Festival Internacional de Dança, de 20 a 23 de junho na Cidade das Artes

Entre 20 e 23 de junho, o Rio de Janeiro é palco do Rio H2K — Festival Internacional de Dança, que há nove edições consecutivas promove as danças urbanas e suas múltiplas vertentes de forma ampla e acessível. Mais de 400 mil pessoas já passaram pelo evento em quase uma década. Durante quatro dias, o festival vai levar para a Cidade das Artes workshops, batalhas de danças, festas, feira gastronômica e até um acampamento. O Rio H2k tem direção de produção de Miguel Colker e direção artística de Bruno Bastos.

Nesta nona edição, o Rio H2K traz 16 coreógrafos nacionais e internacionais de cinco países (Estados Unidos, França, Itália, Portugal e República Checa) para ministrarem workshops para todos os públicos. São profissionais que já trabalharam com estrelas como Justin Timberlake, Rihanna, Anitta, Nicki Minaj, Pabllo Vitar, Black Eyed Peas, Beyoncé, Deborah Colker, Ciara, Jennifer Lopez, Selena Gomez, Karol Conka, Britney Spears e Alicia Keys. Entre os convidados internacionais inéditos no Brasil, destaque para os coreógrafos Dafne Bianchi (Itália), Diana Matos (Portugal), Hollywood (Estados Unidos), Sonia Soulshine (França) e Tony Tzar (Estados Unidos).

 

Na programação também estão as apresentações do Showcase, uma mostra não competitiva com 20 grupos de dança do Brasil e de outros países, e o Rio H2K Battles – uma vibrante batalha entre 200 participantes. Este ano, o formato da competição mudou: dançarinos das mais diversas modalidades (hip-hop freestyle, house, popping, locking, breaking, passinho, dancehall, jazz funk, vogue, entre outros) vão participar em uma só categoria. Os artistas serão avaliados por cinco jurados: Meech Onomo (França), Jaja Vankova (República Tcheca), André Rockmaster (Brasil), Dafne Bianchi (Itália) e JP Black (Brasil). O grande vencedor receberá um prêmio de R$ 2.500 e o segundo melhor colocado levará R$ 500. “A ideia é proporcionar uma batalha livre de rótulos em que os dançarinos desafiem a si mesmos e seus oponentes por meio da criatividade, musicalidade e variaedade de ritmos e de estilos”, explica Bruno Bastos, idealizador e diretor artístico do Rio H2k.

Para quem quiser ter a experiência de viver os quatro dias dentro do festival e acampar nos jardins da Cidade das Artes, o Kemp é uma oportunidade única. Há espaço para 165 barracas individuais e também é possível optar entre usar a barraca do festival ou levar a sua própria. O sistema de hospedagem dentro do evento está disponível com a compra do ingresso “passaporte + Kemp”, que inclui também vestiários com chuveiros, área de convivência (com pontos de energia), água potável e posto médico.

SOBRE O RIO H2K

 

Desde a sua primeira edição, em 2011, o Rio H2K já recebeu 56 espetáculos, 196 coreógrafos, 997 workshops e um público aproximado de 415 mil pessoas. A essência do festival é a dança urbana e os seus diferentes gêneros, que vão desde os estilos originais que surgiram nos Estados Unidos, entre as décadas de 1960 e 1980 (breaking, hip-hop, dance house, locking e popping) até as criações mais recentes (dancehall, krumping, stiletto e videodancing). Em 2014, o festival incorporou com sucesso aulas de sapateado e batalhas de passinho. Três anos depois, em 2017, o evento trouxe oficinas de afromix, coco de roda, jongo, samba e zouk. Site oficial: www.rioh2k.com.br

OS COREÓGRAFOS

André Oliveira – passinho (Brasil)

Com apenas 19 anos, ele é dançarino, professor, coreógrafo e pesquisador de movimentos. Integrante da companhia de Dança Passinho Carioca e coreógrafo da Cia. Afro Black, André é uma referência no mundo do passinho. Nas batalhas, acumula vários títulos, entre eles bicampeão de passinho do Rio H2K Battles.

André Rockmaster – coaching/preparação física (Brasil)

Formado em Educação Física e pós-graduado em Fisiologia do Exercício, ele é um dos precursores das danças urbanas no Brasil. Em 1999, já ministrava workshops de locking, popping e breaking em todo o país. Rockmaster é coreógrafo, coach e jurado em competições de dança e já trabalhou com Luciana Mello, Bboy Neguin, Sheilla Mello, Fat Family, Alexandre Pires, além do Cirque du Soleil. Em TV, participou dos programas Domingão do Faustão e TV Xuxa, da Rede Globo, e Vai Dançar, do Multishow.

 

Cat Cogliandro – contemporary fusion (Estados Unidos)

Citada pela revista americana Dance Spirit como uma das 13 melhores jovens coreógrafas da atualidade, a texana participou dos programas de TV So You Think You Can Dance e America’s Got Talent. Cat é professora de dança na badalada Movement Lifestyle e comanda a sua própria companhia de dança, a Catastrophe!

 

Dafne Bianchi – dancehall (Itália) – Primeira vez no Brasil

Italiana residente em Paris, ela se formou em dança de salão com o coreógrafo Camron One-Shot e, em seguida, aprimorou os estilos fundamentais do hip-hop na Juste Debout School.  Em 2016, Dafne foi jurada na categoria de dança de salão do Juste Debout, maior evento mundial das urbanas. Trabalhou com a atriz e dançarina Parris Goebel e com a banda de electro-pop Hyphen Hyphen, além de ter participado do musical Os três mosqueteiros. Juntamente com seu marido, Bianchi criou uma peça para o Teatro Nacional Chinês de Kunming. Atualmente, faz parte do grupo Scandalize.

 

Diana Matos – hip-hop (Portugal) – Primeira vez no Brasil

Há oito anos, a vida desta bailarina portuguesa mudou. Viajou de Lisboa para Londres para tentar a vida e, desde então, já trabalhou com Beyoncé, Jessie J., Nicki Minaj, Missy Eliot e Pharrell, entre outros. Atualmente integra o grupo de dançarinos da turnê mundial The Man of the Woods, em que dança lado a lado com Justin Timberlake. É considerada a melhor dançarina portuguesa da atualidade.

 

Filipi Ursão – hip-hop (Brasil)

Apresentador oficial do Rio H2K, ele foi coreógrafo da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e do Palco Street Dance do Rock in Rio. Já deu aulas em diversas cidades como Los Angeles, Paris e Amsterdã. Participou de projetos como Rio Eu Te Amo e como jurado e dançarino na TV Xuxa.

Gabriel Braga – contemporary fusion (Brasil)

Conhecido por ter um estilo único de dança ao misturar hip-hop com contemporâneo, Gabriel Braga é coreógrafo e diretor do Project H[u]mans. Participou de festivais de peso no mundo do hip-hop com as companhias de dança JS Company e Le Cousa Contemporânea.

Hollywood – hip-hop (Estados Unidos) – Primeira vez no Brasil

Nascido em Porto Rico e criado em Nova York, o coreógrafo e dançarino Hollywood dança desde os cinco anos de idade. Ele recebeu uma bolsa de estudos na Broadway Dance Center, em Nova York. Quando a bolsa acabou, Hollywood sabia que precisava continuar seus estudos, mas não podia pagar as aulas. Então, ele se inscreveu no programa de trabalho da BDC, que permitia que os dançarinos administrassem e limpassem as instalações em troca de aulas. Sua carreira profissional alavancou quando ele se tornou o coreógrafo da estrela do hip-hop Lil Mama. De lá pra cá, já trabalhou com Jennifer Lopez, Chris Brown, Ciara, Diddy, Rihanna, Nicki Minaj, Beyoncé, entre muitas outras celebridades.

 

JC Seven – hip-hop (Brasil)

A vida do paulista Jean Carlos, mais conhecido por JC, mudou ano passado durante a oitava edição do Rio H2K. Por ter se destacado no workshop da coreógrafa Ysabelle Capitule, o jovem de 20 anos foi o ganhador de uma bolsa de estudos no FairPlay Dance Camp, na Polônia, e teve a oportunidade de dançar com renomados profissionais do mundo todo. Agora, ele vai dividir essa experiência com o público do Rio H2K. JC inicou seus estudos em danças urbanas há 12 anos. Atualmente é professor do Westside Dance Studio, em São Paulo, faz parte do grupo de coreográfos do artista Kafé e também trabalha com a cantora Lia Clark. Já atuou como dançarino de artistas como Manu Gavassi, Dj Yuri Martins e Banda uó. Fez parte do Grupo Anonymous Crew durante quatro anos e hoje é fundador e integrante da companhia Westside.

 

JP Black – locking e popping (Brasil)

Dançarino, professor e coreógrafo do grupo Funkeados, JP Black é uma referência em locking na América do Sul. Em 2017, ficou em segundo lugar na batalha do estilo no Juste Debout, considerado um dos maiores festivais de danças urbanas do mundo, realizado anualmente na França. Foi tetracampeão da batalha de locking do Rio H2k e, em 2016, foi convidado para fazer parte da banca de jurados. No Chile, foi campeãpo da batalha de locking do festival Street Dance Machine, em Santiago. Na Argentina, foi jurado da batalha da modalidade e professor no festival Hit Tha Beat, em Mendoza. É professor de diversos projetos sociais de dança, entre eles o promovido pelo Rio H2K no Viaduto de Madureira.

Jaja Vankova – krumping e robotting (República Checa)

Dançarina do I.aM.mE Crew, grupo campeão da sexta temporada do MTV’s Americas Best Dance Crew, ela também participou do Paramount’s League of Extraordinary Dancers, mais conhecido como The LXD, e do filme Step Up 5 interpretando a Robot Girl. Vankova venceu diversas competições de dança urbana e batalhas, além de ter participado de campanhas para marcas como Nike, Puma, Vlado, Scoodie e Aqua. Ela também coreografou e estrelou vídeos para artistas como Skrillex, Nick Cannon e Far East Movement.

Juan Chi – vogue femme (Brasil)

Referência nacional nas vertentes de danças urbanas, balé clássico, jazz e contemporâneo, Juan Chi venceu o Prêmio Açorianos de Dança com seu trabalho de difusão do vogue e na cena queer de Porto Alegre. Já trabalhou com artistas como Bob the Draq Queen, Karol Conka, Mateus Carrilho, Tainá Costa, Lorena Simpson e Pabllo Vittar. Leciona aulas regulares de danças urbanas nas escolas Dept Cult e Infocus Studio de Dança, em São Paulo. Criou o coletivo de arte YRENES, no qual é integrante e performer, além da House of Zion, onde desenvolve seu trabalho com o Voguing.

 

Meech Onomo – hip-hop e house (França)

Michel Onomo, conhecido como Meech, trilhou desde cedo seu caminho na dança, mais especificamente no hip-hop. Ele se especializou em hip-hop e em house dance, tornando-se um especialista no cenário mundial, vencedor de quatro edições do Juste Debout. Desde 2007, vem desenvolvendo seus próprios projetos como coreógrafo. Seus solos foram apresentados na Biennale de la Danse de Lyon, seguido de turnês nos Estados Unidos e Japão.

Pedro Reis – jazz funk e heels (Brasil)

Bailarino, coreógrafo e professor, Pedro Reis trabalha atualmente com o coreógrafo francês Yanis Marshall, conhecido por dançar sobre saltos altos vertiginosos. Além de ter estudado danças urbanas, Pedro dedicou-se também ao balé clássico, jazz dance e contemporâneo. Fez parte do grupo Westside Full, integra o balé do cantor Rodrigo Teaser com o show Tributo ao Rei do Pop (Michael Jackson) e também faz parte do balé do cantor Mateus Carrilho. Participou de clipes de Rafael VIdalles, Daniel Salve, Kefera, ZEK, Marihanna, Aretuza Lovi, Mateus Carrilho e Johnny Hooker. Coreografou o clipe “Mulher Gato”, da cantora Wanessa Camargo, e o evento Miss São Paulo, no qual também foi bailarino. Ano passado, fez parte do balé da cantora/drag Trixie Mattel (RuPaul Drag Race) no The Globe Theatre em Los Angeles.

Sonia Soulshine – Waacking (França) – Primeira vez no Brasil

Dançarina, coreógrafa e professora francesa, Sonia começou a dançar hip-hop em 1998.  Integrou várias companhias profissionais de dança na Europa e também coletivos como “llicit Dance”, “Alpha Division”, “Art of Urban Dance” (Niels “Storm” Robistsky) e “Interpretationzz” (John Agelisas). Depois de dançar com esses grupos predominantemente masculinos, ela começou a dançar Waacking. Imbuída de uma forte técnica do Funkstyle, Sonia pratica Waacking há mais de 20 anos, com muita elegância e feminilidade.

 

Tony Tzar – hip-hop (Estados Unidos) – Primeira vez no Brasil

O talento de Tony Tzar para a dança vem de berço. Sua mãe, apesar de militar das forças aéreas, era breakdancer, e o influenciou bastante. Ainda jovem, modou-se de Washington para Los Angeles com apenas 600 dólares e uma mala de roupas. Ao chegar, ele não tinha onde ficar e morou na rua por um mês. Tony já trabalhou com Britney Spears, Jason Derulo, Alicia Keys, Jessi Malay e Iyaz. E já viajou a trabalho para países como Polônia, Ítália, Reino Unido, África do Sul, Coreia, Taiwan, Japão, Austrália, Nova Zelândia, Singapura, Eslovênia, Suécia, Ucrânia, Suíça, México, Guame e Rússia.

 

PROGRAMAÇÃO DIÁRIA

 

20/06 (Quinta)

Praça

14h – Pedro Reis

15h45 – Meech Onomo

17h30 – Jaja Vankova

19h15 – Cat Cogliandro

Palco Start

14h15 – Sonia Soulshine

16h – Filipi Ursão

17h45 – Dafne Bianchi

19h30 – JP Black

21/06 (Sexta)

 

Praça

11h – Meech Onomo

12h45 – Filipi Ursão

14h15 – Hollywood

16h15 – Diana Matos

Palco Start

11h – André Oliveira DB

12h45 – Pedro Reis

14h15 – Jaja Vankova

16h15 – Sonia Soulshine

Praça

19h – Apresentação de grupos no Showcase

22/06 (Sábado)

Praça

10h – JP Black

11h45 – Dafne Bianchi

13h30 – Meech Onomo

15h15 – Tony Tzar

17h – Diana Matos

18h45 – Hollywood

23h – Festa Rio H2K Dance Party com DJs Bruno X, JP e TAP

Palco Start

10h – André Rockmaster

13h30 – JC Seven

15h15 – André Oliveira DB

17h – Juan Chi

18h45 – Cat Cogliandro

Sala dança

10h – SoulSync com Cat Cogliandro, Gabriel Braga e Pedro Reis

Sala Eletroacústica

16h30 – 17h30 – Credenciamento Sala Eletroacústica

18h – Seletiva Rio H2K Battles

23/06 (Domingo)

Praça

10h – Dafne Bianchi

11h30 – Jaja Vankova

13h – Meech Onomo

18h15 – Tony Tzar + Bolsa Fair Play

Palco Start

10h – Juan Chi

11h45 – JC Seven

13h30 – Pedro Reis

Sala Dança

10h – Hollywood

11h30 – Tony Tzar

13h – Diana Matos

Teatro Câmara

16h30 – Final Rio H2K Battles

 

 

SERVIÇO

Rio H2k – Festival Internacional de Dança

Data: de 20 a 23 de junho

Local: Cidade das Artes Av. das Américas 5300, Barra da Tijuca.

Tel.: 3325 0102.

Bilheteria: de terça a domingo, das 10h às 18h.

Ingressos: www.rioh2k.com.br/ingressos

Passe diário (dá direito a todas as atrações do dia, exceto as aulas dos Intensivos): R$ 180 (meia-entrada) e R$ 360 (inteira) 

Passaporte (pacote para todos de Rio H2k): R$ 300

Intensivos: valores entre R$ 150 e R$ 220

 

Dia 23/5, às 16h30, Teatro de Câmara:

Final RioH2K Battles: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)

 

Dia 22/6, às 23h, Palco Praça:

Festa RioH2k Party com DJs Bruno X, JP e TAP: Entrada franca. 

Anúncios