Crianças ensinam com filme que os pais não podem violar os direitos das crianças

70 anos de Direitos Humanos e ZERO de consciência Humana. (Herik Wooleefer – CAW)

A Declaração Universal dos Direitos Humanos completa 70 anos no ano que vem em tempos de desafios crescentes, quando o ódio, a discriminação e a violência permanecem vivos, disse a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay.

“Ao final da Segunda Guerra Mundial, a humanidade inteira resolveu promover a dignidade humana em todos os lugares e para sempre. Nesse espírito, as Nações Unidas adotaram a Declaração Universal dos Direitos Humanos como um padrão comum de conquistas para todos os povos e todas as nações”, disse Audrey.

“Hoje, a Declaração Universal chega aos seus 70 anos de existência em um tempo de desafio crescente. O ódio, a discriminação e a violência permanecem vivos”, disse Audrey.

Sete décadas após adoção da carta da ONU sobre os direitos humanos, ela continua sendo desrespeitada e atacada em todo o mundo.


Com certeza, não seria só a agressão física, a mais comum e a mais dolorosa do ponto de vista biológico. Seria ela a mais absurda? Claro que não. Todos os tipos de agressão, seja qual for, vem com danos ao indivíduo, e, quando se trata de crianças, aí o problema se agrava.
Convencer os pais de que palmadas não são necessárias na educação dá muito trabalho. Geralmente, os pais foram criados com palmadas, e essa é a única forma de poder que conhecem.
Na maioria dos casos, o agressor é parente, vizinho ou conhecido. Vale a pena ressaltar que as relações de vizinhança nas comunidades mais carentes são muito próximas, pois muitas vezes é com esses vizinhos que as mães deixam seus filhos quando vão trabalhar.
Somente com o amor que se educa.
Art. 4º É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.

Realização
CAW – Cooperativa de Atores Wooleefer
CAW – Cooperativa de Atores Wooleefer – Desde 2005 Artistas e profissionais de baixa renda e de comunidades,  podem se qualificar com cursos gratuitamente, facilitando a inserção no mercado de trabalho através das realizações Teatrais, Audiovisuais, Musicais, Literatura Infantil, Fotográficas, Dança, Canto, Moda e Arte, gerando renda através do encaminhamento para apresentações e participações remuneradas, além da frequente ação Social, Cultural e Ambiental voluntária e Humanitária que todos precisam participar para que possam fazer os cursos, nossa moeda de troca, eles contribuem com suas habilidades para as Instituições parceiros como Hospitais, Orfanatos, Casa de Repouso para Idosos e oferecemos todo trabalho de qualificação e encaminhamento para o mercado de trabalho, beneficiando-os e contribuindo com sua qualificação Humanizada e inserindo os Artistas iniciantes no mercado de trabalho.  São 1550 crianças, jovens e idosos beneficiados mensalmente com atendimento artístico gratuito.
Anúncios