Espetáculo “Lunaris”, de São Paulo, terá única apresentação no Teatro Ipanema

Inspirada na poesia zen-budista de Matsuó Bashô (1644–1694), em LUNARIS a atriz Emilie Sugai cria uma interface de comunicação artística entre a linguagem do corpo e a imagem da lua, com seus mitos, suas fases e sombras que tanto interfere, inspira e ressoa nas sociedades e culturas humanas. Um ensaio poético narrado entre luzes e sombras onde um guerreiro, um pescador e uma anciã são recriados pela intérprete, vagando em torno de um lago, contemplando a lua. A noção de transitoriedade da existência, a natureza integrada à vida do ser humano e o louvor à sombra são os eixos narrativos que ligam o mundo ancestral ao contemporâneo, criando um diálogo cujo idioma é o gesto que recria culturas distintas, que aproxima o oriental do ocidental e todos os semitons entre eles.
Coreógrafa e dançarina butô, Emile Sugai desenvolveu uma linguagem própria e singular, em criações solos e em grupos, coreografias que traduzem suas inquietações artísticas e de vida, geradas pelas influências recebidas de seu mestre Takao Kusuno, introdutor do butô no Brasil (1977), das pesquisas relacionadas às memórias do corpo” e “ancestralidade” e de colaborações com artistas da dança, teatro e cinema.  Com a Cia. Tamanduá de Dança Teatro fundada em 1995 sob direção de Takao Kusuno e Felicia Ogawa participou de diversos festivais internacionais de teatro (Alemanha, Cuba, Japão, Brasil) com os espetáculos “O Olho do Tamanduá” (Troféu Mambembe de Dança/1995) e “Quimera o anjo vai voando”, a última obra de Kusuno. Criou os espetáculos “Tabi”, “Totem”, “Intimidade das Imagens”, “Hagoromo o manto de plumas” e “Lunaris – o mundo que passa”.
 
O espetáculo LUNARIS será apresentado no dia 10 de novembro, sábado, às 20:30h, no Teatro Ipanema, que fica na Rua Prudente de Moraes, 824, como parte da programação do MULTICIDADE – Festival Internacional de Mulheres nas Artes Cênicas. Ingressos a 30 reais. Mais informações em www.multicidade.com