Divulgado novo vídeo de “A Grande Aposta”

No novo vídeo de ‘A Grande Aposta’ divulgado pela Paramount, o diretor Adam McKay (‘O Âncora’ e ‘Quase Irmãos’) fala sobre o filme, enquanto o elenco e equipe elogiam seu trabalho na direção. O longa conta com Brad Pitt, Christian Bale, Steve Carell e Ryan Gosling no elenco e chegará aos cinemas brasileiros no dia 14 de janeiro. A produção é baseada em uma história real – que deu origem ao livro best-seller ‘A JOGADA DO SÉCULO: The Big Short’, de Michael Lewis (‘Um Sonho Possível’ e ‘Moneyball’).

‘A Grande Aposta’ conta a trajetória de quatro homens fora do mercado financeiro que perceberam de antemão o que os grandes bancos, a mídia e o governo não conseguiram prever: a crise econômica que abateu os Estados Unidos em 2008. Seus ousados investimentos os levam para o lado sombrio do sistema bancário moderno onde devem questionar tudo e a todos.

YOUTUBE: http://bit.ly/1TfCLvW

PARA DOWNLOAD: http://www.paramountpictures.com.br/imprensa/agrandeaposta/featurette/

Anúncios

“Apaixonados” lança trailer oficial

Comédia romântica que aborda histórias de amor que se cruzam em pleno Carnaval carioca, o filme “Apaixonados“, produzido pela Total Filmes, coproduzido pela Miravista e distribuído pela H2O Films, acaba de lançar o trailer oficial: https://youtu.be/fkywExTowzQ.

Na história, três jovens casais se conhecem durante o período de folia no Rio de Janeiro e, entre encontros e desencontros, buscam ficar juntos. Tendo o Carnaval como pano de fundo que une as histórias, a trama teve locações como a quadra da Grande Rio, a Marquês de Sapucaí e a Cidade do Samba.

Sinopse:
Finalmente chega o dia do desfile das escolas de samba do grupo especial. Nesse dia tão importante, muitas histórias vão se cruzar. Cássia (Nanda Costa) está dividida entre sua responsabilidade perante a escola e a preocupação com seu pai (Roberto Bomfim), que está internado; Leonardo (Rafael Vianna) sofre uma grande decepção; Hugo (João Baldesserini) conhece Soraia (Roberta Rodrigues) no carnaval na rua, uma cabeleireira sem papas na língua; Scott (Danilo de Moura) tenta ir embora do Rio, mas tudo dá errado pra ele; Sabine (Paloma Bernardi) é uma rainha de bateria que só quer aparecer para as câmeras e Charles (Saulo Rodrigues), o carnavalesco da escola, precisa lidar com o peso de suas decisões.

Mostra de Cinema na Caixa Cultural

A Caixa Cultural Rio de Janeiro, por intermédio da Lúdica Produções, apresenta entre os dias 1 e 13 de dezembro, a mostra de cinema “O samba pede passagem”, em comemoração ao Dia Nacional do Samba.

O projeto busca ampliar o debate a respeito da relevância sociocultural do gênero, através de longas, médias e curtas metragens de diferentes épocas, passando pela Chanchada, Cinema Novo, Cinema Marginal, e os documentários contemporâneos, que adotam um olhar mais antropológico.

Serão exibidos filmes que revisitam figuras como Cartola, Paulo Vanzolini, Paulinho da Viola e Clementina de Jesus, ajudando a delinear um panorama do samba moderno e suas influências. Películas raras como o curta “Pixinguinha” (1969), de João Carlos Horta, que esboça o retrato vivo daquele que, para muitos, é considerado o maior músico brasileiro de todos os tempos, também estão na programação.

Durante o evento, haverá a distribuição de um catálogo, constituído por sinopses, fotografias, além de artigos inéditos escritos por críticos e pesquisadores do estilo musical, além de sessões de cinema comentadas.

O recorte da mostra é a seleção de obras que buscam entender o valor do samba na constituição de identidade do povo brasileiro, suas transformações e a maneira como os ideais exaltados nas composições são enxergados pela sociedade.

A mostra acontece nos cinemas 1 e 2 da Caixa Cultural, localizada na Avenida Almirante Barroso, 25 – Centro do Rio. Os ingressos custam R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia).

Mesas redondas:

Além dos muitos títulos, a mostra ainda contará com três mesas que traçarão caminhos temáticos distintos.

A primeira, “A História Social do Samba”, com os imprescindíveis Luiz Antônio Simas e Hermínio Bello de Carvalho, faz uma jornada pelas origens. Assim, partimos do quintal de Ciata, passando pela “Santa Trindade” (Pixinguinha, Donga e João da Baiana), pelas histórias da Pequena África, pela polêmica de Pelo Telefone, pela turma do Estácio, pelas primeiras escolas, pelo rádio e seus grandes ícones. Simas contando a história desses e outros momentos, e Hermínio dando seu depoimento de testemunha ocular da convivência com alguns dos personagens mais importantes do nosso compêndio: Clementina, Aracy de Almeida, Paulinho da Viola, Nelson Cavaquinho.

A segunda mesa, “Samba, força de subersão”, conta com a professora de Letras da UERJ, Giovanna Dealtry e com o professor de filosofia da UFRJ, Bernardo Oliveira, para traçar a influência do gênero enquanto força social, representação, paixão, mudança, revolução, arte e construção de arquétipos. Esboça um debate em torno da ideia de nacionalidade, tão difundida nisso tudo. Passando pelos “malandros”, pela fomentação das escolas e sua representatividade no ato de fazer, nascer, ensinar e perpetuar; até chegar aos herdeiros atuais das narrativas de revolta, do sentimento de pertencimento e da mudança social propostas pelo samba seminal. A lapa de hoje, a lapa de outrora, o rap, o funk.

A última mesa, “Noel, a Vila mostrou que faz samba também”, conta com o jornalista e escritor da biografia de Noel Rosa, João Máximo e o cantor e pesquisador Alfredo Del-Penho, para uma descontraída aula cantada, onde serão narradas as peripécias e histórias das canções emblemáticas do Poeta da Vila.

Todas as mesas tem entrada franca.

Sobre o Dia Nacional do Samba:

Segundo a lenda popular, o Dia Nacional do Samba foi criado em homenagem ao sambista Ary Barroso, compositor da música “Na Baixa do Sapateiro”, uma ode à Salvador, capital da Bahia. O vereador baiano Luís Monteiro da Costa foi quem instituiu a data, marcando o dia em que Ary Barroso visitou a Bahia pela primeira vez, em 1940. Desde então, o Dia Nacional do Samba é comemorado principalmente em Salvador e no Rio de Janeiro, onde organizam-se festas e shows em homenagem ao ritmo.

Programação:

1° de dezembro (terça-feira)

Cinema 1

16h – As Aventuras amorosas de um padeiro (1975), Waldir Onofre, 100 min, Brasil, 14 anos.

17h30 – Cartola, música para os olhos (2006), Lírio Ferreira e Hilton Lacerda, 88 min, Brasil, 10 anos.

 

19h – Saravah (1972), Pierre Barouh, 91 min, Brasil, Livre.

Cinema 2

17h – Samba (2000), Theresa Jessouroun, 55 min, Brasil, Livre.

 

2 de dezembro (quarta-feira)

Cinema 1

16h – Damas do Samba (2013) Susanna Lira, 75 min, Brasil, Livre.

17h30 – Amor, carnaval e sonhos, Paulo Cesar Saraceni – 80 min, Brasil, 12 anos.

19h – Tudo é Brasil (1977), Rogério Sganzerla, 82 min, 12 anos.

Cinema 2

18h – Batatinha, o poeta do samba (2009), Marcelo Rabelo, 62 min, Brasil, Livre.

3 de dezembro (quinta-feira)

Cinema 1

16h – Natal da Portela (1988), Paulo Cesar Saraceni, 85 min, Brasil, 12 anos.

17h30 – Nelson Cavaquinho (1969), Leon Hirszman, 13 min, Brasil, 12 anos; Guilherme de Britto (2008), André Sampaio, 21 min, Brasil, Livre; Fala Mangueira! (1981), Frederico Confalonieri, 51 min, Brasil, Livre.

19h – Cartola, música para os olhos (2006) Lírio Ferreira e Hilton Lacerda, 88 min, Brasil, 10 anos.

Cinema 2

18h – Cariocas – Músicos da cidade (1987)Ariel de Bigault, 58 min, Brasil, Livre.

4 de dezembro (sexta-feira)

Cinema 1

16h – Clementina de Jesus – Rainha Quelé (2011), Werinton Kermes, 56 min, Brasil, Livre.

17h – Heitor dos Prazeres (1965), Antônio Carlos Fontoura, 13 min, Brasil, Livre; Pixinguinha (1969), João Carlos Horta, 13 min, Brasil, Livre;Moreira da Silva (1973), Ivan Cardoso, 10 min, Brasil, Livre; Nelson Sargento (1997), Estevão Ciavatta Pantoja, 26 min, Livre.

18h – Mesa: A história social do samba, com Luiz Antônio Simas e Hermínio Bello de Carvalho.

Cinema 2

17h – Aldir Blanc – Dois pra lá, dois pra cá (2004), Alexandre Ribeiro de Carvalho, André Sampaio e José Roberto de Morais, 54 min, Brasil, Livre.

5 de dezembro (sábado)

Cinema 1

15h – Couro de Gato (1961), Joaquim Pedro de Andrade, 12 min, Brasil, Livre; Partido Alto (1982), Leon Hirszman, 22 min, Brasil, Livre; Meu Compadre Zé Ketti (2001), Nelson Pereira dos Santos, 12 min, Brasil, Livre.

 

16h – As Aventuras amorosas de um padeiro (1975), Waldir Onofre, 100 min, Brasil, 14 anos.

17h30 – Paulinho da Viola – Meu tempo é hoje (2003), Izabel Jaguaribe, 85 min, Brasil, Livre.

19h – Madame Satã (2002), Karim Ainouz, 100 min, Brasil, 16 anos.

Cinema 2

15h30 – Damas do Samba (2013) Susanna Lira, 75 min, Brasil, Livre.

17h – Agoniza, mas não morre (2011), Gabriel Meyohas e Maíra Motta, 15 min, Brasil, Livre; Guardiões do Samba (2014), Eric e Marc Belhassen, 96 min, Brasil, Livre.

 

6 de dezembro (domingo)

Cinema 1

15h – Nossa escola de samba (1965), Manuel Horácio Giménez, 29 min, Brasil, Livre; Paulo Moura – Infinita Música (1987), Ariel de Bigault, 56 min, França, Livre.

16h30 – Malandro, termo civilizado (1986), Sylvio Lanna, 25 min, Brasil, Livre; Onde a Coruja Dorme (2006), Simplício Neto e Márcia Derraik, 52 min, Brasil, 12 anos.

18h – Mesa: Samba, força de subversão, com Bernardo Oliveira e Giovanna Dealtry.

Cinema 2

16h30 – O mistério do samba (2008), Carolina Jabor e Lula Buarque de Hollanda, 89 minutos, Brasil, Livre.

8 de dezembro (terça-feira)

Cinema 1

16h – Maxixe, a dança perdida (1980), Alex Viany, 32 min, Brasil, Livre; Paulo Vanzolini – um homem de moral (2009), Ricardo Dias, 84 minutos, Brasil, Livre.

 

18h30 – Alô, Alô, Carnaval (1936), Adhemar Gonzaga, 60 min, Brasil, Livre.

19h30 – Berlim na Batucada (1944), Luiz de Barros, 75 min, Brasil, Livre.

Cinema 2

16h30 – Coração do samba (2002), Theresa Jessouron, 72 min, Brasil, Livre.

18h – Samba (2000), Theresa Jessouroun, 55 min, Brasil, Livre.

9 de dezembro (quarta-feira)

Cinema 1

16h – Madame Satã (2002), Karim Ainouz, 100 min, Brasil, Livre.

18h – Isto é Noel! (1990), Rogério Sganzerla, 46 min, Brasil, 12 anos; Noel por Noel (1981), Rogério Sganzerla, 10 min, Brasil, 12 anos.

 

19h – Paulinho da Viola – Meu tempo é hoje (2003), Izabel Jaguaribe, 86 min, Brasil, Livre.

Cinema 2

16h30 – Paulo Moura – Infinita Música (1987), Ariel de Bigault, 56 min, França, Livre.

17h30 – Batatinha, poeta do samba (2008), Marcelo Rabelo, 62 min, Brasil, Livre.

10 de dezembro (quinta-feira)

Cinema 1

15h00 – Heitor dos Prazeres (1965), Antônio Carlos Fontoura, 13 min, Brasil, Livre; Pixinguinha (1969), João Carlos Horta, 13 min, Brasil, Livre; Moreira da Silva (1973), Ivan Cardoso, 10 min, Brasil, Livre; Nelson Sargento (1997), Estevão Ciavatta Pantoja, 26 min, Livre; Maxixe, a dança perdida (1980), Alex Viany, 32 min, Brasil, Livre.

16h30 – Tudo é Brasil (1977), Rogério Sganzerla, 82 min, 12 anos.

18h00 – Isto é Noel! (1990), Rogério Sganzerla, 46 min, Brasil, 12 anos; Noel por Noel (1981), Rogério Sganzerla, 10 min, Brasil, 12 anos.

19h00 – Mesa cantada e contada: Noel a vila mostrou que faz samba também, com Alfredo Del Penho e João Máximo.

Cinema 2

16h30 – Paulo Moura – Infinita Música (1987), Ariel de Bigault, 56 min, França, Livre.

17h30 – Batatinha, poeta do samba (2008), Marcelo Rabelo, 62 min, Brasil, Livre.

11 de dezembro (sexta-feira)

Cinema 1

16h – O mistério do samba (2008), Carolina Jabor e Lula Buarque de Hollanda, 89 minutos, Brasil, Livre.

17h30 – Paulo Vanzolini – um homem de moral (2009), Ricardo Dias, 84 minutos, Brasil, Livre.

19h00 – Natal da Portela (1988), Paulo Cesar Saraceni, 85 min, Brasil, 12 anos.

Cinema 2

17h00 – Maxixe, a dança perdida (1980), Alex Viany, 32 min, Brasil, Livre; Cariocas – Músicos da cidade (1987)Ariel de Bigault, 58 min, Brasil, Livre.

12 de dezembro (sábado)

Cinema 1

 

16h – Couro de Gato (1961), Joaquim Pedro de Andrade, 12 min, Brasil, Livre; Nossa escola de samba (1965), Manuel Horácio Giménez, 29 min, Brasil, Livre; Malandro, termo civilizado (1986), Sylvio Lanna, 25 min, Brasil, Livre; Partido Alto (1982), Leon Hirszman, 22 min, Brasil, Livre.

17h30 – Agoniza, mas não morre (2011), Gabriel Meyohas e Maíra Motta, 15 min, Brasil, Livre; Guardiões do Samba (2014), Eric e Marc Belhassen, 96 min, Brasil, Livre.

19h – O Rei do Samba (1951), Luiz de Barros, 70 min, Brasil, 12 anos.

Sessão especial com fala de Hernani Heffner

Cinema 2

15h30 – Amor, carnaval e sonhos, Paulo Cesar Saraceni – 80 min, Brasil, 12 anos.

17h – Coração do samba (2002), Theresa Jessouron, 72 min, Brasil, Livre.

13 de dezembro (domingo)

Cinema 1

15h – Nelson Cavaquinho (1969), Leon Hirszman, 13 min, Brasil, 12 anos; Guilherme de Britto (2008), André Sampaio, 21 min, Brasil, Livre; Fala Mangueira! (1981), Frederico Confalonieri, 51 min, Brasil, Livre.

16h30 – Berlim na Batucada (1944), Luiz de Barros, 75 min, Brasil, Livre.

18h – Meu Compadre Zé Ketti (2001), Nelson Pereira dos Santos, 12 min, Brasil, Livre; Rio, Zona Norte (1957), Nelson Pereira dos Santos, 82 min, Brasil, Livre.

Cinema 2

16h – Paulo Moura – Infinita Música (1987), Ariel de Bigault, 56 min, França, Livre; Aldir Blanc – Dois pra lá, dois pra cá (2004), Alexandre Ribeiro de Carvalho, André Sampaio e José Roberto de Morais, 54 min, Brasil, Livre.

Serviço:

Mostra Samba pede passagem

Local: Caixa Cultural Rio de Janeiro – Cinemas  1 e 2

Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro (Metrô: Estação Carioca)

Contato: (21) 3980-3815

Data: 1 a 13 de dezembro (terça-feira a domingo)

Horários: Consultar programação

Ingressos: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes Caixa pagam meia.

Lotação: Cinema 1 – 78 lugares (mais 3 para cadeirantes); Cinema 2 – 80 lugares (mais 3 para cadeirantes)

Bilheteria: terça a sexta-feira, de 18h às 20h. Finais de semana, de 10h às 20h

Classificação indicativa: Consultar programação

Acesso para pessoas com deficiência

Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal

Mostra de Cinema Japonês na UFF

O Cine Arte UFF apresenta, de 26 de novembro a 2 de dezembro, a Mostra de Cinema Japonês – clássicos e animês, em comemoração aos 120 anos de amizade Brasil-Japão. A entrada no local é gratuita e o ingresso para assistir aos filmes custa R$ 2.

Na abertura do evento, será promovida uma conferência ilustrada e a palestra “A Vingança do Ator e o Cinema Eclético do Mestre Kon Ichikawa”, por João Luiz Vieira, mestre em cinema; e João Carlos Rodrigues, escritor e crítico. Ao fim, os dois irão promover o debate com o público sobre o filme e a importância da obra na vida do cineasta.

Serão exibidos, com exclusividade, três clássicos de Kon Ichikawa, diretor nipônico premiado em Cannes, além do famoso “Uma Família em Tóquio”. Outra obra bastante esperada é o filme “Era uma vez em Tóquio”, considerado uma das obras-primas do cinema mundial.

As apresentações selecionadas para a mostra são apenas uma pequena parte da extensa história do cinema japonês. Os animês, por exemplo, que alcançaram alto nível de produção e bilheterias milionárias no Japão, são conhecidos ao redor do mundo e encontrados

em formato de longas, séries ou curtas-metragens e podem aparecer no formato cômico, dramático, infantil, terror, entre outros.

A mostra de Cinema Japonês é uma promoção em parceria com o Consulado Geral do Japão e a Fundação Japonesa. A entrada no Cine Arte UFF é franca e os ingressos para os filmes podem ser adquiridos na bilheteria do local, que fica na Rua Miguel de Frias 9 – Icaraí/Niterói.

Programação completa da Mostra de Cinema Japonês – clássicos e animês:

Abertura: “A Vingança do Ator e o Cinema Eclético do Mestre Kon Ichikawa”

Palestrantes: João Luiz Vieira e João Carlos Rodrigues

Data: 26/11

Horário: 10h

Local: Cine Arte UFF

A VINGANÇA DO ATOR

Direção: Kon Ichikawa

1963/113 min

Classificação: 14 anos

26 NOV – 21h10 e 30 NOV – 16h10

UMA FAMÍLIA EM TÓQUIO

Direção: Yoji Yamaa

2013/146 min

Classificação: 14 anos

27 de NOV – 18h20, 29 de NOV – 18h20 e 01 de DEZ – 18h20

MIND GAME

Direção: Massaki Yuasa

2004/103 min

Classificação: 14 anos

27 NOV – 16h10 e 29 NOV – 21h10

O IRMÃO

Direção: Kon Ichikawa

1960/98 min

Classificação: 14 anos

27 NOV – 21h10 e 01 DEZ – 16h10

ERA UMA VEZ EM TÓQUIO

Direção: Yasujiro Ozu

Classificação: 14 anos

28 NOV – 18h20, 30 NOV – 18h20 e 02 NOV – 18h20

PRINCESA ARETE

Direção: Sunao Katabuchi

2000

105 min

Classificação: Livre

28 NOV – 16h10

O TEMPLO DO PAVILHÃO DOURADO

Direção: Kon Ichikawa

1985/ 99 min

Classificação: 14 anos

28 NOV – 21h10 e 02 DEZ – 16h10

AFTER SCHOOL MIDNIGHTERS

Direção: Hitoshi Takeklyo

2012/95 min

Classificação: Livre

29 NOV – 16:10 e 30 NOV – 21h10

GENIUS PARTY

2007/ 105 min

7 animações de curta-metragem

Classificação: 14 anos

01 DEZ – 21h10

GENIUS PARTY BEYOND

2008/90 min

5 animações de curta-metragem

Classificação: 14 anos

02 DEZ – 21h10

Os Tubarões de Copacabana – Eu fui!

“Os Tubarões de Copacabana” fez sua estreia no Odeon no último dia 18, e a temporada é curtíssima. Apenas 2 semanas ficarão em cartaz por lá. Sendo assim, a equipe reuniu mídia e amigos para o lançamento do longa. Afinal, a espera para a data foi de 5 anos, e a expectativa era grande. Vários percalços impediram que o filme fosse lançado antes. O período de 5 anos fez diferença inclusive na aparência de alguns atores. Muitos apareciam muito diferentes em cena que na vida real hoje em dia.

Falando em tempo, o enredo é sobre um grupo de amigos de longa data que costumava pegar onda nas praias de Copacabana. O tempo os afastou, mas uma tragédia os reuniu depois de algum tempo. Quando um dos integrantes do grupo, Neto, morreu, os outros companheiros foram ao enterro dele. O protagonista, Nando (Raul Gazolla), reencontra a viúva – vivida por Alcione Mazzeo -, que já foi sua namorada. Na ocasião também conhece Nicole (Rayanne Moraes), filha do casal, e se apaixona pela moça.

Este é o estopim dos conflitos, pois lógico que a mãe não aceita o relacionamento. A partir de então surgem cenas que lembram episódio de novela: traição, incesto… Isto falando apenas da trama central. O filme também tem vários personagens que fazem participações, mas pouca relevância têm na história. Os próprios demais amigos servem apenas para simbolizar a amizade do grupo, mas têm suas tramas paralelas.

É considerável o esforço da diretora, Rosario Royes, levar seu filme para as telonas. Mas texto, enredo e boa parte do elenco não colaboram para uma aposta de que o filme vá engrenar. Mas serve como um incentivo para que outras produções nacionais sejam realizadas, mas que não levem tanto tempo para entrarem em circuito.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

P.S.: Agradeço ao Alessandro Monteiro pelos convites

4ª Edição do Festival Iguacine

O Iguacine, primeiro festival audiovisual na Baixada Fluminense, chega à sua 4ª edição, com exibições entre os dias 24 e 29/11. As atrações do festival, que são todas gratuitas, prometem movimentar diversos pontos da cidade com programação na Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu (Austin), no Complexo Cultural de Nova Iguaçu (Centro), na Praça de Austin e no Laboratório Cultural (Califórnia). A abertura oficial será no dia 25/11 (quarta-feira), às 20h, no Complexo Cultural de Nova Iguaçu.

A “Mostra Panorama Nacional” exibirá três longas inéditos de grandes diretores, que ainda estrearão no circuito comercial: “Seca”, de Maria Augusta Ramos (25); “O Prefeito”, de Bruno Safadi (26) e “Um Filme de Cinema”, de Walter Carvalho (27). Ambos serão exibidos no Complexo Cultural de Nova Iguaçu. Além da “Mostra Panorama Nacional”, acontecem ainda a “Mostra ELC 10 anos em 10 filmes” e as competitivas “Mostra Competitiva Nacional”, que obteve 224 filmes inscritos de 19 estados, e “Mostra Competitiva Baixada”, que alcançou 37 inscrições.

No sábado (28), o festival reverenciará os quatro homenageados desta edição: O filme “KBela”; o artista plástico local Raimundo Rodriguez; o Ponto Cine (sala de cinema independente de Guadalupe) e Cavi Borges, criador da locadora e produtora Cavídeo. No domingo (29), na Praça de Austin, ocorre a exibição dos premiados das Mostras Competitivas e uma Batalha de Rima do grupo QDN RAP.

Para a coordenadora do Iguacine, Luana Pinheiro, a importância do Iguacine está na mistura de imagens, territórios, práticas e na promoção de encontros. “A Escola Livre de Cinema comemora o retorno do festival e espera contribuir com o cenário de audiovisual da Baixada, estimulando cada vez mais a produção de novas narrativas sobre esse território. O Iguacine será uma demonstração do audiovisual como modo de pensar, sentir e agir nesse lugar”, acrescenta Luana. Confira a programação completa no site http://escolalivredecinemani.com.br/iguacine/

Sobre as mostras

A “Mostra ELC 10 anos em 10 filmes” fará um panorama da produção dos 10 anos da Escola Livre de Cinema e exibirá quatro sessões na ELC, no Laboratório Cultural e no Complexo Cultural de Nova Iguaçu para crianças da Rede Pública de Ensino.
Já a “Mostra Competitiva Nacional” exibirá 27 curtas de nove estados e a “Mostra Competitiva Baixada” terá 13 filmes de seis municípios. As mostras competitivas acontecerão no Complexo Cultural de Nova Iguaçu e a premiação será no dia 28/11 (sábado).

Sobre a Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu

Às vésperas de completar 10 anos, a Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu é a primeira escola de audiovisual da Baixada Fluminense. Sua metodologia articula três conceitos – o corpo, a palavra e o território como elementos de expressão da imagem e do som através de ações artísticas dentro e fora da sala de aula. Seu conteúdo pedagógico aponta para o domínio das técnicas e para o encorajamento estético, no sentido de estimular a criação e a produção audiovisual. Este cenário de ações e de representatividade para o pensamento da educação por meio do Audiovisual é proveniente de um histórico de vivências, de estratégias, de captação e de experimentação no território.

A ELC conta com a parceria do Cineclube Buraco do Getúlio e do Cineclube Mate com Angu, que contribuem com mobilização, produção e metodologia da Escola. A gestão geral é da OSCIP Avenida Brasil Instituto de Criatividade Social. O projeto Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu e o Iguacine tem o patrocínio da Petrobras, do Governo do Rio de Janeiro e da Secretaria de Estado de Cultura, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Terça-feira (24)

Mostra ELC 10 anos em 10 filmes- na ELC, às 14h
Filmes:
A Fofoqueira, de alunos Oficina de Animação ELC – 3’38”- 2006 – animação
As aventuras de Iguaçu e Sua Turma – Comida de Televisão, de alunos Oficina de Animação ELC – 8’38” – 2008 – animação
Autorretratos, de alunos Oficina Audiovisual na Escola ELC – 5′ – 2010 – vídeo arte
Montão de Coisa, de alunos Oficina de Vídeo Dança ELC – 6’59” – 2014 – vídeo dança
Quadradinho de 8, de alunos Oficina Dança e Filma ELC – 2′ – 2015 – vídeo dança

Quarta-feira (25)

Mostra ELC 10 anos em 10 filmes- no Complexo Cultural, às 14h
Filmes:
A Fofoqueira, de alunos Oficina de Animação ELC – 3’38”- 2006 – animação
As aventuras de Iguaçu e Sua Turma – Comida de Televisão, de alunos Oficina de Animação ELC – 8’38” – 2008 – animação
Autorretratos, de alunos Oficina Audiovisual na Escola ELC – 5′ – 2010 – vídeo arte
Montão de Coisa, de alunos Oficina de Vídeo Dança ELC – 6’59” – 2014 – vídeo dança
Quadradinho de 8, de alunos Oficina Dança e Filma ELC – 2′ – 2015 – vídeo dança
Abertura e Mostra Panorama Nacional- no Complexo Cultural, às 20h
Exibição do filme “Seca”, de Maria Augusta Ramos

Quinta-feira (26)

Mostra ELC 10 anos em 10 filmes- no Complexo Cultural de Nova Iguaçu, às 14h
Filmes:
É o Bonde da Rã, Heim!, de alunos Oficina de Animação ELC – 2’19”- 2006 – animação
As aventuras de Iguaçu e Sua Turma – O MegaUltraPowerVideoGame, de alunos Oficina de
Animação ELC – 7’44” – 2008 – animação
Contos Câmara Cascudo – Mata Sete, de alunos Oficina Audiovisual na Escola ELC – 9’24” – 2009 – animação
Autorretratos, de alunos Oficina Audiovisual na Escola ELC – 5′ – 2010 – vídeo arte
Fanque-me, de alunos Oficina Dança e Filma ELC – 2′ – 2015 – vídeo dança
Mostra Competitiva Nacional- no Complexo Cultural de Nova Iguaçu, às 16h
Filmes:
Pedra que Samba, de Camila Agustini e Roman Lechapelier – 11’ – 2015 – documentário – RJ
Serra do Caxambu, de Marcio Brito Neto 16’ – 2015 – documentário – RJ
Canjeré Um Encontro Ancestral, de Alexandre Rosa – 10’30’’ – 2015 – documentário – RJ
Haroldo Costa O Nosso Orfeu, de Silvio Tendler – 26’ – 2015 – documentário – RJ
MC Magalhães, de Marcelo Gularte – 14’43’’ – 2013 – documentário – RJ
Sandrine, de Elen Linth e Leandro Rodrigues – 12’29’’ – 2015 – ficção – AM
Mostra Competitiva Nacional- no Complexo Cultural de Nova Iguaçu, às 18h
Filmes:
Kidchup, de Carolina Giannini Veirano e Guilherme Ghussn – 2’24’’- animação – RJ
Carrosel, de Rafael de Almeida – 3’ – 2013 – experimental – GO
Cartas de Antônio, de Luana Farias, Elena Meirelles, Júlia Meireles, Felipe Fernandes,
Mariana Moron – 13’ – 2015 – documentário – RJ
O Plano do Ano, de Raphael Cruz – 12’10’’ – 2014 – ficção – RJ
Um Dia, de Angelo Defanti – 20’ – 2015 – documentário – RJ
À Festa. À Guerra, de Humberto Carrão Sinoti – 17’ – 2015 – ficção – RJ
Coração de Madeira, de Leonardo Martinelli – 6’40’’ – 2015 – ficção – RJ
Fio Terra, de Ian Capillé – 19’ – 2015 – ficção – RJ
Panorama Nacional- no Complexo Cultural de Nova Iguaçu, às 20h
Exibição do longa “O Prefeito”, de Bruno Safadi

Sexta-feira (27)

Mostra ELC 10 anos em 10 filmes- no Laboratório Cultural, às 14h
Filmes:
É o Bonde da Rã, Heim!, de alunos Oficina de Animação ELC – 2’19”- 2006 – animação
As aventuras de Iguaçu e Sua Turma – O MegaUltraPowerVideoGame, de alunos Oficina de Animação ELC – 7’44” – 2008 – animação
Contos Câmara Cascudo – Mata Sete, de alunos Oficina Audiovisual na Escola ELC – 9’24” – 2009 – animação
Autorretratos, de alunos Oficina Audiovisual na Escola ELC – 5′ – 2010 – vídeo arte
Fanque-me, de alunos Oficina Dança e Filma ELC – 2′ – 2015 – vídeo dança
Mostra Competitiva Nacional- no Complexo Cultural de Nova Iguaçu, às 16h
Filmes:
Voustéquio, de Bruno Nogueira – 3’35’’ – 2015 – animação – ES
Araca O Samba em Pessoa, de Aleques Eiteres – 20’ – 2014 – documentário – RJ
Instante Karma, de Guiwhi Santos – 11’ – 2015 – ficção – RJ
Quintal, de André Novais de Oliveira – 20’ – 2015 – ficção – MG
Cine Paissandú, de Christian Jafas – 15’ – 2013 – documentário – RJ
Mulheres em Luta, de Susanna Lira – 26’ – 2013 – doc – RJ
Mostra Competitiva Nacional- no Complexo Cultural de Nova Iguaçu, às 18h
Filmes:
Amor Objeto, de Helena Ferreira e Rayana França – 1’06’’ – 2014 – animação – PE
A Bordo, de Davi Mello – 22’ – 2015 – ficção – SP
Mãe de Giz, de Almir Correia – 5’ – 2015 – animação – PR
O Corpo É Meu, de Luciana Oliveira – 25’ – 2015 – documentário – SE
Amanhã Já É Outono, de Luciana Bezerra – 16’ – 2014 – ficção – RJ
O Clube, de Allan Ribeiro – 17’ – 2014 – ficção – RJ
Tubarão, de Leo Tabosa – 13’ – 2013 – documentário – PE
Mostra Panorama Nacional- no Complexo Cultural de Nova Iguaçu, às 20h
Exibição do filme “Um Filme de Cinema”, de Walter Carvalho

Sábado (28)

Mostra Competitiva Baixada- no Complexo Cultural de Nova Iguaçu, às 15h
Filmes:
1962 – O Ano do Saque, de Rodrigo Dutra – 20’ – 2014 – documentário – Duque de Caxias
Traços, de Fabiano Mixo – 11’ – 2013 – ficção – Nova Iguaçu/Berlim
Daniel’s Bar Astral, Magia e Você, de Daniel Guerra e Paulo China – 30’ – 2015 – documentário – Nova Iguaçu
Até a China, de Marão – 15’ – 2015 – animação – Nilópolis
Tear, de Taiane Linhares – 15’ – 2014 – documentário – Magé
Mu Ro Ru Mo, de Heraldo HB – 2’ – 2014 – experimental – Duque de Caxias
Mostra Competitiva Baixada- no Complexo Cultural de Nova Iguaçu, às 17h
Filmes:
Donana, de Cacau Amaral – 27’ – 2013 – documentário – Duque de Caxias
Dias e Dias, de Getúlio Ribeiro e Melise Fremiot – 18’ – 2015 – ficção – Nova Iguaçu
Praça do Skate, a Primeira Pista da América Latina, de Paulo China – 20’ – 2013 – documentário – Nova Iguaçu
O Perdão, de Ricardo Rodrigues e Vitor Gracciano – 5’24’’ – 2014 – ficção – São João de Meriti
Hundangbenã – O Ninho da Serpente, de Mazé Mixo – 13’43’’ – 2014 – documentário – Nova Iguaçu
Pó de Arroz, de Lucas Marotelli – 6’ – 2015 – ficção – Itaguaí
As Galeras, de Juliana Portella – 14’10’’ – 2015 – documentário – Nova Iguaçu
Homenagens- no Complexo Cultural de Nova Iguaçu, às 19h
Exibição “KBELA” E “Um Filme Francês” do Cavi Borges
Premiação- a partir das 19h

Domingo (29)

Iguacine na Rua- na Praça de Austin, às 19h
Exibição de filmes e Batalha de Rima com o grupo QND RAP, na Praça de Austin, a partir das 20h
Serviço:
Iguacine- Festival de Cinema da Cidade de Nova Iguaçu
Data: De 24 a 29/11
Entrada gratuita
Classificação: livre

Endereços:
COMPLEXO CULTURAL DE NOVA IGUAÇU
Rua Getúlio Vargas, 51 – Centro, Nova Iguaçu.

ESCOLA LIVRE DE CINEMA DE NOVA IGUAÇU
Rua Cândido Lima,13 – Austin – Nova Iguaçu.

LABORATÓRIO CULTURAL
Rua Rainha Elizabeth, 188 – AP 101 Califórnia – em Frente ao Mercadinho Casal de Ouro – Nova Iguaçu.

PRAÇA DE AUSTIN
Av. Cel. Monteiro de Barros – Austin, Nova Iguaçu.

Estreia de “Os Tubarões de Copacabana”

No dia 18 de novembro, no Cinema Odeon, na Cinelândia, Praça Floriano 7, no Rio de janeiro, às 20h, acontecerá o tão esperado lançamento do longa metragem “Os Tubarões de Copacabana”, dirigido por Rosario Boyer e produzido pela empresa Internacional Produções, com sede no bairro de Copacabana. O filme, protagonizado por Raul Gazolla, Rayanne Morais, Marcos Veras, Alcione Mazzeo, Ricardo Macchi e Guil Silveira e grande elenco, conta a história ficcional de um grupo de surfistas veteranos, que se reúnem depois de 20 anos de afastamento, no velório de um integrante da turma. Nando (Raul Gazolla) o líder do grupo reencontra sua ex namorada (Alcione Mazzeo) e se apaixona loucamente pela filha dela, Nicole (Rayanne Morais) dando início a uma série de conflitos que desencadeiam a tragédia.

         Antes da estréia nacional o filme participou com estrondoso sucesso no circuito de Festivais internacionais, ganhando importantes prêmios: melhor filme, melhor roteiro melhor atriz principal e melhor ator.

        O longa metragem “Os Tubarões de Copacabana” tem no surfe o eixo temático principal, porém não trata especificamente do esporte e sim das pessoas que o praticam, especialmente daqueles que mesmo na maturidade, continuam cultuando tradições e valores peculiares associados ao surfe, e identificando-se por uma série de sinais emblemáticos abraçados por àqueles que escolheram ser surfistas como opção existencial. Ser surfista pressupõe uma entrega total e incondicional, devendo o individuo aderir a uma série de códigos comportamentais coletivos, numa espécie de rituais tribais.

         A estréia de “Os Tubarões de Copacabana” coincide com um momento especialíssimo para a cidade de Rio de Janeiro, escolhida como cenário do filme, que está próxima a sediar os Jogos Olímpicos de 2016.  O bairro de Copacabana, reduto de surfistas,  tem papel destacado   na produção, mostrando não somente sua belíssima praia, como também o espírito de seus moradores, caracterizado pela hospitalidade e o bom humor.

Fomos assistir, veja só!