“Um Príncipe no Divã” no Teatro Vannucci

Fenômeno na Internet, com mais de 1 milhão e 600 mil seguidores no Instagram, e host do talk show “Tá pago com Leandro Hassum”, no Canal de TV a cabo TNT, o ator Victor Meyniel vai levar aos palcos cariocas todo o seu humor e irreverência. No dia 2 de janeiro, o youtuber estreia a comédia “Um príncipe no divã”, de Cacau Hygino, no Teatro Vannucci, no Shopping da Gávea, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Em cena, Victor vai interpretar um Príncipe Encantado que tem um ataque de estrelismo durante as filmagens de A Bela Adormecida. Após uma discussão com a diretora, entra em crise e vai parar no divã. A partir daí, sem papas na língua, o Príncipe, que faz da plateia o seu divã, discorre sobre vários assuntos, desconstruindo personagens de conhecidos contos de fadas. A peça ficará em cartaz toda quinta-feira, às 20h, até 20 de fevereiro, com classificação livre. A direção é assinada por Rogério Fabiano.

A ideia de escrever essa peça surgiu após um outro sucesso escrito por Hygino, o monólogo “Deu a louca na Branca”, estrelada por Cacau Protásio, e que bombou nos teatros do Brasil. “Escrevi essa peça e logo pensei: por que não uma trilogia? Trilogia com os personagens da Disney, da qual sou fã. Primeiro a Branca de Neve, agora o Príncipe Encantado e, futuramente, a Cinderela”, diz o autor.

 

‘Fiz uma peça para rirem mesmo, é isso o que quero’, diz Cacau Hygino

Essa montagem tem o único objetivo de divertir o público, sem filosofias. “Já escrevi peças sérias, mas amo o humor, me identifico mais. Não fiz uma peça pensando no que o público pode esperar, fiz pra rirem mesmo, é isso o que quero. O proveito depende de cada um. Falo sobre mulheres, relacionamento, loucuras… tudo junto e misturado”, avisa ele, que está confiante de que Meyniel irá ganhar a plateia.

“Olha, acho o Victor muito engraçado e um ator maravilhoso. Um ator autodidata. Adoro atores autodidatas, porque não ficam presos a técnicas e o personagem flui melhor.  Ele se joga e faz na intuição, claro, orientado por nosso diretor que lhe dá um norte pra não ficar perdido no meio do tiroteio. Tô adorando o Victor, ele vai saber levar muito bem a mensagem da peça com muito humor! “

Cacau Hygino fez os recentes monólogos “Através da Íris”, com Nathalia Timberg, e “Liza e eu”, com Simone Gutierrez. Em 2020, estarão de volta à cena as suas peças “Herivelto como conheci”, já interpretado por Marília Pera e agora será por Rosamaria Murtinho; e “Deu a louca na Branca”, que, dessa vez, terá Polly Marinho no papel; e irá estrear uma comédia inédita que fez para Luiz Fernando Guimarães.  Além de seus sucessos no teatro, ele escreveu as biografias de Nathalia Timberg, Irene Ravache, Zezé Motta e Nicette Bruno – está última em fase de produção. Também ator, estará nos cinemas em “Lucicreide vai pra Marte”, filme com Fabiana Karla.

 

Das redes sociais para o palco

Essa não será a primeira vez que Victor ficará sozinho no palco. Em 2015, ele viajou o Brasil com o stand-up “Meu querido”, mas, nessa nova fase, deixa para trás os esquetes, e encara uma comédia com uma história com ordem cronológica. ““Dessa vez, interpreto um personagem, que tem uma história com início, meio e fim. Já o meu último espetáculo solo era um stand-up, em que eu era o Victor mesmo, ali, contando as minhas variadas histórias”, diz ele, que está empolgado:

“Podem esperar muitas loucuras vindas desse Príncipe. Porque o jeito que ele conta as histórias infantis é diferente do jeito que as pessoas conhecem. Ele desconstrói tudo, é bem bacana. Acho muito legal e engraçada essa ideia de desconstruir a perfeição do Príncipe para o público. Porque ninguém é perfeito”, opina ele, de 21 anos

Mas é claro que os trejeitos e as tiradas que Victor apresenta nas redes sociais estarão presentes no espetáculo. “Sempre levo tudo o que eu faço nas redes sociais para o palco. Porque eu acho que isso me aproxima mais dos fãs. Afinal, eles me conhecem pelo o que eu sou. Então, ser diferente no palco poderia frustrá-los um pouco. É algo que me frustraria, imagine quem me acompanha…, finaliza ele, que recentemente participou do filme “A última festa”, rodado em Lisboa, Portugal; e está para estrear nas telonas, em 2020, com o longa “Espetaculares”.

 

A palavra do diretor

Essa será a segunda vez que Rogério Fabiano irá dirigir Victor Meyniel no teatro. Para ele, o trabalho tem sido gratificante. “´É muito interessante ver o Victor interpretando o dia a dia de um príncipe de histórias em quadrinhos que a gente conhece, mas que não questionamos. É muito original. O público vai ver a dinâmica, o carisma e o humor bem particulares do Victor. Eu já o havia dirigido na peça ‘Meu querido’ e, desde então, ele cresceu muito como artista. Ele é talentoso e tem muita comunicabilidade com a plateia, o que facilita bastante”, avalia o diretor Rogério Fabiano, que dirige os espetáculos “A poderosa sou eu”, com Leila Navarro; e “As filhas da mãe”, ambos em cartaz. Já como ator, ele vai estrear “Divaldo Franco e Joanna de Ângelis – Uma missão de amor”, no dia 2 de janeiro, no Teatro Vannucci, no Rio de Janeiro.

 

Serviço:

Um príncipe no divã – Estreia 2 de janeiro

Texto: Cacau Hygino. Direção: Rogério Fabiano. Com Victor Meyniel. Sinopse: Durante as filmagens de A Bela Adormecida, o Príncipe tem um ataque de estrelismo e após uma discussão com a diretora, entra em crise absoluta com sua condição de Príncipe Encantando. Ela lhe sugere que sente no divã e resolva seus traumas, reflexo da sua infância. A partir daí, sem papas na língua, o Príncipe faz da plateia o seu divã e discorre sobre assuntos variados e desconstrói vários contos de fadas.

Toda quinta, às 20h.

Teatro Vannucci – Rua Marquês de São Vicente 52, Shopping da Gávea

Ingresso: R$ 70.

Duração: 60 minutos

Classificação: livre

Temporada de 2 de janeiro 20 de fevereiro.