FESTU – Festival de Teatro Universitário com entrada franca no Teatro Nathalia Timberg – Mostra Competitiva de 19 e 22/9

Em sua nona edição, FESTU – Festival de Teatro Universitário acontece entre 10 e 26 de setembro, em três teatros da cidade: Cesgranrio, Firjan SESI Centro e Teatro Nathalia Timberg. Idealizado em 2010 pelo produtor Miguel Colker e pelo diretor e ator Felipe Cabral, o FESTU é uma verdadeira maratona teatral com produções criadas por jovens da cena universitária nacional. O FESTU é composto por duas mostras, sendo uma competitiva de esquetes (Mostra Nacional Competitiva) e outra de espetáculos (Mostra de Espetáculos). Em quase uma década, o festival recebeu cerca de 4.600 inscrições de grupos de todo Brasil. Desde então, o evento apresentou 270 esquetes e 32 espetáculos de mais de 300 grupos universitários de todo o país, tendo patrocinado 11 peças e premiado 73 categorias.

Na abertura (10/9) do FESTU, o Teatro Firjan SESI Centro recebe a primeira peça das cinco que compõe a Mostra de Espetáculos: “Meus cabelos de baobá” (UNIRIO), com direção de Vilma Mello. Criado, escrito e interpretado por Fernanda Dias, “Meus cabelos de baobá” começou a ganhar forma em 2015, quando a atriz retornou de uma temporada estudos na L’Ecole Des Sables, no Senegal. A montagem se baseia em textos de autoras negras e na riqueza da cultura afro-brasileira. A produção foi a grande vencedora do festival de 2018, tendo conquistado os prêmios de Melhor Esquete, Melhor Texto Original e Melhor Atriz. Premiada com um patrocínio de R$ 30 mil e com a participação no Festival de Curitiba 2019, a peça agora é apresentada em sua versão longa.

A Mostra de Espetáculos também traz “Exoneração”, do coletivo Teatro Dy Afronte (UNIRIO, UERJ, UFRJ, PUC e Martins Penna). O grupo foi vencedor do FESTU 2018 pelo Júri Popular com o esquete “O conjunto das palavras com antecedência ou o ato de fazer entrar” e foi premiado com R$ 15 mil. As outras três produções escolhidas são do Rio de Janeiro e de Minas: “Cabaré Sade” (UNIRIO), “Eclipse solar” (CEFART/MG) e “Nossas bocas não foram feitas só pra sorrir” (Martins Penna).

“Esta edição apresenta trabalhos muito maduros e potentes. O FESTU tem esse lugar de representatividade, em que a cena reflete o que estamos vivendo no país e no mundo. Na Mostra de Espetáculos, o tema ‘mulher’ abre e fecha a programação. Há também peças de coletivos, com trabalhos performáticos e com música. E na Mostra Competitiva, das 27 cenas selecionadas, nove são monólogos”, adianta Felipe Cabral, idealizador e diretor artístico do evento.

Este ano, a Mostra Competitiva teve 281 esquetes inscritos (244 em 2018). Foram escolhidos 113 de 14 estados para participarem da banca realizada em julho, no Rio. Felipe Cabral e o professor Zé Luiz Rinaldi (Universidade Candido Mendes) selecionaram os 27 esquetes que competem em dez categorias (lista abaixo). O grande vencedor (Melhor Esquete) recebe um patrocínio de R$ 30 mil para montar um espetáculo e já tem sua participação garantida no Festival de Curitiba em 2020.

Pela primeira vez, a Mostra Competitiva ocupa o Teatro Nathalia Timberg, na Barra da Tijuca, entre os dias 19 e 22 de setembro, com entrada franca. Os apresentadores serão Felipe Cabral e a atriz Tatá Lopes, que ano passado foi jurada do 8º FESTU. Outra novidade desta edição é a Mostra do Voto Popular. O melhor esquete eleito pelo júri popular ganha um evento exclusivo para esta premiação, no Teatro Cesgranrio (26/9). Todos os finalistas se apresentam novamente e o vencedor eleito pelo público ganha R$ 15 mil.

Os 27 esquetes concorrem nas seguintes categorias: Melhor Esquete, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Esquete pelo Júri popular, Melhor Direção, Melhor Direção de Movimento, Melhor Texto Original, Melhor Iluminação, Melhor Cenografia e Melhor Figurino. Os integrantes que compõem o júri de 2019 serão divulgados em setembro.

Já passaram 77 profissionais de artes cênicas pelo júri do FESTU. Entre eles, estão nomes como Marília Pêra, Cássia Kis Magro, João Falcão, José Wilker, Otávio Augusto, Debora Lamm, Pedro Kosovski, Tonico Pereira, Gregório Duvivier, Deborah Colker, Lilia Cabral, Milton Gonçalves, Catarina Abdalla, Karina Ramil, Johnny Massaro, Leopoldo Pacheco e Caio Paduan.

FESTU nas redes: Site: http://www.festu.com.br | Facebook e Instagram: @festurio

SINOPSES – Mostra de Espetáculos

“Meus cabelos de baobá” – UNIRIO

Sinopse: A menina Dandaluanda fantasia um diálogo com o baobá e é correspondida. A magia que emana da árvore de origem africana faz com que a mulher, também alimentada pela sua ancestralidade, valorize sua identidade negra e se torne rainha. Referência de suas ancestrais femininas, a árvore milenar de galhos fortes e compridos ensinou a Dandaluanda valores africanos e a despertou para uma nova vida: primeiro como menina, depois como mulher e, finalmente, como rainha.

Ficha Técnica: Direção: Vilma Mello. Argumento: Simone Ricco. Texto: Fernanda Dias. Elenco: Fernanda Dias, Luiza Loroza e Beá Felícito. Concepção de luz: Binho Schaefer. Figurino: Clívia Cohen. Operador de luz: Victor Tavares. Direção musical: Beá. Música: Jhon Conceição, Barbara Santos e Beá. Concepção de cenário: Cachalote Mattos. Preparação corporal e coreografias: Fernanda Dias e Charles Nelson. Produção: Damiana Guimarães. Duração: 50 min. Classificação indicativa: 16 anos.

“Exoneração” – UNIRIO, UFRJ, UERJ, PUC e Martins Penna

Sinopse: Transnudado, suado, travestindo destruições e pronunciando desaparecimento atrás de desaparecimento. Os quatro cantos cardinais das paredes deixaram de existir. Sonoridades estranhas denunciam o parto de novos estatutos cênicos. O caos poderia aquietar-se dizendo o que queria para neutralizar toda violência, para tornar menos perigosa a linguagem que queima. Tudo se encaminha e desperta a partir do momento que algo viscoso cai de cima. Corpos se inundam destruindo o espaço teatral.

Ficha Técnica: Produção executiva: Teatro Dy Afronte. Direção de arte: Teatro Dy Afronte. Direção de movimento: Aron Moraes. Encenação: Aron Moraes. Preparação vocal: Jane Celeste. Programação visual e design gráfico: Carolina Werneck. Iluminação: Aron Moraes. Projeção audiovisual: Aron Moraes e Gabriel Massan. Direção de produção: Wellington de Oliveira. Trilha sonora: Henrique Fiuza, Jordi Marchon, Nanda O Nanda, Davi di Paola, Leviatã e Lázaro Uylgne. Colaboração artística: Brian Silva, Gabe Passareli, Graciana Valladares João Victor Linhares, Natasha Pasquini e UmAlice. Texto: Aron Moraes e Julianna Pimenta. Elenco: Anis Aura Yaguar, Arda Nefasta, Bianca Luvic, Chris Rebello,

Dandara Patroclo, Juliana Reis, Julianna Pimenta e Maria Ambrósia. Duração: 70 min. Classificação indicativa: 18 anos.

“Cabaré Sade” – UNIRIO

Sinopse: Em cena, a história da morte do líder revolucionário Jean-Paul Marat, assassinado pela jovem camponesa Charlotte Corday durante Revolução Francesa. A história é encenada no falido e fabuloso cabaré da Mamacita e cria analogias com os tempos atuais, com a realidade do Brasil, mergulhado em uma crise política e econômica.

Ficha Técnica: Direção: Christina Streva. Texto: Luana Valentim, Rafael Ferreira e Rosyane Trotta. Músicos: Julia Mestre, Babi Guinle, Dora Morel e Gabi Lara. Elenco: Álvaro Victor, Antônio Valladares, Barbara Cristina, Beatriz Laviche, Bruno Marques, Filipe Felix, Gabriel Hipólito, João Vitor Linhares, Júlia Drummond, Luana Valentim, Manu Calmon, Rânni, Thaís Mazzoni, Vicente Conde e Vitória Carvalho. Assistente de direção: Amanda Tedesco, Grassi Santana e Juliana Thirè. Produção: Camila Zampier e Vinicius Lavall. Iluminação: Gabriel Prieto. Cenografia: Rahira Coelho. Figurino: Lara Bezerra. Duração: 60 min. Classificação indicativa: 16 anos.

“Eclipse solar” – CEFART/MG

Sinopse: Na cidade dos Exilados, um grupo de expatriados divaga sobre política, humanismo, pessimismo, tragédias pessoais, anseios, rancores e desejo de liberdade, enquanto aguarda um acontecimento extraordinário: o eclipse total do sol. Com uma narrativa fragmentada, entremeada por canções, imagens e performances, a peça evoca um tempo/espaço imaginário para abordar dúvidas e perplexidades sobre o futuro dos nossos dias.

Ficha Técnica: Direção: Ricardo Alves Jr. Dramaturgia: Germano Melo. Elenco: Bremmer Guimarães, Caroline Cavalcanti, Eduarda Fernandes, Gabriela Veloso, Lorena Fernandes, Lucas Nicoli, Marianna Callais, Pedro Lanna, Paula Amorim e Rafael Batista. Assistência de Direção: Rafael Batista. Direção de arte: Luiz Simões. Direção musical: Lucas Nicoli. Desenho de luz: Jésus Lataliza. Assistência de iluminação e operação: Lucas Matias Morais. Desenho de som e operação: Fabrício Lins. Direção técnica: Geraldo Octaviano. Preparação corporal: Elba Rocha. Preparação vocal: Luísa Bahia. Maquiagem: Gabriela Dominguez. Arte gráfica: Ângela Peres. Apoio: Fundação Clóvis Salgado e Funarte MG. Realização: Quartatela. Duração: 70 min. Classificação indicativa: 16 anos.

“Nossas bocas não foram feitas só para sorrir” – Martins Penna

Sinopse: Espetáculo autoral e musicado sobre as questões em torno da problemática racial no Brasil contemporâneo. Uma criação coletiva e não-linear concebida a partir da vivência dos artistas em cena. Com recorte étnico-racial, a peça traz sete atores e quatro músicos que remontam situações fictícias e não-lineares que variam entre a dramaticidade e a comicidade.

Ficha Técnica: Concepção: Coletiva. Direção geral: Shirlene Paixão. Assistência de direção: Dieymes Pechincha. Direção musical: Jonatha Panta. Produção: Luiza Otero. Assistência de produção: Pérola Chaves. Preparação corporal: Morena Paiva. Preparação de elenco: Dieymes Pechincha. Artistas criadores: Ana Bárbara Vila Nova, Camilla Carvalho, Igor Costa, Luiza Otero, Shirlene Paixão, Vitória Rodrigues. Músicos: César Gama, Jonathan Panta, Gabriel Gama e Johan Luzi. Captação de Som: Luiza Otero. Produção de indumentária: Camila Loren e Euline Rodrigues Costa. Designer visual, captação e edição de imagem: Rafaela Gama. Vozes do off: Patrick Sonata e Marcelo Magamo. Colaboração artística: Livia Laso, Morena Paiva, Vera Lopes, Gustavo Pereira, Fernando Guilhon, Lucia Provenzano. Duração: 60 min. Classificação indicativa: 16 anos.

FICHA TÉCNICA FESTU 2019

Diretor Artístico: Felipe Cabral

Diretor Geral: Miguel Colker

Diretor Financeiro: Rodrigo Wodraschka

Apresentador: Felipe Cabral

Relacionamento: Menna Barreto e Felipe Dias

Produção: Aline Moschen, Juliana Santos e Paulo Dary

Coordenador de Comunicação: Irwin Fiuza

Comunicação: Rodrigo Santos

Coordenador de Design: Guilherme Telles

Design: Paulo Tavares e Romy Morgado

SERVIÇO

De 10 a 14 de setembro

FESTU – Mostra de Espetáculos

Local: Teatro FIRJAN SESI Centro | Rua Graça Aranha, 1 – Centro.

Informações: (21) 2563-4163.

Horário: de terça a sábado, às 19h.

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Bilheteria: De segunda a sexta, das 11h30 às 19h30. Aos sábados e domingos e feriados, quando houver espetáculo, 2h antes.

Programação:

10/09 – “Meus Cabelos de Baobá” (UNIRIO)

11/09 – “Exoneração” (UNIRIO, UFRJ, PUC, UERJ e Martins Penna)

12/09 – “Cabaré Sade” (UNIRIO)

13/09 – “Eclipse Solar” (CEFART/MG)

14/09 – “Nossas Bocas Não Foram Feitas Só Para Sorrir” (Martins Penna)

De 19 a 22 de setembro

FESTU – Mostra Nacional Competitiva

Local: Teatro Nathalia Timberg |Freeway Center – Av. das Américas, 2.000 – Barra.

Informações: (21) 2442-5188.

Horário: de quinta a sábado, às 20h30. Domingo, às 19h.

Entrada franca.

Bilheteria: terça a domingo, das 13h30 às 19h.

Programação:

19/09

“Os três mal amados” (Martins Penna)

“Desejo manifesto” (UFF/Casa De Cultura Laura Alvim/Escola De Atores Wolf Maya)

“Aparar” (PUC-Rio)

“Panchito Gonzales” (UNIRIO/Martins Penna/Escola Livre F.A.M.A.)

“Quizila (UNIRIO)

“Conversa franca’ (UFMG)

“Mar seco que terra molhada” (UNIRIO)

“Praia do Leme’ (UNIRIO)

“Dentro de mim” (UNIRIO/O Tablado)

19/09

“Urra” (UFMG)

“Presságio para uma pandemia” (UNIRIO/Martins Penna/PUC-Rio)

“Cu é universal” (CAL)

“Cotidiano” (UNIRIO/PUC-Rio)

“Engasgo” (PUC-Rio) “Yuki-Onna, A mulher de neve” (UNIRIO/Martins Penna/UFRJ)

“Aquele último filme antes da partida” (UNIRIO)

“Matryc”a (UNIRIO)

“Grita!” (UNIRIO)

21/09

“Filhas da terra” (UNIRIO)

“Lapso” (UNIRIO)

“Fúria: O político” (UNIRIO/UFRJ/PUC-Rio)

“Iceblack” (UERJ)

“Nem todo filho vinga” (UNIRIO/UFRJ/Martins Penna/Entre Lugares Maré) “Ser é permanente” (Martins Penna/UFRJ/PUC-Rio)

“Estilhaços” (CAL/UFRJ Estácio De Sá)

“Espelhos” (Martins Penna)

“Tem gente demais na merda desse barco” (UNIRIO)

22/9

Apresentação dos esquetes finalistas e premiação do júri oficial.

Dia 26/9

FESTU – Mostra do Voto Popular

Local: Teatro Cesgranrio (Rua Santa Alexandrina, 1011 – Rio Comprido).

Informações: (21) 2103-9682.

Horário: 19h.

Entrada franca.

Programação: Apresentação dos esquetes finalistas | Premiação do melhor esquete eleito pelo júri popular.

Anúncios