Moacyr Luz no Circo Voador

E lá se vão 15 anos desde que Moacyr Luz reuniu um grupo de amigos para uma roda de samba em uma segunda-feira, no Andaraí. Depois de centenas de apresentações e quilômetros rodados país afora, o Samba do Trabalhador desembarca pela primeira vez no Circo Voador, dia 12 de março. Além da comemoração de aniversário, o show marca o lançamento do álbum “Fazendo Samba” e terá participações de Marcelo D2Roberta Sá e Toninho Geraes, entre outros convidados que ajudaram a escrever a história de uma das rodas de samba mais tradicionais do Brasil.

No repertório da noite, além das canções do novo disco, o grupo apresentará dezenas de clássicos do gênero, que embalam as noites de segunda-feira e fizeram do Samba do Trabalhador parada obrigatória para cariocas e turistas. Lançado em janeiro deste ano, o álbum “Fazendo Samba” é o quinto disco do grupo, que também soma 3 DVDs ao vivo.

Resultado do encontro entre Moacyr Luz (voz e violão), Gabriel Cavalcante (voz e cavaquinho), Alexandre Marmita (voz e cavaquinho), Mingo Silva (voz e percussão), Nego Álvaro (voz e percussão), Luiz Augusto Guimarães (percussão), Nilson Visual (percussão),

Junior de Oliveira (percussão) e Daniel Neves (violão 7 cordas), em ‘Fazendo Sambo’ o Samba do Trabalhador traz o mesmo calor e energia que o consagraram nas apresentações ao vivo, mas com a lapidação e apuro técnico de uma gravação em estúdio.

“Depois de 15 anos juntos, chegamos a um momento de amadurecimento harmônico e do nosso pensamento musical. Posso dizer que hoje somos um só organismo. Tocamos e pulsamos juntos, o entrosamento fica mais afinado a cada vez que nos encontramos, seja no Renascença, no estúdio, palcos e terreiros pelo país” aponta Moacyr Luz, que também assina a direção artística do álbum. “A escolha do repertório se desenrolou naturalmente, reunindo canções nossas e parcerias inéditas com amigos e velhos conhecidos da música brasileira, além de quatro sucessos que já estão na boca do público, que agora ganham a nossa cara e uma pitada do que o público encontra nas nossas segundas-feiras sagradas”, afirma o bamba.

Serviço Moacyr Luz E Samba Do Trabalhador
Participação: Roberta Sá e Toninho Geraes
Data:  12/03, quinta-feira
Abertura dos portões: 21h
Local: Circo Voador
Classificação: 18 anos
(de 14 a 17 anos somente acompanhado do responsável legal)

1º Lote:*
R$ 30 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)
R$ 30 (cliente Clube Sou + Rio)**
R$ 30 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)
R$ 30 (cliente Cartão Giro Metrô Rio)
R$ 60 (inteira)

2º Lote:*
R$ 40 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)
R$ 40 (cliente Clube Sou + Rio)**
R$ 40 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)
R$ 40 (cliente Cartão Giro Metrô Rio)
R$ 80 (inteira)

*Lote sujeito a alteração sem aviso prévio

Ingressos à venda na bilheteria do Circo (dinheiro e cartão de débito/crédito Elo, Visa e Master) e na Tudus pelo link http://bit.ly/samba-do-trabalhador-nocirco

Horário de Funcionamento da bilheteria: De terça a quinta, das 12:00 às 19:00; sexta das 12:00 às 00:00; sábado das 14:00 às 00:00. E sempre 02 horas antes de cada evento.

Sobre Moacyr Luz e Samba do Trabalhador:

 

Consolidado na geografia cultural do país como polo de resistência da cultura brasileira, o Samba do Trabalhador foi fundado por Moacyr Luz em uma tarde de 2005.

O nome de batismo da roda foi inspirado no dia de suas apresentações, todas às segundas-feiras, no Clube Renascença. Ocorre que, ao contrário da maioria das profissões, as folgas dos músicos são sempre às segundas. Foi por isso que, há 15 anos, Moacyr viu nesta data uma oportunidade rara de reunir seus amigos do samba, que tem agenda lotada nos outros dias. O encontro casual virou patrimônio cultural, e hoje reúne milhares de pessoas semanalmente, entre personalidades da cultura brasileira, músicos e anônimos. Já passaram por lá nomes como Anderson Cooper (âncora da CNN), Fagner, Pedro Bial, Débora Bloch, o ex-jogador Junior, entre muitos outros. Em comum, todos fãs do verdadeiro samba de raiz.

Hoje, o Samba do Trabalhador se tornou parada obrigatória para amantes da música brasileira. Com o passar dos anos o movimento ganhou contornos de resistência, por manter vivas as tradições do samba e as pautas sociais em versos e acordes.

Esta rica história, que inclui 4 álbuns lançados e 3 Prêmios da Música Brasileira, além de dezenas de participações de estelas da nossa música. Agora, o grupo lança “Fazendo Samba”, seu quinto disco, pela gravadora Biscoito Fino.