BORRA, novo espetáculo da Dinamosfera, estreia dias 30 e 31/10, no Teatro Cacilda Becker

Quase um ano após incendiar o Teatro Cacilda Becker homenageando Maria Bethânia (“Aponte”), a Dinamosfera Companhia de Dança volta ao palco do Flamengo, em curtíssima temporada, com novo projeto, igualmente inquietante e surpreendente: BORRA, homenageando artistas brasileiros da literatura e música, que retratam em suas obras os seres relegados à borda da sociedade, será apresentado nos dias 30, quarta-feira, e 31, quinta-feira, de outubro, às 20h. A Companhia também promoverá oficinas de dança contemporânea, abertas para estudantes, pesquisadores de dança ou interessados em geral, a partir de 13 anos, em ambos os dias, das 10h às 12h (valor de inscrição na forma de contribuição consciente).

Com direção, concepção e coreografias de Dinis Zanotto, Flavia Spinardi e Tamires Coutinho, BORRA nos joga para o que descartamos e para quem pode ser descartável, descartando junto o seu direito de pertencer. Nasce da borra de café e da borra de sabão, a essência deixada depois de ter o que se quer. A Dinamosfera leva à cena momentos e relações carregados de poética e expressividade, por meio da dança contemporânea e das vozes marginalizadas, lançando luz sobre os negligenciados, invisíveis, desprezados, seres do submundo. BORRA é o que resta. Paradoxo e analogia entre descarte e essência marcam estes seres periféricos.

Mais uma vez, a Dinamosfera trabalha com referências da produção cultural brasileira, desta vez olhando para a literatura marginal bem como para artistas oriundos deste universo. BORRA elege o corpo para dar vida a  essas questões, borram-se as margens entre as linguagens cênicas, pois o corpo não as conhece, nem reconhece barreiras. O corpo é cru, fluído e livre. Apesar da sua marginalização, esta prática não é do corpo, é da sociedade e de seus valores discriminatórios.

Seguindo a linguagem já estabelecida da companhia de dialogar com compositores e ou intérpretes brasileiros, desta vez a Companhia imerge em vozes da margem. As mulheres, artistas e cantoras Linn da Quebrada, Elza Soares, Xênia França e Banda Marsa, transpassdas pela trilha original criada por André Poyart, dão o ambiente sonoro para contar essa história de corpos, vozes e seres que muitas vezes são invisíveis, mas que têm sua expressão maior em sua arte, seu grito de sobrevivência, resistência e existência.

A Dinamosfera é uma companhia de dança atuante desde 2017 na dança carioca. Tem como espetáculo de estreia Aponte. A Cia está na sua segunda residência artística no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro. Sendo formada e dirigida pelos três coreógrafos: Dinis Zanotto, Flavia Spinardi e Tamires Coutinho, que apostam na variedade de linguagens com seus múltiplos desdobramentos.

SERVIÇO:

 

Espetáculo: BORRA – Dinamosfera Companhia de Dança

30 a 31 de OUTUBRO de 2019 – Quarta-feira e Quinta-feira

Horário: 20h

Teatro Cacilda Becker – Largo do Machado

R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)

Classificação 12 anos

Oficinas de Dança Contemporânea – Dinamosfera Companhia de Dança

30 e 31 de OUTUBRO de 2019 – Quarta-feira e Quinta-feira

Horário: 10h às 12h

Teatro Cacilda Becker – Largo do Machado

Contribuição Consciente

A partir de 12 anos, para interessados, estudantes e profissionais da dança e do corpo.

Anúncios