Exposição “A ARte do Rio”

Criado no ano 2000 pela curadora Celina Azeredo, o projeto A Arte do Rio chega à 15ª edição com uma grande exposição coletiva em homenagem aos 450 anos da Cidade Maravilhosa. A mostra, que será inaugurada no dia 1º de setembro no Centro Municipal de Artes Calouste Gulbekian, reúne mais de 30 obras de oito artistas (cariocas de nascimento ou de coração).

Com texto de apresentação do artista e professor de História da Arte Marco Cavalcanti, a edição de A Arte do Rio 2015 é quase toda dedicada à pintura, com obras de Benjamin Rothstein, Dirce Fett, Gilda Goulart, José Maria Dias da Cruz, Marco Cavalcanti, Sergio Ferreira, Solange Palatnik e Yolanda Freire. “O projeto acontece anualmente e o objetivo sempre foi movimentar a cena artística local. Queremos dar visibilidade a quem produz no Rio”, explica a curadora.

As praias em tempos distintos estão retratadas nas quatro obras de Benjamin Rothstein. O trabalho, que compõe a série Histórias do Mar, revela a essência do espírito carioca, com muita leveza e descontração. “A minha relação com o mar é muito peculiar. Há momentos de calma e tensão; chegadas e partidas; mistérios e transparências; contemplações e distrações”, comenta o artista.

A gaúcha Dirce Fett, que escolheu o Rio para viver há mais de 40 anos, apresenta dois grandes trabalhos, de 1,50 X 2,00, inspirados na natureza da Mata Atlântica. As telas vibrantes fazem parte da série que retrata a fauna e a flora brasileiras, apresentada recentemente pela artista em Nova York.

Yolanda Freire, que já participou duas vezes da Bienal Internacional de São Paulo, apresenta a série Favelas. O trabalho tem como inspiração as linhas que se formam no encontro das casas nos morros, construídas sem qualquer planejamento. “Há uma poesia ali, desordenada e livre, que me fascina”, diz a artista.

De seu ateliê no Leblon, Solange Palatnik trabalha com tinta acrílica, utilizando técnicas próprias de relevos feitos com colheradas de tinta em grandes formatos. Para a exposição ela leva trabalhos que falam do universo feminino, sempre com muitas cores e flores.

No ano em que completa 50 anos de carreira, Gilda Goulart aposta na série Severina para fazer uma crítica. A partir de fotos impressionantes de uma mulher pobre que havia morrido queimada, ela faz impressões em transfer sobre algodão e borda com ponto de alinhavo.  “Foi uma homenagem que decidi fazer às mulheres. Dei significado e cor àquelas pessoas que muitas vezes passam invisíveis pela sociedade”, diz.

O Rio sai de cena nas obras de José Maria Dias da Cruz. Profundo conhecedor do trabalho do francês Cézanne, o artista é obcecado pela cor. Seus trabalhos são baseados em uma profunda pesquisa de composição geométrica e unem sincronicidade absoluta a rigidez das formas e a potência e vibração das cores.

Criativo, orquestrador das formas, Sergio Ferreira apresenta pequenos desenhos de acidez crítica e satírica inspirados na Pop Art americana. Já Marco Cavalcanti trabalha com pintura, fotografia experimental e design gráfico e mostra montagens fotográficas feitas a partir de atritos gráficos.

Artistas participantes – Benjamin Rothstein, Dirce Fett, Gilda Goulart, José Maria Dias da Cruz, Marco Cavalcanti, Sergio Ferreira, Solange Palatnik e Yolanda Freire.

SERVIÇO

Título da mostra: A Arte do Rio 2015

Abertura: 1º de setembro (terça-feira), às 18h

Visitação: 2 a 20 de setembro

Local: Centro Municipal de Artes Calouste Gulbekian

Endereço: Rua Benedito Hipólito, 125, Praça XI

Horário de visitação: de segunda a domingo, inclusive feriados, das 10h às 19h, Cidade Nova

Telefones: (21) 2224-5747

Entrada gratuita.

Anúncios