está em cartaz, 16h, o espetáculo “Um herói Fanfarrão e sua mãe bem Valente”. Após participar do FESTU Rio – Festival de Teatro Universitário do Rio, o infantil segue temporada aos sábados e domingos, de 10 de janeiro até o dia 1º de fevereiro de 2015 no centro do Rio.

A Cia. Melodramática que se configurou no Curso de Teatro da UNIRIO, vinculada ao Projeto de Pesquisa Sentidos do Melodrama (CNPq, Capes, FAPERJ), decidiu enveredar pelo universo do teatro para crianças e daí surgiu a ideia de transpor para o palco a saga de Ahti Leminkainen, um conto sobre a história de um herói finlandês, saborosamente recontado por Ana Maria Machado.

Com direção de Paulo Merisio, a adaptação conta a história de um grupo de funcionários que tem seu cotidiano alterado quando o livro chega por malote. A leitura proporciona um jogo que modifica o ânimo daquelas pessoas e abre uma nova perspectiva em seu cotidiano. Acompanha-se, assim, a saga desse herói fanfarrão que passa por diversas peripécias em busca de uma noiva e é resgatado por sua mãe bem valente, que o traz de volta para casa.

“A riqueza da narrativa nos estimulou a manter a estrutura épica, proporcionando aos atores o exercício de alternância entre a contação da história e a atuação por meio de personagens. O processo foi todo construído em colaboração com os atores, por meio de jogos teatrais de improvisação, resultando numa cena recheada de humor e numa convenção que se aproxima do imaginário das crianças.” Afirma Paulo Merisio.

FICHA TÉCNICA
Texto: Ana Maria Machado
Direção: Paulo Merisio
Elenco: Jan Macedo – Herói, Juliana Aquino – Mulher do Herói , Lucimar Ferreira – Mãe, Marcio Antunes – Galo, Potro, Virgínia Castellões – Filha da bruxa, Alce, Rainha do bosque, Abelha, Wesley May – Bruxa do Norte, Menino, Velho, Leonardo Vasconcelos (stand-in)

SERVIÇO:
Um herói Fanfarrão e sua mãe bem Valente
Temporada: Até 1º de fevereiro de 2015
Horários: Sábados e Domingos, 16h
Local: CCJF – Centro Cultural da Justiça Federal
Endereço: Av. Rio Branco, 241  Telefone (21) 3261-2565
Bilheteria: Funcionamento sábados e domingos a partir das 14h
Preços: R$ 30,00 (Inteira) R$ 15,00 (Meia)
Duração: 50 min.
Classificação: Livre – Indicado para crianças acima de 4 anos
Capacidade: 142 lugares
Gênero: Infantil

“O Pequeno Príncipe” faz novas apresentações no TMRJ

Após a excelente receptividade no Mês da Criança no Theatro Municipal, com ingressos esgotados para as três sessões, a Fundação Teatro Municipal do Rio de Janeiro, vinculada à Secretaria de Estado de Cultura (SEC), apresentará mais seis récitas do concerto teatral O Pequeno Príncipe nos dias 07, 08, 09, 10 e 11 de janeiro de 2015. Escrito há mais de 70 anos pelo autor e piloto francês Antoine de Saint-Exupéry, o texto de O Pequeno Príncipe foi adaptado por Lara Velho, que também assina a direção geral da produção. Sob a direção cênica de Neila Tavares, o elenco é encabeçado pelo ator João Velho, no papel do Aviador, e apresenta o ator mirim Antônio Rabello como intérprete do personagem-título. A frase mais famosa do livro fica a cargo de Elke Maravilha, que representa a Raposa. Paulo Cesar Pereio faz o majestoso Rei. Integrante da programação elaborada pelo Maestro Isaac Karabtchevsky, o espetáculo conta com as participações do Coral Infantil da UFRJ, das alunas da Escola de Dança, Artes e Técnicas do Theatro Municipal Maria Olenewa e da Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro – OSRJ. A música original e a regência são de Glauco Fernandes.

Completam o time de artistas a cantora Luana Mallet, no papel da Rosa; Sheila Ley, como a Serpente; e Wagner Brandi, dando vida ao lunático empresário. Gilson Gomes atua como o Geógrafo, Nilson Nunes como o Bêbado e o Guarda Ferroviário, enquanto Luiz Washington interpreta o Vaidoso e o Acendedor de Lampiões. Celso André representa o Vendedor de Pílulas e, a jovem bailarina Duda Formoso, a Florzinha do Deserto. Este espetáculo foi montado em Brasília em outubro de 2005 e contou com a participação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional sob a regência do Maestro Silvio Barbato (1959-2009). A produção obteve recorde de público, levando mais de 4.600 pessoas ao Teatro Nacional Claudio Santoro em apenas três apresentações.

Sinopse
O espetáculo conta a história de um garoto que mora em um pequeno asteroide, onde ele cuida dos seus vulcões e da sua única companheira, a Rosa. O princepezinho decide buscar conhecimento pelo universo quando a convivência com a Rosa começa a ficar difícil, por causa das cobranças e egoísmo da sua companheira. Em sua viagem, o príncipe visita vários planetas, conhecendo diversas figuras e de cada um deles ele leva uma lição de vida.

SERVIÇO
O PEQUENO PRÍNCIPE
ORQUESTRA DE SOLISTAS DO RIO DE JANEIRO – OSRJ
De Glauco Fernandes
Baseado na obra de Antoine de Saint-Exupéry
Elenco:
João Velho – Aviador
Antônio Rabello – Pequeno Príncipe
Elke Maravilha – Raposa
Paulo Cesar Pereio – Rei
Luana Mallet – Rosa
Sheila Ley – Serpente
Wagner Brandi – Empresário
Gilson Gomes – Geógrafo
Nilson Nunes – Bêbado e Guarda Ferroviário
Luiz Washington – Vaidoso e Acendedor de Lampiões
Celso André – Vendedor de Pílulas
Duda Formoso – Florzinha do Deserto
Participações: Coral Infantil da UFRJ
Alunas da Escola de Dança, Artes e Técnicas do
Theatro Municipal Maria Olenewa
Temporada: Dias 07, 08 e 09 de janeiro, às 19h
Dia 10 de janeiro, às 16h e 20h
Dia 11 de janeiro, às 16h
Preços:
Frisas e Camarotes – R$ 504,00
Plateia e Balcão Nobre – R$ 84,00
Balcão Superior – R$ 60,00
Galeria – R$ 30,00
Duração: 120 minutos (com intervalo)
Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Praça Floriano s/n° – Centro
Classificação etária: livre
Informações: (21) 2332-9191
Vendas na Bilheteria, no site da Ingresso.com ou por telefone 21 4003-2330

“O Elixir do Amor”, dia 13

Baseado na ópera L’Elisir d’Amore, de Gaetano Donizetti, com libreto de Felice Romani, o espetáculo musical infantil “O elixir do amor” será apresentado na Arena Jovelina Pérola Negra, na Pavuna, no dia 13 de dezembro (sábado), às 16h. Com dramaturgia de Vanessa Dantas, voltada para o rico universo campesino do Rio Grande do Sul, a peça tem direção de Daniel Herz e conta com atores Kiko do Valle, Giulia Nadruz, Marino Rocha, Leonardo Miranda, Vanessa Dantas, Isabela Rescala, Saulo Vignoli, Letícia Malvares, Roberto Bahal e João Bouhid.

Considerada uma das melhores obras de Donizetti, em delicado equilíbrio entre a farsa e o romantismo, a história de amor conjuga-se com um relato pleno de alegria e cor da vida no campo. A história se passa em uma estância no pampa gaúcho e conta como o miraculoso elixir do amor, poção “mágica” destilada pelo charlatão doutor Dulcamara, fez com que o apaixonado vaqueiro Nemorino ganhasse o coração da sua inconquistável patroa Adina. O projeto faz parte de uma pesquisa teatral da atriz e autora Vanessa Dantas, onde o clássico e o popular se misturam na cena.

A direção musical, assinada por Josimar Carneiro – fiel aos temas melódicos da ópera – sugere o encontro entre música erudita e popular, associando arranjos das mais conhecidas árias, duetos, conjuntos e coros da ópera com os ritmos encantadores da música popular sul-rio-grandense. Os números musicais são tocados e cantados ao vivo pelo elenco de atores e músicos, ao som de acordeão, violão, flauta transversa, flautim, violoncelo e instrumentos de percussão.

Ficha técnica:
Da ópera L Elisir d Amore, de Gaetano Donizetti e Felice Romani
Adaptação do libreto: Vanessa Dantas e Josimar Carneiro
Direção: Daniel Herz
Dramaturgia original: Vanessa Dantas
Direção musical: Josimar Carneiro
Arranjos: Josimar Carneiro e Jayme Vignoli
Direção de movimento: Marcia Rubin
Idealização do projeto: Vanessa Dantas e Daniel Herz
Elenco: Kiko do Valle, Giulia Nadruz, Marino Rocha, Leonardo Miranda, Vanessa Dantas, Isabela Rescala, Saulo Vignoli, Letícia Malvares, Roberto Bahal e João Bouhid
Diretora assistente: Clarissa Kahane
Diretor musical assistente: Jayme Vignoli
Cenografia, objetos cênicos, bonecos: Glauco Bernardi
Figurinos, adereços, visagismo: Heloisa Frederico
Iluminação: Aurélio de Simoni
Preparação vocal: Chiara Santoro
Designer de som: Carlos Fuchs
Ensaiador: Roberto Bahal
Caracterização: Luiz Bellini
Ilustração/arte digital: Artur Rocha
Design gráfico: Karin Palhano
Marketing cultural: Gheu Tibério
Fotografia: Dalton Valério
Realização Marcatto Produções Artísticas e Quintal Produções

Serviço:
Data: 13 de dezembro (sábado)
Horário: 16h
Local: Arena Jovelina Pérola Negra
Endereço: Praça Ênio S/N – Pavuna (ao lado da Escola Telêmaco)
Telefone: (21) 2886-3889
Capacidade: 330 pessoas
A entrada é gratuita
Classificação: Livre

“FAZENDO ARTE NAS FÉRIAS”

Durante 2 semanas, as crianças a partir de 4 anos poderão mergulhar no mundo da arte através dessa colônia de férias artística. Ao final da Colônia as crianças irão participar da montagem do espetáculo OS PIRATINHAS E A PRINCESA DO CARIBE. A idéia é convocar a criançada para “fazer arte”. Teatro, dança, circo, música e artes plásticas são os ingredientes dessa novidade da Companhia de Teatro Contemporâneo. Nossa proposta é dar uma alternativa diferente aos pais que desejam oferecer uma diversão saudável para seus filhos, mas que proporcione também um desenvolvimento da criatividade e sensibilidade. Com apenas 16 alunos por turma, as aulas se realizarão num teatro de verdade, para proporcionar a experiência mágica de experimentar a magia das luzes da ribalta.

A Colônia de Férias “FAZENDO ARTE NAS FÉRIAS” da Cia de Teatro Contemporâneo, já é uma tradição na Cidade do Rio de Janeiro há 6 (seis) anos e acontece duas vezes por ano sempre em janeiro e julho. A colônia propõe uma vivência em diversas áreas ligadas ao espetáculo teatral – confecção do cenário, preparação das coreografias, figurinos e interpretação. Dentro deste universo teatro, escolhemos uma peça. Criamos uma metodologia própria para divertir construindo, criando e explorando este tema, com momentos de pura brincadeira e no final da colônia encerramos com uma apresentação de uma peça com tudo o que foi criado e produzido pelas crianças.

As aulas são 5 (cinco) atividades artísticas ligadas ao teatro: Interpretação, música, dança, circo e artes plásticas.

– Na aula de interpretação, é uma aula de teatro com jogos, improvisação, trabalho de grupo, criação de histórias, trabalho com texto e cenas.

– Na aula de circo.: o que trabalhamos são malabarismos, pratinhos chineses, swing, clown, pequenas acrobacias de solo.

– Na aula de dança : jogos, coreografias, trabalho com possibilidades de corpo para os personagens etc..

– Na aula de música.: trabalho com instrumentos, canto, e criação de novos instrumentos .

Todas as aulas são dadas num palco de verdade então as crianças conhecem bem este espaço e os termos típicos de teatro como “pernas”, “coxia”, “camarim”, “proscênio”, “rotunda”, etc…e tudo fica mais mágico e também neste teatro é apresentado o espetáculo. Todas as crianças, até as mais introvertidas podem participar pois essas atividades serão apresentadas às crianças de forma lúdica e divertida e estão interligadas ao mesmo tema, então por exemplo na aula de artes plásticas é trabalhado os elementos do tema, o

cenário, os adereços e as crianças montam esse cenário, constroem seus adereços e trabalhando com diversos matérias como tipos de papel, argila, tintas etc. e no final apresentam um espetáculo com cenário, figurino, iluminação e musicas. No dia da encenação é um grande “frizon” onde todos estão ansiosos para ver o resultado deste lindo trabalho. Os mais experientes (temos alunos que fizeram todas as colônias) ajudam os menos experientes. Neste formato, a colônia de férias já apresentou as seguintes peças:

Os Saltimbancos, Peter Pan, As Aventuras de Pedro Malasartes, O Mágico de Oz, Festa no Céu, Alice no País das Maravilhas, A Bailarina Rosa e o Soldadinho Azul, O sitio do Pica Pau Amarelo, A Volta ao Mundo em 15 dias.

Para esta Colônia será trabalhado o OS PIRATINHAS E A PRINCESA DO CARIBE com todos os seus inesquecíveis personagem. A ideia é convocar a criançada para “fazer arte”.

Teatro, dança, circo, música e artes plásticas são os ingredientes dessa novidade da Companhia de Teatro Contemporâneo. Nossa proposta é dar uma alternativa diferente aos pais que desejam oferecer uma diversão saudável para seus filhos, mas que proporcione também um desenvolvimento da criatividade e sensibilidade. Com apenas 16 alunos por turma, as aulas se realizarão num teatro de verdade, para proporcionar a experiência mágica de experimentar a magia das luzes da ribalta.

A Colônia Fazendo Arte nas férias acontece na Sede da Cia. de Teatro Contemporâneo -Rua Conde de Irajá 253, em Botafogo.

Maiores informações:
Período: de 12 a 30 de janeiro de 2015 (todos os dias de segunda à sexta feira)
Horário: das 13h às 18h
Investimento: R$ 375,00 por semana
Informações (contato): 21 2537-5204 e 31725206
Emails: cenaecia@gmail.com ou cia@ciadeteatrocontemporaneo.com.br Site.:http://www.ciadeteatrocontemporaneo.com.br/index.php/colonia-de-ferias

Leonardo – o Pequeno gênio da Vinci

O espetáculo ‘Leonardo – o Pequeno gênio da Vinci’, com texto e direção de Ivan Fernandes, fará quatro sessões gratuitas no Teatro do Parque das Ruínas em Santa Teresa nos dias 23 e 30 de novembro e 07 e 14  de dezembro, sempre às 11h. O espetáculo concorreu em sete categorias ao Prêmio Zilka Sallaberry de Teatro Infantil, e venceu em quatro delas: melhor ator, melhor texto, melhor direção e melhor espetáculo infantil do ano de 2011.  A montagem recorre à licença poética para contar, através do uso de máscaras, bonecos e sonoplastia, a história do então menino Leonardo Da Vinci. Longe de ser uma biografia, a peça revela um Leonardo jovem e sonhador, com olhar atento à vida e às descobertas do mundo.

O palco nu se transforma no vilarejo renascentista, com panos que viram fundo para projeções e sombras que lembram os velhos desenhos no caderno de Leonardo, instigando a imaginação e a visualização, e investindo na formação de uma sensibilidade poética na criança. O jovem Leonardo é interpretado pelo ator Thiago Magalhães, enquanto Flávia Lopes, Lola Nascimento Borges, Marcelo Dias dos Santos e Claudio Amado, Fábio Felix e Miguel Gama dão vida não só a personagens da história como também a animais e paisagens, recorrendo a máscaras e bonecos.

“As máscaras foram usadas na preparação dos atores, durante os ensaios, no espetáculo são usadas pelo coro que se desdobra em diversos personagens maiores. Os bonecos foram usados para dar vida aos animais como pássaros, cachorro, burro, borboletas, todos interagindo com o menino Leonardo,” destaca Ivan Fernandes

Criada especialmente para a peça, a trilha sonora de Samanta Renó remete ao univer­so musical renascentista e sublinha os climas dramáticos e cômicos, simbolizando tam­bém a passagem do tempo.

SINOPSE

Leonardo é uma criança irrequieta que vive na tranqüila e pequena aldeia de Vinci e passa os dias desenhando e tentando realizar seu maior sonho: construir uma máquina de voar. É considerado uma figura “excêntrica” pelo pai e pelos habitantes de Vinci. Seus únicos amigos de verdade são os pássaros! Até que um dia surge a oportunidade de ir estudar em Florença, cidade desenvolvida e rodeada de arte e cultura. Mas para isso, Leonardo terá que provar seu valor a todos.

Serviço:
“LEONARDO – O PEQUENO GÊNIO DA VINCI”:
Local: Parque das Ruínas
Endereço: Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa
Telefone:   (21) 2224-3922
Dias:
23/11 – às – 11h
30/11 – às 11h
07/12 – às 11h
14/12 – às 11h
Duração: 60 minutos
Censura: Livre
Entrada: gratuita
Capacidade: 70

FICHA TÉCNICA
Texto e direção: Ivan Fernandes
Direção de arte e movimento: Flávia Lopes
Elenco: Thiago Magalhães, Cláudio Amado, Flávia Lopes, Marcelo Dias, Lola Borges, Fábio Felix e Miguel Gama

“A Viagem de Zenão”, na Arena Dicró

Com incentivo do Ministério da Cultura, o espetáculo infantil “A Viagem de Zenão” terá duas apresentações gratuitas na sexta-feira, dia 31/10, na Arena Dicró. Vencedor do Prêmio Zilka Sallaberry de Teatro Infantil – 2008, nas categorias de melhor texto e melhor cenário, “A Viagem de Zenão” é uma realização do coletivo Era uma Galera.

Ambientada na Itália do séc. XVII, quando Galileu Galilei era silenciado pela inquisição e impedido de publicar seu trabalho, “A Viagem de Zenão” introduz ao público infanto-juvenil as um improvável encontro entre o sábio italiano e Albert Einstein.

Na peça, os dois cientistas participam de uma história de aventuras que tem início em uma viagem no tempo. Este passeio entre os períodos históricos é obra de um monge alquimista que, para se vingar de Galilleu Galilei, decide “inverter a Luz das Estrelas” e trazer para o seu tempo o “Maior Sábio do Futuro”. O feiticeiro tem como plano provar que as teorias de Galileu serão descartadas no futuro. A magia funciona, mas não do modo que ele esperava, e na cozinha de um mosteiro italiano do século XVII materializa-se um jovem Albert Einstein.
Ficha técnica:
Texto e direção: Carlos Cardoso
Elenco:
Andrea Santiago
Carlos Cardoso
Marcio Freitas
Simone Franco
Wilma Maria
Produção: Carlos Cardoso e Roberto de Moura
Programação Visual: Silvana Panzoldo

Serviço:
Data: 31/10 (sexta-feira)
Horário: 15h
Local: Arena Carioca Dicró – Carlos Roberto de Oliveira
Endereço: Parque Ari Barroso, Penha (entrada pela Rua Flora Lobo)
Telefone: (21) 3486-7643
Duração: 70 minutos
Entrada Gratuita
Classificação etária: Livre

Musical “Branca de Neve”, no Bradesco

O musical Branca de Neve, montagem baseada no clássico dos Irmãos Grimm, com direção geral de Billy Bond – que já encantou quase 300.000 espectadores em nove cidades brasileiras e outras tantas na Argentina, Chile e Peru – chega ao Teatro Bradesco Rio para temporada de 01 a 16 de novembro, aos sábados e domingos.

Branca de Neve tem os diálogos e músicas cantadas em português, além de muitos efeitos especiais e de iluminação. A produção conta com mais de 50 profissionais, entre eles 27 atores e 23 técnicos. O espetáculo, uma adaptação escrita por Billy Bond e Lilio Alonso, conta ainda com mais de 180 figurinos, 35 trocas de cenários, 28 toneladas de equipamentos, muita pirotecnia e efeitos visuais deslumbrantes.

No palco Branca de Neve, o Príncipe, os anões, a Bruxa Má e o Rei vão dançar, cantar e atuar, num espetáculo que tem ainda recursos de gelo seco, telões em 3D, levitações, ilusionismo, explosões e um sem fim de equipamentos que fazem a plateia ter a sensação de estar dentro da peça. Uma das surpresas é o chamado 4D: elementos sensoriais que vão fazer ventanias, neve e chuva, para a diversão de toda a família.

Personagens
Rainha
Bruxa
Branca de Neve
Espelho Mágico
Príncipe
Rei
Sete Anões
Caçador
Soldados
Príncipe do Mal
Corte
Rainha Boa

Serviço:
Espetáculo: Branca de Neve
Datas: 01 a 16 de novembro – sábados e domingos às 15hs
Gênero: musical infantil-juvenil
Duração: 100 minutos
Classificação: livre
Capacidade: 1060 lugares
Ingressos: Frisas: R$ 40,00; Balcão Nobre: R$ 80,00; Plateia Alta: R$ 120,00; Plateia Baixa: R$ 175,00 e Camarote: R$ 135,00
– 25% de desconto para Clientes Bradesco e guichê exclusivo na bilheteria do Teatro Bradesco. Desconto limitado a 4 ingressos por sessão para o titular do cartão. Venda limitada de 200 ingressos por sessão.
– 20% de desconto para assinante O Globo. Desconto limitado a 2 ingressos por sessão para o titular do cartão. Venda limitada de 200 ingressos por sessão.
– 50% desconto para os 100 primeiros titulares Cartão Alelo na compra de 01 ingresso com Vale Cultura, e 10% desconto para os demais.
*Crianças até 24 meses que fiquem sentadas no colo não pagam
*Descontos não cumulativos.

Pontos de venda:
Bilheteria Teatro Bradesco: Av. das Américas, 3.900/Lj 160- Tel: 3431-0100
Sujeito à taxa de conveniência:
Site: http://www.ingressorapido.com.br (a compra pode ser feita até duas horas antes do evento)
Call Center: 4003-1212 (de segunda a sábado, das 9h às 22h, e domingo, das 12h às 18h)
FNAC Barra Shopping: Av. das Américas, 4.666 Loja B 101/114 (Segunda a sábado, das 10h às 20h, domingo das 13h às 18h e feriado das 15h às 18h)
Saraiva Mega Store Shopping Rio Sul: Av. Lauro Muller, 116 (Segunda a sábado das 10h às 22h, domingo e feriado das 14h às 21h)
Saraiva Mega Store Norte Shopping: Av. Dom Helder Câmara, 5080 (Segunda a sábado, das 10h às 22h, domingo e feriado das 14h às 21h)
Loja South Centro: Avenida Rio Branco, 103 (Segunda a sexta das 09h às 17h a sábado, das 09h às 14h)
Theatro Net Rio: Rua Siqueira Campos, 143 (Segunda a domingo das 10h às 18h)
Loja Vivo Ipanema: Rua Visconde de Pirajá, 443 (Segunda a sexta das 13h às 19h)
Posto BR Piraquê: Av. Borges de Medeiros, s/nº (Todos os dias das 09h às 20h)
Loja Vivo Shopping Leblon: Av Afrânio de Melo Franco, 290 Loja 106 N (Segunda a sábado, das 14h às 20h)
Posto Burgão: Estrada dos Bandeirantes, 3300 (Segunda a sábado das 08h às 18h)
Posto BR Bougainville: Rua Uruguai esquina com a Rua Maxell (Segunda a sábado das 09h às 20h, domingo e feriado, das 09h às 16h)
Forma de Pagamento: Cartão de crédito em uma parcela, cartão de débito e dinheiro