Centro Cultural Banco do Brasil promove Ciclo de Leituras Dramatizadas do Seleção Brasil em Cena

Promovido pelo Centro Cultural Banco do Brasil, o concurso nacional de dramaturgia Seleção Brasil em Cena promove de 22 de setembro a 7 de outubro leituras dramatizadas dos 12 autores finalistas, no CCBB Rio de Janeiro. A entrada é franca, com distribuição de senha uma hora antes. O projeto tem como principal objetivo fomentar a criação de obras teatrais inéditas por meio de novos dramaturgos.

As leituras dramatizadas serão realizadas com alunos da CAL – Casa de Artes Laranjeiras, Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Penna, PUC-RIO e UNIRIO sob a direção de profissionais do mercado de artes cênicas: Miwa Yanagizawa (dias 22 e 23 de setembro), Viniciús Arneiro (dias 29 e 30 de setembro) e Rodrigo Portella (dias 6 e 7 de outubro). Durante as leituras, o público e os diretores irão votar no texto de sua escolha. O grande vencedor será revelado no dia 8 de outubro, no site do Seleção Brasil em Cena. A montagem receberá patrocínio do Banco do Brasil e terá uma temporada no CCBB Rio, em 2019.

Em sua oitava edição, o projeto recebeu 418 textos de 17 estados e do Distrito Federal. O site oficial é: http://www.selecaobrasilemcena.com.br. Os 12 finalistas selecionados são de três estados (um do Paraná, quatro de São Paulo e seis do Rio de Janeiro).

Os inscritos foram avaliados por uma comissão formada por profissionais da área de artes cênicas. O júri só conheceu os nomes dos autores após a escolha dos 12

finalistas. Os jurados são: Beatriz Radunsky (jornalista, curadora, gestora cultural e idealizadora de projetos culturais), Carlos Chapéu (artista plástico e promotor cultural), Daniel Schenker (jornalista, professor, crítico e membro do júri de diversos prêmios) e Sérgio Coelho Pinheiro (ator, autor e diretor teatral, promotor cultural e produtor).

“É um orgulho patrocinar mais uma edição deste projeto que desde sua criação, em 2006, vem contribuindo para a formação tanto do público quanto de novos artistas. Esse projeto foi criado com o intuito de fomentar não só a nova dramaturgia, mas também a formação de profissionais na área das Artes Cênicas, e acreditamos que estamos cumprindo este papel”, diz Marcelo Fernandes, Gerente Geral do CCBB.

Desde sua criação em 2006, o Seleção Brasil em Cena já recebeu mais de 2018 textos de autores de todo o Brasil. As leituras dramatizadas foram dirigidas por expressivos nomes do teatro brasileiro contemporâneo: Paulo de Moraes, Stella Miranda, Gilberto Gawronski, Guilherme Leme Garcia, Cesar Augusto, Marco André Nunes, entre outros. Ao longo de sete edições, o projeto contou com mais de 350 atores indicados por escolas de teatro durante as leituras e as encenações dos textos vencedores.

“No momento em o país vive todas as dificuldades que estamos vendo, sobretudo na área de cultura, um projeto de fomento à nova dramaturgia tem uma importância enorme. É uma oportunidade para que novos dramaturgos sejam inseridos no mercado de trabalho, porque premia com a montagem o melhor texto. Esse para mim é um dos projetos mais importantes da atualidade no país”, acredita Sérgio Saboya, idealizador do Seleção Brasil em Cena.

Os vencedores das edições anteriores – A peça “A tragédia de Ismene”, uma moderna tragédia grega escrita por Pedro de Senna (1ª edição), ganhou uma encenação dirigida por Moacir Chaves. “É samba na veia, é Candeia”, de Eduardo Riecche (2ª edição), foi indicado ao Prêmio Shell 2009 na categoria “melhor texto” e agraciado com o prêmio de “melhor direção musical”. Em 2011, “Tempo de solidão”, de Márcia Zanellatto (3ª edição) foi eleito um dos dez melhores do ano pelo jornal “O Globo”. Em 2012, “Não me diga adeus”, de Juliano Marciano (4ª edição) foi indicado ao Prêmio Shell de “melhor direção musical”.

Na 5ª edição, o concurso passou a incluir apresentações no CCBB Brasília. “Arresolvido” (etapa Rio), de Ronaldo Ventura, que cumpriu uma segunda temporada no Teatro Gláucio Gill; e “Sexton” (etapa Brasília), de Helena Machado e Juliana Shimitz, que foi convidado para participar do Festival Internacional Cena Contemporânea, em Brasília. “Camélia”, de Ronaldo Ventura e “Casarão ao vento”, de Francisco Alves foram os vencedores da 6ª edição.

Na 7ª edição (2015/2016), o Seleção Brasil em Cena premiou três textos. “A Tropa”, de Gustavo Pinheiro, foi montada no CCBB Rio. “Princípios transgredíveis para amores precários”, de Thales Paradela, foi encenada no CCBB BH e o infantojuvenil “Um caminho para Sara”, também de Paradela, fez uma temporada no CCBB Brasília.

Seleção Brasil em Cena em números

Ano de criação: 2006

Número de edições: 7

Espetáculos premiados com montagem (Rio, Brasília e Belo Horizonte): 11

Público (leituras, oficinas e espetáculos no Rio, Brasília e Belo Horizonte): 29 mil

Textos inscritos: 2018

Textos finalistas: 84

Leituras Dramatizadas (Rio, Brasília e Belo Horizonte): 132

Diretores: 31

Estudantes de teatro: 427

Oficinas de dramaturgia: 24

Dramaturgos ministrantes: 6

Cidades onde foram ministradas as oficinas: 23

Participantes das oficinas: 450

SERVIÇO – PROGRAMAÇÃO CCBB RIO

Local: Centro Cultural Banco do Brasil (Rua Primeiro de Março, 66 – Centro)

Informações: (21) 3808-2020.

Entrada franca. Distribuição de senhas uma hora antes.

Dia 22/09 (sábado)

Teatro I – Capacidade: 172 lugares.

18h – Hecatombe-Bumbá, de Lucas Komechen. Direção de Miwa Yanagizawa. Classificação etária: 14 anos.

20h – Mulheres do Espelho, de Ed Anderson. Direção de Miwa Yanagizawa. Classificação etária: 12 anos.

Dia 23/09 (domingo)

Teatro I – Capacidade: 172 lugares.

18h – A Sereia de Paquetá, de Alexandre Mota Direção de Miwa Yanagizawa. Classificação etária: livre.

20h – Sexo entre Homens no Século XXI, de Rogério Corrêa. Direção de Miwa Yanagizawa. Classificação etária: 18 anos.

Dia 29/09 (sábado)

Teatro I – Capacidade: 172 lugares.

18h – A Pomba do Papa, de Rodrigo de Vasconcellos. Direção de Viniciús Arneiro. Classificação etária: 16 anos.

20h – Solo, de Fabrício Branco. Direção de Viniciús Arneiro. Classificação etária: livre

Dia 30/09 (domingo)

Teatro I – Capacidade: 172 lugares.

18h – O Botão de Certas Flores, de Lucas Komechen. Direção de Viniciús Arneiro. Classificação etária: 16 anos.

20h – As Mulheres Perderam a Guerra, de Lucienne Guedes Fahrer. Direção de Viniciús Arneiro. Classificação etária: 14 anos.

Dia 06/10 (sábado)

Teatro I – Capacidade: 172 lugares.

18h – Florbela, de Regina Helena de Paiva Ramos. Direção de Rodrigo Portella. Classificação etária: livre.

20h – Vendaval, de Lucienne Guedes Fahrer. Direção de Rodrigo Portella. Classificação etária: 14 anos.

Dia 07/10 (domingo)

Teatro I – Capacidade: 172 lugares.

18h – Suindara, de Gilvan Balbino. Direção de Rodrigo Portella. Classificação etária: 14 anos.

20h – Final Feliz em Nova York, de Marcio Azevedo e Léo Nolasco. Direção de Rodrigo Portella. Classificação etária: 18 anos.