“A quantas separações uma mulher é capaz de sobreviver?” – Eu fui!

Foto: apetecer.com

Foto: apetecer.com

A quantas separações uma mulher é capaz de sobreviver? Este é o questionamento de Ana, personagem do monólogo com este título que está em cartaz no Teatro do Leblon. Também é com a frase que ela inicia a peça, que narra seus relacionamentos e todas as alegrias e sofrimentos que podem trazer.

Renata Tobelem é a dona do texto e da interpretação da peça, inspirada em suas próprias experiências ao longo da vida. “Tive muitos relacionamentos e aos 30 já estava achando que ficaria para titia! (risos) Emprestei memórias pra ela”, diz a atriz, mas completando que a fictícia Ana é uma versão exagerada de si mesma. “Acho que o exagero vem de como ela lida com as suas dores. Se na vida real alguém escreveria um poema depois de uma separação, ela rabisca a parede toda! Tudo dela é intenso!”

Ana é fictícia, mas poderia não ser. A personagem se parece com muitas outras da vida real que vemos por aí. A melancolia da personagem, apesar de transformada em graça pela obra de Renata, era visível. Mesmo despejando todo seu fracasso amoroso e sua crise existencial, o público se divertia com as histórias.

Foto: apetecer.com

Foto: apetecer.com

A temática da peça é famosa por atrair público tanto no cinema, no teatro, quanto na televisão. O fato de os espectadores – maior parte mulheres – terem ido prestigiar a sessão em uma plena quarta-feira à noite é uma prova disto. E muitos deles procuram Renata no fim do espetáculo para contar sua porção Ana.”Não se trata de uma comédia gratuita falando banalmente de amor! Por isso criamos uma personagem real, em que as melancolias não fossem deixadas de lado! A vida não é só de alegrias. Não é uma novela. Na peça você ri e chora ao mesmo tempo! E é maravilhosa a reação do público em relação a isso tudo! Todos querem contar alguma história cabeluda pra mim!”, relata a atriz.

Um fato que também podemos comparar entre a Ana do palco e as Anas da vida real é a persistência nos erros. Apesar de buscarem sempre um ideal de felicidade, projetando no outro a sua própria, acabam se interessando pelo que é errado, e se desinteressando pelo que é mais confiável, mas menos emocionante. Parece que a graça é a emoção que os altos e baixos de um relacionamento podem trazer.

Foto: apetecer.com

Foto: apetecer.com

Renata, como uma boa criadora, defende sua criatura (rs), culpando a falta de sorte da personagem em relação aos fracassos nos relacionamentos. Mas, ao mesmo tempo, afirma que esta é uma característica recorrente. “Conheço muita gente que repete os mesmos erros e não enxerga de jeito nenhum! Eu acho que é porque, se enxergar, vai ser obrigada a consertar os erros, e consertar dá mais trabalho”.

Para quem está interessado em assistir à saga de Ana em superar as separações e buscar o parceiro ideal, o espetáculo fica em cartaz até o dia 29 de outubro na Sala Tônia Carrero, no Teatro do Leblon. Segue ficha técnica e serviço abaixo.

 

FICHA TÉCNICA

A quantas separações uma mulher é capaz de sobreviver?

Texto: Renata Tobelem

Direção: Guida Vianna

Co-direção: Michel Bercovitch

Elenco: Renata Tolebem


SERVIÇO: Temporada: Até 29 de outubro de 2014

Horários: Terças e quartas-feiras, às 21h

Local: Teatro Leblon – Sala Tônia Carrero

Endereço: Rua Conde de Bernadote-26 – Leblon – Telefone: (21)2529-7700

Preços: R$ 60,00 (Inteira) R$ 30,00 (Meia)

Duração: 65min

Classificação: 14 anos

Capacidade: 174 lugares

Gênero: Comédia Dramática VENDAS ANTECIPADAS: http://www.ingresso.com

 

P.S.: Agradeço a Minas de Ideias pelos convites.

Anúncios