“Cortina Lírica” no Theatro Municipal

Espaço de formação para jovens artistas líricos no repertório operístico, a Academia de Ópera Bidu Sayão fará seu terceiro espetáculo. A instituição pertencente à Fundação Teatro Municipal do Rio de Janeiro, vinculada à Secretaria de Estado de Cultura (SEC), vai realizar a Cortina Lírica com trechos de composições de Verdi, Puccini, Carlos Gomes, Massenet, Bellini e Donizetti no dia 11 de setembro, às 17h, com ingressos a R$ 20,00. Apresentado pela SICPA Tintas e Sistemas de Segurança, o concerto terá como solistas os Cantores da Academia, que irão interpretar árias e duetos das óperas La Forza del Destino, Rigoletto, La Bohème, Werther, Norma, La Sonnambula, Les Pêcheurs de Perles e Lucia de Lammermoor. Esta apresentação contará com a participação da Orquestra Sinfônica do Universidade Federal do Rio de Janeiro e terá regência do Maestro Gabriel Rhein-Schirato.

Espaço de formação para jovens artistas líricos no repertório operístico, a Academia de Ópera Bidu Sayão fará seu terceiro espetáculo. A instituição que pertencente à Fundação Teatro Municipal do Rio de Janeiro, vinculada à Secretaria de Estado de Cultura (SEC), vai realizar a Cortina Lírica com trechos de composições de Verdi, Puccini, Carlos Gomes, Massenet, Bellini e Donizetti no dia 11 de setembro, às 17h, com ingressos a R$ 20,00. Apresentado pela SICPA Tintas e Sistemas de Segurança, o concerto terá como solistas os Cantores da Academia, que irão interpretar árias e duetos das óperas La Forza del Destino, Rigoletto, La Bohème, Werther, Norma, La Sonnambula, Les Pêcheurs de Perles e Lucia de Lammermoor. Esta apresentação contará com a participação da Orquestra Sinfônica do Universidade Federal do Rio de Janeiro e terá regência do Maestro Gabriel Rhein-Schirato.

“É o terceiro espetáculo da Academia de Ópera Bidu Sayão em poucos meses de existência, que revela o empenho e dedicação de todos os envolvidos no importante projeto de formação de novos cantores líricos. Após abordarem um título do século XVIII (Serse de Händel) e outro do século XX (Savitri de Holst), os jovens artistas apresentarão agora uma seleção de árias e conjuntos de óperas italianas e francesas do século XIX, que demonstra abrangência de épocas e estilos do repertório abordado”, observa o Maestro André Cardoso, Diretor Artístico do Theatro Municipal.

A Academia de Ópera Bidu Sayão está sob a coordenação do tenor Eduardo Alvares. A pianista Priscila Bomfim é a maestrina preparadora, o bailarino João Wlamir é o responsável pela preparação e expressão corporal e Bruno Furlanetto, chefe da Divisão de Ópera, pelos estudos de história da ópera. Estão previstos para 2016 na temporada da série Ópera de Câmara em Concerto outros dois títulos de diferentes épocas e estilos: Dido e Enéas, de Purcell e a inédita O Boi e o Burro a Caminho de Belém, ópera para o público infantil criada com base no texto de Maria Clara Machado, encomendada pelo Theatro Municipal ao compositor Tim Rescala.

Especialmente voltada para a qualificação profissional de cantores, a Academia de Ópera Bidu Sayão funciona em sistema de residência artística de até dois anos de estudos vocais, cênicos e musicais. As atividades desenvolvidas incluem aulas, masterclasses, estudo de repertório, ensaios e concertos, com trabalho focado na expressão musical e dramática. Os alunos participam das produções da temporada do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, assim como de espetáculos especialmente produzidos com finalidades artísticas e pedagógicas, realizados com piano ou orquestra.

Sobre o regente, Gabriel Rhein-Schirato

Atualmente Coordenador do recém-iniciado Opera Studio do Theatro Municipal de São Paulo, na Escola de Música de São Paulo, atuou entre 2011 e 2014 como Maestro Assistente da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Gabriel Rhein-Schirato fez seu bacharelado em piano com especialização em regência no Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo sob a orientação de Gilberto Tinetti, Aylton Escobar e Marco Antônio da Silva Ramos. Ao final do curso, foi congratulado com uma ‘Láurea por Excelência Acadêmica’, concedida pelo Reitor aos melhores alunos da Universidade dentre todos os cursos. Prosseguiu por quatro anos seus estudos de especialização (Weiterbildungstudium) e pós-graduação (Künstlerische Ausbildung Zusatstudium) nas cidades de Stuttgart e Bremen, Alemanha, sob a orientação de Patrick o’Byrne, tendo concluído o seu mestrado com nota máxima. Em dezembro de 2007, foi aceito na Accademia Superiore Città della Musica e del Teatro (Pescara, Itália) para o Corso di Alto Perfezionamento Musicale.

À frente da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, apresentou diversas obras do repertório sinfônico, operístico e, eventualmente, popular. Em 2012 e 2013, regeu a ópera Madama Butterfly no Jardim Japonês de Belo Horizonte. Em novembro de 2013, regeu Un Ballo in Maschera no Grande Teatro do Palácio das Artes. Realizou também a preparação da OSMG para outros regentes em obras como Giselle, Die Lustige Witwe, Carmina Burana e Fedra e Hipólito (em estreia mundial), entre outras, além ter comandado a Série de Concertos Didáticos. Em 2009, 2010 e 2011 foi maestro preparador no Coral do Amazonas, no Festival Amazonas de Ópera. No Theatro Municipal de São Paulo regeu, em setembro de 2013, a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo em uma das récitas comemorativas dos 45 anos de fundação do Ballet da Cidade. Ainda no mesmo Theatro, em março de 2014, dirigiu a ópera Il Trovatore e, em setembro de 2015, a ópera Thaïs.

 

SERVIÇO

 

CORTINA LÍRICA

SOLISTAS DA ACADEMIA DE ÓPERA BIDU SAYÃO

ORQUESTRA SINFÔNICA DA UFRJ

 

Regência Gabriel Rhein-Schirato

 

 

PROGRAMA:

 

GIUSEPPE VERDI

La Forza del Destino (1861) 

Libreto de Francesco Maria Piave

·         Abertura

·         Pace, pace mio Dio Tatiana Nogueira, soprano

 

Rigoletto (1851)

Libreto de Francesco Maria Piave

  • Questa o quella Bruno dos Anjos, tenor

·         Quel vecchio maledivami Flávio Mello, barítono, e Leonardo Thieze, baixo

·         Pari siamo Flávio Mello, barítono

·         Caro nome Luiza Lima, soprano

 

 

GIACOMO PUCCINI

La Bohème (1895)

Libreto de Luigi Illica e Giuseppe Giacosa

·         Vecchia Zimara Cícero Pires, baixo

 

 

JULES MASSENET

Werther (1887)

Libreto de Georges Hartmann, Édouard Blau e Paul Milliet

·         Ô nature, pleine de grâce Guilherme Moreira, tenor

Va! Laisse couler mes larmes Cintia Graton, mezzo-soprano

·         Werther, Werther (Ária das Cartas) Vivian Delfini, soprano

·         Pourquoi me réveiller Guilherme Moreira, tenor

 

 

Intervalo

 

VINCENZO BELLINI

Norma (1831)

Libreto de Felice Romani

·         Casta Diva Beatriz Simões, mezzo-soprano

Sgombra è la sacra selva Lara Cavalcanti, mezzo-soprano

 

La Sonnambula (1831)

Libreto de Felice Romani

·         Vi ravviso Leonardo Thieze, baixo

·         Ah! Non credea mirarti Michele Menezes, soprano

 

 

GEORGES BIZET

Les Pêcheurs de Perles (1863)

Libreto de Eugène Cormon e Michel Carré

·         Comme autre fois Luísa Suarez, soprano

·      Au fond du Temple Saint Flávio Mello, barítono,  e Leonardo Feitosa, tenor

 

 

GAETANO DONIZETTI

Libreto de Salvatores Cammarano

Lucia de Lammermoor (1835)

·         Chi mi frena in tal momento? Todos os solistas

 

 

 

Coordenação e Orientação Vocal –  Eduardo Alvares

Preparação Cênica – João Wlamir

Estudos De Ópera Bruno Furlanetto

 

 

Patrocínio:

SICPA Brasil Tintas e Sistemas de Segurança

 

Apoio:

CVC Viagens e Turismo

Hotéis Othon

O Globo

Rádio SulAmérica Paradiso

Livraria da Travessa

Rádio MEC

MAC Cosmetics

Só Dança

 

 

Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Praça Floriano s/n° – Centro

 

Dia 11 de setembro de 2016, às 17h

 

 

Preços:

  • Frisas e Camarotes – R$ 120,00
  • Plateia e Balcão Nobre – R$ 20,00
  • Balcão Superior e Galeria – R$ 20,00 

Desconto de 50% para estudantes e idosos

Vendas na Bilheteria, no site Ingresso.com

ou por telefone (21) 4003-2330

Capacidade – 2.227 lugares

Classificação etária – Livre

Informações – (21) 2332-9191

Anúncios