“ClímaX” no Teatro Jaraguá

“ClímaX!” é uma comédia onde diferentes histórias se encaixam como se fosse um quebra-cabeça, deixando ao público decidir onde colocar cada peça.

O espetáculo está em sua 7ª temporada na Espanha e já foi vista por mais de 130 mil espectadores. A peça já teve montagens em outros países como Argentina e Peru, e chega a São Paulo no próximo dia 2 de novembro, em temporada no teatro Jaraguá. O texto de Alejandro Melero terá, no Brasil, a direção de Rafael Salmona com Bianca Almeida, Ferruccio Cornacchia, Carol Góes e Bruno Ferian no elenco.

Quatro atores interpretam vários personagens em seis diferentes contos, resultando numa soma de diversos ”clímax”, entregando aos espectadores diferentes emoções: amor não correspondido, solidão, medo, luxúria, desespero, angústia, mas claro, com muito bom humor que envolve todo o espetáculo.

O clímax é a parte mais importante de uma história que é geralmente encontrado no meio dela, mas também pode ocorrer no final. Nesta peça, encontraremos diversos ‘‘climax’’ através de uma mistura de gêneros e vicissitudes que representam seus protagonistas.

A peça estreou em 2013 em Madri, e consiste em pequenas histórias de amor e ódio entre homens e mulheres de qualquer orientação sexual, misturando temas como a inveja, a solidão ou amor não correspondido, que compõem um todo conectado como num quebra-cabeça.

“Clímax! é uma comédia que reúne vários contos, todos com um ponto comum que é melhor não revelar. Os quatro atores interpretam vários personagens e mudam de registros com rapidez. Razões para assistir? Reserve um tempo para dar boas risadas e depois levar para casa ideias a questionar”, fala o autor Alejandro Melero sobre o espetáculo.

SERVIÇO

CLÍMAX!

Autor: Alejandro Melero

Direção: Rafael Salmona

Elenco: Bianca Almeida, Ferruccio Cornacchia, Carol Góes e Bruno Ferian

Temporada: de 02 de novembro a 09 de dezembro

Sessões: sextas às 21h30, sábados às 21h e domingos às 19h.

Duração: 80 minutos

Recomendação: 14 anos

Gênero: comédia

Ingressos: R$ 60,00 (inteira) R$ 30,00 (meia)

Horários da Bilheteria: Terças: das 16h às 19h

Quarta e Quinta: das 16h às 21h

Sexta: das 16h às 21h30

Sábado: das 14h às 21h

Domingo: das 14h às 19h

(Horário sujeito à alteração conforme a programação do teatro)

Pela internet: www.ingressorapido.com.br

Teatro Jaraguá

Rua Martins Fontes, 71

Bela Vista – São Paulo

Informações: (11) 3255.4380 | 2802.7075

Ficha Técnica

Autor: Alejandro Melero

Direção: Rafael Salmona

Elenco: Bianca Almeida, Ferruccio Cornacchia, Carol Góes e Bruno Ferian

Cenografia: Gustavo Libanori

Figurino: Priscila Soares

Iluminação: Rodrigo Lopes

Tradução: Vitor Coldibelli

Fotografia: Italo Iago

Realização: Mercúrio Produções

 

Sobre o Diretor

Rafael Salmona é formado em publicidade e propaganda e em artes dramáticas pelo Nu Espaço, no Rio de Janeiro, onde fez residência por 3 anos.Com vasta experiência em produção cultural, em Brasília fundou a companhia de Teatro Dois tempos, onde permaneceu a frente durante quatro anos (de 2009 a 2013). Nesse período montou, atuou e produziu os espetáculos “Bang Bang você morreu” do autor norte americano William Mastrosimone, e as produções autorais “Então é natal”, “Amatores em cena”, “Amatores a comédia” com direção de Abaetê Queiroz e “Toda brincadeira tem hora para acabar” direção de Áurea Liz, onde assina o texto. O projeto foi premiado como melhor projeto atibullying do país pelo Senado Federal em 2012. Fundou em Brasília em 2014 a produtora Desvio Produções culturais e chegou a produzir mais de 15 produções entre elas as produções nacionais dos espetáculos “Canastrões” com Gracindo Jr, e “Homens, santos e desertores” com Ricardo Blat. No mesmo período dirigiu o espetáculo “Carinho” adaptação da obra do autor catalão Sergi Belbel. Logo em seguida escreveu e dirigiu o espetáculo “Proibido Amar”. Recebeu o convite em 2015 para dirigir o espetáculo “Música para cortar os pulsos”, texto premiado do autor paulista Rafael Gomes. Com direção de Abaetê Queiroz estreou espetáculo “Depois desse dia feliz” texto de Alexandre Ribondi, a peça marcou a volta do autor e diretor Ribondi aos palcos brasilienses. Em São Paulo, reestreou a peça “Proibido Amar” e lançou o livro do espetáculo pela editora Giostri, com novo elenco e ganhou o prêmio CENYM 2016 em 3 categorias – Melhor Texto original, Melhor qualidade artística e melhor cartaz e fotografia de publicidade. Em cerimônia realizada em novembro ganhou o prêmio em todas as categorias indicadas. Dirigiu em 2017 em São Paulo os espetáculos ‘‘Ocupação Nós’’, ‘‘Virilhas’’ e o mais recente ‘‘Arrais Amador’’ no inicio de 2018.