A artista Cristina de Pádula abre exposição no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica

No dia 27 de outubro, sábado, às 15h, a artista visual Cristina de Pádula vai abrir a exposição “Onde, agora?”, com curadoria de Natália Quinderé, no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Ocupando três salas do segundo andar do CAMHO, a mostra apresenta fotografias, objetos, vídeo, instalação e um site specific.

A artista desenvolve seu trabalho com cerca de 700 quilos de parafina pigmentada de óxido de ferro negro desde 1995. Os 700 quilos de parafina são reutilizados, construindo e destruindo, construindo novamente trabalhos múltiplos e distintos para que possa fazer de novo e de novo – sempre com a mesma matéria.

“O título da exposição foi retirado de uma série com 34 imagens de trabalhos meus que foram destruídos entre 1995 e 2018. Nestas fotografias, vemos a data de nascimento e destruição de cada trabalho, como uma obra que testemunha a presença do que não é possível mais ser visto”, explica a artista.

O trabalho exposto na sala central se relaciona com a obra do artista Richard Serra em exposição permanente no CAMHO. Com o título ‘Fronteiras de espaço-tempo: homenagem a Richard Serra’ (2018), se forja um diálogo entre matérias negras. No teto a obra de Serra e abaixo nos 700 quilos da parafina negra em fragmentos de trabalhos destruídos, o público ainda encontra a pergunta: você quer a praça sem ruídos e tremores?

Na instalação ‘Palimpsesto’ (2018), Cristina se apropria de um texto de sua autoria para criar nas paredes da galeria uma escrita fragmentada e efêmera. A artista, durante todo o período da exposição, repetirá o gesto de escrever e apagar seus escritos da parede da galeria.

A exposição ainda conta com o vídeo ‘Desenhos’ (2015) e a obra ‘Desenhos’ (2017). Estes trabalhos possuem uma relação direta. No vídeo, Cristina de Pádula realiza uma ação repetida de saturação de papéis com o bastão de parafina negra. No objeto, é possível ver uma mapoteca com setecentos desenhos dispostos desordenadamente por dentro e por fora do objeto.

É válido ressaltar que todos os trabalhos, sejam em desenho, fotografia, vídeo, instalação e ou site-specific giram em torno da mesma matéria negra de parafina que vem sendo reutilizada desde 1995.

Sobre a artista

Cristina de Pádula, Rio de Janeiro, 1972.

Artista visual. Atualmente é Doutoranda em Linguagens Visuais pelo Programa de Pós Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Desde 1995, trabalha produzindo instalações, desenhos, fotografias e vídeos a partir de uma mesma matéria de parafina negra. Participa de exposições coletivas, salões de arte e exposições individuais desde 1994. Em 2013 participou de uma residência artística em Munique na galeria Gedok. Este ano, realizou exposição individual no Paço Imperial.

Serviço:

Exposição “Onde, agora?”, de Cristina de Pádula

Curadoria: Natália Quinderé

Abertura: 27 de outubro de 2018, sábado, às 15h.

Exposição: de 28 de outubro a 23 de novembro de 2018.

Local: Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica

Rua Luís de Camões, 68 – Praça Tiradentes – Centro.

Classificação indicativa: livre

Anúncios