“Somos Tão Jovens” até 23 de junho

Depois de temporadas no Teatro Nair Belo e Teatro Augusta, em 2018, o espetáculo Somos Tão Jovens reestreia no dia 1º de junho (sábado, às 21h), no Teatro Décio de Almeida Prado, onde permanece somente até o dia 23 de junho. Com texto de Vinícius de Oliveira e direção de Ricardo Grasson, o espetáculo traz a história de adolescentes que vivem a intensidade de sentimentos, característica da idade.

Em cena, seis jovens sentem-se livres para expressar e compartilhar tudo que estão sentindo e vivendo, sem filtros nem meias palavras. Suas dúvidas, seus medos e suas angústias se alternam com as alegrias, erros e acertos das personagens vividas por Júlio Oliveira (Théo), Gabriel Moura (Renato), Fernando Burack (Daniel), Danillo Branco (Guilherme), Luís Fernando Delalibera (Plínio) e Marcos Oli (Beto).

A trilha sonora proporciona um clima intenso e vibrante à encenação, conduzindo a temática jovem, colorindo as cenas com canções que embalaram a juventude nas décadas de 1980 a 2000. A música Tempo Perdido, da banda Legião Urbana, por exemplo, garante um dos momentos mais nostálgicos para o público.

O diretor Ricardo Grasson comenta que Somos Tão Jovens está em plena sintonia com os dias atuais, onde os diálogos são cada vez mais difíceis. Ele explica que a aposta da direção na simplicidade e na mensagem direta para o jovem confere dinamismo e fluidez à encenação. “O teatro tem a característica de mostrar a vida como ela realmente é para, assim, propor questionamentos. Não importa se é clássico ou contemporâneo, o bom do teatro é a possibilidade de falar do ser humano com todas as camadas que o envolve”.

Ambientado em cenários lúdicos de uma metrópole – um barzinho, um apartamento, um terraço. Os temas abordados são tão diversos quanto as questões que sempre povoaram a vida dos jovens na fase de amadurecimento. O espectador é conduzido por um universo surreal, recheado de medos, incertezas, sonhos, alegrias, angústias, paixões, rebeldias e devaneios. No decorrer da trama, afloram questões ligadas a preconceitos, uso de drogas, relacionamentos afetivos e sexualidade.

O autor Vinícius de Oliveira revela que se inspirou no espetáculo Garotos, de Leandro Goulart, no filme Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, de Daniel Ribeiro, e no livro As Meninas, de Lygia Fagundes Telles, para escrever o texto e elaborar a dramaturgia. “Essas obras impulsionaram e ajudaram a costurar a trama. Histórias que aconteceram comigo e com pessoas próximas também serviram como propulsores”. E completa dizendo que “Somos Tão Jovens é um espetáculo que cativa não só os jovens, que vivem essas cenas cotidianamente, como as pessoas adultas, que passaram por esses momentos em algum ponto da vida”.

A temporada no Teatro Décio de Almeida Prado promete participação de convidados especiais, que atuarão em uma das cenas. Os nomes serão divulgados oportunamente.

Ficha técnica

 

Dramaturgia: Vinicius de Oliveira. Direção: Ricardo Grasson. Assistência de direção: Heitor Garcia. Elenco: Júlio Oliveira, Gabriel Moura, Fernando Burack, Danillo Branco, Luís Fernando Delalibera e Marcos Oli. Figurino e adereços: Rosângela Ribeiro. Desenho e operação de luz: Pati Morim Lobato. Trilha sonora: Kelly Martins. Operação de som: Tomé de Souza. Direção de produção: Ricardo Grasson. Produção executiva: Gabriela Gama. Assessoria de imprensa: Verbena Comunicação. Realização e produção: NOSSO Cultural.

Serviço

Espetáculo: Somos Tão Jovens

Reestreia: 1º de junho – sábado, às 21h

Temporada: de 1º a 23 de junho

Horários: sábados (às 21h) e domingos (às 19h)

Ingressos: R$ 30,00 (meia-entrada: R$ 15,00)

Bilheteria: 1h antes das sessões. Aceita dinheiro e cartão de débito.

Ingressos online: www.sampaingressos.com.br

Duração: 70 min. Gênero: Jovem / LGBTQ+. Indicação: 14 anos.

Teatro Décio de Almeida Prado 

Rua Lopes Neto, 206 – Itaim Bibi – São Paulo/SP

Telefone: (11) 3079-3438. Capacidade: 186 lugares.

Siga: Instagram – @somostaojovensapeca

Anúncios

Moraes Moreira e Davi Moraes no Net Rio

Moraes Moreira e o filho Davi Moraes sobem ao palco do Theatro Net Rio, no próximo dia 30 de maio, às 21h, no Theatro Net Rio, em Copacabana.

Uma apresentação intimista calcada no violão e na voz de MORAES MOREIRA, e também na guitarra e voz de DAVI MORAES, onde cantam em seus shows um verdadeiro festival de canções que habitam a memória afetiva de todos nós: “Preta Pretinha”, “Meninas do Brasil”, “Forró do ABC”, “Bate Coração”, “Bloco do Prazer” e “Acabou Chorare” – além de declamar poesias e cordéis, ele que é o representante da cadeira 38 da Academia Brasileira de Literatura de Cordel.

Cantor e compositor a do primeiro time da MPB, MORAES MOREIRA apresenta agora suas canções junto a DAVI MORAES, seu filho e guitarrista mais requisitado da Música Popular Brasileira em MORAES MOREIRA E DAVI MORAES: PAI E FILHO.

O projeto DIA DE MÚSICA é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pelas empresas REDE D’OR e ONS Operador Nacional de Sistema Elétrico por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

Sobre o Theatro Net Rio

Arrendado em abril de 2011 pelos produtores culturais Frederico Reder e Juliana Reder, sócios da produtora Brain+, o antigo teatro Tereza Rachel teve sua reforma iniciada no mesmo ano, após mais de dez anos sem atividades. Quatro décadas depois de sua primeira inauguração, o Theatro Net Rio abriu suas cortinas no dia 4 de abril de 2012, com o espetáculo “BIBI – Histórias e Canções”, no qual Bibi Ferreira comemorava seus 90 anos de vida e 70 anos de carreira. No dia 7 de abril, foi inaugurado para o grande público.

Entre shows, musicais, peças de teatro e espetáculos de dança já promoveu mais de 1500 sessões para um público acima de um milhão de pessoas. O espaço conta com duas salas, sendo a maior, Sala Tereza Rachel, com capacidade de 622 lugares e a menor, Sala Paulo Pontes, com 100 lugares.

Dois anos depois os mesmos produtores inauguraram o Theatro NET São Paulo, localizado no quinto andar do Shopping Vila Olímpia. Com uma grande festa a noite do dia 18 de julho de 2014 foi marcada por um inesquecível show de Gilberto Gil. Desde então, o teatro já recebeu em seu palco grandes nomes da MPB, além de espetáculos musicais e eventos corporativos. Com 2.300 m² a estrutura conta com arquitetura moderna e tecnologia de ponta. Apesar de grandioso, tudo no Theatro NET São Paulo é aconchegante.

Ambas as casas têm pleno funcionamento, com uma programação diversificada, todos os dias da semana, e preza pelo bem-estar do público e dos artistas e pela excelência em seu atendimento.

Sobre a produtora Brain+

Depois de conquistar diferencial em sua área, a Brain+ – que nasceu Brainstorming Entretenimento – hoje comemora sete anos e movimenta o setor da economia criativa no Brasil, a partir de São Paulo e Rio de Janeiro, com a operação consolidada de dois teatros.

Por meio de contratos de naming right/patrocínio com a empresa de serviços de telecomunicações e entretenimento via cabo Net, viabiliza a operação dos Theatro Net Rio e Theatro Net São Paulo.

Conduzindo diretamente todos os seus negócios, Fred Reder comemora cada crescimento e novas conquistas profissionais. Seu nome é sinônimo de ousadia no cenário cultural do eixo Rio/São Paulo e sua ambição ultrapassa essas fronteiras. Ainda este ano, sua empresa tem a expectativa de crescer cada vez mais nesse mercado de entretenimento cultural, com a abertura de novos teatros.

Em paralelo aos gerenciamentos das casas, a Brain+ traz ainda em seu catálogo a produção de espetáculos, que são sucesso de público e crítica. Tango, Bolero e Cha Cha Cha; O Pacto das 3 Meninas; Romeu e Julieta; e, Avenida Q são alguns deles. Além dos mais recentes: Qualquer Gato Vira-Lata Tem a Vida Sexual Mais Sadia Que a Nossa; E Aí, Comeu?; Constellation, O Musical; O Último Lutador; Ou Tudo Ou Nada.

 

 

SERVIÇO:

 

MORAES MOREIRA E DAVI MORAES

Theatro Net Rio – Sala Tereza Rachel. Rua Siqueira Campos, 143 – Sobreloja – Copacabana. (Shopping Cidade Copacabana).

Data: 30 de maio de 2019.

Horário: 21h.

Classificação: 12 anos

Duração: 70 minutos.

Ingresso: R$ 80,00 (plateia e frisas) R$ 60,00 (balcão)

Direito à meia entrada e descontos:  http://www.theatronetrio.com.br/pt-br/bilheteria.html

Capacidade do Teatro: 622 lugares.

Telefone do teatro: 21 2147 8060 / 2148 8060

Site: www.theatronetrio.com.br

Vendas pela internet:  www.ingressorapido.com.br ou pelo aplicativo do Ingresso Rápido.
Vendas pelo telefone: Informações e compra Ingresso Rápido – (11) 4003 – 1212
Atendimento pós venda Ingresso Rápido – (11) 4003 – 2051
Informações sobre ponto de venda da Ingresso Rápido de outros eventos fora do Theatro Net Rio, somente pelo telefone – (11) 4003 – 1212
Horário de funcionamento – Todos os dias das 10h às 18h.

Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.

Reservas para grupos: Gabriel Sales / gruposrj@brainmais.com / tel: 2147-8060

Formas de pagamento: Aceitamos todos os cartões de crédito, débito, vale cultura nas bandeiras (Alelo & Ticket) e dinheiro. Não aceitamos cheques.

Acessibilidade

Estacionamento no Shopping, entrada pela Rua Figueiredo Magalhães, 598.

“O clássico é Indie” no Teatro Rival

Em nove anos de existência, o Queremos! trouxe para o Rio de Janeiro alguns dos maiores nomes do indie rock mundial – Tame Impala, MGMT, Phoenix, The XX, etc. Agora, em parceria com a Orquestra Petrobras Sinfônica, eles prestam uma homenagem a esses shows que marcaram a Cidade Maravilhosa. No dia 22 de maio, a OPES apresenta o concerto “O Clássico É Indie”, reunindo versões orquestradas desses hits. Será no Teatro Rival, às 20 horas, com entrada gratuita.

Quatorze músicos da Petrobras Sinfônica sobem ao palco do Rival para executar sucessos como “Time to pretend” (MGMT), “Feels like I only go backwards” (Tame Impala),  “Lisztomania” (Phoenix) e “Take me out” (Franz Ferdinand). Os arranjos são de Dudu Trentin. A apresentação faz parte da série “O Clássico É”, projeto da OPES que homenageia os mais diversos gêneros musicais (pop, rock, samba, reggae e até músicas sobre futebol) desde 2016, com o objetivo de popularizar a música clássica e renovar o público do gênero.

Esse show de releituras marca a contagem regressiva para o Queremos! Festival 2019, que vai acontecer no dia 15 de junho, na Marina da Glória. Quem vai abrir o evento é justamente a Orquestra Petrobras Sinfônica, com o concerto inédito (e super aguardado pelo público!) “Bohemian Rhapsody”, só de clássicos do Queen.

“É um grande orgulho para a Petrobras Sinfônica coroar a belíssima parceria com o Queremos! com dois eventos que unem perfeitamente nossos mundos nem tão distantes. ‘O Clássico é Indie’ será um grande desafio, pois apresentaremos um repertório inédito, de Phoenix a Jose Gonzalez, lembrando cada show emocionante do Queremos!”, pontua Mateus Simões, Diretor Executivo da Orquestra Petrobras Sinfônica.

Para o diretor artístico do Queremos!, Pedro Seiler, esse encontro de universos musicais no Teatro Rival faz um oportuno resgate desses shows que deixaram rastro na vida dos cariocas. Difícil foi escolher apenas 12 faixas para esse tributo. “Escolhemos o repertório junto com a OPES, e acreditamos que vai ser uma festa nostálgica para quem é fã de carteirinha do Queremos!”.

 

Sobre o QUEREMOS!

O Queremos! tem um calendário fixo de eventos em quatro das principais capitais brasileiras: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre. E em 2018, deu a partida no Queremos! Festival, uma reunião de artistas nacionais e internacionais, que volta ao Rio de Janeiro em junho de 2019. O que dá o tom é a curadoria musical.

Mais que uma produtora, o Queremos! é uma plataforma global que ouve os fãs, para que a experiência de ir a um show seja única. Eles podem pedir seus artistas favoritos em suas cidades e compartilhar esse pedido com os amigos, gerando mais demanda para o artista e mais engajamento do público.

Mais de 2 milhões de fãs já geraram mais de 4 milhões de pedidos para mais de 6 mil artistas verificados no Queremos!. Já são mais de 170 shows produzidos no Brasil, de artistas como Wilco, Chemical Brothers, LCD Soundsystem, Alabama Shakes, Simple Plan, Phoenix e Primal Scream. Os shows do Queremos! têm patrocínio da cervejaria Heineken há quatro anos.

 

Programa

 

Tame Impala – Feels like i only go backwards

MGMT – Time to pretend

Phoenix – Lisztomania

Two Door – What you know

XX – Crystalised

Franz Ferdinand – Take me out

Jose Gonzales – Heartbeats

Wilco – Impossible germany

Belle and Sebastian – The boy with the arab strap

Vampire Weekend – Oxford comma

Edward Sharpe – Home

Vance Joy – Riptide

Sobre a Orquestra Petrobras Sinfônica

Aos 47 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica se consolida como uma das mais conceituadas do país e ocupa lugar de prestígio entre os maiores conjuntos musicais da América Latina. Criada pelo maestro Armando Prazeres, a orquestra é formada por mais de 80 instrumentistas e tem como diretor artístico e regente titular o maestro Isaac Karabtchevsky, nome mais respeitado no Brasil e consagrado internacionalmente.

 

Modelo de gestão: A Associação Orquestra Pró Música do Rio de Janeiro, entidade que administra o conjunto, apresenta uma proposta administrativa inovadora, sendo a única orquestra do país gerida por seus próprios músicos.

 

Sobre a PETROBRAS: A Petrobras completa 33 anos de patrocínio da Orquestra Petrobras Sinfônica em 2019. Através do Petrobras Cultural, a companhia busca contribuir para o fortalecimento das oportunidades de criação, produção, difusão e fruição da cultura brasileira, para a ampliação do acesso dos cidadãos aos bens culturais e formação de novas plateias. A parceria é essencial para manter a Orquestra Petrobras Sinfônica entre os principais conjuntos da América Latina, sempre desenvolvendo um importante trabalho de democratização da música clássica e de renovação do público do gênero.

SERVIÇO – O CLÁSSICO É INDIE

 

Data: 22/05/2019 (quarta-feira)

Horário: 20h

Abertura da casa: 19h

Local: Teatro Rival (Rua Álvaro Alvim, 33 – Cinelândia)

Classificação: Livre

Grátis

 

>>> Assine o Input, a newsletter mensal do Queremos!, com informações sobre música e tecnologia e a agenda de shows da plataforma. http://www.queremos.com.br/input

Lô Borges no Net Rio

Lô Borges apresenta “Rio Da Lua” (Deck), seu quinto álbum de inéditas neste século no próximo dia 29 de maio, às 21h, no Theatro Net Rio, em Copacabana. É um álbum composto em parceria com Nelson Angelo, que conhecia Lô desde o tempo do Clube na Esquina mas não o via há 40 anos. “Convidei o Nelson para um show meu, e para minha surpresa, uma semana depois, ele me mandou “Partimos” por e-mail, que musiquei, e depois começou a enviar várias letras por WhatsApp” – comenta Lô. O que era para ser uma canção acabou virando as dez que formam todo o repertório de “Rio da Lua”.

 O processo todo de feitura de “Rio da Lua” foi diferente do que Lô está acostumado. Com projeto gráfico assinado pelo renomado arquiteto João Diniz, pela primeira vez, Lô musicou letras (ao invés do processo inverso). A química disso tudo deixou o álbum simples, artesanal e com ares contemporâneos. “O processo de composição do “Rio da Lua” foi uma novidade em dois aspectos. Inicialmente, foi a primeira vez em que compus com Nelson Angelo e também foi a primeira vez que musiquei letras. Em geral trabalho previamente a composição para depois o parceiro trabalhar na letra. Desta vez, foi o inverso. Outro aspecto inovador é que tudo foi feito através de troca dinâmica de mensagens digitais com o Nelson”, conta Lô.

Abertura do álbum, a canção homônima é, na opinião de Lô, “sem precedentes na minha trajetória de compositor. Usei acordes que nunca havia usado ao longo da minha carreira; acordes inusitados que surpreenderam os músicos que gravaram o disco”. “Em Outras Canções”, primeiro single, é a mais romântica do registro, na qual Lô, explorando sua amplitude vocal, traz mensagens de positividade em meio a tempos difíceis.  Outro destaque, “Partimos” é a composição que iniciou a parceria da dupla. A faixa é, na opinião do cantor e compositor, a que mais remete aos clássicos da MPB, e é resultado das influências musicais que Lô recebeu de Nelson Angelo, ao longo de muitos anos.

“‘Rio da Lua’ é um disco rumo ao desconhecido. Toda a criação foi uma novidade, desde a parceria inédita com o grande compositor Nelson Angelo, até a forma como trabalhamos utilizando as mensagens digitais para produzir as músicas. Esse rumo ao desconhecido, por características diferentes, também está presente no ‘disco do tênis’ (álbum “Lô Borges”, de 1972), meu primeiro álbum solo. Ambos os discos carregam uma urgência em seus processos criativos”, completa Lô Borges.

Ordem do disco:

1.         RIO DA LUA                            (Lô Borges / Nelson Angelo)

2.         EM OUTRAS CANÇÕES           (Lô Borges / Nelson Angelo)

3.         ALÉM DO TEMPO                   (Lô Borges / Nelson Angelo)

4.         FLECHA CERTEIRA                  (Lô Borges / Nelson Angelo)

5.         FOTO 3×4                                (Lô Borges / Nelson Angelo)

6.         INUSITADA                             (Lô Borges / Nelson Angelo)

7.         PARTIMOS                              (Lô Borges / Nelson Angelo)

8.         ANTES DO TEMPO                  (Lô Borges / Nelson Angelo))

9.         NO CAMINHO                         (Lô Borges / Nelson Angelo))

10.       PROFETA                                 (Lô Borges / Nelson Angelo)

 

Sobre o Theatro Net

Arrendado em abril de 2011 pelos produtores culturais Frederico Reder e Juliana Reder, sócios da produtora Brain+, o antigo teatro Tereza Rachel teve sua reforma iniciada no mesmo ano, após mais de dez anos sem atividades. Quatro décadas depois de sua primeira inauguração, o Theatro Net Rio abriu suas cortinas no dia 4 de abril de 2012, com o espetáculo “BIBI – Histórias e Canções”, no qual Bibi Ferreira comemorava seus 90 anos de vida e 70 anos de carreira. No dia 7 de abril, foi inaugurado para o grande público.

Entre shows, musicais, peças de teatro e espetáculos de dança já promoveu mais de 1500 sessões para um público acima de um milhão de pessoas. O espaço conta com duas salas, sendo a maior, Sala Tereza Rachel, com capacidade de 622 lugares e a menor, Sala Paulo Pontes, com 100 lugares.

Dois anos depois os mesmos produtores inauguraram o Theatro NET São Paulo, localizado no quinto andar do Shopping Vila Olímpia. Com uma grande festa a noite do dia 18 de julho de 2014 foi marcada por um inesquecível show de Gilberto Gil. Desde então, o teatro já recebeu em seu palco grandes nomes da MPB, além de espetáculos musicais e eventos corporativos. Com 2.300 m² a estrutura conta com arquitetura moderna e tecnologia de ponta. Apesar de grandioso, tudo no Theatro NET São Paulo é aconchegante.

Ambas as casas têm pleno funcionamento, com uma programação diversificada, todos os dias da semana, e preza pelo bem-estar do público e dos artistas e pela excelência em seu atendimento.

Sobre a produtora Brain+

Depois de conquistar diferencial em sua área, a Brain+ – que nasceu Brainstorming Entretenimento – hoje comemora sete anos e movimenta o setor da economia criativa no Brasil, a partir de São Paulo e Rio de Janeiro, com a operação consolidada de dois teatros.

Por meio de contratos de naming right/patrocínio com a empresa de serviços de telecomunicações e entretenimento via cabo Net, viabiliza a operação dos Theatro Net Rio e Theatro Net São Paulo.

Conduzindo diretamente todos os seus negócios, Fred Reder comemora cada crescimento e novas conquistas profissionais. Seu nome é sinônimo de ousadia no cenário cultural do eixo Rio/São Paulo e sua ambição ultrapassa essas fronteiras. Ainda este ano, sua empresa tem a expectativa de crescer cada vez mais nesse mercado de entretenimento cultural, com a abertura de novos teatros.

Em paralelo aos gerenciamentos das casas, a Brain+ traz ainda em seu catálogo a produção de espetáculos, que são sucesso de público e crítica. Tango, Bolero e Cha Cha Cha; O Pacto das 3 Meninas; Romeu e Julieta; e, Avenida Q são alguns deles. Além dos mais recentes: Qualquer Gato Vira-Lata Tem a Vida Sexual Mais Sadia Que a Nossa; E Aí, Comeu?; Constellation, O Musical; O Último Lutador; Ou Tudo Ou Nada.

 

 

SERVIÇO:

 

LÔ BORGES

Theatro Net Rio – Sala Tereza Rachel. Rua Siqueira Campos, 143 – Sobreloja – Copacabana. (Shopping Cidade Copacabana).

Horário: 21h.

Data: 29 de maio.

Classificação: 12 anos.

Duração: 90 minutos.

Ingresso: R$ 120,00 (plateia e frisas) R$ 90,00 (balcão)

Direito à meia entrada e descontos :  http://www.theatronetrio.com.br/pt-br/bilheteria.html

Capacidade do Teatro: 622 lugares.

Telefone do teatro: 21 2147 8060 / 2148 8060

Site: www.theatronetrio.com.br

Vendas pela internet:  www.ingressorapido.com.br ou pelo aplicativo do Ingresso Rápido.
Vendas pelo telefone: Informações e compra Ingresso Rápido – (11) 4003 – 1212
Atendimento pós venda Ingresso Rápido – (11) 4003 – 2051
Informações sobre ponto de venda da Ingresso Rápido de outros eventos fora do Theatro Net Rio, somente pelo telefone – (11) 4003 – 1212
Horário de funcionamento – Todos os dias das 10h às 18h.

Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.

Reservas para grupos: Gabriel Sales / gruposrj@brainmais.com / tel: 2147-8060

Formas de pagamento: Aceitamos todos os cartões de crédito, débito, vale cultura nas bandeiras (Alelo & Ticket) e dinheiro. Não aceitamos cheques.

Acessibilidade

Estacionamento no Shopping, entrada pela Rua Figueiredo Magalhães, 598.

“Kondima – Sobre Travessias” na Sede das Cias

O quinto espetáculo da Troupp Pas D’argent apresenta como questão central: os Refugiados, lançando um olhar sensível para os desdobramentos das vidas de cinco personagens, revelando suas dificuldades, sua força, seus medos, seus sonhos e a perda deles.

           Segundo a Convenção de Refugiados de 1951, é considerado refugiado, qualquer pessoa que “temendo ser perseguida por motivos de raça, religião, nacionalidade, grupo social ou opiniões políticas, se encontra fora do país de sua nacionalidade e que não pode ou, em virtude desse temor, não quer valer-se da proteção desse país”. (Fonte ACNUR – Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados – Agência da ONU para Refugiados).

           “KONDIMA” é uma palavra pertencente ao dialeto Lingala, falado em tribos da Angola e da República Democrática do Congo, e significa ACREDITAR. A dramaturgia traz de forma poética e densa um olhar profundo sobre essas mulheres, homens e crianças, que se encontram em situação de vulnerabilidade social e terror. De acordo com dados da ONU (Organização das Nações Unidas): “Pelo menos metade das pessoas deslocadas no mundo são mulheres adultas e crianças. Sem contar com a proteção de seus lugares de origem, seus governos e, em muitos casos, de estruturas familiares tradicionais. Enfrentam os rigores de longas jornadas a caminho do refúgio, perseguição ou indiferença oficial e com frequência sofrem abuso sexual, inclusive quando já chegaram a um lugar aparentemente seguro”.

O espetáculo aborda a temática a partir do olhar de refugiados vindos de países distintos que se viram obrigados a deixar suas casas, na busca pela sobrevivência e pela paz.  Os motivos que os obrigam a realizar uma arriscada travessia são diversos: perseguição política, conflitos armados e guerrilhas, fome, discriminação racial, social ou religiosa, violência sexual, violência de todas as formas, ou seja, a violação básica dos direitos humanos. A trama evidencia a humanidade dos personagens e revela os conflitos e desventuras surgidos a partir do entrelaçamento destas histórias, que geram inusitadas e instigantes situações.

A cada hora, 48 mulheres são estupradas no Congo, tornando assim o estupro, nesse país e em muitos outros, uma arma de guerra. Em 2011, a República Democrática do Congo foi indicada em pesquisa como o pior lugar do mundo para ser mulher. No mar mediterrâneo, duas crianças morrem afogadas por dia, fugindo da fome, da guerra e do extremismo político e cultural. A cada mulher estuprada, uma dignidade se perde, um trauma se cria, uma ferida na alma se constrói. A cada criança que foge de sua pátria, uma infância é perdida e seus sonhos são diluídos. Para a Troupp Pas D’argent, perder um sonho tem a mesma densidade que perder uma vida. Assim, falar sobre esse tema é de suma importância, pois o que percebemos são vozes caladas pela violência ou pela dor de um trauma, que precisam ser ouvidas.

SINOPSE

Quatro pessoas em um pequeno bote no meio do oceano, à deriva, vão em busca de uma vida melhor. Através de uma Doc. Ficção Teatral, o Teatro se confunde com o Documentário, a realidade se mistura com a ficção. E entre relatos verídicos de violências, travessias e sonhos, os estilhaços destas vozes se cruzam e se entrelaçam de forma irreversível, onde já não mais sabemos que história é a sua ou é a minha. Tudo se vai, só o que fica é a certeza de que somos todos iguais quando perdemos tudo.

SERVIÇOS:

Estreia dia 04 de maio

Temporada de 04 a 26 de maio – sábados e domingos

Horário: 20:00

Local: Sede das Cias

Endereço: Rua Manuel Carneiro 12 – Santa Teresa , Rio de Janeiro – RJ

Ingressos: Consciente

Informações: (21) 2137-1271 – Bilheteria – abre 1h antes do espetáculo

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 80 minutos

Lotação: 60 lugares

Gênero: drama

 

FICHA TECNICA

Dramaturgia e Direção: Marcela Rodrigues

Assistente de Direção: Jorge Florêncio

Idealização e Concepção do Projeto: Natalíe Rodrigues

Colaboração Dramatúrgica: Jorge Florêncio

Elenco: Carolina Garcês, Natalie Rodrigues, Orlando Caldeira

Atriz Convidada: Ruth Mariana

Pesquisa de Movimento: Troupp Pas D’Argent

Trilha Sonora: Isadora Medella

Cenografia: Marcela Rodrigues

Iluminação: Luiz Paulo Nenen

Figurino: Orlando Caldeira

Produção: Corpo Rastreado e MS Arte e Cultura

Fotografia: Marcela Rodrigues

Assessoria de Imprensa: Duetto Comunicação

Realização: MIDIXCULPA PRODUÇÕES ARTISTICAS

DOCUMENTÁRIO

Direção e edição: Marcela Rodrigues

Assistente de Direção: Jorge Florêncio

Cinegrafistas: Marcela Rodrigues, Jorge Florêncio

Entrevistas em Bangladesh: André Coelho

REPERTORIO DA TROUPP PAS D’ARGET:

           A Troupp Pas D’argent é uma companhia de teatro de pesquisa do Rio de Janeiro, que ao longo dos seus 12 anos de existência, já recebeu importantes estímulos a sua atividade de investigação cênica, como a indicação ao Prêmio Shell 2008 na Categoria Especial, pela Pesquisa de Movimento do espetáculo Cidade Das Donzelas; o recebimento do Prêmio Europeu Compasso di Argento Italiano 2010, pela mesma peça, em Nápoles/Itália; e do Prêmio Lukas Awards de melhor produção teatral latino-americana em Londres no ano de 2012, pelo espetáculo Holoclownsto. Os espetáculos realizaram temporadas nos principais teatros do país, circularam por diversos Festivais e Mostras nacionais, além de representar o Brasil em festivais na Inglaterra, Itália e Chile.

“CIDADE DAS DONZELAS” ( 2008)

 Festival Internacional de Teatro de Curitiba, seguindo com temporadas como o SESI-RJ, SESC Tijuca, Teatro Municipal do Jockey, Teatro Municipal Café Pequeno, Centro Cultural Solar de Botafogo, Teatro Glaucio Gil, Teatro Glauce Rocha e Circuito SESC-RJ. Festival Internacional de Teatro Latino-americano ENTEPOLA em Santiago- Chile, Festival Internacional de Teatro E45 em Nápoles- Itália, Festival Internacional de Culturas (SUQ) em  Genova-Itália, Festival de Teatro  Latino-americano CASA em Londres-Inglaterra. Contemplado no edital Caravana Cultural SESI –SP para apresentação em 17 cidades do interior de SP. Participou do Projeto Plateias Hospitalares (Doutores da Alegria), com apresentações em Hospitais do RJ. Contemplada no edital Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural do MinC.

“HOLOCLOWNSTO” (2011)

 ESPAÇO SESC Copacabana, contemplado no edital Caixa Cultura-RJ para a temporada no  Teatro de Arena da Caixa Cultural, contemplado no edital Caravana Cultural SESI-SP para apresentação em 17 cidades do interior de SP Circuito, Circuito SESC RJ, Festival de Teatro  Latino-americano CASA em Londres-Inglaterra, contemplado no edital de teatro Miryan Muniz 2014 com a circulação do espetáculo em SP.

“MORRO DA ÓPERA” (2014)

Espaço SESC em Copacabana seguido de apresentações no SESC Madureira e SESC São João de Meriti.

“LAVAGEM” (2017)

Caixa Cultural – Rio de Janeiro

Filósofo Pedro Süssekind é o sexto convidado do projeto Teatro Tônico, do Tablado

O Teatro pré-romântico” é o tema do sexto encontro do projeto Teatro Tônico, ciclo de palestras sobre a história do teatro ocidental promovido pelo Tablado. O convidado desta sexta-feira (dia 17 de maio, às 20h) é o filósofo Pedro Süssekind, que falará sobre as características do movimento cultural que posteriormente ficaria conhecido pelo nome de Sturm und Drang (“Tempestade e Ímpeto”), uma espécie de prévia ou primeiro passo da grande revolução que representou o Romantismo na virada do Século XVIII para o XIX. “Vou levar em consideração três aspectos: a relação desse movimento com o teatro; a proposta de Shakespeare como modelo, contra Racine e o Classicismo francês; e o papel dos dois grandes autores da época, Goethe e de Schiller, na cultura alemã e no desenvolvimento do teatro moderno”, adianta o filósofo.

Sobre Pedro Süssekind

Nascido no Rio de Janeiro em 1973, Pedro Süssekind é doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com especialização em Literatura Comparada na Universidade Livre de Berlim. Trabalha na Universidade Federal Fluminense como Professor Associado do Departamento de Filosofia. Publicou, além de diversos artigos acadêmicos, os livros Shakespeare, o gênio original (Zahar, 2008) – sobre a recepção de Shakespeare na Alemanha do séc. XVIII –, e Teoria do fim da arte (7letras, 2017).

 

Teatro Tônico:

São 16 encontros temáticos, um por semana (sexta-feira, às 20h), voltados para profissionais e estudantes de teatro, professores e interessados em cultura em geral. Importantes nomes das artes cênicas como Cacá Mourthé, Geraldo Carneiro, Hamilton Vaz Pereira, Isabela Fernandes, Lídia Kosovski, Lionel Fischer, Renato Icarahy, Ricardo Kosovski e Venício Fonseca vão ministrar as palestras, toda sexta-feira, às 20h, entre abril e agosto, com duração de 120 minutos.

Demais palestras de maio:

24 de maio: Encontro VII – Quando o teatro começou a ser brasileiro, com Ivan Fernandes.

31 de maio: Encontro VIII – O diálogo entre o teatro e a música, com Tim Rescala.

 

O Tablado – Fundado em 1951 pela escritora e dramaturga Maria Clara Machado, O Tablado tem papel importante na história da cultura brasileira, como celeiro de talentos e verdadeiro templo do teatro infantil. Desde sua inauguração, mais de 30 mil atores, diretores, teatrólogos, cineastas, figurinistas, cenógrafos, autores, iluminadores, sonoplastas e músicos se formaram no local. Nomes como Hamilton Vaz Pereira, Wolf Maya, Cininha de Paula, Claudia Abreu, Ingrid Guimarães, Louise Cardoso, Malu Mader, Du Moscovis, Leonardo Brício, Andréa Beltrão, Fernanda Torres, Rubens Corrêa, Drica Moraes, Jaqueline Laurence, Mateus Solano e Gregório Duvivier, entre outros, passaram pela escola.

Atualmente, O Tablado tem cerca de 700 alunos e mais de 20 professores. O núcleo criativo de O Tablado é formado por Andreia Fernandes, Fernando Melvin, João Sant’Anna, Johayne Hildefonso, Lincoln Vargas, Lionel Fischer, Luis Octavio Moraes, Patrícia Nunes, Renata Tobelém, Ricardo Kosovski, Susanna Kruger e Zé Helou. O Tablado é considerado Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro e seu espaço físico foi tombado pela Prefeitura carioca. Suas atividades artísticas também foram reconhecidas pelo Governo Federal.

 

Teatro Tônico – Ciclo de palestras sobre a história do teatro

Data: 17 de maio, às 20h. Tema: “O Teatro pré-romântico”

Palestrante: Pedro Süssekind

Local: O Tablado – Av. Lineu de Paula Machado 795, Lagoa.  Tel.: 2294 7847

Capacidade: 150 pessoas. Classificação etária: livre. Duração: 120 min.

Valor: R$ 40 (cada palestra).

Inscrições: teatrotonico@otablado.com.br | Informações: (21) 2294 7847

Programação completa: www.otablado.com.br

“Em Nome do Filho” no Cândido Mendes

EM NOME DO FILHO é uma peça que está em circuito desde janeiro de 2016, se apresentando em teatros do Rio e São Paulo. Foi indicada ao Prêmio PAPO MIX DA DIVERSIDADE 2018, como melhor espetáculo com temática LGBTI. A peça retrata o cotidiano de uma sauna gay decadente. É uma comédia de erros, encontros e desencontros O espetáculo também apresenta performances musicais, cômicas e sensuais. A montagem lembra, em seus melhores momentos, o universo do cineasta Pedro Almodóvar. A peça fala sobre a diversidade sexual colocando uma luz sobre esse tema tão importante, tudo de forma divertida e leve. Claro que sem deixar de tocar em pontos importantes desta questão.  O espetáculo faz parte da MOSTRA CARIOCA CORES DA DIVERSIDADE, com produção de Guilherme Oliveira. Estreia dia 17 de maio em curta temporada até 02 de junho.

SERVIÇO:

EM NOME DO FILHO

Texto: Dolores DelRio

Direção: Marco Miranda

Elenco: Dolores DelRio, Matheus Nogueira, Pietro Benvenutti, Luis Xaxu, Gustavo Azaranys, Anderson Lopes, Gabriel Morgato e Douglas Tavares

Teatro Cândido Mendes

Endereço: Rua Joana Angélica, 63 – Ipanema

Telefone: 25253-3663

Horário: sextas, sábados e domingos às 20:00

Duração: 80 minutos

Ingressos: R$50,00 e R$25,00

Temporada: 17 de maio a 02 de junho