Hong Sang-Soo – A repetição da vida

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe, de 10 a 22 de dezembro de 2019 (terça-feira a domingo), a mostra Hong Sang-Soo – A repetição da vida. Com curadoria de Isabel Veiga, Samuel Brasileiro e Vitor Medeiros, a programação exibe 15 dos 23 longas já produzidos pelo diretor sul-coreano, parte deles inéditos no Brasil. O projeto tem patrocínio da CAIXA e do Governo Federal.

“Será a primeira retrospectiva dessa extensão no país”, afirma o Vitor, mencionando que a programação não seguirá uma ordem cronológica justamente para instigar o público a traçar “relações transversais” entre os trabalhos do cineasta. “Usamos o subtítulo ‘A repetição da vida’, porque é a partir das repetições que percebemos as variações, as diferenças e as sutilezas. Os filmes são muito delicados e convocam um olhar atento.”

“O Filme de Oki” (2010), que abre a programação (confira a lista completa abaixo), está entre os longas nunca exibidos no Brasil. “A narrativa é dividida em quatro partes, e cabe ao público traçar relações entre elas, buscando entender as conexões”, adianta Vitor. Outro destaque é “Conto de cinema” (2005), uma das obras-primas do diretor, mas que foi exibida somente em São Paulo, há mais de 10 anos. “Nesse filme, Hong começou a usar o zoom ótico de maneira sistemática, e isso veio a se tornar uma das suas maiores marcas estilísticas”, comenta o curador.

A mostra também traz “A Visitante Francesa” (2012), estrelada pela atriz Isabelle Huppert. “O filme é uma comédia leve e divertida, estruturada como uma espécie de tríptico, em que ela interpreta uma diretora francesa chamada Anne em três histórias diferentes, interagindo com moradores de uma pequena cidade litorânea da Coreia do Sul”, adianta Vitor.

Nome forte no cena internacional:

Vencedor do prêmio Um Certo Olhar, em Cannes, com “Hahaha” (2010), Hong é considerado um dos principais diretores no cinema mundial. “Seus filmes novos são superaguardados em festivais”, afirma Vitor. “Os personagens são muito vivos, às vezes meio ridículos. Muita gente compara suas obras ao cinema de Éric Rohmer, por causa dos diálogos longos, e de Ozu, por conta das situações cotidianas. Também tem um humor ácido que lembra um pouco o Woody Allen. Mas são trabalhos muito singulares, e ele tem todo um esquema de produção próprio, escreve os roteiros no mesmo dia em que as cenas são filmadas e consegue resultados incríveis.”

Os filmes escolhidos para a mostra passeiam por todas essas peculiaridades, proporcionando ao público uma visão panorâmica sobre a obra de Hong. “Cada filme tem suas características muito particulares individualmente, mas todos eles lidam com o mesmo universo e possuem uma estética muito parecida. É como se cada obra fosse um novo episódio de uma série interminável sobre a ternura dos fracassos e a improbabilidade dos encontros”, observa Vitor.

A mostra é uma realização do Luzes da Cidade – Grupo de Cinéfilos e Produtores Culturais e Insensatez Audiovisual. A programação completa está disponível no site www.mostrahongsangsoo.com.br.

Programação:

 

10 de dezembro (terça-feira)

18h30 – O filme de Oki (Oki’s movie, 2010) Coreia do Sul, 80 min, 12 anos

 

11 de dezembro (quarta-feira)

18h30 – A mulher é o futuro do homem (Woman is the future of man, 2004) Coreia do Sul, 88 min, 16 anos

 

12 de dezembro (quinta-feira)

18h30 – Noite e dia (Night and day, 2008) Coreia do Sul, 144 mim, 14 anos

 

13 de dezembro (sexta-feira)

18h30 – Mulher na praia (Woman on the beach, 2006) Coreia do Sul, 127 min, 16 anos

 

14 de dezembro (sábado)

16:30 – Montanha da Liberdade (Hill of freedom, 2014) Coreia do Sul, 66 min, 12 anos

19h15 – Filha de ninguém (Nobody’s daughter haewon, 2013) Coreia do Sul, 90 min, 12 anos

15 de dezembro (domingo)

18h – Hahaha (Hahaha, 2010) Coreia do Sul, 115 min, 12 anos

 

17 de dezembro (terça-feira)

18h30 – O poder da província Kangwon (The power of Kangwon Province, 1998) Coreia do Sul, 110 min, 16 anos

 

18 de dezembro (quarta-feira)

18h – Certo agora, errado antes (Right now, wrong then, 2015) Coreia do Sul, 121 min, 12 anos

 

19 de dezembro (quinta-feira)

18h30 – Como você sabe tudo (Like you know it all, 2009) Coreia do Sul, 126 min, 12 anos

 

20 de dezembro (sexta-feira)

19h – A visitante francesa (In another country, 2012) Coreia do Sul, 89 min, 12 anos

 

21 de dezembro (sábado)

16h – A virgem desnudada por seus celibatários (Virgin stripped bareby her bachelors, 2000) Coreia do Sul, 126 min, 16 anos

18h30 – O dia em que ele chegar (The day he arrives, 2011) Coreia do Sul, 79 min, 12 anos

22 de dezembro (domingo)

16h30 – Conto de cinema (Tale of cinema, 2005) Coreia do Sul, 89 min, 16 anos

18h30 – Nossa Sunhi (Our Sunhi, 2013) Coreia do Sul, 88 min, 12 anos

Serviço:

Mostra Hong Sang-Soo – A repetição da vida

Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2 (Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro – Metrô e VLT: Estação Carioca)

Data: de 10 a 22 de dezembro de 2019 (terça-feira a domingo)

Horários: Consultar programação

Informações: (21) 3980-3815

Ingressos: R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia

Bilheteria: terça-feira a domingo, das 13h às 20h

Duração: Consultar programação

Classificação Indicativa: Consultar programação

Capacidade: Cinema 2 – 80 lugares (mais 3 para cadeirantes)

Acesso para pessoas com deficiência

Patrocínio: CAIXA e Governo Federal