Crô em Família – Eu Fui!

Marcelo Serrado conseguiu a façanha que alguns outros poucos atores conseguem: fazer seu personagem fazer tanto sucesso que chega a transcender o limite das telinhas. Crô surgiu na novela “Fina Estampa”, em 2012, e já no ano seguinte pintou nas telonas em busca de uma nova musa a quem devotar sua atenção.

Cinco anos depois, Crô segue podre de rico, porém solitário. Tristonho após um divórcio, é procurado por uma família que alega ter parentesco com ele. O fato gera desconfiança – e treta – para os amigos mais próximos. Mas também mexe com a carência do personagem, que acolhe todos em sua mansão.

O elenco é composto por nomes como Tonico Pereira e Arlete Salles nos papéis dos supostos pais de Crô. No núcleo dos amigos, Jefferson Schroeder (aquele que memetizou esse ano com o vídeo postado por Fábio Porchat, em que imita vozes de dublagens brasileiras para vídeos americanos) é destaque, com um trabalho de voz feminina perfeita.

As participações especiais são ilustres e muitas, como David Brazil, Pabblo Vittar, Preta Gil, entre muitos outros. Marcelo Serrado mantém a regularidade do personagem debochado, porém dócil. Um pouco mais afetado, talvez, mas não sei se foi impressão minha pelo tempo que não via o personagem. O texto não economiza no dialeto gay, com comparações como “Vou fazer a Angélica e ir de táxi” durante todo o filme. A estreia acontece em 6 de setembro.

P.S.: Agradeço à Liège Monteiro Assessoria pelo convite!