“Não nem nada” no Teatro Poeirinha

Depois de quase um ano em cartaz em São Paulo, “Não nem nada” chega ao Rio para uma curta temporada de 31 de julho a 30 de agosto, no Teatro Poeirinha. A peça marca a estreia do músico e cineasta Vinicius Calderoni (conhecido por sua carreira solo e na banda 5 a Seco) como dramaturgo e diretor. O espetáculo tem codireção de Rafael Gomes, que também dirigiu “Música para cortar os pulsos” e “Gotas d’água sobre pedras escaldantes” – esta última apresentada recentemente no Rio durante o Festival Cena Brasil Internacional. Rafael e Vinicius fundaram a companhia Empório de Teatro Sortido há cinco anos, na capital paulista.

O elenco formado por Geraldo Rodrigues, Mayara Constantino, Renata Gaspar e Victor Mendes interpreta vários personagens durante um frenético jogo dramatúrgico encenado em plano sequência – cenas ininterruptas e interligadas. Em um texto acelerado e provocativo, Vinicius Calderoni costura temas como o universo do telemarketing, as campanhas publicitárias das grandes corporações financeiras, o mundo das celebridades, as redes sociais, a rapidez das relações amorosas, entre outros assuntos do cotidiano.

Criado por Valentina Soares e Wagner Antônio, o cenário de “Não nem nada” faz alusão a um ginásio ou um grande tabuleiro de xadrez repleto de rampas, alçapões e estruturas modulares, onde os atores atuam quase como jogadores de uma gincana cênica. “Não nem nada” é a primeira peça da trilogia “Placas Tectônicas”, composta por três textos inéditos de Vinicius Calderoni. O segundo espetáculo, “Ãrrã”, tem estreia prevista para setembro, em São Paulo. A terceira montagem, prevista para 2016, será “Chorume”.

SOBRE A COMPANHIA EMPÓRIO DE TEATRO SORTIDO

Criada em 2010 por Rafael Gomes e Vinicius Calderoni, a companhia abarca as

diversas vertentes da cena contemporânea. Formados em cinema, a dupla desenvolve projetos de dramaturgia para cinema, TV e teatro.

O primeiro espetáculo da companhia, “Música para cortar os pulsos”, foi recebido com entusiasmo pela crítica e recebeu os prêmios de “Melhor Peça Jovem 2010”, da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA); e “Melhor Espetáculo” e “Melhor Direção”, na FITA 2011. Foi indicado ao Prêmio Questão de Crítica 2012, na categoria “Melhor Dramaturgia”. Em 2012, estreou a peça-show “Cambaio (a Seco)”, uma releitura de Rafael Gomes para o musical de Chico Buarque e Edu Lobo, com texto de Adriana Falcão e João Falcão, com atores e a banda 5 a Seco.

Em 2014, Empório de Teatro Sortido teve um ano repleto com três montagens: “O convidado surpresa”, adaptação de Rafael para o romance de Gregoire Boullier; “Gotas d’água sobre pedras escaldantes”, de Rainer W. Fassbinder, com direção de Rafael Gomes, Luciano Chirolli e Gilda Nomacce e “Não nem nada”, texto e direção de Vinicius Calderoni.

Atualmente, a companhia está em cartaz na capital paulista com “Um bonde chamado desejo”, de Tennessee Williams. Com direção de Rafael Gomes, a peça é estrelada por Maria Luisa Mendonça e Eduardo Moscovis. Foi indicada ao prêmio Shell 2015 em quatro categorias. Com estreia prevista para setembro em São Paulo, a “Ãrrã”, texto e direção de Vinicius Calderoni, é a nova montagem do grupo.

SOBRE O DIRETOR E AUTOR

Vinicius Calderoni é mais conhecido por seu trabalho musical como cantor e compositor, mas desenvolve projetos para teatro, cinema e televisão. Seu primeiro texto para teatro, “Não nem nada”, recebeu elogios de público e crítica e foi indicado ao Prêmio Shell 2014 nas categorias “Melhor Texto” e “Melhor Atriz” para Renata Gaspar. Escreveu, ao lado de Rafael Gomes, o musical infantojuvenil “Mas por quê – A história de Elvis” (2015).

Atualmente, Calderoni ensaia a montagem de seu novo texto inédito, “Ãrrã”, com estreia marcada para setembro em São Paulo, estrelado por Luciana Paes e Thiago Amaral. Para o início de 2016, está marcada a estreia de outro texto autoral: “Os arqueólogos”. Nesta montagem, Vinicius também aparece como ator, ao lado de Guilherme Magon.

Cantor e compositor de destaque na cena contemporânea brasileira, Calderoni tem dois discos solos: “Tranchã” (2007) e “Para abrir os paladares” (2013). Também integra o coletivo 5 a Seco. “Ao vivo no Auditório Ibirapuera” (2012) é o primeiro CD/DVD da banda e conta com as participações de Lenine, Maria Gadu, Chico César e Ivan Lins. O álbum foi indicado ao Prêmio da Música Brasileira na categoria “Melhor Grupo de MPB”. Em 2014, o grupo lançou seu segundo disco, “Policromo”, com produção de Alê Siqueira e selecionado pelo Natura Musical.

Formado em Cinema pela FAAP (SP), foi montador do curta “Os sapatos de Aristeu”, dirigido por René Guerra. Vencedor de mais de 50 prêmios, o filme rendeu a Vinicius o prêmio de “Melhor Montador”, no Cine Ceará de 2009. Na TV, foi roteirista, ator e locutor do quadro de humor “Massaroca”, exibido entre 2007 e 2009, no programa “Metrópolis” (TV Cultura).

SOBRE O CODIRETOR

Rafael Gomes é formado em Cinema pela FAAP e dirigiu seis curtas premiados e exibidos em diversos países, sendo um deles “Tapa na pantera” – um grande fenômeno de público na internet. Foi roteirista e diretor geral da série infantojuvenil “Tudo o que é sólido pode derreter” (TV Cultura), premiado com o Prix Jeunesse Iberoamericano2009 e eleito na categoria “Melhores do Ano” nos jornais “Folha de S. Paulo” e “Estado de S. Paulo”. Também é autor da versão literária do seriado (Editora Leya, 2011).

Na TV, também escreveu e dirigiu episódios da minissérie “Família Imperial” (TV Futura, 2012), sob direção geral de Cao Hamburger; integrou a equipe de roteiristas do seriado “Louco por elas” (TV Globo, 2012-2013), sob direção geral de João Falcão; e foi roteirista-chefe de“3 Teresas” (GNT, 2013-2014), sob direção de Luiz Villaça.

Em 2014, assinou o roteiro do novo longa de Luiz Villaça, “De onde eu te vejo”, protagonizado por Denise Fraga e Domingos Montagner; e produz, atualmente a versão para as telas da peça “Música para cortar os pulsos”.

Escreveu e dirigiu “Música para cortas os pulsos” (2010), primeiro espetáculo da companhia Empório de Teatro Sortido. Também dirigiu “Cambaio (a Seco)” (2012), “O convidado surpresa” (2014), “Gotas d’água sobre pedras escaldantes” (2014) – que recebeu três indicações ao prêmio Shell – e “Um bonde chamado desejo” (2015). Por este último, foi ao Prêmio Shell 2015 em quatro categorias, incluindo “Melhor Direção”.

Em 2013, assinou a autoria de duas peças: “Edukators”, versão para os palcos do filme homônimo de Hans Weingartner, com direção de João Fonseca, e “Talvez uma história de amor”, adaptação do romance homônimo de Martin Page, com direção de Vinicius Arneiro. Também escreveu, juntamente com Vinicius Calderoni, o musical infantojuvenil “Mas por quê – A história de Elvis” (2015), grande sucesso de público e crítica no Rio de Janeiro e em São Paulo.

FICHA TÉCNICA:

Texto e direção: Vinicius Calderoni

Elenco:Geraldo Rodrigues, Mayara Constantino, Renata Gaspar e Victor Mendes

Codireção:Rafael Gomes

Assistência de direção: Guilherme Magon

Cenografia: Valentina Soares e Wagner Antônio

Desenho de luz: Wagner Antônio e Robson Lima

Figurinos:Valentina Soares

Preparação corporal: Fabrício Licursi

Direção de produção: Cesar Ramos e Gustavo Sanna

 

SERVIÇO:

“Não nem nada”

Local:Teatro Poeirinha (Rua São João Batista, 104 – Botafogo)

Informações:2537-8053

Capacidade: 50 lugares

Temporada: de 31 de julho a 30 de agosto

Dias e horários: Sextas e sábados, às 21h.

Domingos, às 19h Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia)

Classificação etária: 14 anos Gênero: comédia