Estrela do balé argentino e primeira bailarina do Theatro Municipal apresentam o balé Giselle com bailarinos da BEMO-TMRJ dias 14,15,16,20,21/ dez

O primeiro bailarino do Teatro Colón da Argentina, Federico Fernández, a primeira bailarina do Theatro Municipal, Claudia Motta, e o Ballet da Escola Maria Olenewa do Theatro Municipal, o BEMO-TMRJ, apresentam o clássico do balé romântico Giselle nos dias 14,15,16,20 e 21 de dezembro no Theatro Municipal. O espetáculo tem direção artística de Jorge Teixeira e direção geral de Helio Bejani.

 

“Claudia Motta e Federico Fernández já fizeram par em Giselle várias vezes e essa relação transparece no palco tornando o espetáculo ainda mais belo. Com a vinda de Federico, estamos dando oportunidade aos jovens bailarinos da BEMO-TMRJ de conhecerem a dinâmica de outro país latino. Em setembro, trouxemos o brasileiro Gustavo Carvalho, primeiro-bailarino do Balé Nacional Sodre do Uruguai”, explica o consagrado bailarino e coreógrafo, Helio Bejani, diretor da Companhia Jovem da Escola de Dança Maria Olenewa EDMO, juntamente com Jorge Teixeira.

A Companhia foi criada em abril de 2018para dar oportunidade de uma experiência profissional aos alunos oriundos da Escola de Dança Maria Olenewa a mais antiga escola de dança do país, criada em 1927. Na escola, os alunos estudam por nove anos com apoio do Estado e dos pais. “Na BEMO-TMRJ, eles vivem a experiência de ingressar em uma companhia profissional e ter certeza que é o que desejam como carreira. Quem assiste às apresentações,  apoia a Escola de Dança e o fortalecimento de um novo mercado profissional para jovens”, completa Bejani.

Claudia Mota revezará o papel-título com Danielle Marinho e o argentino Federico Fernández revezará com Alyson Trindade.

 

HISTÓRIA DA ESCOLA DE DANÇA – Foi criada em 1927 pela bailarina russa Maria Olenewa (1896-1965) que veio ao Brasil em turnê como integrante das companhias de Ana Pavlova e Leonide Massine, em 1918 e 1921. Entre 1922 e 1924 foi professora e diretora da Escola de Dança do Teatro Colón de Buenos Aires. Em 1926 se estabeleceu no Rio de Janeiro, onde iniciou importante trabalho pedagógico. Com o apoio de Mário Nunes, crítico teatral do Jornal do Brasil, Olenewa apresentou ao governo a proposta de criação de uma escola de formação de bailarinos visando a organização de um corpo de baile para atuar nas temporadas líricas, evitando a constante contratação de profissionais no exterior. A aula inaugural realizou-se em 11 de abril de 1927. Em 19 de novembro a escola realizou seu primeiro espetáculo com o balé Les Sylphides e Divertissements.

HISTÓRIA DO BALÉ GISELLE – Giselle é um balé romântico em dois atos, narra a história de um amor que transcende a vida e a morte e é um dos mais tradicionais do repertório clássico da dança. Inicialmente interpretado pela Ópera Nacional de Paris em 1840, sua coreografia exige muito empenho e rigor técnico das bailarinas que se apresentam com o tutu romântico, as saias longas. Na história, a plebeia Giselle sofre por amor ao descobrir que seu amado, Albrecht, é um nobre disfarçado de camponês e deve se casar com uma moça nobre. Desiludida, ela morre ao confirmar a notícia. No segundo ato, o amor eterno de Giselle por Albrecht, que vem a noite visitar seu túmulo, o salva das “Willis”, fantasmas de garotas noivas que morreram antes do dia do seu casamento. Sempre que um homem se aproxima, elas obrigam-no a dançar até a morte. Giselle dança no lugar de Albrecht e, dessa forma, quebra o encanto das “Willis”.

Ficha técnica:

Giselle: Claudia Mota (primeira bailarina BTMRJ) ou Danielle Marinho (BEMO-TMRJ)

Conde Albrecht: Federico Fernández (primeiro bailarino do Teatro Colón – Argentina) ou Alyson Trindade (BEMO-TMRJ)

Myrtha, Rainha das Willis: Deborah Ribeiro (primeira solista BTMRJ) ou Olívia Zucarino

Coreografia: Marius Petipa d’après Jean Coralle e Jules Perrot

Direção artística, remontagem e adaptação: Jorge Texeira

Direção geral e mise-en-scène: Hélio Bejani

O Theatro Municipal é vinculado à Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro PATROCÍNIO OURO PETROBRAS

Apoio: Livraria da Travessa, SulAmérica Paradiso e rádio Band News FM

Realização: Theatro Municipal e Associação dos Amigos do Teatro Municipal

 

DATAS E HORÁRIOS

Dias 14, 15, 20 e 21 de dezembro, às 19h30;

Dia 16 de dezembro, às 17h

INGRESSOS

Frisas, camarotes, plateia e balcão nobre: R$ 50,00

Balcão superior: R$ 30,00

Balcão superior lateral: R$ 20,00

Galeria: R$ 10,00

Galeria lateral: R$ 5,00

Ingressos na bilheteria ou no ingressorapido.com

 

LOCAL – Theatro Municipal do Rio de Janeiro – Praça Floriano s/n° – Centro

Lotação – 2.226 lugares

Censura Livre

Duração: 1h30

Assessoria de Comunicação:

BEMO – Lenke Pentagna 99985-2555 ou 98128-5336 (whatsapp)

TMRJ – Márcia Bahia 99913-8758-5336 whatsapp
21 99985-2555
Anúncios