SamBra, o musical – 100 anos de samba

Com apresentações lotadas em todo o país, “SamBra, o musical – 100 anos de samba” volta à cidade maravilhosa para temporada popular no Teatro João Caetano, a partir do dia 15 de outubro (quinta-feira). O espetáculo visita a história do samba e de seus baluartes, contando a trajetória deste gênero musical em homenagem ao seu centenário. A superprodução já teve curta temporada no Rio de Janeiro e em São Paulo, com apresentações no Vivo Rio (RJ) e no Espaço das Américas (SP), e viajou por cinco cidades (Belo Horizonte, Salvador, Brasília, Porto Alegre e Curitiba).

Vencedor de oito prêmios por direção, texto e atuação em musicais e com mais de 60 indicações, Gustavo Gasparani, autor e diretor do espetáculo, retorna ao gênero como ator em “SamBra, o musical – 100 anos de samba”. Gustavo assume os papéis interpretados por Diogo Nogueira, que precisou se ausentar temporariamente, pois estará em turnê com o lançamento de seu novo álbum. “O Gustavo tem uma história muito antiga, profunda e verdadeira com o samba e também já estava completamente envolvido com o processo do musical. A escolha por ele aconteceu naturalmente.”, conta Aniela Jordan, sócia-diretora da Aventura Entretenimento, e que assina a direção artística e de produção do musical. Gustavo Gasparani aceitou o novo desafio com alegria “Eu não atuo em musical há dois anos e meio. Estou há um tempo na tragédia grega, no Shakespeare, então voltar para os musicais fazendo algo tão prazeroso é uma felicidade! Para falar do samba tem que ter verdade, se não for de coração fica falso. O samba não admite isso, a fé tem que ser verdadeira e eu acho que vou conseguir passar isso junto com essa equipe maravilhosa!”, comenta o ator e diretor. Para comemorar os 202 anos do Teatro João Caetano, o musical terá sessão especial no dia 27 de outubro.

“SamBra, o musical – 100 anos de samba” é uma co-produção da Aventura Entretenimento e da Musickeria, que apostaram na ideia de Washington Olivetto de criar um projeto que homenageasse o gênero musical mais característico do país. Apresentado pelo Ministério da Cultura e pelo Bradesco, “SamBra, o musical – 100 anos de samba” terá outras ações além do teatro: um projeto multiplataforma que prevê o lançamento de um livro, ambiente web, web rádio e um ciclo de encontros.

Sobre o espetáculo

Com duas horas e meia de duração dividida em dois atos, a produção é composta de prólogo, abertura e mais 14 quadros que envolvem cerca de 70 músicas cantadas e 25 outras que ligam as canções em formato de texto. A narrativa é feita de forma quase cronológica e conta desde o registro de “Pelo telefone”, canção conhecida por ser o primeiro samba registrado do país, até a chegada do samba na Avenida, com os desfiles de carnaval. Passando pelo berço do samba; a Praça XI; os morros, a boemia e a malandragem cariocas; o teatro de revista; o samba politizado e o subúrbio do Rio. Todos os grandes nomes do gênero são lembrados: Pixinguinha, Silas de Oliveira, Mano Décio da Viola, Donga, João da Baiana, Sinhô, Ismael, Tia Ciata, Francisco Alves, Carmen Miranda, Grande Otelo, Cartola, João Nogueira, Clara Nunes, Paulo Cesar Pinheiro, Noel Rosa, Chico Buarque, Billy Blanco, Martinho da Vila, o Cacique de Ramos, Jorge Aragão, Silas de Oliveira, Beth Carvalho, Paulinho da Viola e muitos outros.

Para escrever o espetáculo, Gustavo Gasparani mergulhou durante três meses em uma profunda pesquisa para a criação do texto. “É uma grande viagem, irreverente e lúdica, nada didática, onde o samba é a inspiração, o protagonista. Buscamos um olhar diferente, que fugisse do óbvio, uma forma nova de cantar o samba, sem perder a essência. Me fixei nos movimentos, na chegada do choro, na relação do teatro com o samba, na irreverência das revistas, na importância da Praça XI, na explosão do rádio. Mas não é calcado no racional, pelo contrário, é feito pra emocionar, pra mexer com o público e vimos, pelo retorno do público, que conseguimos esse objetivo ao viajar o país com essa produção”, conta Gasparani.

Equipe criativa

Além de Gustavo Gasparani, o espetáculo terá também a atriz, autora e produtora Ana Velloso, de “Clara Nunes – Brasil Mestiço”, “O Bem do Mar” e “A Aurora da Minha Vida”; Beatriz Rabello, estrela de “Divina Elizeth” e filha de Paulinho da Viola; Lilian Valeska, uma das protagonistas do seriado “Sexo e as Negas”; e mais Patricia Costa, Simone Debett, Bruno Quixotte, Edio Nunes, Wladimir Pinheiro, Alan Rocha, Cristiano Gualda, Catia Cabral, Patricia Ferrer, Pablo Dutra, Paulo Mazzoni, Shirlene Paixão e Charles Fernandes.

A coreografia é assinada por Renato Vieira, professor, coreógrafo e diretor artístico e de movimento. Renata já esteve à frente da comissão de frente da Grande Rio, em 2003, onde permaneceu por nove anos. Na equipe coreográfica também participa Isnard Manso e Marluce Medeiros. O figurino é de Marília Carneiro, uma das figurinistas mais consagradas do país, que assinou o vestuário de grandes novelas da Rede Globo, como “Páginas da Vida”, “Celebridade” e “O Clone”, com colaboração de Reinaldo Elias e assistência de Luiza Moura. Nando Duarte assina a direção musical; Juliana Medella e Pedro Rothe são assistentes de direção; a cenografia ficará a cargo de Hélio Eichbauer – cenógrafo renomado, que assinou peças como “O Rei da Vela” e, aos 30 anos, já havia sido premiado 28 vezes, além de ter realizado 130 trabalhos em teatro e 13 exposições – com assistência de Marieta Spada e Igor Perseke; Marcela Altberg é a produtora de elenco e Maurício Detoni o preparador vocal; o design de som ficará a cargo de Carlos Esteves, o design de luz de Paulo Cesar Medeiros e a videografia de Thiago Stauffer.

Projeto Multiplataforma

“SamBra, o musical – 100 anos de samba” não é apenas um musical, mas também um projeto multiplataforma. Além dos espetáculos presenciais, o projeto terá a criação de outras plataformas que acontecerão paralelamente às apresentações do espetáculo. A primeira ação lançada, antes mesmo da estreia de “SamBra, o musical – 100 anos de samba”, foi um portal integrado às redes sociais, com conteúdos relevantes sobre os 100 anos de samba, como entrevistas, imagens históricas e uma linha do tempo que apresenta, de forma gráfica e cronológica, a história do movimento. Também entrará no ar uma Web Rádio, que contará a história do samba em uma seleção de músicas disponível gratuitamente através das plataformas web e  mobile. O projeto prevê também o lançamento de um livro, que terá entrevistas, curiosidades e uma seleção de imagens que contarão a história dos 100 anos de samba, em versões física e e-book adaptado para tablets. Será realizado também um Ciclo de Encontros SamBra, com a presença de notáveis como jornalistas, pesquisadores e compositores que falarão sobre a história do samba e a importância do gênero como expressão cultural brasileira. Nos dias das estreias dos espetáculos, tanto no Rio quanto em São Paulo, acontecerão Rodas de Samba após as apresentações, para convidados.

Gustavo Gasparani

Iniciou sua carreira em 1982, fazendo teatro amador no Colégio Andrews, dirigido por Miguel Falabella. Com formação em dança, fez cursos de especialização em teatro, inclusive Casa das Artes de Laranjeiras (CAL) e Tablado, estudou canto, balé clássico,  técnicas vocais e mímica. Em 1989, fundou a Cia. dos Atores, dirigida por Enrique Díaz, onde encenou vários espetáculos como “Cobaias de Satã”, “O Rei da Vela”, “Meu Destino é Pecar” e “O Bem Amado”, entre outros. Com a companhia, participou de festivais na Argentina, Estados Unidos, Portugal, Espanha e recebeu prêmios como Shell, APCA, Molière e Mambembe. Paralelamente à trajetória da Cia. dos Atores, escreveu e/ou dirigiu os musicais “A Flor e o Samba”, “Clara Nunes – Brasil Mestiço”, “Rio…enredo do meu samba!”, “Comédias Cariocas “, “Mercedes de Meddelin”, “Otelo da Mangueira”, “Oui, Oui, A França é Aqui”, “Samba Futebol Clube” e “As Mimosas da Praça Tiradentes”. Participou da adaptação de “Ricardo III”, de Shakespeare, onde viveu 21 personagens. Passista da Mangueira por 20 anos, fez ainda vários trabalhos na TV (“Anos Rebeldes”, “Dalva e Herivelto”, “Você Decide”, “Lua Cheia de Amor”) e no cinema (“Orfeu”, “Uma Bela Noite Para Voar”, “Xangô de Backer Street”, “Orquestra dos Meninos” e “Buffo & Spallanzani”). Também é professor de teatro, no Colégio Andrews e na Casa Cultura Laura Alvim, onde dirige montagens anuais com seus alunos.

Sobre as produtoras:

 

Aventura Entretenimento

Produtora de grandes sucessos musicais no Brasil, a Aventura Entretenimento (www.aventuraentretenimento.com.br) foi criada em 2008. Desde então, vem investindo no crescimento e na modernização do mercado de musicais. Com o passar dos anos, os espetáculos criados no país ampliaram sua estrutura, ganharam espaço no mercado e poder de atração entre espectadores e investidores. A empresa dos sócios Aniela Jordan, Fernando Campos e Luiz Calainho já produziu grandes sucessos como Elis, A Musical,  Um Violinista no TelhadoHairJudy GarlandA Noviça RebeldeGypsySete – O Musical, O Mágico de OzRock in Rio – O Musical, entre outros, levando mais de 2 milhões de pessoas ao teatro.

Inspirada no grande sucesso de Uma Aventura Brasileira – trilogia criada em 2013, composta por Elis, A Musical, Se Eu Fosse Você, o musical e Chacrinha, o musical, que levou mais de 600 mil espectadores aos teatros, a Aventura Entretenimento lançou, em 2015, Uma Nova Aventura Brasileira. A nova série conta com quatro espetáculos que prometem, mais uma vez, revolucionar o conceito de musicais com os espetáculos: “SamBRA”, “O primeiro musical a gente nunca esquece”, que estreia dia 29 de outubro no Theatro NET, em São Paulo, “Garota de Ipanema, o musical” e “Vamp”.

MUSICKERIA

A Musickeria, dos sócios Luiz Calainho, Flavio Pinheiro e Afonso de Carvalho, desenvolve soluções criativas e inovadoras para promover a ativação e posicionamento de marcas através da plataforma de música. Direção artística, curadoria, planejamento e execução de alavancagem editorial de branded content são algumas das suas áreas de atuação.  A companhia já realizou grandes cases para marcas como Sky, Bradesco, VIVO, Ambev, P&G, Itaú, Bombril e Gol e agências como Africa, WMcCann, GREY e DPZ. Entre os cases recentes estão o Re-Colour da canção EX4GERADO, de Cazuza e a reedicão do Circo Voador na praia do Arpoador desenvolvidos para a VIVO e Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, o musical “SamBra – 100 anos de samba”, realizado em parceria com a Aventura Entretenimento, a direção artística e alavancagem editorial de “Prontas pra Divar” para a marca Gillette Vênus e o Rock in Rio 30 anos Box Brasil, um projeto de conteúdo multiplataforma em celebração aos 30 anos do maior festival de música do mundo, apresentado por SKY e apoiado pela Gol.

Elenco

Gustavo Gasparani, Ana Velloso, Beatriz Rabello, Lilian Valeska, Patricia Costa, Alan Rocha, Bruno Quixotte, Cristiano Gualda, Édio Nunes, Wladimir Pinheiro, Cátia Cabral, Patrícia Ferrer, Shirlene Paixão, Simone Debett, Charles Fernandes, Pablo Dutra e Paulo Mazzoni

Músicos

Nando Duarte (Regente/Violonista), Alexandre Caldi  (Sax/Flauta), André Vercelino (Percussão), Zé Luiz Maia (Baixo), Fabiano Segalote (Trombone), Gustavo Salgado (Piano), João Callado (Cavaco), José Arimatea (Trompete), Nailson Simões (Bateria e Percussão) e Rodrigo Jesus (Percussão).

Serviço:

SamBra, o musical – 100 anos de samba

Temporada: de 15 de outubro a 06 de dezembro

Teatro João Caetano – Praça Tiradentes, s/n – Centro, Rio de Janeiro/RJ

Quintas – 19h | Sextas e sábados – 20h | Domingos – 18h30

Funcionamento da bilheteria: Diariamente das 14h às 18h ou até a hora do espetáculo (em dias com apresentações)

Telefone da bilheteria: (21) 2332-9166

Pela internet: www.ingresso.com

 

Preços:

Quinta e sexta

Plateia – R$80,00 (inteira)| R$40,00 (meia)

Balcão nobre – R$70,00 (inteira) | R$35 (meia)

Balcão simples – R$40,00 (inteira) | R$20 (meia)

Sábado e domingo

Plateia – R$100,00 (inteira) | R$50,00 (meia)

Balcão nobre – R$80,00 (inteira) | R$40 (meia)

Balcão simples – R$50,00 (inteira) | R$25 (meia)

Capacidade: 1.139 lugares

Duração: 150 minutos (com intervalo)

Classificação etária: Livre