“Até o final da noite” no Teatro Ipanema

Estreia no dia 08 de outubro, às 20h, no Teatro Ipanema, Até o final da noite, de Julia Spadaccini, com direção de Alexandre Mello. No elenco, Angela Vieira, como atriz convidada, ao lado de Isio Ghelman, formando o casal de protagonistas, Ana Lucia e Olavo. Nos papéis do casal jovem, Branca e Edu, os atores Letícia Cannavale e Rogério Garcia. A peça traz um texto inédito de Spadaccini, que trata com muito humor, dos contrastes de valores, de interesses e costumes entre duas gerações diferentes, representadas pelos casais.

Ana Lucia está muito traumatizada com a decisão do filho único de ir trabalhar fora do país. Com a partida do filho, passa a sofrer da “síndrome do ninho vazio”, tendo dificuldades de entender novamente seu lugar no mundo, antes inteiramente dedicado ao filho. Por outro lado, Branca tem uma vida atribuladíssima de executiva de uma grande empresa e tem dificuldades de encontrar espaço para ter um filho, desejo de seu marido Edu. Olavo e Edu são personalidades opostas: enquanto um é contador e empresário, o outro é um intelectual que está desenvolvendo uma tese sobre o amor. O encontro destes casais provoca situações engraçadíssimas e ao mesmo tempo faz pensar sobre as diferenças entre eles, que todos nós conhecemos de perto, comparando-nos com os nossos pais ou avós, provocando uma grande identificação e empatia com a plateia.

O espetáculo conta com desenho de luz de Renato Machado, cenografia de Beli Araújo, figurinos de Ticiana Passos e direção de movimento de Marcia Rubin. A direção de produção é de Rogério Garcia e a produção de Paula Loffler.

 

 

SOBRE O ELENCO

Angela Vieira, conhecida do grande público por seu humor e talento, é uma atriz que dispensa apresentações, tendo feito muitas espetáculos teatrais e dezenas de novelas de sucesso nestes anos de carreira na Rede Globo. Isio Ghelman, um excelente humorista, integra o elenco fixo de ‘Zorra Total’, da Rede Globo, e é conhecido do público frequentador de teatro. Letícia Cannavale é atriz da ‘Cia de Teatro Íntimo’ e Rogério Garcia, ator e produtor desta obra, é da ‘Cia Surreal de Teatro’. Ambos vêm se destacado nos últimos anos em bem sucedidas produções na cidade.

Alexandre Mello e Julia Spadaccini tem uma parceria de longa data, já tendo emplacado alguns sucessos, como o ‘Na Geladeira’, ‘Quebra Ossos’ e ‘Um dia Qualquer’. Esta será a quarta peça da dupla, que obteve indicações para prêmios e excelentes críticas em todos os trabalhos que fizeram juntos.

SINOPSE: Um casal de meia idade, Ana Lucia (Angela Vieira) e Olavo (Isio Ghelman), recebe para um jantar, Branca (Letícia Cannavale) e Edu (Rogério Garcia), um casal “descolado”, novos amigos que conheceram nas últimas férias. Muitas revelações acontecerão ao longo da noite.

SERVIÇO

Temporada: de 08 de outubro a 14 de novembro

Local: Teatro Ipanema

Endereço: Rua Prudente de Morais, 824 – Ipanema

Informações: (21) 2267-3750

Horário: Sábados, às 21h, domingos e segundas, às 20h

Ingresso: R$40,00 (inteira)

Classificação etária: Livre (indicado para maiores de 12 anos)

Duração: 70 minutos

Gênero: comédia

Bilheteria: Quarta a segunda, das 14h às 20h

FICHA TÉCNICA

Autora: Julia Spadaccini

Direção: Alexandre Mello

Elenco:

Angela Vieira – Ana Lucia

Isio Ghelman – Olavo

Letícia Cannavale – Branca

Rogério Garcia – Edu

Direção de produção: Rogério Garcia

Iluminação: Renato Machado

Cenografia: Beli Araújo

Figurinos: Ticiana Passos

Direção de movimento: Márcia Rubin

Produção: Paula Loffler

Assistente: Felipe Porto

Programação Visual: Humberto Costa Ribeiro

Assessoria de imprensa: Daniella Cavalcanti

 

CURRÍCULOS

 

JULIA SPADACCINI

Nasceu no Rio de Janeiro, tem 38 anos, é formada em Artes Cênicas pela UNI-RIO, em Psicologia pela USU e Pós-graduada em Arteterapia pela Cândido Mendes. No teatro, Julia é autora das peças de mais de 18 peças encenadas no Rio de Janeiro e em viagens pelo Brasil.

Na TV foi roteirista da série “Oscar freire 279” (Multishow – 2011); do programa “Aprender a Empreender” (Canal Futura – 2010); “Básico” e “Quase Anônimos” (Multishow – 2009). Foi integrante do site “Dramadiário” durante três anos. E foi roteirista contratada na produtora Jodaf Mixer e Conspiração Filmes (2008/09).

No cinema assinou o roteiro do filme “Qualquer Gato Vira-lata” produzido pela Tietê Filmes e do curta “Simpatia do Limão” vencedor do prêmio “Porta-curtas Petrobrás” no Festival de Cinema do Rio (2010). Participou da oficina de teledramaturgia da Rede Globo (2010). Colaborou como roteirista do filme “Loucas para Casar” (Glaz Filmes/ 2015). Desenvolveu o argumento do filme “Isolados” (2014). Está em cartaz com a peça “A Vida Sexual da Mulher Feia” monólogo que escreveu para o ator Otávio Muller. Indicada aos prêmios Shell (2012). APTR, CESGRANRIO (2013). Vencedora do prêmio Fita (2013) e do prêmio Shell como melhor autora carioca (2013) pela peça “A Porta da Frente”. Foi roteirista programa “Tapas e Beijos” (Rede Globo 2013-2015) e da série “AMORTEAMO” (Rede Globo 2015).

ALEXANDRE MELLO

Alexandre Mello é diretor, ator e professor especializado na preparação de atores e discussão de projetos de criação com jovens artistas. Desenvolve uma dinâmica própria de trabalho há mais de vinte anos e dirige laboratórios de criação no ateliê Alexandre Mello. É professor de interpretação na Escola de Atores WOLF MAYA. Escreveu o livro Vestindo Nelson, pela Editora Francisco Alves. É diretor artístico e curador da programação do Teatro Ipanema ao lado de Fabianna Mello Souza. Antes disso, de 2012 a 2015, foi diretor artístico e curador do Teatro Municipal Gonzaguinha, com o bem sucedido projeto VEM! E faz parte da equipe de curadores do FESTIVAL DOIS PONTOS.

Seus últimos trabalhos de direção foram: Até o Final da Noite, de Julia Spadaccini com Angela Vieira e Isio Ghelman, no Teatro Ipanema; Quebra Ossos, que estreou e fez grande sucesso de público e crítica, no Teatro Laura Alvim, indicado ao Prêmio SHELL 2012, e Um dia Qualquer, ambos de Julia Spadaccini, que estreou em 2013 no Espaço SESC, é um sucesso unânime de crítica e de público, indicado ao PREMIO APTR 2013, ganhou o Prêmio Myriam Muniz de circulação para 2015. Há três anos em cartaz. Dirigiu em dezembro de 2014, O Branco dos seus Olhos, de Álvaro Campos, que estreou no Espaço SESC e fez uma segunda temporada no Teatro Poeira em 2015. Está em processo de criação de Lucrecia, que fez uma mostra de processo no Festival Dois Pontos 2015 e estreia no Sesc Tijuca em Fevereiro/16. Já dirigiu mais de 20 montagens profissionais de teatro.

 

Ainda como diretor realizou entre outros: O Rinoceronte, de E.Ionesco – Espaço Cultural Sergio Porto e Espaço III do Teatro Villa-Lobos- 1997/98. A Paisagem Daqui é Outra – Itaú Cultural- São Paulo e X Panorama de Dança, Espaço Cultural Sergio Porto – (Escolhido entre os Dez Melhores do Ano de 2001 pela Crítica de O Globo) – com Cia. Márcia Rubin. Vassah de Máximo Gorki- Teatro Villa-Lobos, Teatro São Pedro (POA), Caxias do Sul, Teatro Sergio Cardoso (SP) 2000/01, Who´s gonna kill me?, performance no RioCena –Teatro Carlos Gomes- 2002, Vestido de Noiva de Nelson Rodrigues no Teatro do SESI Junho/julho de 2003. Insulto público de Peter Handke em novembro/2005 no Teatro da UniverCidade e em 2006 no CCBB-Teatro II. Teorema, co-direção da Cia de Dança Márcia Rubin, CCBB. Canção de Mim Mesmo de Walt Whitman – Espaço SESC em outubro de 2006; em 2007 – Canção de Mim Mesmo – a proposição – SESC Avenida Paulista – agosto e setembro; Quatro Pessoas de Mário de Andrade – Espaço SESC – maio de 2008. Solano e Rios de José Sanchis Sinisterra – Espaço SESC – Sala Multiuso – março de 2011, CCJF em setembro e Galpão Gamboa; O Futuro por Metade de Mia Couto, em parceria com Andre Paes Leme e outros no Espaço SESC em Setembro de 2012.

Como ator fez: Édipo Rei; Oréstia; Prometheus e As Troianas. Com o Grupo Mergulho no Trágico foram premiados com o Mambembe 1989 e o Shell 1990. Fez Ñaque de Sanchis Sinisterra – Turnê em Portugal- direção de Moncho Rodrigues – 1992; Family Voices de Harold Pinter – Teatro II do CCBB- direção: Silvia Paselo- 1995; Perdida nos Apalaches de Sanchis Sinisterra – Casa da Gávea- Direção: Sanchis Sinisterra-1997; Acteon de Virgílio Piñera – EntrèScenen Teatret- Aarhus, Dinamarca- direção: Miyoko Kataoka- 1998. Atuou em Capital Federal –CCBB no Rio e em Na Geladeira no Espaço SESC em 2003 e circuito SESC-RJ, em turnê. Hamelin de Juan Mayorga com direção de André Paes Leme CCBB Rio e São Paulo e várias capitais e cidades do Brasil. Doze Homens e Uma Sentença no CCBB Rio e Maison de France com direção de Eduardo Tolentino. Participou no episódio 24 da série Milagres de Jesus – TV RECORD -como o antagonista, mendigo Lior. Participou da websérie RIO de Paula Sattamini e Felipe Brettas, em edição. Trabalhou na Itália, Dinamarca, Espanha e Portugal.

Prêmios e indicações: Shell 1990 pela pesquisa do Grupo Mergulho no Trágico; Prêmio Bolsa RioArte 2002 – direção; FATE 2010 e 2011 por Solano e Rios – prêmios montagem e circulação; Indicação ao Premio Shell 2012 por Quebra Ossos de Julia Spadaccini; Indicado ao Premio APTR 2013 por Um dia Qualquer de Julia Spadaccini; Prêmio Myriam Muniz 2014 para circulação de Um dia qualquer.

 

 

ANGELA VIEIRA

Angela Vieira tem formação de bailarina clássica e integrou o corpo de baile do teatro municipal do Rio de Janeiro durante nove anos. Em 1978 começou a sua carreira de atriz, estreando no teatro com “A Historia é uma Historia”, de Millôr Fernandes, com direção de Jô Soares. No mesmo ano entra para a TV Globo.

Em Teatro, fez 22 peças, entre elas, “Um beijo, um abraço, um aperto de mão”, de Naum Alves de Souza, “O Matador de Santas” (2011), de Jô Bilac e direção Guilherme Leme Garcia; “Uma Relação Pornográfica”, de Philippe Blasband, direção de Victor Garcia Peralta, ao lado de Guilherme Leme Garcia, ainda em turnê pelo país; e, a última, “Santa” (2015), de Diogo Liberano, também dirigido por Guilherme Leme Garcia.

Em TV, além de ter participado da linha de show, fez 21 novelas e três minisséries como: “Por Amor”, de Manoel Carlos, “Terra Nostra”, de Benedito Ruy Barbosa, e “Senhora do Destino, de Aguinaldo da Silva. Sua mais recente novela foi “I love Paraisopolis”, de Alcides Nogueira.

Em Cinema, fez cinco filmes, entre eles, “Não se Preocupe que nada vai dar certo”, de Hugo Carvana, e “Angel”, de Sergio Rezende.

ISIO GHELMAN

Ator profissional desde 1985, atuou em mais de 50 espetáculos ao longo da carreira. Em 2015, recebeu o Prêmio APTR de Melhor Ator em papel coadjuvante pela interpretação do personagem Gibbs em A estufa, de Harold Pinter, com direção de Ary Coslov. Recebeu também indicação ao Prêmio Questão de Crítica de Melhor Elenco pela peça Vianinha conta o último combate do homem comum, de Vianinha com direção de Aderbal Freire Filho. Ainda em 2015, na televisão, fez na TV Globo: Amorteamo, série em 5 capítulos de Cláudio Paiva e Newton Moreno, com direção de Flávia Lacerda e, atualmente, integra o elenco do novo Zorra, humorístico semanal com direção de Núcleo de Maurício Farias e Direção Geral de Mauro Farias.

No teatro, entre seus espetáculos mais recentes destacam-se além dos já citados: Jacinta, de Newton Moreno, com direção de Aderbal Freire Filho; Novecentos, de Alessandro Baricco, com direção de Victor Garcia Peralta; Moby Dick, clássico de Herman Melville, adaptado e dirigido por Aderbal Freire Filho; Traição, de Harold Pinter, direção de Ary Coslov; O púcaro búlgaro, de Campos de Carvalho e Sonata de outono, de Ingmar Bergman, ambas com direção de Aderbal Freire Filho; a temporada em Portugal de O que diz Molero, de Diniz Machado, também com direção de Aderbal Freire Filho; A memória da água, de Shelag Stephenson, dirigido por Felipe Hirsch e Nada de Pânico, de Michael Frayn, dirigido por Enrique Diaz.

Na televisão, atuou nas duas temporadas de Aline, seriado exibido na TV Globo, dirigido por Mauricio Farias, no papel do psicanalista Yuri. Foi ainda o protagonista na série em 12 capítulos exibidos no GNT, Gente Lesa, com direção de Alê Braga e Victor Garcia Peralta; esteve também em Anjos do Sexo, seriado de Domingos Oliveira em 26 episódios, exibidos na Band TV e na novela Fina Estampa, de Aguinaldo Silva no papel do Guilherme Steiner, com direção de Wolf Maya. Em 2013, fez Destino: Rio de Janeiro, produzido pela O2 Filmes com direção de Fábio Mendonça e exibição pelo canal HBO, a série A mulher do prefeito, exibido na TV Globo, com direção de Luiz Villaça. Em 2014, foi o Gleidson no seriado Só Garotas com direção de Maria Flor e exibida no canal Multishow e também no episódio Inversão da série de televisão Questão de Família, com direção de Sergio Rezende exibido no Canal GNT. Atuou ainda em diversos programas da TV Globo, entre eles, Você Decide, Carga Pesada, A grande família, Tapas & Beijos, Louco por Elas, na minissérie Amazônia e em vários esquetes de humor exibidos no Fantástico ao longo de 2007 e 2008.

No cinema, além de atuar em vários curta-metragens, fez o personagem José no drama bíblico Maria, a mãe do filho de Deus, dirigido por Moacyr Góes e Norman Jones, pai de Stuart Angel Jones em Zuzu Angel, de Sérgio Rezende.

LETÍCIA CANNAVALE

Letícia Cannavale é carioca, sagitariana e atriz formada pela CAL – Casa das Artes de Laranjeiras (2004) e pela UniRio (2011).

Últimos trabalhos realizados como atriz:

TV: TRAIR E COÇAR É SÓ COMECAR, direção César Rodrigues, emissora: MULTISHOW (2014); Série MILAGRES DE JESUS, da Rede Record (2014); Novela SANGUE BOM (2013), direção Dennis Carvalho; INSENSATO CORAÇÃO (2011), direção Dennis Carvalho, ambas da REDE GLOBO. CINEMA: Longa metragem ESTAMOS VIVOS, direção Filipe Codeço; A DONA DA HISTÓRIA, direção de Daniel Filho; AURÉLIA, direção Augusto Garcia.

TEATRO: PóS_TUDo, direção Filipe Codeço; TEMPORADA DE VERÃO, direção Renato Livera, VERTIGEM DIGITAL, direção Alexandre Elias; O BEIJO NO ASFALTO, direção de César Rodrigues; DORIAN, direção de Renato Farias; e UM BEIJO, UM ABRAÇO, UM APERTO DE MÃO; de Naum Alves de Souza, direção de João Fonseca.

ROGÉRIO GARCIA

Formado em Artes Cênicas pela Universidade Cândido Mendes.

Curso de extensão de produção e empreendedorismo cultural na Fundação Getúlio Vargas

Participou de alguns cursos de qualificação em teatro e cinema com diretores e companhias de teatro, como André Paes Leme, Cia dos atores, Cristiane Jathay, Inês Vianna, Sergio Pena entre outros.

Últimos trabalhos Teatro e Cinema

*Protagonista de ‘RIO sem limites’, filme produzido pela Multiphocus Arte e Comunicação, com lançamento previsto para dezembro de 2015.

*Circula pelo país com o espetáculo Um dia Qualquer, de Julia Spadaccini, espetáculo vencedor do Prêmio Myrian Muniz de teatro de 2014.

*Atuou nos espetáculos: Solano e Rios (2011), de José Sanchis Sinisterra; Lucrécia (2014), de Leandro Baumgratz, Cinco Janelas Para o Paraíso (2012), compilação de textos curtos de Tenessee Wiliams. Todos com direção de Alexandre Mello.

Produção

*Sócio e Diretor de produção da Usina D’Arte Produções artísticas.

*Idealizador e Produtor do PROJETO VEM! Residência artística que ocupou o Teatro Municipal Gonzaguinha nos últimos três anos.

*Idealizador, Curador e Produtor do Festival Dois Pontos, festival internacional de teatro que ocupa a rede municipal de teatros, entrará para sua terceira edição em 2016.

*Produtor dos espetáculos: Até o Final Da Noite, Um Dia Qualquer e Quebra Ossos, de Julia Spadaccini, direção de Alexandre Mello. O Futuro por metade, de Mia Couto, direção de Oscar Saraiva, André Paes Leme e Vitor Lemos.