“O Quebra-Nozes” – Eu fui!

O “Eu fui!” de hoje é sobre um clássico de fim de ano. O ballet “O Quebra-Nozes” já é uma tradição natalina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Todos os anos, o requinte do palco do teatro dá lugar para este lindo espetáculo.

O ballet é composto por música de Tchaikowsky e a coreografia de Marius Petipa. “O Quebra-Nozes” conta a história da menina Clara, que ganha do padrinho um quebra-nozes em formato de soldadinho e se encanta pelo presente. Ela fica desolada, no entanto, quando um de seus irmãos, que fica enciumado, toma-lhe o brinquedo, atira-o ao chão e bate-lhe com o pé, quebrando-o. O padrinho a consola e conserta o brinquedo. Ela vai dormir e, a partir daí, a magia toma conta do ballet.

Clara passeia, então, pelo Reino das Neves, no primeiro ato. A cenografia é linda, bem feita. Tudo a ver com o clima que faz no Rio de Janeiro esta época do ano (brincadeirinha ehehe). O segundo ato é com Clara no Reino dos Doces. O cenário é igualmente belo, porém diferente. As cores dão (literalmente) o tom, tanto no cenário, quanto no figurino, levando as crianças presentes à loucura. Muitas danças de folclore são apresentadas também.

No dia que fui, a menina Clara foi interpretada por Vanessa Pedro. E, apesar de não ter muitos momentos de dança, a velocidade e leveza que exibia em seus movimentos mostram que não levará muito tempo para a jovem ocupar o posto de primeira bailarina. Vanessa encantava com os passos, assim como Márcia Jaqueline, executando as famosas coreografias da Fada Açucarada. Também arrasou nos pas des deux com Moacir Emanuel, o príncipe do diaP

A temporada 2014 mostra o porquê “O Quebra-Nozes” se mantém há tantos anos em cartaz no Municipal. A montagem está ainda melhor que a de 2011, a primeira a que assisti. É uma mistura de renovação e tradição. Um presente para os amantes de arte, beleza, dança e cultura.

Ah! E quem puder chegar um pouco mais cedo não pode perder a palestra de Paulo Melgaço, que sempre conta histórias interessantes sobre os espetáculos a que vamos assistir.

 

PS.: Agradeço ao Theatro Municipal do Rio de Janeiro pelos convites.

 

 

 

Anúncios