Nesse sábado, estreia a sexta edição do Gamboavista

Já virou tradição: todo final de ano é tempo de começar o Gamboavista, projeto que chega à sexta edição e se firma como parte do calendário cultural do Rio de Janeiro. De dezembro a abril, o Galpão Gamboa se transforma em uma grande plataforma de exibição e ponto de encontro para o público, que poderá conferir shows, festas, uma exposição e, claro, quase vinte espetáculos teatrais, entre estreias, processos e montagens que chamaram a atenção na última temporada.

Idealizado pelo ator Marco Nanini e pelo produtor Fernando Libonati, o Galpão Gamboa festeja ainda o fim das obras que transformaram a Zona Portuária do Rio de Janeiro. O Gamboavista celebra a chegada de uma estação do VLT, que tornará o acesso à região ainda mais fácil, e também marca a inauguração de uma nova sala no espaço, que já conta com o Teatro e com o Garagem, que recebe os shows e as festas do projeto.

 

Libonati e Nanini estão indicados ao Prêmio Shell de Teatro por, segundo as palavras do júri: ‘espírito empreendedor de investir no próprio setor teatral através do conjunto de iniciativas Galpão e Garagem Gamboa, Reduto e Hospedaria’.

Eixo central da programação, a mostra teatral – com curadoria de Cesar Augusto, indicado ao Prêmio Cesgranrio de Teatro pela programação do Galpão Gamboa – terá início no dia 15 de dezembro com a apresentação de ‘Cabeça – um documentário cênico’, espetáculo de Felipe Vidal que celebra os 30 anos do lançamento de ‘Cabeça Dinossauro’, icônico álbum da discografia dos Titãs. Dentro do espírito festivo do Gamboavista, no dia 17 de dezembro (sábado), a montagem será transformada em show e o elenco apresentará as músicas no Garagem, com a apresentação seguida por uma festa.

Após o recesso de final de ano, a programação retorna no dia 7 de janeiro com ‘Sobre a Liberdade’, projeto que reúne um solo de Georgette Fadel e um espetáculo dirigido por ela com Caco Ciocler, Rodrigo Bolzan e Zé Azul no elenco. Neste mesmo dia, o cantor Jaloo – revelação na cena musical contemporânea – fará um show seguido de uma grande festa.

Além destas estreias que marcam o retorno do Gamboavista, Cesar Augusto ressalta que o projeto vai manter a tradição de trazer espetáculos que já estiveram em cartaz e nem sempre tiveram a visibilidade que mereciam, por conta de temporadas cada vez mais curtas e de incentivos que diminuíram bastante. ‘O projeto cede um local para que espetáculos sejam vistos. Neste sentido, é uma grande plataforma e também um espaço de resistência, que dá todas as condições para os produtores’, ressalta Cesar.

Entre os destaques da programação teatral, está a apresentação do processo de ‘Ubu Rei’, próximo espetáculo de Marco Nanini, que terá a direção de Daniel Herz e a participação da Cia. Atores de Laura e de Rosi Campos. Nos dias 19 e 20 de fevereiro, eles vão abrir o seu processo de criação para o público presente e mostrar algumas cenas antes da estreia oficial da peça, em março, no teatro Oi Casa Grande.

Ainda em fevereiro, um grande baile de Carnaval promete animar a programação, em uma noite que contará com o show de Matheus VK com participação especial de Silvia Machete.

 

O Gamboavista 6 contará ainda com a exposição ‘Fluxoluminosas’, da fotógrafa Elisa Mendes, especialista em registrar momentos da cena teatral carioca. Ela ocupará o segundo andar do Galpão, local normalmente dedicado às artes visuais.

Sobre o GALPÃO GAMBOA

A história do Galpão Gamboa começa com a procura do ator Marco Nanini e do produtor Fernando Libonati por um espaço para ensaios. Chegaram então à Zona Portuária, em uma época em que a região não tinha a projeção dos tempos atuais. De 2006 a 2010, o antigo galpão passou por uma série de reformas até a inauguração do teatro, com a estreia do espetáculo ‘Pterodátilos’, um grande sucesso que funcionou como o pontapé inicial para a chegada da 1ª edição do projeto Gamboavista, de novembro de 2011 a fevereiro de 2012.

O público carioca compareceu de forma maciça no novo local para apresentações, o que chamou a atenção de outros artistas e grupos teatrais. Além disso, moradores da Gamboa, Morro da Providência e Santo Cristo logo começaram a frequentar o Galpão, por conta de atividades gratuitas oferecidas através de projetos sociais. Yoga, muay thai, judô e jiu-jitsu, dança, artes plásticas e teatro passaram a fazer parte do cotidiano de idosos, adultos, crianças e adolescentes, o que acabou contribuindo para que a população local participasse ativamente dos eventos realizados por lá.

Na esteira do sucesso do Gamboavista, ao longo de um mês do verão de 2012, o projeto Garagem Gamboa trouxe shows de bandas e artistas cariocas para o espaço Garagem. Em novembro do mesmo ano, foi realizada a 2ª edição do Gamboavista, com quatro meses de duração e apresentações de mais 20 atrações, entre shows e peças adultas e infantis.

Durante os meses de maio e junho de 2013, chega ao Galpão a primeira Mostra Cena Carioca, que reuniu grandes nomes da dramaturgia contemporânea, como Rodrigo Nogueira, Jô Bilac, Pedro Brício e Julia Spadaccini. No mesmo ano, foi lançado o Dança Gamboa, que, desde então, firma-se no calendário anual de dança da cidade. Com curadoria de Cesar Augusto e de Marcia Rubin, a mostra já levou ao Galpão Gamboa nomes como Marcelo Evelin, Sonia Destri, João Saldanha, Dani Lima, Márcia Milhazes, Renato Vieira, Lia Rodrigues, Thereza Rocha, Gustavo Ciríaco, Denise Stutz, Cena 11 Cia de Dança, entre outros grupos e artistas.

De outubro de 2013 a março do ano seguinte, a 3ª edição do Gamboavista leva aos espectadores importantes montagens do ano. E, de agosto a novembro de 2014, a experiência com as mostras realizadas no Galpão, faz com que, através de edital da Funarte, ocorra a ocupação Dulcinavista, no Teatro Dulcina, que levou ao público da Cinelândia espetáculos adultos e infantis, shows, oficinas de dramaturgia e apresentações de leituras dramatizadas e processos de criação de espetáculos que viriam a fazer enorme sucesso na cena carioca posteriormente, como “Caranguejo Overdrive”, de Pedro Kososvski e Marco André Nunes.

Seguiram ainda as 4ª e 5ª edições do Gamboavista, nos anos de 2015 e 2016, com programações que incluíram nomes como Márcio Abreu, Renata Sorrah e a Cia Brasileira de Teatro, Paulo Betti, Matheus Nachtergaele, Grace Passô, Gustavo Gasparani, Bruce Gomlewsky, Simone Mazzer, Hugo Rodas, a franco-brasileira Cie Dos a Deux, Os Dezequilibrados, Cia Atores de Laura, entre outros. Ainda em 2016, através do edital Fomento Cidade Olímpica, foi lançada a mostra Comunidade em Ação, que levou ao público espetáculos oriundos das comunidades cariocas, como Complexo da Maré (com a Cia Marginal), Cidade de Deus (Os Arteiros), Morro dos Tabajaras (Cia de Teatro Abraço da Paz) e Vila Cruzeiro (Coletivo Bonobando).

O Galpão Gamboa foi reconhecido através do Prêmio APTR, categoria especial, pelo projeto Gamboavista; do Prêmio Faz Diferença do Jornal O Globo, pela iniciativa na implementação do espaço e investimento sócio cultural na Zona Portuária do Rio de Janeiro; da indicação de Marco Nanini e Fernando Libonati ao Prêmio Shell 2016, categoria especial, pelo espírito empreendedor de investir no próprio setor teatral através do conjunto de iniciativas Galpão e Garagem Gamboa, Reduto e Hospedaria; e de Cesar Augusto ao Prêmio Cesgranrio de Teatro 2016, categoria especial, pela curadoria do Galpão Gamboa.

Programação GAMBOAVISTA 6 (até o Carnaval):

 

SOBRE A LIBERDADE (espetáculo)
Direção: Georgette Fadel
Com Georgette Faddel, André Sant’anna,  Rodrigo Bolzan e Zé Azul.
Dias 07 e 08 de janeiro (sábado, às 21h. Domingo, às 20h)

JALOO (show no Garagem).
Dia 07 de janeiro (sábado, às 23h)

FESTA
Dia 07 de janeiro (sábado, após o show do Jaloo)

BIANCO SU BIANCO
Dias 14 e 15 de janeiro (sábado, 21h; domingo, 20h)

TRAGÉDIA: UMA TRAGÉDIA
Dias 21 e 22 de janeiro (sábado, 21h; domingo, 20h)

CURUPIRA (infantil)
Dias 28 e 29 de janeiro (sábado e domingo, 16h)

FEVEREIRO

AMOR EM DOIS ATOS
Dias 04 e 05 de fevereiro (sábado e domingo, horários a definir)

NU DE BOTAS
Dias 11 e 12 de fevereiro (sábado, 21h; domingo, 20h)

MATHEUS VK e SILVIA MACHETE
Dia 11 de fevereiro (sábado, 23h)

BAILÃO PRÉ-CARNAVAL
Dia 11 de fevereiro (sábado, após o show do Matheus VK)

UBU REI EM PROCESSO
Dias 19 e 20 de fevereiro (domingo, 20h; segunda, 21h)

A entrada para todos os espetáculos adultos custa R$ 20, R$ 10 (meia- entrada) e R$ 5 (moradores da região). Para os infantis, os ingressos custam R$ 10, R$ 5 (meia-entrada) e R$ 2 (moradores da região).

 

Sinopse

 

Sobre a liberdade

Afinação é uma conferência: Aula ministrada pela personagem, a pensadora francesa Simone Weil, sobre a relação entre opressão e o sofrimento no mundo e o incrível boicote ao pensamento racional. São textos dela, de Bretch, Hegel e citações de Marx que compõem esse momento que pretende ser uma oração à razão.

Ajuste é uma pequena opereta desgovernada: em cena, três homens munidos de guitarras, um deles o próprio autor, André Santanana. Em Seu microfones, caçam, experimentam, pensando, às vezes verdadeiramente, às vezes em fragmentos voltados para si mesmos. Mas presentes.

A ação desenvolvida é o ajuste das frequências a ponto dos pratos da balança, das forças em questão se manifestarem com clareza. Toda a encenação é ajuste, Pois, no fim, é sempre tudo Sobre a liberdade.

Ficha Técnica

Direção: Georgette Fadel

Direção musical: Zé Azul

Produção geral: Gabriel Bartolini

Iluminação: Julia Zakia

Design de Som: Gabriel D’Angelo

Idealização: Georgette Fadel e Zé Azul

Ato1: Afinação

Direção, dramaturgia e atuação: Georgette Fadel

Sobre os textos de Bertolt Brecht, Hegel. Karl Marx e Simone Weil.

Co-Produção: Julia Zakia

Consultoria para direção: Patricia Gifford

Colaboração: Luciana Froes

Ato2: Ajuste

Elenco: Andre Sant’anna, Rodrigo Bolzan e Zé Azul.

Texto: André Sant’anna

Assistente de direção: Catharina Caiado

Figurino e Adereços: Carol Badra

Colaboração: Sarah Lessa

Fotos: Rael Barja