O Beijo no Asfalto – Eu fui!

Nelson Rodrigues é um autor dono de diversos sucessos no teatro (como “Bonitinha, mas ordinária“, que já tivemos a oportunidade de conferir). Como se não bastasse o vasto legado teatral, agora seus clássicos estão adquirindo diferentes roupagens. E não se trata apenas de novas adaptações. “O Beijo no Asfalto”, por exemplo, está agora sendo encenada nos palcos como forma de musical.

A peça foi escrita em 1960, e o protagonista é Arandir (Claudio Lins). Rapaz recém-casado com Selminha (Laila Garin), é um pacato funcionário de escritório e morador do subúrbio carioca. Toda a paz tem fim quando presencia um atropelamento na Praça da Bandeira. Arandir vai acudir a vítima, que pede um beijo. Ele atende ao pedido, e a cena é presenciada pelo sogro, Aprígio (Gracindo Jr.), e pelo jornalista Amado Ribeiro (Thelmo Fernandes), que achou o fato interessante e resolveu publicá-lo no jornal em que trabalha, “A Última Hora”.

A partir de então tudo começa a ficar cada vez pior para Arandir. Além de ter sua vida devassada pelos jornais, também perde a confiança de pessoas próximas, que passam a crer mais nos veículos que em sua palavra. Seja em relação a sua masculinidade e até mesmo seu caráter. O que pode levar a uma discussão sobre como a mídia pode interferir negativamente na vida de uma pessoa comum. No caso de Arandir, um inocente que viu uma fatalidade cruzar seu caminho. Ou não? Por vezes, a impressão é a de que a peça quer também deixar a dúvida no espectador sobre a dubiedade de Arandir, já que o episódio apenas é simulado, de acordo com relatos. Bem, o protagonista adquiriu desconfiança de todos, mas não gerou a minha. Mesmo assim, não é apenas a vida dele que é mudada, mas a de todos ao seu redor.

“O Beijo no Asfalto” tem elementos clássicos de obras de Nelson Rodrigues. Conflitos familiares, confusões de sentimentos, sensualidade e características de comportamentos típicos dos anos 1960. A grande novidade está na escolha do formato de musical para ajudar a contar a história. A inspiração foram canções de Cauby Peixoto, Tito Madi, Vicente Celestino, Orlando Dias, Roberto Silva, Nelson Gonçalves, Anísio Silva. As interpretações são de Claudio Lins, Laila Garin (que já brilhou na pele de Elis Regina, em “Elis, a Musical“), Yasmin Gomlevsky, entre outros.

Mesmo com todas as boas interpretações musicais, o que mais chama a atenção em “O Beijo no Asfalto” é o próprio enredo rodriguiano. Com destaque para o desfecho surpreendente, que arranca risos do público, de tão inusitado. Vale a pena conferir mais um trabalho musical, de origem 100% nacional.

 

P.S.: Agradeço à Midiorama pelos convites

 

Serviço:

Local: Teatro das Artes (Rua Marquês de São Vicente, 52 -2º piso – Shopping da Gávea , Rio de Janeiro – RJ)

Ingressos:

Quintas e sextas:

  • Inteira – R$ 80,00
  • Meia-entrada – R$ 40,00 às quintas e sextas

Sábados e domingos:

  • Inteira – R$ 90,00
  • Meia-entrada – R$ 45,00

 

Anúncios

Um comentário sobre “O Beijo no Asfalto – Eu fui!

Os comentários estão desativados.