“Pequenas Biografias” – Eu fui”

Sempre tentando conhecer e experimentar as mais diferentes formas de se fazer arte, fui assistir a um espetáculo de gênero documental. Refiro-me a “Pequenas Biografias”, que já esteve em cartaz no Teatro Maria Clara Machado, mas agora se apresentava desde o dia 8 de outubro na nossa velha parceira Sede das Cias. A peça é da companhia Teatro Número Três, e mescla realidade e ficção, assim como várias histórias apresentadas.

O texto de Marcio Freitas tem como enredo um grupo de artistas que investiga a vida de seus familiares, de personalidades públicas e de desconhecidos. Entretanto, o projeto de biografia dos personagens é interrompido antes de se concretizar. Anos depois, outros artistas retomam as antigas histórias e analisam os documentos que restaram, tentando assim dar sentido aos fragmentos do passado.

Não é apenas a realidade e a ficção que se misturam nesta peça. As histórias são contadas de forma intercalada. Para orientar o espectador no que está se passando, cartazes com os nomes dos personagens são mostrados pelos outros atores com quem contracenam. O vídeo também é utilizado para narrar o decorrer da história, quem investiga quem, a evolução do projeto e as deserções no grupo. Eles também se filmam, documentando alguns fatos e comentários das reuniões.

Os recursos utilizados são mais que úteis, pois os diálogos são bastante ágeis, e a troca de uma fala e de uma história para outra é constante. Também são 7 atores em cena, praticamente o tempo inteiro. O que, em um espaço pequeno e quase intimista como o da Sede das Cias, preenche ainda mais o palco. O espetáculo também não lança mão de muita cenografia, chamando ainda mais a atenção para os efeitos visuais, sonoros e a história que está sendo contada.

“Pequenas Biografias” se despede da Sede das Cias após uma temporada de sucesso, segundo os próprios integrantes do elenco. O espetáculo se destacou por levar ao palco um gênero menos conhecido pelo grande público. E nós, espectadores e admiradores de teatro, agradecemos ao teatro carioca por dar espaço aos mais variados estilos, e às companhias de teatro pela versatilidade e competência com a qual os representam.

P.S.: Agradeço a Sede das Cias pelo convite.