“Coppélia” – Eu fui!

Claudia Mota, na pela de Swanilda Foto: apetecer.com

Claudia Mota, na pele de Swanilda
Foto: apetecer.com

Já falamos aqui a respeito da programação especial do Theatro Municipal do Rio de Janeiro para o Dia  das Crianças. Como parte dela, está o ballet de repertório “Coppélia”, que entra  em cartaz esta semana, levando a família inteira a entrar no universo infantil. Neste mundinho dos pequenos, estão brinquedos, figurinos, cenário… Tudo muito lúdico e encantador para, como dizem por aí, crianças de todas as idades. O ballet é dividido em três atos, e se passa na aldeia da Cracóvia, na Polônia. Lá, vive Swanilda e seu noivo, Franz. Este se interessa por uma misteriosa jovem, que avista com frequência no balcão da casa do Dr. Coppelius. Só que ele não sabe que Coppélia não passa de uma boneca, cria do velho artesão local. Mas isto é o suficiente para despertar o ciúme de sua noiva, que faz de tudo para tentar desmascarar sua rival.

A personagem Swanilda é vivida por Claudia Mota, primeira bailarina do Municipal desde 2007. Ela nos contou o ritmo intenso de ensaios para chegar no resultado. “Começamos a aula às 10h, 1h30 de aula. Depois temos um intervalo de 30 minutos. Depois vamos até as 16h, sem parar”. Mas não deixou de expressar o prazer de viver a personagem no palco. “Quando é um ballet desses, em que realmente temos que contar a história, você tem um tempo mais dedicado à parte de pantomima. Mas ‘Coppélia’ já é um marco para o Theatro Municipal. A Swanilda e o Franz são personagens fortes. A bailarina cresce fazendo. Mesmo quando estamos fazendo uma pirueta muito difícil, temos que estar interpretando, como se nada estivesse acontecendo”, diz.

Foto: apetecer.com

Foto: apetecer.com

A tarefa de comandar os mais de 60 bailarinos em cena é de Sergio Lobato, diretor artístico do Ballet do Theatro Municipal. Ele também destaca a versatilidade de “Coppélia”. “Estamos trazendo mais uma grande obra, com um conteúdo mais divertido, para as famílias, crianças… A coreografia é popular, mas também clássica. O público que vier assistir sairá feliz. Uma obra que também traz um grande conteúdo artístico quanto à interpretação do bailarino”, conta.

Com música de Léo Delibes, a orquestra desta montagem de “Coppélia” é regida pelo maestro Tobias Volkmann. “A música tem traços de folclore, uma das primeiras inserções de folclore do leste europeu. Se passa em uma aldeia, entre a Áustria, Hungria, sul da Polônia… Então aquela região tem efervescência rítmica de danças populares muito grande. Os personagens não são nobres, príncipes, princesas… São pessoas da aldeia, simples, com uma vida muito real. A música traz uma coisa muito bucólica. Música camponesa sem ser simplória. Não é de fadas, de príncipes, dos sonhos. Mas extremamente expressiva”, explicou.

Até o dia 19 de outubro, os amantes dos clássicos ballets de repertório poderão conferir esta nova montagem de “Coppélia”. Preparem-se para fortes emoções, pois todos os detalhes estão caprichados e belíssimos. A coreografia – impossível para os pobres mortais – se destaca pela dificuldade e excelente preparo dos bailarinos em vários momentos. Só vendo de perto para conferir melhor. Segue abaixo fotos, ficha técnica e serviço.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Serviço:
COPPÉLIA
BALLET E ORQUESTRA SINFÔNICA DO THEATRO MUNICIPAL
Música: Léo Delibes
Coreografia: Enrique Martinez
Libreto: Charles Nuitter, inspirado no conto Der Sandmann, de Ernst Hoffmann
Direção: Dalal Achcar
Cenários e figurinos: José Varona
Direção Artística do BTM: Sergio Lobato
Regência: Tobias Volkmann
Dias 9, 10, 11, 15, 16, 17 e 18/10, às 20h
Dias 12 e 19/10, às 17h
Solistas dos papéis centrais de Swanilda e Franz:
Márcia Jaqueline e Cícero Gomes – dias 9, 12, 17 e 19
Renata Tubarão e Filipe Moreira – dias 10 e 18
Claudia Mota e Moacir Emanoel – dias 11, 15 e 16
Participação dos alunos da Escola de Dança, Artes e Técnicas do Theatro Municipal Maria Olenewa
Preços:
Frisas e camarotes – R$ 504,00
Plateia e balcão nobre – R$ 84,00
Balcão superior – R$ 60,00
Galeria – R$ 25,00
Desconto de 50% para estudantes e idosos
Classificação etária: Livre
Duração: 2h30 (com dois intervalos)

Palestra Falando de Ballet
Apresentação: Paulo Melgaço
Salão Assyrio / Avenida Rio Branco, s/nº – Centro
Entrada Franca, mediante a apresentação do ingresso (todos os dias da temporada, com início sempre 1h30 antes do espetáculo)
Duração: 60 minutos

Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Praça Floriano s/n° – Centro
Informações: (21) 2332-9191
Vendas na Bilheteria, no site da Ingresso.com ou por telefone (21) 4003-2330

P.S.: Agradeço o Theatro Municipal pelos convites

Anúncios