“Traga-me a cabeça de Lima Barreto!” terá única apresentação dia 18

Celebrando dois anos em cartaz, sendo assistido por mais de 15 mil pessoas, o monólogo Traga-me a cabeça de Lima Barreto! terá única apresentação no dia 18 de junho (terça-feira) às 19h30 na Sala Cecília Meirelles / Auditório Guiomar Novaes – espaço da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. Hilton Cobra vive o escritor Lima Barreto, cujas obras  Diário íntimo e Cemitério dos vivos, consideradas autobiográficas, servem de fio condutor para abordar temas como loucura, racismo e eugenia. O auditório Guiomar Novaes fica no Largo da Lapa, 47, Centro. Ingressos: R$ 20 e R$ 10.

Escrita pelo diretor e dramaturgo Luiz Marfuz, especialmente para comemorar os 40 anos de carreira do ator Hilton Cobra, com direção de Fernanda Júlia do (NATA – Núcleo Afrobrasileiro de Teatro de Alagoinhas), a peça mostra uma imaginária sessão de autópsia na cabeça de Lima Barreto, conduzida por médicos eugenistas, defensores da higienização racial no Brasil, na década de 1930. O propósito seria esclarecer “como um cérebro considerado inferior poderia ter produzido uma obra literária de porte se o privilégio da arte nobre e da boa escrita é das raças tidas como superiores?. A partir desse embate, a peça mostra as várias facetas da personalidade e da genialidade de Lima Barreto, refletindo sobre loucura, racismo e eugenia, a obra não reconhecida e os enfrentamentos políticos e literários de sua época.                                               

A narrativa ganha força com trechos dos filmes “Homo Sapiens 1900” e “Arquitetura da Destruição” – ambos cedidos gentilmente pelo cineasta sueco Peter Cohen – que mostram fortes imagens da eugenia racial e da arte censurada pelo regime hitlerista. O cenário, de Marcio Meirelles – um manifesto de palavras – contribui para a força cênica juntamente com o figurino de Biza Vianna, a luz de Jorginho de Carvalho, a direção de movimento de Zebrinha, a música de Jarbas Bittencourt e a direção de vídeos de David Aynan. Os atores Lázaro Ramos, Frank Menezes, Harildo Déda, Hebe Alves, Rui Manthur e Stephane Bourgade – todos amigos e admiradores do trabalho de Cobra, emprestam suas vozes para a leitura em off de textos de apoio à cena.                                                                                                         

Trazer Lima Barreto para o primeiro plano desse debate, encontrar um equilíbrio entre as reflexões sobre a eugenia e a vida e obra do escritor foi, para Luiz Marfuz – responsável pela dramaturgia da peça, um desafio: “Obviamente estamos tratando de uma situação imaginária, um Lima idealizado. Ele sempre se colocou como um escritor militante; e isso é nitidamente visível não só nos romances, mas nas inúmeras crônicas em que defendeu suas ideias humanistas, com fortes doses de anarquismo e socialismo, posicionando-se contra a política, os governantes, o sistema econômico, as injustiças sociais. Mas a questão da eugenia não foi tratada por ele de forma direta e aberta. Então a arte cria um espaço para que Lima, após uma vida marcada pelo alcoolismo, loucura, a indigência cotidiana e a discriminação racial, retorne com a consciência dessas questões para defender suas ideias”, explica Marfuz.

Responsável pela direção do espetáculo Fernanda Julia, que é diretora do NATA de Alagoinhas, conta como o trabalho que vem realizando no grupo teatral contribuiu no processo de direção de Traga-me a cabeça de Lima Barreto!: “O diálogo crítico e politizado sobre negritude é um disparador potente do fazer cênico do NATA. Esses elementos foram fundamentais para que eu percebesse quais caminhos trilhar na construção do espetáculo. Sou uma provocadora e problematizadora por natureza, e acho que a encenação deve seguir este caminho – provocar a reflexão e problematizar o que está posto. São dois caminhos que sigo e que fundamentam minhas escolhas poéticas e estéticas. Sou uma encenadora negra e afirmativa, desejo sempre colocar em cena a beleza, a grandiosidade e as vitórias do meu povo.”

Hilton Cobra, que criou a Cia dos Comuns em 2001, com o propósito de trazer à cena uma cosmovisão artisticamente negra especialmente no âmbito das artes cênicas, fala da motivação para encenar Traga-me a cabeça de Lima Barreto!: “É importante e providencial discutir eugenia e racismo a partir de Lima Barreto. Também é um reconhecimento à Lima – um autor tão pisoteado, tão injustiçado, que pensou tão bem esse Brasil, abriu na literatura brasileira ‘a sua pátria estética’, os pisoteados, loucos, os privados de liberdade – esses são os personagens de Lima Barreto. Acredito que ele deve ter sido, se não o primeiro, um dos primeiros autores brasileiros que colocaram esse ‘submundo’ em qualidade e com importância dentro de uma obra literária”.

 

         

Serviço: Traga-me a cabeça de Lima Barreto!

Peça celebra a genialidade de Lima Barreto, refletindo sobre loucura, racismo e eugenia.

Local: Sala Cecília Meirelles / Auditório Guiomar Novaes | Espaço da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa

Endereço: Largo da Lapa, 47, Centro, Rio de Janeiro, RJ

Data / Horário:  18 de junho – 19h30

Informações: (21) 2332-9223 | 2332-9224

Ingressos: R$ 20,00 | R$ 10,00. Venda online: www.ingressorapido.com.br

Funcionamento da bilheteria do espaço: das 13h às 18h

Recomendação etária: 14 anos

 

Ficha Técnica:

Hilton Cobra – Ator | Luiz Marfuz – Dramaturgia | Fernanda Júlia – Direção | Cenário: Vila de Taipa (Laboratório de Investigação de Espaços do Teatro Vila Velha), Erick Saboya, Igor Liberato e Márcio Meireles | Desenho de Luz: Jorginho de Carvalho e Valmyr Ferreira | Figurino: Biza Vianna Direção de Movimentos: Zebrinha | Direção Musical: Jarbas Bittencourt |Direção de vídeo: David Aynan | Design gráfico: Bob Siqueira e Gá, Produção executiva: Júlio Coelho | Fotos: Adeloya Magnoni e Valmyr Ferreira | Op. áudio e vídeo: Duda Fonseca | Operador de luz: Lucas Barbalho.

Participações especiais (voz em off): Lázaro Ramos, Caco Monteiro, Frank Menezes, Harildo Deda, Hebe Alves, Rui Manthur e Stephane Bourgade  

 

 

Informações para imprensa:

Target Assessoria de Comunicação

Com: Márcia Vilella | Letícia Reitberger

(21) 2284 2475 | 98158 9692 | 98158 9715

marcia@target.inf.br | leticia@target.inf.br

 

Reconhecimento do público e crítica especializada

Há 2 anos em cartaz, com 110 apresentações, “Traga-me a cabeça de Lima Barreto!”, já foi apresentado para 15.000 espectadores, cumprindo temporada no Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo, Porto Alegre, Teresina, Natal, Fortaleza, Mossoró, Recife, Goiana, Caruaru e Arcoverde  onde colheu diversos elogios do público e crítica. O espetáculo foi encenado também na Flip – Festa Literária Internacional de Paraty/RJ, onde o escritor foi o homenageado.

 

Prêmios & Destaques:

  • Contemplado com o 4º PRÊMIO NACIONAL DE EXPRESSÕES CULTURAIS AFRO-BRASILEIRAS-2017 / Nacional;
  • Indicado ao PRÊMIO BRASKEM DE TEATRO-2017 nas categorias “Ator”, “Texto” e “Espetáculo” / Salvador;
  • Contemplado com o PRÊMIO BRASKEM DE TEATRO-2017 na categoria “Texto” / Salvador;
  • Contemplado com o 9º PRÊMIO OLHARES DA CENA-2018 na categoria “Ator” / Porto Alegre;
  • Indicado ao PRÊMIO CENYM-2018 nas categorias “ator” e “monólogo” / Nacional;
  • Indicado ao 9º PRÊMIO OLHARES DA CENA-2018 nas categorias “Ator”, “Texto” e “Espetáculo” / Porto Alegre;
  • Revista BRAVO: 30 melhores espetáculos-2018 / Nacional;
  • Jornal O GLOBO: 10 melhores espetáculos-2018 / Rio de Janeiro;
  • Blog do arcanjo: 10 melhores atores do ano-2018 / São Paulo.

 


Críticas/matérias:

 

Jornal O Globo: Melhores do ano/2018

https://oglobo.globo.com/cultura/teatro/as-pecas-que-se-destacaram-em-2018-23300991?fbclid=IwAR2ZipNBNIWHy7SNdoVVDj0-KhVYkq_7LO2v2RUk1WhExTAfvj1rD6uqe1Y

 

Revista BRAVO: Melhores do ano/2018 http://bravo.vc/seasons/s07e01/?fbclid=IwAR3SBWviInDL6_wxOvn91Tq0u8xoOPPU2ISx6ewc35kVroeRE3ReYRljuEU

 

Jornal O Globo: https://oglobo.globo.com/rioshow/critica-traga-me-cabeca-de-lima-barreto-23186989

Carta Capital: https://www.cartacapital.com.br/cultura/tragam-me-a-cabeca-de-lima-barreto 

 

Blog do Arcanjo: https://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2018/12/21/blog-do-arcanjo-no-uol-elege-melhores-do-teatro-2018-1o-e-2o-semestres/


Revista Veja: https://vejasp.abril.com.br/blog/dirceu-alves-jr/traga-me-a-cabeca-de-lima-barreto-peca-teatro-eugenia/

 

Blog do Arcanjo: https://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2018/07/12/hilton-cobra-desmonta-o-racismo-na-peca-traga-me-a-cabeca-de-lima-barreto/

 

Blog do Arcanjo: https://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2018/08/05/critica-hilton-cobra-se-consagra-como-lima-barreto-ironico-e-impactante/

 

Carta Capital/Blog Negro Belchior – Crítica Viviane A. Pistache: http://negrobelchior.cartacapital.com.br/traga-me-a-cabeca-dos-racistas/

 

Carta Capital/Blog Negro Belchior – Texto Gustavo Melo: http://negrobelchior.cartacapital.com.br/hilton-cobra-o-artista-politico-por-detras-da-cabeca-de-lima-barreto/

Questão de críticas: http://www.questaodecritica.com.br/2018/02/nos-que-aqui-estamos-por-voz-esperamos/


Conversa de Historiadoras: https://conversadehistoriadoras.com/tag/lima-barreto/

 

Jornal dia a dia: http://jornaldiadia.com.br/2016/?p=326830

Anúncios