Museu Histórico da Cidade recebe projeto Espaço Vivo, nos jardins do museu

O Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro apresenta de 31/01 a 27/03 o  projeto gratuito Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro– Espaço Vivo. O evento oferece atividades artísticas, culturais e ecológicas diferenciadas para os visitantes do Museu e do Parque da Cidade de forma presencial e on-line. As atividades sempre acontecem nas dependências externas e no jardim do Museu. Todos os visitantes poderão experienciar e vivenciar as atividades propostas pelos diferentes atores, artistas, arte-educadores. A realização é da Associação de Amigos do Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro,  com curadoria de Gisele Lopes e de Carlos Magno Romano.

Os encontros presenciais acontecem nos dias 31/1, às 10h; 6/2, às 15h;; 7/2, às 11h; 27/2, às 15h, 28/2, às 11h, 6/3, às 15h; 14/3, às 11h; 20/3, às 15h, e  21/3, às 11h. Já os encontros virtuais acontecem nos dias 7/3, 13/3 e 27/3, às 15h, no Canal do Youtube. Lembrando que nos eventos presenciais o uso de máscara é obrigatório e o evento respeita as regras do distanciamento social.

O projeto “Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro– Espaço Vivo” terá 3 módulos:

Módulo 1-  “Encontros Culturais” (arte-educação)

Encontros culturais com artistas das mais variadas linguagens que visam resgatar a essência do museu como espaço cultural e de formação, propondo fortalecer a relação fundamental entre Cultura e Educação no processo de formação da cidadania.

Módulo 2-  “Atividades Culturais Interativas” (histórico)

Atividades culturais interativas com artistas das mais variadas linguagens, poetas e especialistas em Museologia, História e profissionais ligados à área afins com apresentação de leituras encenadas, saraus e palestras visando integrar o acervo do MHCRJ com as propostas apresentadas.

Módulo 3- “Vivências Ambientais” (ambiental)

Atividades ecológicas e ambientais que promovam o conhecimento do Parque da Cidade com valorização e preservação do Meio Ambiente por meio de oficinas e palestras ligadas ao tema.

Outro aspecto que será explorado é o da sustentabilidade econômica e ambiental do Parque da Cidade ou Parque da Gávea, local onde se localiza o MHCRJ. Localizado no bairro da Gávea, estende-se por 470.000 m², até as proximidades do Parque Nacional da Tijuca, com o qual compõe uma grande área de proteção ambiental. O local de bastante área verde ainda é pouco conhecido e explorado pelos moradores da cidade do Rio de Janeiro e, pretendemos dar maior visibilidade ao Parque pela integração de ações com o Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro.

Nosso desejo é que o museu seja o lugar para estar com a família e amigos, além de possibilitar uma interação do público do Parque da Cidade com o Museu Histórico da Cidade.

Programação:

31/1, domingo,  às 10h-Visita guiada com plantio (presencial)

Mini Bio: Mobilizadores da ação, Agente Ambiental André Silva, Guarda Municipal artesão Walter Solimar e Agente Leandro Urso. Mobilizador social, arte educador, Griô (contador de histórias Afro) do museu Samkofa e Agente Ambiental há pouco mais de 15 anos na Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura do Rio.

Release da atividade: Conhecendo suas Histórias entre raízes e galhos, o trajeto percorrido terá coleta de sementes e plantio de mudas de árvores nativas, deixando enraizada a experiência do visitante ao Parque da Cidade.

Iniciando no portão de entrada do PNM da Cidade e terminando ao lado do MHC com plantio de mudas.

Local: Entrada do Parque da Cidade, final da Rua Santa Marinha, no alto da Gávea

6/2, sábado, às 15h- “O bota-abaixo de Pereira nos passos de João do Rio”  (presencial)

Mini Bio:Beth Araújo, carioca, atriz, diretora, dramaturga, produtora e arte-educadora e participação do músico Pedro Soares no violão

Release da atividade: Apresentar em formato de Leitura Dramatizada trechos do livro A Alma encantadora das ruas, de João do Rio.

Ninguém melhor para apresentar o Rio de Janeiro do início do século XX do que João do Rio. Ou melhor, João Paulo Alberto Coelho Barreto (1881-1921) cronista atento ao bota-abaixo de Pereira Passos, o Prefeito “que fez o carioca mudar-se de uma velha e colonial cidade para uma opulenta e encantadora capital sem que esse arredasse o pé do Rio de Janeiro” A partir de suas crônicas, saídas da redação para as ruas mostrando movimentos e personagens da cidade, ele tornou-se a alma encantadora das ruas e o João de todos os rios.

7/2,  domingo, às 11h- Contação de histórias  (presencial)

Mino Bio: Lucia Morais- origem indígena, Tucuju de Macapá/ AP. Reside há 22 anos no Rio de Janeiro. Narradora de Histórias, atriz, esteve em cartaz com o espetáculo “ARANDU Lendas Amazônicas” nos CCBB’s de todo o Brasil, com grande repercussão na mídia de todo Brasil.

Release da atividade: Por meio de um passeio poético e lúdico, Lucia Morais narra em roda as lendas indígenas de diversas etnias, iniciando com a criação do Mundo, passando para Taená Ekan e outras. Utilizará adereços indígenas: Pau de chuva, maracá, apito. Finalizará a atividade com uma dança do Toré com os participantes, cantando “ Pisa Ligeiro”.

27/2, sábado, às 15h– Museu Histórico da cidade do Rio de Janeiro em cordel

Mini Bio: Severino Honorato- Paraibano de Mulungu, agitador cultural e de mobilização social, com formação em produção Cultural pela UFF, por projeto de extensão em ênfase numa Cultura de fortalecimento da identidade Nacional. Tem 04 títulos individuais em poesia, contos e crônicas, e 02 títulos infantis. Dedicado ao trabalho de fundação e manutenção de Bibliotecas Comunitárias na Maré, desde 2007. Editor pela RPC Editora, dedicando em especial, olhares sobre a presença das mulheres na área da Literatura de Cordel; entre estas, o trabalho em Xilogravura.

Release da atividade: Em versos poéticos da Literatura de Cordel, o cordelista Severino Honorato nos brinda com esse convite para participar de um passeio poético em forma de cordel pela área externa do Museu.

28/2, domingo, às 11h- Migrações Negras: resistências, reexistências, caminhos e trajetórias dos saberes e fazeres da cultura Afro na cidade do Rio de Janeiro.

Mini Bio: Rodrigo Nunes- Nascido e criado na Tradicional comunidade da Serrinha em Madureira, é Produtor Cultural, Coreógrafo, Dançarino, Arte-educador e pesquisador de Danças Negras Tradicionais e Coordenador do Ponto de Cultura Companhia de Aruanda e membro Fundador do Coletivo Negra Ação. Também é Membro da Comissão de Danças de Matrizes Africanas do Sindicato dos Profissionais da Dança do RJ e Gestor do Centro Cultural Casa do Jongo

Release da atividade: Nesta atividade falaremos um pouco sobre a cultura afro carioca e seus processos migratórios do interior para a região central da cidade no pós-abolição e, logo em seguida, forçados pelas ações da reforma Pereira Passos, dessa região central para as periferias, subúrbios e favelas que se formariam a partir de então. Analisaremos como estes locais, como o bairro de Madureira e a comunidades da Serrinha, se tornaram verdadeiros Quilombos culturais de preservação de memória e de resistência de saberes e fazeres ancestrais como o Samba, O Jongo, As curimbas e Ladainhas.

6/3, sábado, às 15h- Conversa ecológica sobre o Parque da Cidade com Urso e guarda Solimar (presencial)

Mini Bio: O Professor de Geografia, Griô, mobilizador social, fundador do Museu SANKOFA, Antônio Carlos Firmino vai compartilhar histórias da construção do Rio através da visão dos trabalhadores negros e índios.

Release da atividade: O Agente Ambiental Leandro Urso vai conversar de uma forma lúdica, como a sociedade civil pode fazer para ajudar ao Rio de Janeiro cumprir com os “Objetivos de Desenvolvimentos Sustentáveis“ do documento da ONU com base da agenda 2030, e sua experiência de educação ambiental na comunidade Vila parque da Cidade que fica ao lado do Parque Natural Municipal da Cidade.

7/3, domingo, às 15h– Guilherme Guingle, como colecionador com foco no Museu Histórico da Cidade (virtual)

Mino Bio: Paulo Knauss- Doutor em História. Professor do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense. Sócio do IHGB e ex-presidente do IHGRJ. Ex-diretor do Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, ex-diretor do Museu Histórico Nacional. Autor de vários trabalhos, entre eles o livro mais recente, do qual é coorganizador, História do Rio de Janeiro em 45 objetos (ed. FGV, 2019).

Release da atividade: Numa conversa, Paulo Knauss narrará a história de Guilherme Gunigle com o Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro.

13/3, sábado, às 15h-Circuito Parque da Cidade da Trilha Transcarioca (virtual)

Pedro da Cunha e Menezes é fundador da Trilha Transcarioca e Diretor da Rede Brasileira de Trilhas. Foi Diretor do Parque Nacional da Tijuca, Coordenador-Geral de Uso Público e Negócios e Diretor de Criação e Manejo do ICMBio. Foi representante permanente do Brasil junto ao Programa Mundial das Nações Unidas para o Meio Ambiente, negociador oficial do Brasil nas Convenções da ONU para o Clima, Desertificação, Espécies Migratórias, Diversidade Biológica, Patrimônio Mundial e Ramsar. Atualmente, é Presidente do Grupo de Especialistas da UICN para Trilhas de Longo Curso e Diretor da World Trails Network. Nas três décadas em que tem atuado na Conservação publicou mais 15 livros e 150 artigos sobre trilhas e Áreas Protegidas em revistas e jornais do Brasil e do exterior.

Release da atividade: A Trilha Transcarioca foi a 1ª trilha de longo curso instituída no Brasil, fruto da contínua colaboração entre instituições públicas e privadas, e do trabalho de mais de 1.000voluntários. Seu trajeto cruza a Cidade do Rio de Janeiro, de Guaratiba à Urca, conectando 9 unidades de Conservação, passando pelas zonas Oeste, Norte e Sul da cidade. O percurso conta com aproximadamente 180 km de trilhas muito bem sinalizadas, permitindo que o visitante desfrute do rico patrimônio natural, histórico e cultural carioca. O Circuito Parque da Cidade foi o último trecho acrescentado ao percurso da Trilha Transcarioca, incentivando a visitação do Parque e do Museu da Cidade.

Dia: 13/03

Horário: 15h

14/3, domingo, às 11h– Oficina de arte-educação com reaproveitamento de materiais descartáveis (presencial)

Mini Bio: Agentes Ambientais Leandro Urso, Denise, Kely e Gabriele coordenaram as oficinas de reaproveitamento de óleo usado transformando em sabão, e de cestaria utilizando o reaproveitamento de jornais.

Release da atividade: A equipe da van itinerante inicia as atividades com a apresentação de Educação Ambiental através do teatro de fantoche. Os convidados levaram brindes do educativo e sabão feito de óleo usado.

20/3, sábado, às 15h– Oficina sensitiva com Urso (presencial)

Mini Bio: Ricardo- biólogo e Leandro Urso, agente ambiental

Release da atividade: Nesta atividade vamos ter um espaço de acessibilidade, onde o visitante será vedado e passará por experiências de 3 dos 5 sentidos humanos, que são olfato, audição e tato. Conhecedor da flora e fauna local, o Biólogo Ricardo contribuirá com sua experiência para falar da cobra jiboia, utilizada para educação ambiental no Parque da Cidade.

O Agente Leandro Urso organizara com os voluntários por natureza o corredor de acessibilidade, com objetos, ervas, frutos e animais local.

21/3, domingo, às 11h–  Semeando narrativas, rimas e saberes no quintal

Mino Bio: Verônica Pinheiro é professora de Literaturas e atualmente trabalha como cogestora no Núcleo de Arte Grande Otelo, onde atua na promoção sistemática de ensino de Arte para alunos da Rede Pública Municipal de Ensino do Rio. Pesquisa sobre Culturas Africanas e Afro-Brasileiras em sala de aula. Membro do Coletivo de Arte Poesia EnCena e do Grupo Folclórico Carimboclo.

Release da atividade: A Contação de histórias é um processo de ensino-aprendizagem que fortalece os vínculos sociais e afetivos. A atividade compartilha sabedoria popular e dá voz à cultura oral do Brasil. Através de narrativas e canções, os participantes serão levados a plantar mudas e compartilhar vivências. A ação procura chamar a atenção para apreciação e respeito pela natureza e todos os seres vivos. “Nenhuma raça pode prosperar até que aprenda que há tanta dignidade em cultivar um campo quanto em escrever um poema.” – Booker T. Washington

27/3, sábado, às 15h– A  história por trás do acervo (virtual)

Mini Bio: Paulo Rezzutti – pesquisador e escritor vencedor do Prêmio Jabuti em 2016 e 2017, é autor de Domitila, a verdadeira história da marquesa de Santos, Titília e o Demonão, D. Leopoldina, D. Pedro, D.Pedro II, Mulheres do Brasil

Release da atividade: A partir de telas do Museu Histórico da Cidade, Paulo Rezzutti contará a história de acontecimentos da cidade do Rio de Janeiro.

Dia da exibição: 27/03

Horário: 15h

O projeto Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro – Espaço Vivo foi contemplado no Prêmio a Projetos de Fomentos à Todas as Artes / Lei Aldir Blanc.

Serviço: Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro– Espaço Vivo

Endereço:Estrada Santa Marinha, s/nº, acesso pelo final da Rua Marquês de São Vicente, Gávea.

De 31/01 a 27/03.

*Encontros presenciais: 31/1, às 10h; 6/2, às 15h; 27/2, às 15h, 28/2, às 11h, 6/3, às 15h; 14/3, às 11h; 20/3, às 15h e 21/3, às 11h, na área externa do Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro. Lembrando que nos eventos presenciais o uso de máscara é obrigatório e o evento respeita as regras do distanciamento social.

*Encontros virtuais: dias 7/3, 13/3 e 27/3, às 15h, no Canal do Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCE62yUmCCpm9MKbAbzEUkSA 

Evento gratuito.

Classificação livre.