“Acabou o Pó” no Cândido Mendes

Foram quatro temporadas seguidas com sessões lotadas. No Teatro Cândido Mendes, Teatro Miguel Falabella, Imperator e Teatro do Sesi que fizeram a comédia ACABOU O PÓ um dos melhores textos de humor em cartaz nos anos de 2014 e 2015.  

E agora em 2018, retorna aos palcos cariocas com montagem inédita, estreando no dia 09 de novembro, no Teatro Candido Mendes, em Ipanema, ficando em cartaz até 23 de dezembro, sextas e sábados às 20h, e domingo às 19h.

Com texto de Daniel Porto (O Pastor, Cafona sim e Daí? Uma Homenagem, Misericórdia, Lady Christiny, Volúpia da Cegueira), e direção de Daniel Dias da Silva (O Princípio de Arquimedes, Esse Vazio), o espetáculo “Acabou o Pó” promete arrancar boas gargalhadas da plateia.

O texto que teve sua primeira montagem em 2014, parte do princípio da autocrítica para diversão. Com humor que remete ao besteirol dos anos 1980, de comédia ligeira feita para um público urbano, traz o humor como lente de aumento e permite mostrar a humanidade das personagens e fazer uma reflexão crítica sobre os temas em cena retratados.

Sinopse: 

Inspirado em situações cotidianas, a peça, parte da seleção de histórias do dia-a-dia de duas donas de casa do subúrbio carioca, Nena (interpretado por Anderson Cunha) e Kelly (interpretado por Celso André)  que, em meio aos afazeres domésticos, encontram tempo para fofocar.

 

Observar a vida como uma espécie de voyeur é ainda hoje uma das manifestações mais comuns na humanidade e nossas protagonistas, donas de casa, não fogem à regra. São moradoras do subúrbio carioca e entre os afazeres domésticos, o trabalho e os cuidados com os filhos, reservam o seu tempinho para se divertir.

 

SERVIÇO

Texto: Daniel Porto

Direção: Daniel Dias da Silva

Elenco: Anderson Cunha e Celso André

Local: Teatro Candido Mendes – Rua Joana Angélica, 63 Ipanema

Temporada: 09 de novembro a 23 de dezembro 

Dias e horários: sexta e sábado às 20h / domingo às 19h

Valor: R$ 50 (inteira)

Telefone: 21- 2523-3663

Duração: 60 minutos

Gênero: Comédia

Classificação etária: 12 anos

Capacidade: 103 lugares

 

FICHA TÉCNICA

Texto: Daniel Porto

Direção: Daniel Dias da Silva

Elenco: Anderson Cunha e Celso André

Cenários e Figurinos: Karlla de Luca

Visagismo: Max Vitor

Iluminação: Jacqueline Winter

Fotografia e Programação Visual: Janderson Pires

Filmagem: Pardal Filmes

Costureira: Maria Helena

Cenotécnico: Emphorium Carioca

Assessoria de Imprensa: Gabriela Mota

Assistente de Produção: Márcia Braga e Caroline Ferreira

Direção de Produção: Daniel Porto

Realização: Porto Produções

 

Sobre o autor Daniel Porto:

 

É formado em História pela UFF. Como autor, começou a carreira com a bênção de Bárbara Heliodora, cuja última crítica da teatróloga falou positivamente sobre o trabalho de estreia do dramaturgo: O Pastor (2013) com direção de Carina Casuscelli, ficou como O Globo Indica e lhe rendeu uma indicação a melhor autor no Prêmio Botequim Cultural daquele ano. Em 2018 estreou três comédias: Cafona sim e Daí? Uma Homenagem (2018) com direção de Alexandre Lino, em celebração aos 95 anos do mestre Sérgio Britto, que teve boa aceitação de crítica e público. Misericórdia (2018) protagonizado pela atriz Cacau Protásio com direção de Zéu Brito. E a remontagem do texto Acabou o Pó (2014/2018) com direção de Daniel Dias da Silva. Entre seus últimos trabalhos estão: Lady Christiny com direção de Maria Maya (2016) que ficou entre as cinco melhores peças em cartaz do Rio de Janeiro e recebeu quatro estrelas da revista Veja, Volúpia da Cegueira (2016) com direção de Alexandre Lino com boa crítica e público.