VI Painel Temático do Circuito Teatro do Oprimido “Educação: Ação! Uma outra Perspectiva”

Produzido pelo grupo teatral MaréMoTO, composto por jovens morador@s do Complexo de Favelas da Maré, localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro, o VI Painel Temático do Circuito Teatro do Oprimido, intitulado “Educação: Ação! Uma outra Perspetiva”, debaterá os retrocessos atuais na política de educação e discutirá quais são as práticas e as pessoas que estão na resistência. Aliada a essa necessária discussão, a metodologia do Teatro do Oprimido será a base das ações do Painel Temático Educação: Ação! Uma outra Perspetiva.
 
A programação contará com apresentação de pesquisas acadêmicas de jovens na graduação, vinculadas ao tema da peça de Teatro Fórum, é o que está sendo chamado de “Pesquisando o nosso”. A ideia é revelar o que os jovens das periferias estão pesquisam na graduação, revelando assim que esta mudança de paradigma a partir das ações afirmativas está também contribuindo para uma universidade mais politizada e representativa. Também teremos uma Roda de Conversa “Práticas e Espaços que Educam” composta por pessoas que são referência em relação às práticas de uma educação contra-hegemônica e anti-racista. Em seguida o grupo MaréMoTO apresentará o espetáculo de Teatro Fórum “Cota pra Vazá”. O encerramento será com música, poesia e outras manifestações culturais.

Os painéis temáticos que integram as atividades do Circuito Teatro do Oprimido Petrobras, no período 2018/2020, visam a troca de saberes a partir do protagonismo dos integrantes dos 10 grupos populares participantes do Circuito: jovens, mulheres, negros e negras, LGBTs e as questões que os atravessam. Para esta VI edição, o Centro de Teatro do Oprimido convidou o grupo MaréMoTO para produzir e protagonizar as atividades. Os painéis anteriores tiveram como temáticas: feminismo possíveis, trabalho doméstico, racismo, retrocesso manicomial, humanizar a humanidade.

O Teatro do Oprimido, método sistematizado pelo teatrólogo brasileiro Augusto Boal, tem como principal objetivo a democratização dos meios de produção artísticos para que oprimidas e oprimidos se apropriem e, com isto, construam alternativas concretas para a superação de opressões reais do cotidiano. A temática da Educação dialoga diretamente com o Teatro do Oprimido, pois nele o fazer artístico preconiza o resgate da humanidade dos indivíduos para a transformação social.

Os integrantes do MaréMoTO se apresentam da seguinte forma: “Maré, água, ondas e movimentos, maremoto. Aqui cada integrante do grupo de Teatro do Oprimido MaréMoTO (Maré em Movimento do Teatro do Oprimido) é uma placa tectônica que, juntos no palco e fora dele, têm a capacidade de se movimentar através do Teatro do Oprimido e, criar grandes ondas capazes de lutar contra as opressões que nos atravessam. Assim, nossas ondas dão um caldo nos privilégios de alguns para se tornarem direitos de todxs. O MaréMoTO é composto por jovens morador@s do Complexo de Favelas da Maré, nasce como um dos grupos do “Teatro do Oprimido na Maré” – projeto realizado pelo Centro de Teatro do Oprimido – CTO em 2014/16, na Maré, com patrocínio da Petrobras – e vem atuando desde então como um dos grupos do CTO. Nossa sede semanal é na Maré, junto às nossas grandes parceiras do Museu da Maré onde se realizam os ensaios. Desde a formação do grupo até hoje, já atuamos em várias frentes a partir da metodologia do TO. Começando pelo processo estético de criação da peça de Teatro Fórum “Marcha Borboleta”, temporadas de apresentações da mesma ao longo dos anos 2015, 2016 e 2017, em alguns Municípios da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. No ano 2017 o nosso foco foi a multiplicação da metodologia, ministrando oficinas de TO a partir de parcerias com outros espaços da Maré onde o público são principalmente os jovens.”

Programação

16:30h: Pesquisando o nosso – Apresentação de pesquisas acadêmicas de jovens das periferias
17:30h: Práticas e Espaços que Educam – Roda de conversa
19:00h: Apresentação do espetáculo “Cota prá Vazá”
20:30h: Encerramento Cultural
Sinopse “Cota pra Vazá”
Território, ancestralidade, classe social, negritude e juventude perpassam o tema da educação na peça “Cota Pra Vazá”, do grupo MaréMoTO. Ultilizando a técnica de Teatro Forúm da metodologia do Teatro do Oprimido, o espetáculo encena a realidade através de metáforas, trazendo como questão principal a permanência na universadade para pessoas que vivenciaram e vivenciam realidades diferentes. A narrativa começa resgatando o passado, mostrando como foi o inicio das primeiras universidades brasileiras, depois passa para o presente, apresenta os personagens e os contextos através de uma divisão no palco, onde, em um lado está um jovens negros, pobres, moradores de favela e no outro uma jovem branca de classe média, mostrando o que ambos passam até chegar a universidade. Com o foco n@s oprimid@s, a peça revela o contraste, as facilidades de um lado e as dificuldades do outro, para permanecer na universidade.

Serviço

Data: 16 de julho, terça-feira, das 16h às 21h
Local: Centro de Teatro do Oprimido. Av. Mem de Sá 31, Lapa, Rio de Janeiro
Entrada franca | Ingressos grátis
Anúncios