Chuva – Eu fui!

Em cartaz no Teatro Ipanema, o grupo de teatro Tábula Rasa leva para os palcos a obra do autor Luiz Vilela. Apesar de batizar a peça, “Chuva” não é o enredo do espetáculo inteiro. O conto é um dos cinco apresentados, assim como Com os seus próprios olhos, Mosca morta, Vazio, Solidão. Apesar de diferentes, as estórias encontram um denominador comum na temática. Falam sobre medo, solidão, ódio, e tudo o mais que pode causar o isolamento humano.

Em “Com os seus próprios olhos”, um aluno é convocado a comparecer ao gabinete do diretor do colégio para tratar de um episódio delicado, do qual foi testemunha ocular, mas que o próprio não deu muita importância. “Mosca morta” se trata de um homem que aparece em um bar – em uma noite de chuva – e tem com outro um diálogo tenso a respeito de algo que aconteceu no passado. “Vento” fala de uma mulher que tenta entender por que o marido, sem explicação, chegou em casa antes do fim do expediente. “Solidão” mostra uma mulher solitária que faz, sem avisar, uma visita a um casal vizinho, gerando um mal-estar entre o marido e a esposa. Em “Chuva”, após acolher em sua casa um vira-lata, um homem fala, se dirigindo ao animal, sobre a solidão, em uma noite de chuva. Para a apresentação dos cinco contos, 4 atores se revezam em cena.

Em todas as cenas, o mistério está presente como um elemento coadjuvante (ou não) no espetáculo. Os personagens – não apenas os protagonistas dos contos – parecem esconder algo em seu íntimo. Mesmo que não seja explícito que têm algum segredo a revelar, há uma certa atmosfera sombria no ar.

A obra de Luiz Vilela é vasta no ramo da ficção. Dentre eles, o livro de contos “Tremor de terra”, a novela “O choro no travesseiro” e o romance “Perdição”. A variedade dos trabalhos renderam ao autor muitos prêmios, como o Prêmio Nacional de Ficção, o Prêmio Jabuti e o Prêmio ABL de Ficção. O escritor não se limita à literatura. Além de “Chuva”, outros contos de sua autoria foram levados para o teatro, cinema e televisão, com destaque para “Tarde da noite”, da Série Brava Gente, da TV Globo.

Para quem se interessa em conhecer a obra de Luiz Vilela e do grupo de teatro Tábula Rasa, segue o serviço do espetáculo:

Espetáculo: Chuva

Local: Teatro Candido Mendes

Endereço: Rua Joana Angélica, 63, Ipanema, Rio de Janeiro – RJ

Telefones: (21) 2523-3663

Horário: Quarta e quinta, às 20h.

Preço: R$ 30,00 (inteira) | R$ 15,00 (meia)

Lotação do teatro: 110 lugares

Duração: 1h

Classificação Indicativa: 16 anos

Horário da bilheteria: Todos os dias, das 13hs às 20hs

P.S.: Agradeço à Rachel Almeida pelo convite

 

Anúncios