Top 5 – Eu Fui 2018

Mais um ano chegando ao fim e é hora de relembrar o que foi interessante no cenário cultural durante o ano. Filmes, peças… Tudo é páreo no nosso ranking anual. Vamos lá?

 

1 – Chacrinha – O Velho Guerreiro1 – Chacrinha – O Velho Guerreiro

Eduardo Sterblitch e Stepan Nercessian interpretam Chacrinha nas diferentes fases de sua vida. Do início da trajetória à consagração do célebre apresentador. O longa mistura fantasia e realidade da vida do Velho Guerreiro. Bons texto e interpretação rendem ao filme nossa medalha de ouro no nosso ranking.Chacrinha

2 – O Abacaxi

Casais românticos são frequentemente retratados em peças de teatro, filmes e novelas. Inclusive com o toque de comédia. Mas Veronica Debom e Marcius Melhem fazem isso e muito mais. Mostram vários casais e todas as possibilidades que um relacionamento pode oferecer.

Abacaxi

3 – Bem Sertanejo

Porém, o que é levado agora ao palco é mais requintado. Cenografia e iluminação bacanas, figurino caprichado e muito bem cantado. Michel manda muito bem e surpreende como cantor, mostrando mais recursos que em seu corriqueiro repertório. Mas o restante do elenco mantém o alto nível musical do espetáculo. As mais de duas horas de espetáculo são tempo suficiente para serem inseridos clássicos sertanejos e os sucessos mais atuais também. Estes são apresentados no segundo ato, que é mais um showzão para levantar a galera.Bem Sertanejo

 

 

 

 

4 – A Melhor Escolha

A Melhor Escolha

O filme tem roteiro adaptado no livro homônimo do escritor Darryl Poniscan. Com direção de Richard Linklater, o longa se passa em 2003 e, ao mesmo tempo que mostra as transformações da tecnologia da época, vemos como evoluiu para agora, 15 anos depois. Sal, deslumbrado com as maravilhas de um telefone celular, é um grande entusiasta para que os amigos adquiram os seus. Hoje os benefícios desta tecnologia já estão bem mais incorporadas ao nosso dia a dia.

5 – Cinequanon

Cinequanon

“Cinequanon” une um repertório respeitável de filmes indispensáveis para cinéfilos ou aspirantes a. E a maioria não é homenageada de forma tão evidente. “Tempos modernos”, “Psicose”, “O Poderoso Chefão”, “Dogville”, “Matrix”, “Ensaio sobre a cegueira”, “Tudo sobre minha mãe”, entre outros, têm figurinos, cenários, trilhas sonoras e interpretações reproduzidas, mas sob os olhos da Focus. O que não deixa de ser interessante e divertido de se ver.

 

 

Anúncios