O Chorinho de Armandinho no Teatro Rival

O projeto “O Chorinho de Armandinho” traz a iniciativa de manter vivo esse gênero musical, que é um dos o mais antigos do Brasil, no entanto, ainda pouco conhecido do grande público. Neste trabalho Armandinho faz uma síntese de suas principais vertentes musicais, misturando o choro ao pop, ao rock e ao frevo que são interpretados pelo músico no seu estilo inconfundível de tocar o bandolim e a guitarra baiana. O repertório contem temas que vão desde o clássico Bolero de Ravel até o hino do carnaval baiano, “Chame Gente” de (Armandinho e Moraes Moreira).

Após a estreia na cidade maravilhosa “O Choro mais alegre do Brasil” está de volta para alegria dos amantes do gênero mais uma vez com o acolhimento do teatro Rival. O projeto surgiu em 2015 com estouro de bilheteria em Salvador para seguir se apresentando em outros estados brasileiros, além de uma turnê na Espanha em 2016.  A composição de acompanhamento do artista é feita, por violão de sete cordas, cavaquinho, quite de percussão e pandeiro. Dando ênfase ao acústico sem abandonar sua eletricidade natural.

Dessa vez Armandinho tem a honra de receber como convidada especial Nilze Carvalho, cavaquinista de grande talento que aos seis anos de idade já se apresentava para o grande publico e aos 12 anos gravou seu primeiro trabalho em uma serie de quatro LPs intitulado “Choro de menina”, nesse projeto ela foi acompanhada pelo conjunto Época de ouro, a partir de então, ela vêm deslanchando uma carreira de sucessos com diversas parcerias como com, Zeca pagodinho, Zélia Duncan, Hamilton de Holanda  e agora com Armandinho Macêdo. Foi apresentadora do programa Cena Musical, e entre uma diversa discografia foi nominada em 2015 ao GRAMMY  latino com o cd “VERDE AMARELO NEGRO ANIL como melhor álbum de samba. E é nesse extraordinário contesto musical de grandes talentos e com muita alegria, que os artistas dividem o palco por primeira vez.

Nesse espetáculo Armandinho constrói melodias que passeiam pelos quatro cantos do choro, que vão desde suas origens clássicas e africanas até a sua consolidação brasileira, onde o estilo ganha em diversidade harmônica.

A improvisação na harmonia do choro é uma característica do gênero que o instrumentista aproveita para introduzir sua veia carnavalesca, com novidades dignas de um mestre e com temas marcados por introduções eletrônicas. Ele irá juntar o genuíno ao contemporâneo, eletrizando o regional. Fazendo com que os bons ouvintes se deleitem na fusão dos seus últimos trabalhos: o “Pop Choro” e o “Guibai”. Misturas que vão de Jacob do bandolim ao Jimi Hendrix, dos Beatles, ao trio elétrico Dodô e Osmar.

A cenografia do show é composta pelo acervo pessoal do artista que narra visualmente momentos importantes e especiais da sua carreira, com fotografias e elementos escolhidos pessoalmente por ele, desse modo o musico pretende interagir e se aproximar do público fazendo desse evento um grande encontro entre amigos. Mais que fazer a diferença, Armandinho garante o diferente, Transformando o pop em choro e o choro em carnaval, caracterizando.

“O choro mais alegre do Brasil”.

“Quando Armandinho toca a gente se toca da diferença entre o talento e o gênio” (Moraes Moreira).


Biografia do artista:

Com mais de 50 anos de carreira Armandinho é principalmente conhecido pela referência dos carnavais de Salvador. Sua entrada no cenário musical se deu aos 15 anos de idade quando ganhou o concurso de talentos do programa de Flavio Cavalcante da Extinta TV Tupi. Abrindo-lhe novos rumos que ele jamais havia imaginado.

 Armando Costa Macêdo é um ícone e um símbolo vivo da música popular brasileira. Transformou o bandolim acrescentando uma quinta corda dando novos rumos ao choro regional, ele é Integrante de um dos mais famosos grupos de musica pop instrumental, “A Cor do Som”, atualmente, com a turnê “40 anos” e gravando um novo EP, com participações especiais de, Lulu Santos, Gilberto Gil e outros.

O Filho do criador do trio elétrico (Osmar Macêdo) Armandinho Macedo é responsável por manter viva a tradição da folia baiana dando continuidade a uma das criações mais significativas do carnaval brasileiro, os palcos andantes que fazem a festa dos foliões, sendo o mais tradicional e representativo deles  o trio elétrico “Armandinho Dodô e Osmar”  

. A partir do cavaquinho eletrificado e tocado por seu pai, o Musico criou um novo modelo de guitarra acrescentou cordas, refez afinação, acrescentou uma alavanca, diminuiu o tamanho e etc. E a denominou de “Guitarra Baiana”, criando um instrumento de características únicas que vem se tornando cada vez mais, internacionalizado, dando a Armandinho, mesmo sem registro oficial a patente original da criação.

Com mais de 35 discos gravados ele já foi indicado ao Grammy latino duas vezes, em 2004 com O CD “Retocando o Choro” e 2011 pelo “Afro Bossa Nova” com Paulo moura, em 2013 lançou o DVD Pop Choro, e em 2015 lançou o CD “Guibai” uma montagem com temas inéditos e recopilações rearranjadas por ele.

O solista sempre na ativa participa de inúmeros eventos e projetos de importante relevância social como recentemente as Paraolimpíadas 2016 onde dividiu o palco com os guitarristas, Andreas Kisser (sepultura) e. Johnatha Bastos.  Há cinco anos ele participa do “Carnaval e Natal sem fome”  realizado em Arraial da Judá – Bahia,  além dos seus próprios projetos como:                             “Os 50 carnavais de Armandinho” em 2014, onde teve como convidados Carlinhos Brow, Chico Cesar, Daniela Mercury, Geraldo Azevedo, Fafá de Belém e etc.  2013 participou nos festivais de musica brasileira em Barcelona , Palma de Mallorca, Madrid e Oviedo   .

E de 2011 a 2014 participou do festival de musica baiana na Suíça apresentado também no Auditório Stravinsky. O que lhe rendeu mais adiante em 2015 uma sequência de shows pelo Brasil com Spencer Chaplin até 2016. e entre 2015 e 2016 ele repete a dose do projeto com convidados,  agora com  “Os Ensaios Elétricos de Armandinho” também com uma convocatória  de peso, como Gilberto Gil, Baby do Brasil, Luís Caldas etc.

  Em 2016 ele uma breve turnê na Espanha com um dos mais recentes projetos O “Chorinho de Armandinho”, “o choro mais alegre do Brasil” onde o artista traz seu lado mais regional e acústico com pinceladas da sua guitarra baiana. Recentemente o guitarrista e bandolinista gravou um DVD com Hamilton de Holanda que será lançado em breve. No show buzines o musico e compositor está constantemente viajando pelo país se apresentando pelos palcos da vida. Armandinho mantem uma carreira, de sucesso, e como ele mesmo costuma dizer…  Abençoada por Deus.

Serviço:

Show: O Chorinho de Armandinho

Local: Teatro Rival Petrobras

Endereço: Rua  Álvaro Alvin 33/37– Cinelândia.

Sexta-feira, dia 3 de novembro de 2017, às 20 horas.

Ingressos: Ingressos:

Plateia A – R$80,00 (inteira)

Plateia B – R$60,00 (inteira)

Lounge – R$60,00 (inteira)