“Tomo suas mãos nas minhas” – Eu fui!

Aos quase 45 minutos do segundo tempo, recebemos o convite para assistir à premiada “Tomo suas mãos nas minhas”, cuja

Foto: apetecer.com

Foto: apetecer.com

temporada no Teatro Fashion Mall está chegando ao fim. Apesar dos planos para o fim de semana serem outros a princípio – atualizar os outros eventos e peças a que fomos assitir -, aceitamos de primeira a proposta. Afinal, já estava a fim de ver fazia algum tempo.

A peça se desenvolve a partir de cartas que Anton Tchekhov e Olga Knípper trocam ao longo de 6 anos. Eles se conhecem em uma leitura de “A gaivota”. Ela, uma jovem atriz. Ele um escritor renomado, mais velho e tuberculoso. Primeiro são amigos, depois amantes, até finalmente se casarem. Os nomes de Miriam Freeland e Roberto Bomtempo – também casal na vida real – mostra-se perfeito para os papeis. Ela com aquela euforia da juventude, apaixonada por seu parceiro. Bomtempo faz um trabalho excelente. Começa a peça aos 38 anos e termina com 44. Devido à doença, o personagem envelhece consideravelmente durante o espetáculo (“Tenho 42 anos, mas me sinto com 72”, disse essa frase Tchekhov, durante a peça).

Foto: apetecer.com

Foto: apetecer.com

A história se passa entre o fim do século XIX e o início do XX, e figurino e cenário remontam a época. Apesar de bem feitos, o que se destaca e colabora na dramaticidade e beleza de alguns momentos é a iluminação de Maneco Quinderé (espero que tenhamos conseguido reproduzir nas fotos =)). O texto, além de representar o amor entre o casal, também faz várias alusões a obras de Tchekhov, como “As três irmãs” (que já assistimos), “Tio Vânia”, e “O Jardim das Cerejeiras”, contando o processo de produção do autor, e mal-entendidos em alguns roteiros.

Infelizmente a temporada chega ao fim hoje. Resta a nós esperar que uma nova se inicie para que mais pessoas possam conhecer não apenas o amor entre Tchekhov e Olga. Conheçam também mais da vida e obra do autor, um dos maiores dramaturgos de todos os tempos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

P.S.: Agradeço à Minas de Ideias pelos convites. À diretora Leila Hipólito parabenizamos pelo trabalho, e agradecemos pelas dicas nas fotos =)