Mon Mon Cabaret Burlesco

24.05 – “Mon Mon Cabaré Burlesco” estreia no Clube Manouche

Fairy Adams 3 RED - foto divulgaçãoCLUBE MANOUCHE ESTREIA “MON MON CABARÉ BURLESCO”

– 24/05 – sexta, 21h –

O Rio ganha uma noite memorável com a estreia do “Mon Mon Cabaré Burlesco”, que traz o underground para o mainstream com a arte antiga e atemporal, mutante e sem censura do burlesco. A noite nos moldes dos shows de cabaré de Londres, Nova Iorque e Paris apresenta dançarinas exóticas, mágicos, malabaristas, contorcionistas, atiradores de facas, drag e burlesque queens em números que misturam ousadia, burla e participação do público.

Mas o que é cabaré? O que é burlesco?

No dicionário, cabaré é um local com show de variedades noturnas, entretenimento musical e teatral, enquanto os espectadores bebem drinques e degustam pratos. Nasceu no século XIX na França, viajou pela Europa toda até cruzar o Atlântico e chegar aos Estados Unidos e lá a arte do burlesco foi incorporada às apresentações. Além das casas clássicas e tradicionais como Moulin Rouge e Wild Horse, ambas em Paris, há pelo menos uma década vivemos um revival das noites de cabarés com apresentações modernas e empolgantes em Londres e Nova Iorque e o Rio de Janeiro não pode ficar fora desse movimento.

Já o burlesco vem de mais longe, do século XVII na Itália, e deriva da palavra italiana “burla” que significa piada, deboche, zombar. O burlesco é difícil de ser definido em poucas palavras porque é o tipo de coisa que tem ser vivida, estar presente, ver, sentir, escutar, cheirar e degustar para realmente entender, mas em linhas gerais é uma arte performática, como teatro e a dança, que provoca e manda uma mensagem ao público através de performances de strip-tease que evoluiu ao longo dos séculos e hoje estamos no neo-burlesco. O burlesco é uma arte inclusiva, livre de preconceitos que milita pela aceitação de nós do jeito que somos, pela liberdade de expressão e que tudo pode ser belo do seu próprio jeito.

A noite será comandada pelo Mestre de Cerimônias, a drag queen Johnny Pink, com seu humor ácido, visual impactante e língua afiada.

E ainda:

Queen Fairy Adams (foto), nome artístico da bailarina Fernanda Dalveira, professora de ballet clássico há mais de 20 anos que mistura a delicadeza da dança clássica, à brutalidade do rock´n’roll e à sensualidade do burlesco em suas apresentações ora cômicas, ora trágicas, que falam essencialmente do universo feminino. Com seus leques, Fairy Adams brinca com paradoxos e contrastes.

Jo Mystique, nosso boylesque pole dancer, burlesco e dançarino contemporâneo metido a acrobata, é a alterego de Igor de Sá, que neste ano já pisou em palcos como Teatro Cacilda Becker, Teatro Angel Vianna e Teatro Rival. Participou do festival Yes! Nós temos Burlesco ao lado de Fairy Adams, sua maior inspiração burlesca!

Darkcinammon representa a si mesma como uma mulher detentora da própria sexualidade que através da dança move seu corpo para celebrar a vida e o libertar de ser dona de si mesma. Ela não dança para seduzir os outros, mas para fazer vibrar dentro de cada um que a olha a chama que é estar vivo e se sentir vivo pelo movimento do outro, contagiando todos com suas performances e acrobacias.

Luix Equixx, artista circense, domina as artes de pirofagia, malabarismo e é atirador de facas. Conta com a ajuda do público para os seus números.

E nenhum cabaré burlesco é completo sem a assistente de palco, então dêem às boas-vindas à Mavi Gouvea, que vai te cativar com sua elasticidade.

 

Serviço

Show: Mon Mon Cabaret Burlesco

Local: Clube Manouche/Casa Camolese (Rua Jardim Botânico, 983, Jardim Botânico, Tel: 3514-8200)

Data e horário: 24 de maio, sexta, às 21h

Ingressos: R$ 60,00 (inteira), R$ 40,00 (ingresso solidário: com 1 kg de alimento não perecível) e R$ 30,00 (meia) www.eventim.com.br

 

Classificação: 18 anos

Estacionamento no local (tarifado)

Anúncios