Filme “Hamlet” estreia em São Paulo em 11/06

Hamlet, dirigido por Cristiano Burlan, estreia em São Paulo no dia 11 de junho nas salas do Centro Cultural São Paulo, Cine Olido e Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes.

O filme é o segundo lançamento da programação de cinema da Spcine no Circuito São Paulo de Cultura. Além das exibições, o programa promove a oficina Cinema de Guerrilha, com a equipe do longa-metragem, incluindo o diretor Cristiano Burlan, no dia 12 de junho no Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes.

A produção é uma livre adaptação da tragédia de William Shakespeare e aborda temas explorados no original do século XVI, como amor, ódio, traição e vingança. O filme recebeu um novo corte para o lançamento, após exibição no Festival de Cinema Latino-americano de São Paulo 2014.  

O filme se passa na metrópole de São Paulo e conta com as vozes dos próprios personagens e dos atores para conduzir a ficção. Parte daquilo que aconteceu nas coxias do teatro de Shakespeare estão desnudas em frente à lente. A tragédia, outrora ambientada dentro do castelo, acontece também nas ruas de São Paulo e é exatamente nesse espaço público que os impulsos privados afloram.

“Eu já tentei vingar a morte do meu irmão, fiquei de tocaia à espera dos assassinos e fracassei. Guardo até hoje uma bala para matar o assassino de minha mãe, mas nunca serei capaz. Talvez seja sobre isso o filme, sobre esse desejo primitivo que arranca os pensamentos do lugar de abrigo e os destina à fatalidade. E ai, diante da tragédia de cada um, resta decidir o destino fatal”, afirma  Cristiano Burlan.

O elenco conta com Henrique Zanoni como Hamlet, que também protagonizou os filmes Sinfonia de um homem só e Amador, do mesmo diretor; o crítico de cinema Jean-Claude Bernardet, que faz o papel do fantasma do rei morto; a atriz potiguar Ana Carolina Marinho que interpreta Ofélia e no papel do rei Cláudio, o ator Luiz Fernando Resende, que participou do mítico filme Hitler 3o Mundo, de José Agripino de Paula.

Cristiano Burlan, considerado o cineasta mais marginal do cinema paulista, desenvolveu Hamlet logo depois de Amador, que estreou na 17ª Mostra de Cinema de Tiradentes e de Mataram meu irmão, que foi vencedor do 18o É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários; do Prêmio do Governo do Estado de São Paulo 2014 e do 40o SESC Melhores Filmes.

 Hamlet foi realizado de forma independente, com recursos próprios e de parceiros que entraram como produtores associados.

Sinopse

A partir do assassinato de seu pai por seu tio, Hamlet é obrigado a enfrentar suas próprias contradições e as do mundo à sua volta. Originalmente ambientada dentro de um castelo, a tragédia ganha como cenário as ruas da cidade, e é neste espaço onde os impulsos privados afloram e testam os limites da vingança. Em uma desconstrução de si mesmo, Hamlet mergulha na eterna questão sobre o sentido da existência.

Cristiano Burlan

Nasceu em Porto Alegre em 1975. É diretor de cinema e teatro. Na década de noventa morou em Barcelona, onde dirigiu o grupo de cinema experimental Super-8. Esteve à frente do grupo de teatro paulistano, a Fúria. É professor na Universidade do Estado do Amazonas – UEA e na Academia Internacional de Cinema – AIC. A maior parte de sua filmografia participou de importantes festivais como o Festival de Havana, É Tudo Verdade, Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, Málaga, entre outros. Seu documentário mais recente, Mataram meu irmão, foi o grande vencedor do É Tudo Verdade 2013, angariando os prêmios de Melhor Filme do Júri Oficial e da Crítica, também foi vencedor do Prêmio Governador do Estado de São Paulo de 2014 e do 40º Festival Sesc Melhores Filmes. Entre seus principais filmes de ficção estão: Amador, que integrou a 17a Mostra de Cinema de Tiradentes, Sinfonia de Um Homem Só, indicado ao Prêmio Bandeira Paulista na 36ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, Corações Desertos, A Espera, Opus Hamlet Machine, Os Solitários e 4:48 AM. Em 2015, começa a filmar Elegia de um Crime, que encerra sua trilogia do luto, iniciada com Construção e Mataram Meu Irmão. Esta em fase de finalização do longa-metragem de ficção Fome, que tem Jean Claude Bernardet como protagonista.

 

Ficha técnica

Direção: Cristiano Burlan.

Roteiro: Cristiano Burlan e Henrique Zanoni.

Distribuição: Bela Filmes

Codistribuição: Spcine

Produção: Bela Filmes.

Produção Executiva: Simone Paz e Mariana Lamberti de Abreu.

Diretora de produção: Mariela Lamberti de Abreu.

Fotografia: Rafael Nobre.

Montagem: Grace Pinto e Pedro Leite.

Elenco: Henrique Zanoni, Jean-Claude Bernardet, Ana Carolina Marinho, Luiz Fernando Resende, Suia Legaspe, Paulo Bordhin, Gustavo Canovas, Eduardo Bordinhon e Rejane Arruda.

Trilha Sonora: Guilherme Garbato e Gustavo Garbato.

Gênero: Drama.

Cor: Preto e branco.

Duração: 90 minutos.

Serviço

São Paulo

Centro Cultural São Paulo

De 11/06 a 17/06, às 16h e às 20h30.

De 18/06 a 24/06, às 18h30.

De 25/06 a 01/07, às 17h.

 

Cine Olido

11/06, 18/06 e 19/06, às 19h.

12/06, 13/06, 14/06, 17/06, 20/06, 24/06, 26/06 e 28/06, às 17h.

16/06, 21/06, 23/06, 25/06 e 27/06, às 15h. 

 

Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes

Dia 13/06, às 17h.

Dia 14/06, às 17h.

 

Oficina “Cinema de Guerrilha” com Cristiano Burlan 

Data: 12 de junho – das 14h30 às 17h30.

Local: Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes

A oficina abordará aspectos da realização cinematográfica independente em São Paulo, através de uma análise teórica e prática dos pilares da produção cinematográfica: direção, produção, interpretação, montagem e som. 

 

Anúncios