Será que a gente influencia o Caetano?

A Companhia Tartufaria de Atores encena a partir de 5 de agosto, no Galpão das Artes do Espaço Tom Jobim, o texto de Mário Bortolotto “Será que a gente influencia o Caetano?”.

Escrita há 30 anos, porém retratando a atualidade, a comédia dirigida por Marcello Gonçalves, que traça um irônico retrato de uma geração arrogante e acostumada à acomodação, fica em cartaz quartas e quintas-feiras, às 21h, até o dia 24 de setembro.

Recentemente apresentada no 24º Festival de Teatro de Curitiba, a montagem traz diálogos divertidos e afiados nas interpretações dos atores Andrey Lopes (Beto Virgem) e Fábio Guará (Mário).

Em 10 cenas, Beto e Mário, respectivamente, poeta e músico, são dois amigos e parceiros que se preparam, a juventude inteira, para serem grandes artistas e resolvem participar de um concurso de calouros para iniciar a carreira e alcançar o estrelato. Os dois sonham em produzir uma música tão grandiosa e emblemática que chegue a influenciar o grande cantor baiano, Caetano Veloso.

Por se tratar de um texto leve, divertido e que provoca reflexões, impagáveis reflexões! Até mesmo esta: Será que a gente influencia o Caetano? enquanto sociedade, enquanto país, enquanto ser humano. A peça se classificou no Festival de Teatro de Curitiba entre as 5 melhores comédias.

SINOPSE SUGERIDA

O músico Mário e o poeta Beto, amigos e parceiros, se juntam para tentar alcançar a fama. Para isso, a meta deles é produzir uma obra musical de peso que consiga influenciar o ícone Caetano Veloso.

SOBRE A CIA:

Grupo formado em 2009 que vem desenvolvendo um trabalho experimental com peças brasileiras de autores como Mário Bortolotto em “O que Restou do Sagrado”, que estreou em 2014; Martins Penna em “O Terrível Capitão do Mato”, em novembro de 2011; e Marcio Américo em “O homem que Queria ser Rita Cadillac” que circula desde 2011 e já foi vista por mais de 10.000 pessoas.

CURRÍCULOS

O autor Mário Bortolotto é fundador do Grupo Cemitério de Automóveis (em 2015 o grupo completa 33 anos). Escreveu mais de 30 peças, em 2000 ganhou o Prêmio APCA pelo conjunto da obra e o Prêmio Shell de melhor autor pela peça “Nossa Vida não Vale um Chevrolet.”

O diretor Marcello Gonçalves possui mais de vinte anos de carreira enquanto ator no teatro e na televisão. No cinema destacou-se em “Tropa de Elite 2”. Estreou como diretor na montagem de “Borderline” (2015) da Cia Arte Nova, fundada em 2014.

O ator Andrey Lopes é curitibano, participou de mais de 20 montagens teatrais. Ao lado de Geovana Tominaga estreia como apresentador do reality show “Como cheguei aqui”, pela televisão americana BYU, para toda América Latina no final de 2015. Em 2016 estreia com o Programa de humor Conexão, ganhador de 4 Emmys, pela mesma TV americana. Faz parte do seriado Detetives do prédio azul do Gloob. Fez participações em programas de humor do Multishow e de algumas novelas da Globo e Record, além de diversas campanhas publicitárias.

Fábio Guará é paulista, fundador do grupo Tartufaria de Atores sediado no Rio de Janeiro. Estreou 3 espetáculos inéditos no Festival de Teatro de Curitiba em 2015 como diretor em duas peças e participando das 3 como ator. Atuou nas novelas Tititi e Guerra dos Sexos. Fez articipações em diversos produtos da Globo, Record e Multishow além de mais de 20 peças profissionais. Fez comerciais em praticamente todos os segmentos da publicidade.

 

SERVIÇO

Será que a gente influencia o Caetano?

Estreia: 5 de agosto de 2015

Temporada: De 5 de agosto até 24 de setembro

Datas: Quartas e Quintas-feiras

Horário: 21h

Local: Espaço Tom Jobim – Galpão das Artes

Endereço: Rua Jardim Botânico – 1008 – Jardim Botânico -Telefone – (21) 2274-7012

Duração: 70 min.

Classificação: 12 anos

Capacidade: 55 Lugares

Preço: R$ 40,00 (Inteira) – R$ 20,00 (Meia entrada)

Gênero: Comédia

Funcionamento da Bilheteria: De terça a domingo – Das 14h até o horário de início do espetáculo.

Vendas: www.ingresso.com.br

 

FICHA TECNICA

Texto: Mário Bortolotto

Direção: Marcello Gonçalves

Elenco: Andrey Lopes e Fábio Guará

Iluminador: Felipe Lourenço

Diretor de Movimento: Márcio Vieira

Direção de Arte: Alex Brollo e Rafael Ronconi

Produção: Bruna Fachetti

Programador Visual: Carol Vasconcellos

Assistente de Direção: Bruce Brandão e Karini Oliveira

Administração: Bruna Fachetti

Fotografia: Dany Garcia e Felipe Oliver

Realização: Tartufaria de Atores

Assessoria de Imprensa: Minas de Ideias