“Um Sonho para Méliès” no Oi Futuro

“Um Sonho para Méliès” é um espetáculo inédito infantojuvenil que mistura ficção e fatos da história do grande cineasta Georges Méliès (1861-1938) e seus fantasiosos filmes para falar de realização de sonhos, amizade e o amor pela arte. A dramaturgia de Aline Macedo em processo colaborativo, costurada a partir dos estímulos da diretora Flávia Lopes, investe no jogo de cena tornando o público coautor de uma narrativa cheia de referências cinematográficas e abrilhantada pelo uso de máscaras cênicas, projeções, palhaçaria e um boneco – representando Méliès ainda menino. A temporada estreia dia 06 de agosto, no Oi Futuro Ipanema, e segue até o dia 25 de setembro com sessões aos sábados e domingos, às 16h.

Em uma Paris imaginária do final do século XIX, Méliès sonha de dentro da sapataria de seu pai em viajar até a lua. Stela, estrela de seus sonhos e musa inspiradora, diz ao menino que “Um filme é sonhar de olhos abertos”. Mesmo desencorajado pelo pai, Georges Méliès segue seu coração e vira mágico ilusionista. Ao guardar seus sonhos de infância em uma caixinha cheia de estrelas, tem a ideia de transformar sonhos em realidade filmando “A Viagem à Lua”.

Junto com Toto, um garoto que faz alusão ao “O Garoto” de Chaplin, Georges convence os atores da Trupe Sanzussô a embarcarem nessa aventura revolucionária, onde pela primeira vez na história se realiza um filme como veículo de contos de fadas e fantasia, bem diferente das obras realizadas até então, que só registravam corrida de bicicletas e o movimento do trem.

E como toda boa história, nosso intrépido protagonista tem um arqui-inimigo, o invejoso Max Vigarista, que ao chamar Méliès de lunático, impulsiona a ideia que vai transformar a história do cinema: realizar o filme ‘A Viagem à Lua’ (1902) – um marco nos efeitos visuais cinematográficos. E assim, o agora cineasta Méliès dá início ao maior empreendimento de sua vida.

“Georges Méliès é reconhecidamente o pai do cinema e dos efeitos especiais, mas, mais do que isso, o que me motivou a falar dele foi por acreditar que ele foi um homem sonhador, um visionário. Um dia teve um sonho e não desistiu dele. As grandes descobertas só são possíveis através dos sonhos e da credulidade que perdemos quando não guardamos a infância dentro de nós”, afirma Flávia Lopes, que exerce uma pesquisa de mais de dez anos na linguagem do teatro de animação e no uso de máscaras cênicas, recursos sempre presente em seus trabalhos.

Na pele do cineasta Méliès está o premiado ator Marcio Nascimento, vencedor do prêmio infantil Zilka Salaberry deste ano com ‘A Feira de Maravilhas do Fantástico Barão de Münchausen’ e de 2014 com ‘O Gigante Egoísta’, ambos na categoria de melhor ator. Marcio dará vida também ao Méliès criança ao manipular sua versão em boneco de mesa criado e confeccionado por Flávia Lopes e Marise Nogueira do Atelier Gravulo, sob a supervisão da artista Maria Adélia.

O cenário, assinado por Tuca, traz a atmosfera do século XIX através dos teatrinhos montados em carroças de feiras e dos atores itinerantes da commédia dell’arte. O cinema – com seus personagens icônicos e divas americanas – será homenageado no figurino de Bruno Perllato, que se inspirou em várias produções consagradas: ‘O Garoto’- de Charlie Chaplin (1921)’, ‘A Rosa Púrpura do Cairo’ – dirigido por Woody Allen (1985), ‘A viagem do Capitão Tornado’ (1990) e em algumas animações. O teatro medieval também aparece como referência na personagem “Cigana Cassandra”.

 

Sinopse

O espetáculo infantojuvenil “Um Sonho para Méliès” recorre à história do cineasta – ilusionista Georges Méliès (1861 -1938) e seus fantasiosos filmes para falar de sonhos, amizade e o amor pela arte. Em cena, máscaras, projeções e a manipulação de um boneco dão o tom da encenação que se passa em uma Paris imaginária do século XIX.

 

“Um Sonho para Méliès”

SERVIÇO

Temporada: 06 de agosto a 25 de setembro de 2016

** não haverá apresentação nos dias 10 e 11 de setembro.

Local: Oi Futuro Ipanema

Dia|hora: Sábado e Domingo, às 16h

Endereço: Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema

Valor: R$20 (inteira)\R$10 (meia).

Classificação: Livre

Telefone: 3131-9333

Duração: 60 minutos

Bilheteria: Ter a sex e feriados, das 15h às 21h, e aos sáb e dom, das 14h às 21h.

Capacidade: 90 lugares

Faixa etária: livre

FICHA TÉCNICA

Idealização e Direção: Flávia Lopes

Elenco: Marcio Nascimento como Georges Méliès

Aline Macedo (Toto), Caio Passos (Sasha), Carla Barros (Josephine Sanzussô), Felipe Valle (Jaques Lecoq), Marco dos Anjos (Max Vigarista), Muriel Vieira (Stela e Cigana Cassandra) e Nina Pamplona (Amelie Soleil) e Wagner Barreto como “Pai de Méliès” em vídeo

 

Dramaturgia: Aline Macedo em processo colaborativo

Direção Musical: Daniel Carneiro e Wagner Barreto

Figurino: Bruno Perlatto

Assistente de figurino: Pamela kopp

Cenografia: Tuca

Iluminação: Ana Luzia de Simoni

Assistente de iluminação: João Gioia

Visagismo e caracterização: Mona Magalhães

Assistente de maquiagem: Lucas Drigues

Preparação Vocal: Verônica Machado

Oficina de palhaçaria: Cris Munõz, Flávia Lopes e Matheus Lima

Máscaras: Atelier Gravulo (Flávia Lopes e Marise Nogueira)

Boneco: Atelier Gravulo (Flávia Lopes e Marise Nogueira sob supervisão de Maria Adélia)

Assistente de confecção de máscaras: Juliana Mangorra.

Vídeos e programação visual: Guilherme Fernandes

Assessoria de imprensa: Aquela que Divulga

Direção de produção: Pagu Produções Culturais

Coordenação de produção: Bárbara Galvão, Carolina Bellardi, Fernanda Pascoal

Produção executiva: Mariana Gomes e Milena Monteiro

Assistente de produção: Juliana Soares

Operador de Luz: Kadu Moura

Costureiras: Atelier As Meninas, Angela Sardinha e Juli Videla
Adereços: Karin Heidel
Assistente de cenografia: Bernardo Valença
Fotografia: Rodrigo Menezes