CCJF – 1º a 6 de maio

A Mulher Invisível – Um olhar sobre o trabalho doméstico / bate-papo

Qual mulher nunca se viu diante do dilema entre elaborar algo ou limpar a casa? Segundo uma pesquisa do IPEA com a ONU, mulheres trabalham em média 7,5 horas por semana a mais que os homens. E grande parte desta carga horária se deve aos afazeres domésticos. Carga mental, limites entre público e privado e invisibilidade do trabalho doméstico serão os assuntos abordados nesta mesa com a presença de Manuela Leite, artista da exposição Prisão Domiciliar, em cartaz no CCJF. O bate papo ainda contará com a participação da jornalista Camilla Pontes, da cineasta Karina de Abreu, já a mediação fica por conta de Bárbara Garcia Mendes.

Dia 03
Quinta
19h
Entrada franca
Vagas limitadas
Sala de Leitura do 2º andar

Teatro

Nascituros / peça

A história de um casal homoafetivo que é forçado a se separar após um incidente. Dez anos depois, um deles escreve uma peça teatral sobre o seu passado a fim de expurgar suas aflições. Contudo, o outro reaparece em sua vida na tentativa de impedir a ocorrência do espetáculo, pois a relação entre eles contém segredos que podem acarretar ainda mais problemas. A trama propõe uma nova leitura a respeito de preconceitos, direitos e escolhas.
Texto: John Marcatto. Direção: Victor Fontoura

Até 06/05
Sexta a domingo
19h
R$ 30 e R$ 15 (meia)
70 min
Teatro
Classificação indicativa: 14 anos

Cururu, o sapo jururu / peça

O sapo Cururu conhece a lua, encanta-se com a sua beleza e se apaixona por ela. Após ter o seu amor recusado, descobre o mistério que a envolve e, então, passa a ter um objetivo: acabar com a infelicidade e sua amada. Cururu, o sapo jururu é uma narrativa que tematiza o amor romântico e a solidariedade. Outros temas, como a lenda do amor impossível entre o sol e a lua, a ocorrência de um eclipse e a situação do indivíduo comum – que luta pela felicidade e supera a rejeição – também são trabalhados de forma delicada na história.
Texto: Tatiana Alves. Direção: Júlio Luz, Lea Fabres e Janaina Gaia

Até 20/05
Terça
19h
R$ 30 e R$ 15 (meia)
75min
Teatro
Classificação indicativa: livre

Ideias

Dançar a Vida – Biodanza e Sensibilização Corporal / oficina

A oficina trará a prática da biodança como meio para criar um espaço de cultivo de afetos através da música, dos encontros e da dança. O objetivo é promover a expressão, sensibilização da pele, ampliação da percepção, da capacidade de ser afetado e de se (re) inventar. Através da relação entre a dança e a vida, as oficinas nascem da interface entre a arte e a clínica. O primeiro módulo do curso trabalha a conexão consigo, ampliando a consciência corporal através da integração sensório, afetivo e sensitivo-motora.
Professora: Nathalia Massi. Informações e inscrições: biodancaravida@gmail.com

De 03 a 24
Quintas
18h30
R$180 (mês)
R$ 360 (módulo)
Sala de Cursos

Cinema

Crime e Cinema / cine debate

Evento mensal com exibição de filme seguido de debate, iniciando com o documentário A 13ª Emenda (Ava DuVernay, 2016, EUA). A proposta é aprofundar a discussão sobre a importância da proteção dos direitos fundamentais no processo penal, um dos principais objetivos do sistema de justiça concebido pela Constituição Federal de 1988 – apesar de ainda assistirmos a sua flexibilização, mesmo depois de trinta anos. A curadoria é da Desembargadora Federal e Professora de Direito Processual Penal da Unirio, Simone Schreiber. Crime e Cinema é um desdobramento do seu curso de extensão A Justiça Criminal  no Cinema.

Dia 03
Quinta
18h
100 min
Entrada franca
Distribuição de senhas uma hora antes

Exposições

Escrevo para me Percorrer / artes plásticas

Coletiva dos artistas Camilla Braga, Caroline Manso, Elilson, Fernanda Andrade, Marcos Walickosky, Mateus Souza, Mônica Coster e o coletivo PAGINÁRIO, com Rafael Amorim, Rodrigo Pinheiro e Yuri Dias. O público terá acesso a um pequeno inventário de escritas possíveis nos e sobre os espaços, estabelecendo assim relações poéticas entre elas. O fio condutor das obras são as formas como pensamento e escrita agem em cada trabalho exibido, de modo a evidenciar o caráter multidisciplinar da arte contemporânea.
Curadoria e textos: André Vechi e Rafael Amorim

Até 06/05
Terça a domingo
12h às 19h
Galerias do 1º andar
Classificação indicativa: livre

Prisão Domiciliar / fotografia

Composta por autorretratos, busca mostrar o processo de criação de uma mulher e as crises para se chegar à concentração, em meio ao caos doméstico diante da sequência de afazeres para manter a casa limpa e organizada. O objetivo da produção de Manuela Leite é criticar as condições em que as mulheres conseguem tornar realidade suas produções artísticas e intelectuais, pois elas, mesmo tendo direito de fazer o que quiserem, ainda estão presas ao status  quo de ter que se equilibrar entre duplas e triplas jornadas.
Curadoria: Roberta Barros. Produção: Makará Educativo

Até 06/05
Terça a domingo
12h às 19h
Gabinete de fotografia
Classificação indicativa: livre

Corpo Escultural / artes plásticas

A proposta da mostra é apresentar o corpo feminino como fetiche, através de séries fotográficas, vídeos e o campo ampliado da escultura, realizados pelas artistas Alice Ferraro, Beatriz Pimenta, Carine Caz, Dinah Oliveira, Jessica Guia e Jessica Kloosterman. Seu título é uma equivocidade proposital que propõe um desconforto ao modelo representativo da mulher na História da Arte e se alia ao potencial da sociedade no exercício de sua capacidade de transgredir e pensar seus valores criticamente.
Curadoria: Beatriz Pimenta e Dinah Oliveira

Até 13/05
Terça a domingo
12h às 19h
Galerias do 1º andar
Classificação indicativa: 16 anos

Refunção / artes plásticas

Exposição coletiva que assinala o objeto como mídia artística, em abordagens à apropriação de elementos do cotidiano, ressignificando suas funções em novos contextos poéticos propostos. Comprova-se assim o centenário dessa prática, considerando o urinol de Duchamp como precursor do vasto campo de possibilidades que se desdobra desde então. Entre os artistas expositores estão Ana Alves, André Sheik, Alexandre Dacosta, Carlos Cesari, Celia Pattacini, Clarisse Tarran, Claudio Pedro, Cris Cabus, Luana Fonseca Damásio, Luiz Guimarães, Helena Wassersten, Marcio Zardo, Miriam Pech, Pedro Paulo Domingues, Tchello d’Barros, Victor Lorenzetto Monteiro e Xico Chaves
Curadoria: Eduardo Mariz

Até 27/05
Terça a domingo
12h às 19h
Galerias do 2º andar
Classificação indicativa: livre