Lançamento do “Senhoras do Calendário 2020”

O produtor Eduardo Araúju lança mais uma edição do bem-sucedido projeto “Senhoras do Calendário” no dia 12 de novembro, a partir das 14h, no Centro Cultural João Nogueira – Imperator, no Méier. É o décimo-quarto calendário ilustrado com fotos de mulheres de mais de 60 anos, desta vez tendo a arte da tatuagem como tema. Todas senhoras de si e de seus corpos, que posaram em ensaios sensuais.

“A ideia é foto sensual, e as tatuagens serão representativas. A proposta é falar de uma geração que, independentemente da idade, pode ter seu corpo tatuado e das gerações de hoje que vão envelhecer com suas tatuagens”, explica Eduardo Araúju, famoso por seus projetos de elevar a autoestima das mulheres: todas elas, de todas as idades, que vistam todos os tamanhos de manequim, de toda e qualquer classe social ou condição.

Com entrada gratuita, a festa de lançamento do “Senhoras do Calendário 2020” apresentará um desfile das modelos que posaram para o projeto, contando com a participação especial do Mr e Miss Rua, outro projeto transformador e de inclusão idealizado por Eduardo Araúju, voltado para o público em situação de rua, atendido no Centro Pop José Saramago, espaço mantido pela Prefeitura do Rio. O Miss Rua é fruto de uma parceria entre Araúju e a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos – por meio do Projeto Circulando, voltado para acessibilidade cultural.

“Chegar à 14ª edição é celebrar a vitória de um projeto que visa a dar visibilidade a essas mulheres que todo dia se propõem a continuar escrevendo suas histórias se sentindo vivas e incluídas numa sociedade que ainda insiste em enfatizar a pujança da juventude. A reflexão se faz! É chegada a hora de valorizar quem muito fez e contribuiu para a sociedade. Para os familiares, é questão de gratidão. Este ano, colocamos em pauta a arte da tatuagem por meio da arte gráfica do designer Igor Vieira e da fotografia de Pablo Rocha. Quem ditou que a maturidade não possa tatuar seu corpo? Aprender a respeitar a vontade dos outros é reforçar que cada um faz do seu corpo aquilo que seu pensamento e sua vontade lhe permitam fazer. Eu espero ver pessoas livres de convenções, ditaduras e modismos. Quero ver pessoas sendo pessoas, livres de preconceitos e com liberdade de ser quem quiser ser”, empolga-se Araúju, que tem como missão transformar a vida das pessoas e realizar os sonhos delas.

Sobre o Senhoras do Calendário

Criado por Eduardo Araúju em 2006, o projeto foi inspirado no filme inglês “Garotas do calendário”, de 2003. Além de valorizar mulheres na terceira idade, a proposta de “Senhoras do Calendário” é arrecadar fundos para instituições que atuem no apoio a pessoas com dificuldades em diversos segmentos, como crianças, idosos, carentes, vulneráveis e dependentes químicos.

A cada ano, é escolhido um tema. Para 2020, foi escolhido a arte da tatuagem para falar do poder que cada pessoa tem sobre seu próprio corpo.

Sobre Eduardo Araúju

Idealizador de projetos que valorizam mulheres acima do peso, mulheres da terceira idade, mulheres trans, mulheres que sempre foram discriminadas na mídia, no mercado de trabalho, na própria família, Eduardo Araúju tem uma trajetória marcada pela coragem e pela ousadia.

Realizador do primeiro concurso Miss Plus Size Carioca Oficial no Rio de Janeiro, em 2010, o maquiador, professor de modelos e manequins e produtor visual está sempre envolvido em iniciativas que elevem a autoestima de quem foge aos padrões de beleza ditados pela moda. Ao longo de mais de 30 anos de carreira, vem contribuindo para que entrem na moda outros padrões de beleza feminina: mulheres mais cheinhas, mais maduras…

Reconhecido nacional e internacionalmente, Araúju não se esquece do começo da carreira, quando, ainda bancário, vendia de cosméticos para reforçar o orçamento e conheceu a cantora Elza Soares, então em cartaz no Cassino Amarelinho, na Cinelândia. Por razões que o acaso não explica, o jovem bancário bateu no camarim da cantora justo na noite em que sua maquiadora não tinha aparecido. “Você sabe maquiar?”, indagou a cantora sem nenhum constrangimento. A partir de então, o jovem Eduardo Araúju abraçava o ofício de maquiador, no qual permaneceu acompanhando Elza Soares durante 30 anos.

Desde então, o maquiador, que prefere ser chamado de produtor visual, adquiriu know-how suficiente para figurar entre os melhores profissionais do país. Seus pincéis e batons pintaram os rostos de uma verdadeira constelação que inclui, além de Elza Soares, as cantoras Lana Bittencourt, Waleska, Elizeth Cardoso, Zezé Gonzaga e a apresentadora Xuxa Meneghel; sem esquecer das manequins internacionais Veluma e Maria Rosa.

No ano de 1991, Araúju passou a ministrar aulas de modelo e manequim para mulheres que se encontram na chamada melhor idade, no SESI de Jacarepaguá. Eduardo já perdeu a conta de quantas profissionais formou e colocou no mercado, participando de anúncios televisivos ou ilustrando peças publicitárias. Em seus cursos, gosta mesmo é de aguçar a criatividade e o sex appeal das mulheres maduras. E foi assim que em julho de 1996, 14 senhoras desfilaram roupas confeccionadas com materiais reciclados, criados por elas e comandadas por ele, em plena Avenida Paulista. Também em 1996, os cariocas presenciaram um desfile de roupas íntimas em plena Avenida Atlântica, em Copacabana, e na Feira da Providência. O mesmo ocorreu na comemoração pelos 100 anos do Méier, bairro da Zona Norte carioca. Nada fora do comum, tirando o fato de que as modelos eram todas senhoras na faixa entre 60 e 70 anos.

Em 1998, Eduardo Araúju criou o concurso “Miss Terceira Idade de São Paulo”; em 1999, “A Mais Bela Senhora do Rio de Janeiro”; e em 2001, idealizou os concursos “Miss Rio de Janeiro da Maturidade”, para senhoras entre 40 e 60 anos, “Rainha Rio de Janeiro da Maturidade” e “Rainha das Rainhas” para senhoras a partir de 61 anos.

Graças às suas ousadia e criatividade, Eduardo Araúju teve seu nome correndo mundo, passando por países como Argentina, Angola, Japão, Polônia e de muitos outros da Europa. Dentre os muitos registros pela mídia internacional, ele se destacou na TV europeia ARTE, num documentário feito no Brasil para ser exibido em toda a Europa. Eduardo também foi convidado a gravar um documentário sobre Misses da América Latina, exibido na Polônia.

O carinho e a dedicação a seu ofício e ao público da terceira idade também lhe renderam Moções da Câmara Municipal e Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) entre 2001 e 2007.

Serviço:

Lançamento do “Senhoras do Calendário 2020”

Centro Cultural João Nogueira – Imperator

Rua Dias da Cruz 170, Méier

Entrada gratuita