Travessias – Arte Contemporânea na Maré terá sua temporada estendida por mais uma semana

Com o sucesso da terceira edição, a exposição Travessias – Arte Contemporânea na Maré terá sua temporada estendida por mais uma semana. A exposição ficará aberta ao público até o dia 22 de novembro, sábado, no Galpão Bela Maré, localizado na Favela Nova Holanda, Zona Norte do Rio de Janeiro. A entrada é gratuita.

Com organização do artista plástico carioca Daniel Senise, o Travessias 3 reúne trabalhos inéditos e de acervo dos artistas Barrão, Dora Longo Bahia, Sandra Kogut, Mauro Restiffe, Jonathas de Andrade, Cao Guimarães, Luiz Zerbini e dos fotógrafos do Imagens do Povo, programa realizado pelo Observatório de Favelas.

A proposta de integrar criações artísticas de linguagens múltiplas – audiovisual, pintura, instalação, fotografia, objetos – e gerar um espaço de diálogo, de circulação democrática de informações e novas possibilidades de pensamento no Complexo da Maré, com a participação ativa da população local, é a mola propulsora do projeto.

Para potencializar as reflexões e trocas de experiências sobre a arte e a complexidade dos territórios físicos e simbólicos que se entrecruzam no ambiente urbano, o Travessias promoveu uma série de debates no decorrer da mostra de arte. Os encontros reuniram artistas, acadêmicos, gestores públicos, ativistas e jornalistas com o intuito de aguçar o pensamento e criar um ambiente fértil de discussão entre os moradores da Maré, os visitantes e os artistas.

O Travessias 3 acontece dentro do Galpão Bela Maré e é uma realização do Observatório de Favelas e da produtora Automatica. Em 2011, a iniciativa surgiu com a primeira edição da exposição Travessias, reunindo 16 artistas plásticos e um coletivo. No ano seguinte, foi promovida a experiência LABE, plataforma que estimulou debates sobre espaço urbano, arte contemporânea e cultura digital e, em 2013, a segunda exposição Travessias 2 ocupou o Galpão, com a participação de 10 artistas, lançando um olhar mais profundo sobre o complexo de favelas da região e ampliando o mapa da arte contemporânea nacional.

“A arte é uma condição humana, uma oportunidade de encontro entre as pessoas. E só a partir desses encontros podemos gerar uma sociedade mais justa e mais fraterna. Com o Travessias temos a chance de gerar novas discussões simbólicas a partir da Maré e chamar a atenção para a complexidade de uma favela e de uma cidade”, afirma Jailson Souza e Silva, cofundador e diretor do Observatório de Favelas.

Serviço
Travessias 3 – Arte Contemporânea na Maré
http://www.travessias.org.br
Data: Até 22/11
Terça, quarta, sábado e domingo: das 10hs às 18hs
Quinta e sexta: das 10hs às 20hs
Entrada gratuita
Local: Galpão Bela Maré (Rua Bittencourt Sampaio, 169, Maré – Entre as passarelas 9 e 10 da Av. Brasil)
Informações: (21) 3105-1148