Orquestra Petrobras Sinfônica apresenta “O Mágico de Oz”

Celebrando o mês das crianças, a Orquestra Petrobras Sinfônica apresenta seu mais novo trabalho voltado para o público infanto-juvenil.  Com arranjos exclusivos de Ricardo Cândido, a Petrobras Sinfônica apresenta a obra O Mágico de Oz, com a participação da soprano Juliana Franco, que já dublou filmes infantis como “Anastacia” e “Era do Gelo”, e do barítono Marcelo Coutinho, que emprestou sua voz para clássicos dos anos 90 como “A Bela e a Fera” e “Aladdin”.  Sob a regência de Felipe Prazeres, as apresentações acontecem em outubro, nos dias 24 e 25 (quinta e sexta-feira, às 20h) e 26 e 27 (sábado e domingo, às 16h), no Teatro Riachuelo, no Centro.

O Mágico de Oz faz parte da série Em Família, que busca popularizar a música clássica e renovar o público do gênero por meio de versões de clássicos infantis.

O Mágico de Oz, de autoria de L. Frank Baum, conta a história de Dorothy Gale, uma órfã que vivia com os tios numa fazenda do Kansas, nos Estados Unidos. Um dia, um ciclone arranca do chão a casa onde moravam e Dorothy e seu cachorro, Totó, são levados durante muito tempo pelos ares até chegar à Terra de Oz.

Lá, Glinda, a Bruxa Boa do Norte, explica a Dorothy que ela havia matado a Bruxa Malvada do Leste, pois a casa aterrissou em cima dela. Dorothy agora é, por direito, dona dos sapatos mágicos da bruxa má. Além disso, Glinda lhe dá um beijo na testa, para ela ficar em segurança durante as aventuras que viveria a caminho da Cidade das Esmeraldas, onde vive o poderoso Mágico de Oz, o único que poderia ajudá-la a voltar para o Kansas.

Para chegar à Cidade das Esmeraldas, Dorothy tem que seguir por uma estrada de tijolos amarelos. Durante a caminhada, ela encontra o Espantalho, o Homem de Lata e o Leão Covarde. Os três se juntam a Dorothy, pois também querem encontrar Oz e pedir algo para ele: o Espantalho quer um cérebro para pensar como os homens; o Homem de Lata, um coração para amar como os homens, e o Leão Covarde quer coragem para ser o Rei dos Animais.

A partir daí, os quatro encaram perigos, vivem histórias fantásticas e aprendem a enfrentar os próprios medos.

 

 

Sobre a Orquestra Petrobras Sinfônica

Aos 47 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica se consolida como uma das mais conceituadas do país e ocupa lugar de prestígio entre os maiores conjuntos musicais da América Latina. Criada pelo maestro Armando Prazeres, a orquestra é formada por mais de 80 instrumentistas e tem como diretor artístico e regente titular o maestro Isaac Karabtchevsky, nome mais respeitado no Brasil e consagrado internacionalmente.

 

Modelo de gestão: A Associação Orquestra Pró Música do Rio de Janeiro, entidade que administra o conjunto, apresenta uma proposta administrativa inovadora, sendo a única orquestra do país gerida por seus próprios músicos.

 

Sobre a PETROBRAS: A Petrobras completa 33 anos de patrocínio da Orquestra Petrobras Sinfônica em 2019. Uma parceria essencial para mantê-la entre os principais conjuntos da América Latina, sempre desenvolvendo um importante trabalho de democratização da música clássica e de renovação do público do gênero.

Serviço

Datas e horários: 24 a 27/10 (quinta e sexta-feira às 20h, sábado e domingo às 16h)

Local: Teatro Riachuelo – Rua do Passeio, 38/40 – Centro

Telefones: (21) 3554-2934

Ingressos: sympla.com.br

Plateia VIP: R$ 100,00/ R$ 50,00
Plateia: R$ 70,00 / R$35,00
Balcão Nobre: R$ 60,00 / R$ 30,00
Balcão: R$ 50,00 / R$ 25,00

Funcionários Petrobras 50%: mediante a  apresentação de crachá no ato da compra na bilheteria (Limitado a 2 ingressos por funcionário)

Capacidade: 1000 lugares

Classificação: livre