Sururu na Roda+

Um dos mais renomados grupos de samba do Brasil está em ritmo de comemoração. O Sururu na Roda completa sua maioridade em grande estilo em outubro e volta a apresentar o projeto Sururu na Roda+, em que convida dois grandes artistas para recriar a formação original de quarteto. Para celebrar os 18 anos, o grupo fará um grande show no dia 26 de outubro, às 21h30, no Teatro Solar de Botafogo. E o clima de festa não para por aí, o grupo já está em processo de produção de um novo trabalho, que deve ser lançado no início de 2019.

Fundado por Fabiano Salek e Sílvio Carvalho, o Sururu na Roda+conta agora com a cantora Ana Costa e o cavaquinista Alceu Maia como integrantes desse timaço do samba. “Sempre tivemos muito carinho e admiração pela Ana e nos visitamos várias vezes ao longo de nossas trajetórias, uma das principais cantoras e compositoras da nossa geração. O Alceu Maia é uma grande referência para todos no mundo do samba e sempre esteve muito próximo do Sururu. Além de ter substituído a Nilze Carvalho inúmeras vezes em nossos shows, assinou a direção musical do nosso primeiro DVD, que nos rendeu o Prêmio da Música Brasileira como melhor grupo de samba. O legal é que agora temos um combo da melhor qualidade para oferecer, Sururu + Ana + Alceu, três artistas juntos criando uma nova sonoridade para o Sururu”, comemora Salek.

Eleito o melhor grupo de Samba em 2014 no Prêmio da Música Brasileira, o Sururu  começou sua carreira nos anos 2000, destacando-se entre os grupos responsáveis pela revitalização da Lapa carioca. De lá para cá, o grupo colecionou apresentações em cenários nacionais e internacionais ao lado de ícones da MPB, como Chico Buarque, Monarco, Zeca Pagodinho e Dona Ivone Lara, entre outros.

– Todos somos compositores e até hoje não havíamos dedicado nenhum trabalho exclusivo para músicas inéditas, embora tenhamos gravado algumas em nossos trabalhos anteriores. Esse é o movimento atual do samba, momento de renovação, que tem sido experimentado e colocado em prática por todos os artistas neste momento. Amamos os clássicos e nunca deixaremos de tocá-los e dizemos isso em nossa nova composição chamada Encontro Perfeito, composta especialmente para homenagear nosso momento atual e o encontro dessa formação: “samba é patrimônio da cultura popular, seja antigo ou seja novo, é samba pra gente cantar”. Estamos muito felizes e prepararemos o novo disco com muito carinho. Estará prontinho logo no início do próximo ano – completa Silvio.

No repertório do show do dia 26 estão sucessos do grupo e músicas novas, além de clássicos do samba. Na abertura, “Sururu formado”, “Tô voltando”, “Isso aqui zo que é?” e “Ainda é tempo para ser feliz”. Na sequência, canções do primeiro disco, como “Cansado de sambar”, “Na cadência” e “Brasil pandeiro”; e do segundo: “A Rita”, “Samba do grande amor”, “Homenagem ao malandro” e “Feijoada completa”. O terceiro disco do quarteto também estará representado no show, com “Errei”, Momento de agradecer” e “Aquele Samba e meu”. “Se você me ouvisse, “A flor e o espinho”, “Minha festa” e Folhas secas”, do quarto trabalho, antecedem “Ainda posso ser feliz”, “O ouro e a madeira”, “Quitandeiro”, “O sorte” e “Olhos coloridos”, registrados no primeiro DVD gravado pelo grupo. O segundo DVD eles vão interpretar: “Aquarela voz do Morro”, “Trem das onze”, “Retalhos de cetim” e um “pout-porri  Caymmi”. Dentre as músicas novas estão “Encontro perfeito”, “Doce problema”, “Dor de saudade”, “Teu sol” e “A tristeza chora”.

Sobre Ana Costa

Ana Costa, cantora, compositora e violonista, consolidou sua carreira solo em 2006 com o lançamento do CD Meu Carnaval (Zambo). O ano rendeu bons frutos à artista, que foi eleita Revelação no 5º Prêmio Rival Petrobras de Música e foi considerada “um dos talentos de 2006”, por Antonio Carlos Miguel (O Globo). Construindo uma trajetória de sucesso, a artista vem acumulando trabalhos de destaque em sua carreira, desde então como a participação como cantora da música-tema “Viva Essa Energia” dos jogos Pan-americanos 2007, junto com Arnaldo Antunes, e a indicação como melhor cantora de samba na 5ª edição do Prêmio TIM de Música (atual prêmio da música).

Ana Costa lançou seu segundo CD em 2009 (Biscoito Fino) intitulado Novos Alvos, e emplacou a música “Almas Gêmeas” na novela Tempos Modernos da Rede Globo.
Em 2011, Ana Costa gravou no CD Disney Adventures in Samba ao lado de nomes consagrados do samba, além do CD de seu padrinho musical Martinho da Vila, em homenagem aos 100 anos de Noel Rosa.

Atualmente está em fase de lançamento do terceiro álbum da carreira,Hoje é o Melhor Lugar (Biscoito Fino). E desde 2017 no projeto Sururu na Roda+, Ana Costa e Alceu Maia se juntam aos rapazes do Sururu para resgatar a formação original do grupo de quarteto, adicionando um tempero especial a esse caldo.

Sobre Alceu Maia

Em 1975 começou a atuar em estúdios de gravações. Participou de inúmeros discos, acompanhando Clara Nunes, Roberto Ribeiro, Simone, Chico Buarque, João Bosco, Elizeth Cardoso, Cartola, Nélson Gonçalves, Bezerra da Silva, Elba Ramalho, Toquinho e Paulinho da Viola, e nomes internacionais, como Dionne Warwick, Chet Baker, Lizzy Mercier Descloux.

Como produtor de discos, foi responsável pelo sucesso de “Voa, canarinho voa”, na voz do cantor/jogador Júnior. Foi produtor dos discos das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro e do cantor japonês Takeru Morimoto, que gravou um disco em homenagem à Mangueira.Em 1987, Leci Brandão interpretou no disco “Dignidade”, pela gravadora Copacabana, “Talento de verdade”, parceria de ambos e, no disco “Cidadã brasileira”, a cantora incluiu “Fogo no ar” (Alceu Maia e Jorge Aragão).

Como compositor, tem mais de cem músicas gravadas por diversos artistas como Alcione, Emílio Santiago, Demônios da Garoa, Jair Rodrigues, Leci Brandão, Chico da Silva, Mestre Marçal, Agepê e Luiz Américo. Entre seus parceiros, destacam-se Martinho da Vila, Sarah Benchimol, Jorge Aragão, Délcio Carvalho, Claudia Telles, Toninho Nascimento, Franco e Zé Catimba.

Como solista de cavaquinho, gravou pela Top Tape um disco e, pela Sony Music, o LP “Alceu Maia – Brasil chorinho volume 1”, pela série Academia Brasileira de Música. Atuou também como cantor no LP “O mundo é verde e amarelo”, de Luiz Airão, como vocalista em vários discos e como solista em diversos jingles.E desde 2017 No projeto Sururu na Roda+, Ana Costa e Alceu Maia se juntam aos rapazes do Sururu para resgatarem a formação original do grupo de quarteto, adicionando um tempero especial a esse caldo.

Sobre o Sururu na Roda

Fundado em 2000, o Sururu na Roda foi considerado um dos responsáveis pela revitalização da Lapa, no Rio de Janeiro. No disco de estreia, em 2001, o grupo apresenta um retrato fiel de sua sonoridade influenciada por grupos vocais como Bando da Lua. Em 2004, lança o disco homônimo Sururu na Roda com produção de Ruy Quaresma e participação de Chico Buarque de Hollanda.

Em 2005, o grupo exportou todo seu conhecimento teórico e suas vivências do mundo do samba, apresentando-se em shows e ministrando workshops sobre o tema nos Estados Unidos. Já em 2008, o grupo lançou seu terceiro CD, Que Samba Bom Ao Vivo, com participação de Zeca Pagodinho.

Em 2011, o Sururu na Roda lançou o disco Se Você Me Ouvisse – 100 Anos de Nelson Cavaquinho, em homenagem ao centenário do eterno sambista. O projeto Sururu na Roda Ao Vivo rendeu ao grupo o Prêmio da Música Brasileira como Melhor Grupo de Samba em 2014 e contou com participações especiais de Diogo Nogueira, Péricles, Monarco e Dona Ivone Lara. Em 2016, o grupo lançou o trabalho mais recente: o CD e DVD, Made in Japan (Biscoito Fino), resultado da turnê de 22 shows em 20 cidades do Japão, assistido por 30 mil pessoas.

Ao longo de sua trajetória o grupo representou a música brasileira em eventos promovidos pelas embaixadas brasileiras em países como Argentina, Belize, Costa Rica, Guatemala, Tunísia, Vietnam, Taiwan, Estados Unidos e Japão, onde realizou, em 2014, uma turnê de 22 shows em 20 cidades japonesas e agora no ano de 2017 mais quatro shows, lotando o Blue Note de Tóquio em duas sessões seguidas.

SERVIÇO:

Show Sururu na Roda

Dia 26 de outubro de 2018

Horário: 21h30 (Abertura da casa 21h)

Local: Teatro Solar de Botafogo

Endereço: Rua General Polidoro, nº 180 – Botafogo – Rio de Janeiro

Ingressos: R$40 (R$20 meia)

Venda antecipada: https://www.tudus.com.br/evento/solar-de-botafogo-sururu-na-roda e na Bilheteria do teatro.